1. Spirit Fanfics >
  2. O nerd e a popular - Imagine Itachi >
  3. Inveja

História O nerd e a popular - Imagine Itachi - Capítulo 21


Escrita por: Kasumi-Washu

Notas do Autor


Oi gente Kasumi maluca na área, tudo bem? Sei que eu disse que iria atualizar a fanfic amanhã mas junta uma pessoa com muito tempo livre + tédio, sobra o quê? Postagem de fanfic antecipada. Esse capítulo será tranquilo em relação ao próximo. Aviso que os próximos capítulos serão longos.. Quero começar a fechar as pontas soltas que deixei nos capítulos anteriores.

Músicas do capítulo

(Kyone) Dean Lewis - Waves: https://youtu.be/DRVnVu2etsA
(Festa do Madara) -C2C - Down the Road: https://www.youtube.com/watch?v=k1uUIJPD0Nk

Capítulo 21 - Inveja


Fanfic / Fanfiction O nerd e a popular - Imagine Itachi - Capítulo 21 - Inveja

Por Izumi

Estava vestindo minhas roupas, tinha dormido na casa do Sasori e não fui para aula na segunda, o ruivo me convenceu a faltar e passamos a manhã entre beijos, abraços e sexo.  Almoçava tranquilamente enquanto olhava o instagram quando quase engasguei com as fotos que apareceram em minha home, fotos da Kyone com o Itachi, aquela pontada de ciúme surgiu só de imaginar que eles estavam realmente se envolvendo. Kyone não era a garota certa para o Itachi ela não o merecia, mesmo estando com Sasori eu sentia falta dele, o queria. Não percebi quando Sasori chegou por trás de mim me beijando:

-  O que está olhando? Ele pegou meu celular antes mesmo que respondesse vi a desconfiança estampada em seu rosto. - Olhando as fotos do seu ex?

- As fotos da Kyone, eu ainda a sigo, o Itachi eu deixei de seguir desde que começamos a namorar meu ruivinho.

- Não sente raiva da Kyone por estar com seu ex? Ele me olhou com aquela expressão neutra enquanto beijava meu pescoço.

- Porque sentiria? Não sinto mais nada pelo Itachi. Tentei parecer confiante em minha resposta, o que o convenceu, ele sorriu singelo e me pegando no colo. - Sasori, você tem que almoçar. Falei manhosa.

- Almoço depois, antes quero matar esse desejo louco que estou de você. Sasori me carregou de volta para o quarto e me jogou na cama ficando por cima de mim, antes de me entregar novamente a ele olhei para o celular e a imagem dos beijos do Itachi me vieram à mente, mesmo com as carícias do Sasori não conseguia parar de pensar no Itachi, transar pensando em outro, nunca imaginei que eu passaria por isso, joguei o celular para longe e enquanto Sasori beijava meu corpo só conseguia pensar que Kyone e Itachi poderiam estar fazendo a mesma coisa, eu precisava afastá-lo dela e reconquistá-lo.

 

Por Kyone

Saí da sala pensando em todas as possíveis merdas que poderiam dar com esse acordo com o professor Tobirama, o que raios ele queria comigo? Mas não correria o risco de arriscar a carreira do Kakashi por um mero capricho meu, não mesmo. Estava na área das lanchonetes na faculdade comendo uma salada de frutas, quando minha amiga Konan chegou sorrindo e olhando para o meu pescoço

- Então quer dizer que você deu uns pegas mesmo no novo gatinho? Porque será que não estou surpresa?

- Estava tão óbvio assim que eu queria dar uns amassos com ele?

- Estava sim. E aí como foi? Ele deu conta do recado? Por essa marca aí o negócio foi bom. Konan estava morrendo de curiosidade, contei com detalhes como foi e de como fiquei surpresa em descobrir que aquele rapaz tímido fazia maravilhas.

- Gente então quer dizer que ele esconde mesmo coisas com aquela carinha de santo.  Apenas balancei a cabeça positivamente com o comentário da minha amiga. - Essa marca aí foi coisa dele?

