1. Spirit Fanfics >
  2. O Nerd e O Popular- Jikook >
  3. One

História O Nerd e O Popular- Jikook - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


BOA LEITURAA✌💚💙

Capítulo 2 - One


Park Jimin

Graças a Deus hoje é sabado, por mais que eu vou ficar sozinho com a minha vó em casa o dia inteiro para mim tudo bem,ja que eu faço isao todo o final de semana. Minha avó está dormindo ela acorda lá para as 11:00 e agora são 8:53, eu saio do meu quarto e vou até o banheiro fazer minhas higienes, bom meu quarto é bem simples assim como a casa da minha vó, meu quarto ele é bem pequeno mas eu não ligo, ele é da cor branca, tem um guarda-roupa na parede da porta,do lado da janela fica a minha cama e ao lado fica minha sapateira, e esse e meu quarto. 

Terminei minhas higienes e fui direto para a cozinha, peguei uma maça e me sentei na cadeira em frente da mesa, fiquei por alguns minutos ali até que ouvi alguém bater na porta, fui até ela (a porta), quando abri vi a pessoinha mais linda do mundo.

- JIMINIEEE. - era a minha prima de 6 anos, ela abraçou bem forte.

- Oiii Sun-Hee, tudo bem meu amor? - peguei ela no colo e a levei para o sofá.

- Você ainda está aqui? Quando a mamãe vai te tirar daqui?? - olhei em direção da porta e lá estava a minha tia.
  

Bom ela disse que minha mãe perdeu a vida por causa de mim,o que não é mentira, mas ela fala que eu não faço parte da família e que é para mim ficar longe da filha dela,pois não quer ser morta pela filha. 