- Sim, só que ele é muito romântico, sei lá, fiquei um pouco desconfortável com isso.

- Kyone, é que você só tá acostumada com cara safado, algo mais calmo e doce de vez em quando é bom, sabia?

- Então quer dizer que você e Yahiko gostam de um momento mais romântico? Ahh Konanzinha... Minha amiga ficou vermelha e deu um leve tapa no meu braço como sempre fazia quando ficava constrangida, rimos uma da outra até que nossa atenção foi tomada por Ino Yamanaka que se aproximou da nossa mesa.

- Kyone, podemos conversar? Ela parecia ansiosa.

- Claro. Algum problema se a Konan ficar?

- Sem problemas, já que envolve ela também. A loira sorriu simpática e prosseguiu: -Kyone, precisamos que volte para equipe de animação, que volte a ser nossa líder. O pedido não me surpreendeu, Konan havia me falado que o clima estava tenso entre elas e com menos de dois meses para o mundial de Animação o relógio não estava a favor delas. Continuei indiferente ao pedido.

- O que aconteceu com a Karin? Pelo que me lembre vocês a escolheram como capitã.

- Não a queremos mais Kyone, ela não escuta a gente e se acha a única com razão, com ela não teremos chance.

- Então é isso? Quando não estão contentes com algo, vocês simplesmente vão lá e expulsam a líder? Pelo visto não mudaram nada.

- Kyone, mas dessa vez é diferente, Karin não nos escuta e está acabando com o legado que você construiu, cometemos um erro e pedimos desculpas, eu peço em nome de todas, precisamos de você. Olhei para cara de súplica da loira, parecia mesmo arrependida e no fundo eu sabia que também tive culpa por deixar que aquela cobra envenenasse a mente das minhas meninas quando se aproveitou do meu momento de estresse. Olhei para Konan, o olhar dela eu conhecia bem: "Já passou da hora de voltar amiga". Mas então lembrei que teria compromisso pelas próximas duas semanas com o caso do professor Tobirama. Resolvi propor:

- Tá eu volto, mas com uma condição. A loira me olhou animada.

- Qual?

- Não serei mais a líder. Você será.

- Mas Kyone é meu primeiro ano na equipe.

- Eu sei, mas agiu como uma líder Ino, veio defender as meninas puxando para si a responsabilidade,  as meninas gostam muito de você é muito querida entre elas, característica de uma abelha rainha. Fora que é meu último ano e da Konan também, por isso ela não pode ser líder, pela experiência seria a Temari, mas você mostrou ser mais determinada que ela. Você será a nova comandante da equipe de animação, vou atuar apenas como uma orientadora a partir de agora, ok? Aceita minhas condições?

- Não tenho escolha, e acho que não sou apta para liderar as meninas. Ino disse se levantando para ir embora

- Você é mais do que apta Ino e mais uma coisa...A loira me olhou desconfiada. -Não vou conseguir voltar agora porque terei atividades extraclasse nestas duas semanas, pode guardar segredo quanto ao meu retorno?

- Claro. Como quiser.

- Obrigada Ino! A loira saiu saltitante.

- Finalmente vai voltar para seu lugar Kyone. Porque mudou de ideia?

- Porque gostei da Ino, vi sinceridade nela e já está na hora da cabeça daquela cobra vermelha ser esmagada. Konan riu e nesse momento Kakashi passou e sorriu singelo com um olhar safado, mas para não dar muito na cara que nos conhecíamos rolou apenas a troca de olhares, minutos depois vi a mensagem dele em meu celular:

Kakashi: Quero te ver, estou com saudades de ter você em minha cama. Que tal no meu apartamento hoje as 19:00?

Kyone: Também estou com saudades, as 19:00 estarei lá sem faltas.

Konan muito esperta percebeu logo do que se tratava.

- Kakashi te convidou para ir no apartamento dele hoje né?

- Como você sabe?

- Ele passou, sorriu safado, minutos depois seu celular vibra e você fica toda boba sorrindo enquanto digita a mensagem. Óbvio que só podia ser isso.

- Bem melhor eu ir para casa aproveitar para descansar, os próximos 10 dias da minha vida serão um tormento.

- Vai trabalhar de graça para professor Tobirama, então boa sorte!

- Obrigada Konanzinha e bom treino. Konan não tinha aula com Tobirama, mas odiava o professor por tabela por causa das coisas que eu contava. Tinha inveja da minha amiga, cursava algo que gostava, que no caso era artes plásticas e nunca jamais haveria a possibilidade de ter aulas com ele. Fui para casa, ia descansar um pouco e depois me preparar para ver o Kakashi, mais uma vez usaria a desculpa da academia.

 

Por Itachi

O dia de trabalho com o juiz Orochimaru foi intenso, muitas coisas para aprender, o outro assistente dele Kabuto me passou tudo que eu precisava e me elogiou por eu aprender rápido, em duas horas de trabalho eu já consegui preencher e preparar algumas moções, preencher documentos, bem como priorizar alguns processos que ele deveria analisar. Como Kabuto e eu adiantamos alguns documentos as 18:00 estávamos ociosos e Orochimaru nos dispensou, pensei em alugar uma bicicleta e pedalar um pouco, eu passava o dia todo sentado pedalar ajudaria para evitar o sedentarismo, aproveitei o clima fresco de outono para dar uma volta em uma ciclovia que havia próximo, muitas pessoas faziam a mesma coisa, mas durante o percurso pensei no meu final de semana com a Kyone,  mesmo trabalhando pensei nela durante o dia, eu queria sair com ela novamente.

Não percebi que pedalei 30 minutos chegando perto do bairro onde ficava minha faculdade, já estava na hora de devolver a bicicleta, pensei em continuar caminhando e fazia isso tranquilamente quando avistei um perfil familiar andando também pela ciclovia um pouco a frente, estava com short curto, tênis de corrida, regata, o cabelo amarrado em um rabo de cavalo, ouvindo música enquanto caminhava, acelerei o passo para alcançá-la, tirei o fone dela que se assustou:-

Itachi! Que me matar de susto?

- Desculpa, é que estava caminhando e quando percebi que era você, resolvi falar. Está indo a algum lugar?

- Caminhando e depois tenho compromisso. Ela parecia nervosa. - E você não deveria estar trabalhando?

- Fui dispensado mais cedo pelo Orochimaru, como Kabuto e eu conseguimos adiantar bastante coisa e ficamos ociosos ele nos dispensou. Resolvi andar um pouco de bicicleta e depois caminhar.

- Ahh legal. E aí como foi seu primeiro dia de trabalho?

- Foi bom, que tal eu te contar os detalhes enquanto comemos algo? Estou com fome.

- Não sei, é que daqui a pouco tenho compromisso, se bem que..não vai ter problema se eu me atrasar, estou muito curiosa para saber como foi seu dia Itachi. Kyone grudou no meu braço empolgada como se fosse minha namorada ou algo do tipo e me arrastou para a lanchonete mais próxima, o atendente arranjou uma mesa para nós, ela pediu uma banana split e eu um petit gateau e um pedaço de torta holandesa. Nossos pedidos chegaram rapidamente e contei para ela em detalhes meu dia de trabalho que ouvia empolgada meu relato e fazia perguntas sobre o que achei de trabalhar com Orochimaru, se fui tratado bem, se gostei do lugar das pessoas, era engraçado ver como ela estava mais animada que eu. Também perguntei o que o professor Tobirama queria com ela, me contou que ia trabalhar numa atividade extracurricular, o que achei muito estranho era nítido que ela não gostava do professor, porque então aceitaria uma atividade extra curricular com ele? Não era da minha conta, então não insisti em saber. Não percebemos que a hora havia passado tanto, Kyone falava pelos cotovelos.

- Meu Deus são 8:30, preciso ir urgente. Assim que paguei nossa conta ela se despediu apressada e saiu correndo. Onde iria com tanta pressa? Apenas observei ela ir correndo e sumir no quarteirão. Fiquei desapontado por ela ter que ir, talvez eu poderia convidá-la para fazermos isso mais vezes.

 

Por Kakashi

A comida havia esfriado e Kyone sequer deu notícias do motivo do atraso, havia preparado a comida para jantarmos mas acabei jantando sozinho, estava lavando a louça que sujei e pensando na possibilidade de algo ter acontecido com ela, também queria conversar sobre as fotos que vi em seu Instagram, como ela pode ter um encontro com outro? Ok, precisávamos disfarçar nosso envolvimento, mas ela não precisaria se encontrar com o cara aos finais de semana, pensar na possibilidade dela ter transado com ele me deixou louco louco de ciúmes, faltavam 17 minutos para as 21:00 quando ouvi alguém batendo na porta, ao abrir era ela, estava ofegante, parecia que correu apressada.

- Kyone, você esta bem? Fiquei preocupado achando que ela pode ter fugido de um assalto ou algo do tipo.

- Calma, eu só estou cansada, estava vindo para cá e encontrei um amigo e perdi a noção do tempo, me desculpa Kakashi por te fazer esperar.

- Tudo bem, entra. Ela entrou indo sentar-se direto no sofá da sala enquanto eu peguei algo para ela beber. - Quer jantar? Preparei algo para comermos, mas esfriou.

- Me desculpe, eu acabei comendo num restaurante. Ela me disse triste, foi então que reparei no chupão em seu pescoço e passei delicadamente a mão na região percebendo seu nervosismo.

- O que foi isso? Espero que não tenha haver com as fotos que vi em seu Instagram Kyone. Ela suspirou pondo na mesa de centro o copo em que bebia a limonada que lhe servi.

- Acho que essa conversa vai ser longa Kakashi.

Kyone me contou em detalhes o que aconteceu no fim de semana com seu colega, o que mais admirava nela era sua sinceridade, se fosse outra teria escondido o fato de ter transado com outro, mas ela não o fez. Senti muito ciúmes e não fazia ideia do que falar à ela, nossa situação era complicada.

- Está chateado comigo não está, Kakashi?

- Kyone não vou mentir, morro de ciúmes de você.

- Quer acabar com o que temos? Kakashi eu não sei se podemos continuar com isso sabendo que não podemos assumir algo mais sério porque poderia acabar com sua carreira. Ela me olhava triste, mas eu não queria me livrar dela, gostava de sua companhia e seu jeito extrovertido.

- Kyone não, eu sei que não posso exigir algo de você já que nossa situação é complicada, mas tenho ciúmes e não posso esconder.

- Kakashi Hatake, é incrível como você consegue ser extremamente charmoso mesmo com ciúmes. Porque não larga as aulas? Poderemos nos envolver publicamente sem ameaça alguma. Ela me encarava séria, mas a verdade é que eu não queria fazer isso, amava ensinar e começar como professor em uma das melhores universidades do país era algo extremamente importante para minha carreira, eu estava no topo e não queria sair assim tão cedo.

- Pode me dar um tempo para pensar nisso Kyone? Não é uma decisão que devo tomar precipitadamente, isso é importante para minha carreira.

- Entendo, tudo bem Kakashi vou esperar sua decisão, mas não pode exigir exclusividade minha. Já que sequer posso falar de você para outras. Ela ria mesmo com a seriedade da nossa conversa.

- Tudo bem Kyone, mas não vou conter meu ciúmes quando te ver com outro, saber que outro está beijando sua boca, que outro está tocando seu corpo e falando bobagens em seu ouvido. Só que vou te fazer entender que eu sou melhor que todos eles. A peguei no colo, beijando seu pescoço e já caminhava para meu quarto.

- Kakashi está tarde eu tenho que ir. Ela falava ofegante por causa dos beijos que distribuía em seu corpo.

- Quer mesmo ir senhorita Kyone?

- Acho que posso atrasar um pouco. Lá estavamos nós tirando a roupa um do outro desesperadamente.

 

[...]

- A parte ruim dos nossos encontros é quando você tem que ir, Kyone.

- Concordo. Ela se vestiu e caminhou até a porta, apenas me cobri com o lençol para acompanhá-la.

- Meu Uber chegou. Até logo Kakashi.

- Nos vemos na aula Kyone.

Aquela mulher conseguia fazer com que eu desligasse a parte lógica do cérebro e agir pelos impulsos, se fosse antes, a ideia de me envolver com uma aluna me causaria repulsa e eu já teria dado um basta nisso, mas agora. Estava dividido entre minha carreira e uma paixonite. Precisava escolher logo, a decisão poderia ser simples se fosse outra, mas ela mexia comigo e gostava do nosso envolvimento.

 

Por Kyone

Eu sabia que Kakashi me questionaria pelo fato de eu ter me envolvido com Itachi, decidi não esconder nada e contar tudo, se ele quisesse mesmo me cobrar algo sério que abandonasse as aulas na Universidade e assumisse um relacionamento comigo, mas quando o cobrei desse fato ele disse que precisaria pensar, pensar no que? Pelo visto Kakashi não nutria o mesmo sentimento, porém deixaria ele pensar, só não sabia se teria paciência para isso.

Cheguei em casa eram quase 10 horas, para minha sorte meu pai não havia chegado, encontrei minha mãe na sala de convidados e ela disse que ele mandou mensagem avisando que teve um problema no escritório e provavelmente só chegaria de madrugada, aquilo era muito suspeito, em plena segunda feira? Minha mãe nem se importava, o fato dele ficar fora era motivo de alívio para ela, fiz um lanche rápido antes de ir para meu quarto. No meu quarto após o banho demorei um tempo antes de pegar no sono e por algum motivo acabei comparando o sexo com Itachi e com Kakashi, com Kakashi era sempre algo quente, cheio de luxúria, desejo, já com Itachi foi algo tão diferente, me senti de certa forma especial de um jeito único, mas como Konan disse, talvez tenha sido porque foi algo fora do que eu estava acostumada, eu adoraria me sentir assim novamente, acabei sorrindo ao lembrar da sensação de estar com ele até o sono chegar.

No dia seguinte

Fui para aula de Ética da professora Tsunade vestida de social, para minha tristeza era uma aula que eu compartilhava com meu ex que era da turma de Educação Física, quando cruzei a sala, vi o olhar dele me perseguir e me encarar de cima a baixo, eu conhecia bem aquele olhar, estava excitado só de me ver, andei até meu lugar na frente do Itachi que também me olhou da cabeça aos pés.

- Bom dia Kyone! Você está linda. Tudo isso para o trabalho extraclasse do professor Tobirama? Fiquei animada com elogio dele.

- Bom dia futuro advogado de sucesso! Daria uns pegas em mim pelo fato de eu estar bonita Itachi? Ele desviou o olhar e percebi que corou. Era engraçado isso, ele dormiu comigo, mas ainda ficava tímido com meus comentários.

- Eu te chamaria pra sair novamente, você é linda estando de social ou não. Ele me respondeu me encarando e dessa vez quem ficou sem jeito com a resposta foi eu.

- E porque não convida? Não sou tão assustadora sou? A propósito está muito atraente Itachi, assim vai fazer as meninas da sala se apaixonarem. Falei rindo e ele riu também, mas nosso papo foi interrompido quando a professora Tsunade entrou na sala.

A aula dela tranquila, seria um paraíso se eu não precisasse mais trombar o Deidara, pois meu ranço por ele só aumentava, quando a aula terminou eu ainda fiquei na sala conversando com o Itachi e percebi meu ex nos encarar com ódio. "Vai te embora embuste".

- Boa sorte com o professor Tobirama, Kyone! Sei que você não se dá bem com ele. Tenho certeza que seja lá o que for que ele te avaliar, você vai se sair bem.

- Obrigada Itachi! Boa sorte você também! Ele me olhava intensamente, queria que ele desse o primeiro passo, mas ele parecia relutante, o puxei pela gravata e o beijei, senti seus braços  passarem pela minha cintura trazendo meu corpo para mais perto dele, o beijo dele era intenso, sedento, parecia que esperava por isso a um bom tempo, quando nos afastamos ele não sabia o que dizer.

- Isso foi..

- Bom.. Acho que agora terei ânimo para suportar o rabugento do professor Tobirama. Ele acabou rindo do meu comentário. - Vou indo nessa se não vou me atrasar e Itachi... Melhor passar no banheiro para limpar o batom ou Orochimaru vai achar que você é um beijoqueiro. Bom trabalho! Ele riu, saí da sala sorrindo passando no banheiro antes para retocar o batom, mas lembrando daquela sensação de carinho, estava começando a gostar daquilo.

Para minha sorte cheguei no escritório do professor Tobirama 20 minutos antes do combinado, uma secretária me levou até onde o professor estava com os 4 assistentes.

- Nossa última participante no caso chegou. Notei o olhar dele sobre mim, especialmente sobre o modesto decote do meu vestido tubinho da chanel, me acomodei no último assento vazio da mesa redonda da sala de reuniões do escritório, eu seria a única mulher no caso, o que me deixou desconfortável, já que meus 4 colegas pareciam ser um bando de puxa saco. Tobirama entregou um arquivo para cada um de nós, nossa tarefa seria reunir provas para mostrar que a empresa que estávamos defendendo era inocente na acusação de ré primaria de um esquema de lavagem de dinheiro.

A empresa que estávamos defendendo havia sido acusada de superfaturar o contrato com o governo e desviado dinheiro para contas de funcionários, usando a empresa que a acusava como laranja, por ser uma empresa de forte nome no mercado, considerada uma das empresas mais éticas e respeitadas, o contrato valer 200 milhões de dólares, o caso se tornou o maior escândalo do país e ficou ainda pior quando o escritório do meu pai decidiu defender o caso e a empresa que alegava ter sido usada como laranja contratou o escritório dos Otsutsuki's nosso maior concorrente, a própria Kaguya, fundadora do escritório defendia a empresa acusadora, todos esses fatores fizeram com que o caso tomasse proporções descomunais sendo noticiado em todos os jornais. Para o professor Tobirama perder não era uma alternativa, vencer no tribunal traria muito dinheiro, mais prestígio e o professor Tobirama, advogado principal responsável pelo caso teria muita fama.

Passei a tarde lendo a pilha de documentos e arquivos para entender melhor o processo, mas até o momento não tínhamos nada que pudesse favorecer nosso cliente. Eu prometi a mim mesma que daria meu sangue pelo caso especialmente quando descobri que o escritório dos Otsutsuki's que estavam protegendo a outra empresa, eu os odiava. Orochimaru me contou o quanto eles eram desprezíveis e tentaram diversas vezes acabar com a reputação do nosso escritório, diversas vezes Orochimaru e meu pai tiveram  problemas com auditoria, pois os Otsutsuki's usavam de meios nada legais para derrubar seus concorrentes, a desonestidade reinava naquele escritório, jurei a mim mesma que faria o necessário para vencer o caso, aquilo se tornou pessoal para mim, aquela vadia fantasmagórica da Kaguya veria do que Kyone Sakazaki era capaz.

Quando deu 20:30 os demais assistentes se retiraram, mas continuei a analisar os registros que encontrei de todos os envolvidos diretamente no contrato, nem percebi que a hora havia passado tanto, por volta das 22:00, Tobirama entrou na sala se surpreendendo pelo fato de eu ser a única que ainda estava lá.

- Ainda está aqui Kyone, está tarde, já está passando das 22:00 e amanhã você tem aula.

- Não percebi que estava tão tarde. Professor, como você analisa nossa situação no caso?

- Sinceramente vai ser difícil ganhar, todos que testemunharam até agora alegaram que foram coagidos pela empresa que estamos defendendo a assinar os papéis mesmo eles sabendo que o contrato era superfaturado. Os desgraçados dos Otsukisuki's dessa vez montaram uma teia da qual está difícil vencermos, as provas não são nada favoráveis. Tobirama se escorou no vidro, parecia extremamente cansado, era possível ver olheiras profundas em seu rosto.

- Não vamos perder, não vou deixar aquela desgraçada acabar com a Sakazaki & Orochi Advogados, com o império que Orochimaru construiu, isso é uma promessa!

- Vejo que está empenhada nesse caso, Kyone.

- Isso se tornou pessoal, eles estão atacando o escritório da minha família.

- Entendo, vá para casa descansar, temos duas semanas longas até a data do julgamento. Posso levar você em casa se quiser.

- Não precisa. "E eu nem quero", minha consciência gritou. -Vou chamar um taxi. - Até amanhã professor.

Cheguei em casa, jantei, durante a janta meu pai informou que no sábado iríamos para uma festa na mansão Uchiha, Madara daria uma festa em comemoração ao contrato de sociedade de nossos escritórios, o que me animou, mas em meu quarto continuei lendo e pesquisando sobre todos os envolvidos no caso e os que já haviam testemunhado no caso e os que foram intimados a depor. Pelo menos naquela noite não encontrei nada que nos favorecesse, fui dormir por volta das 4:00 da manhã.

[...]

A semana passou e não consegui avançar muito, o professor tinha razão, as provas só favoreciam a Kaguya, pelo visto ficar enfiada numa sala com um monte de papelada não ajudaria em nada, para nós havia sido uma semana perdida, só que diferente dos meus colegas resolvi que na próxima semana usaria a estratégia de ir a campo estudar o inimigo e suas fraquezas, usava isso para meus treinos de torcida e agora poderia ver se isso funcionaria inclusive no Direito, se estava dando cem por cento de mim, agora daria mil, não deixaria alguém acabar com a reputação do escritório do Orochi, nunca.

[...]

Finalmente o sábado havia chegado, estava louca para conhecer a mansão do Madara e saber se ele sabia dar festas, infelizmente por ser uma festa da empresa teria que manter o padrão da roupa social, só que mesmo de social abusei um pouco mais no decote, era festa do Madara, duvido muito que meu pai surtaria na festa dele e agora eu tinha um aliado valioso. Fomos de limousine até o endereço e quando chegamos nos surpreendemos com a mansão, tinha uma arquitetura moderna, toda em vidro, cor champanhe, parte da mansão era cercada de espelhos d'água, fomos guiados pelos empregados até o salão de festas anexo a mansão perfeitamente decorado, uma banda de jazz no palco, um dj para tocar outros ritmos que fossem pedidos, as luzes de efeito, assim que nos viu, Madara e Izuna vieram pessoalmente dar as boas vindas:

- Sejam bem vindos a minha mansão é uma honra recebê-los. Madara cumprimentou meu pai com um aperto de mão e beijou primeiramente minha mão e depois a da minha mãe, só que na da minha mãe o olhar de desejo que ele tinha era impossível de não ser notado, minha mãe corou. - Fiquem à vontade. Meu pai e minha mãe foram de encontro a uns conhecidos da firma e chamei Madara em particular.

- Ficou louco Madara, quer estragar tudo? O safado apenas bebeu um gole da taça de espumante e sorriu.

- Não tenho culpa, sua mãe está belíssima, aquela mulher acaba com meu juízo.

- Olha se controla, tá? Não se esqueça que temos de manter as aparências ou meu pai vai desconfiar.

- Tá, mas estou a ponto de fazer uma loucura e melhor você ser rápida, uma noite com sua mãe é tudo que preciso. Ele segurou meu rosto. - Não sei se vou conseguir esperar tanto Kyone. Ele sorriu e foi conversar com meu pai que nos olhava de longe. Sabia que Madara era impulsivo, mas esperava que ele não fizesse nenhuma merda aquela noite, se não, seria meu fim.

 

CONTINUUAA..


 


Notas Finais


Bem gente é isso.. Quando vou postar capítulo novo eu não vou prometer, em algum dia da próxima semana. Bjs e fiquem bem.

Com carinho,
Kasumi.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...