   - Oii tiaa. - Mesmo ela não gostando de mim eu sempre fui muito educado com ela, depois que falo isso vejo a mesma revirando os olhos e colocando a sua bolsa em cima do sofá.
   - Eu ja te disse que você não é da minha família para me chamar de tia, e eu também disse para ficar longe da minha filha.
   Ela puxa a menina dos meus braços, e a leva para a cozinha, enquanto isso eu vou até o quarto da vovó e a chamo.
   - Vó, a tia está ai. - ela me responde com um Huhum, e se coloca sentada na cama.
   - Obrigada por me avisar. - ela levanta e me da um beijo na testa e sai do quarto indo ao banheiro que ficava em frente do cômodo onde estava em poucos segundos.
   Fui até a porta da cozinha e falei.
   - Eu falei com a vovó ela já esta vindo. -quando ia me virar eu sinto uma mão no meu pulso me fazendo virar.
   - E quem disse que era para você ter chamado ela, era uma surpresa, amanhã vai ser o aniversário dela, como você não lembra?? - assim que ela falou eu arregalei os olhos assustado, como assim eu esqueci do aniversário da vovó?
   Todos os anos a minha família fazia alguma coisa para a minha vó, e eles sempre faziam nos finais de semana, e como sempre eles nunca me deixaram me participar de nenhuma festa, toda vez minha tia me trancava no meu quarto e quando minha vó perguntava onde eu estava ela falava que eu ia dormir na casa de um amigo ou ia sair.
   "Nossa Jimin como você sabe disso?", bem a Sun-Hee sempre ia me levar um pedaço de bolo e doces para mim sem sua mãe saber, e sempre falava também o que a sua mãe dizia para a nossa avó.
   - Você é um incompetente até para isso menino, como isso é possível? - disse me soltando e balançando a cabeça de forma negativa - Ah e você já sabe né?
   - Sim eu sei - abaixei
   - Mamãe o Minnie vai participar da festa hoje e amanhã??
   - Não filha, hoje ele vai ficar na casa de um colega.
   - Minnie então vamos preparar roupas para você levar. - ela me puxou pelo braço me levando para meu quarto, chegamos lá ela fechou a porta e me olhou. - A mamãe não sabe mentir Jimin, você vai ficar aqui no quarto de novo?? E por que você não fica com nós?
   - Você vai entender quando ficar maior. - abracei ela e a mesma se soltou correndo em direção da cama e sentendo.
   - La vem você com esse " quando você ficar maior ". - fale revirando os olhos. - O que vai ficar fazendo aqui? Posso trazer alguns brinquedos que eu trouxe para você.
   - Não precisa Sun-Hee, vou ficar fazendo minhas lições aqui.
   - Park Jimin pare com isso, é sábado não vai fazer lição nenhuma.
   - Para uma menininha de 6 anos você está muito abusada garota. - fui até ela e comecei a fazer cócegas em sua barriga.
   - Hihi desculpa. - ela abraçou meu pescoço, até que minha tia Lee abre a porta.
   - Sun-Hee venha seus tios chegaram.  - a menina soltou meu pescoço e foi até a porta. - E você ja sabe.
   - Sim eu sei. - disse sem olhar para ela e pegando minha mochila.
   - Filha pode ir na frente a mamãe vai falar com o Jimin, ok?
   - Ok. - ela sai.
   - Olha garoto, não quero que você saia desse quarto, a família toda está ai, nenhum deles sabe que você está aqui se algum deles souber que está aqui vai ter uma grade confusão. - Ela ia fechar a porta mas consegui a impedir.
   - Então deixa eu ir para outro lugar.
   - Claro que não, você acha mesmo que isso vai acontecer? Todos podem te ver.
   - Mas eu saio pela janela.
   - Eu ja disse que não, agora tchau. - ela pega a chave da porta, sai e me tranca naquele lugar pequeno o bastante para ficar lá por muitas horas.
   E ali eu fiquei estudando por horas e mais horas, peguei meu celular e vi que já era 13:30, minha barriga já estava dando sinal de que eu precisava comer alguma coisa, fiquei esperando Sun-Hee. Passou mais algum tempo até eu olhar novamente para o celular e já estava dando 16:00.
   - Por que ela não apareceu ainda? - eu perguntava para mim mesmo, ja que Sun-Hee vinha sempre por volta das 13:00.
   Sentei na minha cama e comecei a encarar a parede, vocês devem estar se perguntando " nossa já está todo esse drama no começo da história ", sim e esse não é nem o começo. Fiquei sentado ali por mais um tempo, eu me levantei e fui até a janela,olhei para fora. Em frente de casa estava cheio de carros, conseguia ver a vizinha caminhando com sua mãe e seu cachorrinho, ela sorria enquanto sua mãe fazia um cafuné em sua cabeça, olhei para a árvore que tinha no quintal de casa e lá estava sorrindo a família que não me queriam por perto.
   Meu peito doia por saber que eles me odiavam, e foi nesse momento eu me sentei na cadeira que tinha ali, é como se eu tivease levado uma flechada no peito, eu não conseguia respirar, tudo era tão difícil, eu não sei se quando a Sun-Hee saber do porque eu não posso parcipar da família, ela vai ser a mesma, e se ela me julgar também?
   - O que eu faço? - eu estava meio perdido, até que de repente alguém bate na porta.
   Eu fico meio assustado até que a porta se abre revelando um menino alto, branco, olhos castanhos claros e cabelos pretos.
   - Quem é você? - eu não respondi apenas me levantei e me encostei na parede, ele me olhou com uma certa desconfiança. - Você está bem? Está meio palido. - Ele fechou a porta, a trancou, e veio até mim.
   Eu não conseguia me mexer, ele começou a me encarar.
   - Como entrou aqui?? Já sei você pulou a janela? - eu ja estava quase chorando e ele continuava ali me fazendo perguntas. - Ok não me respondeu, vou ir la falar para a minha tia que alguém invadiu a casa da vovó. - ele se virou indo em direção a porta.
   - NÃO. - eu gritei, merda não podia ter gritado. - Eu respondo tudo.
   - Ok, como é seu nome? E tem quantos anos? - ele se virou indo em direção da minha cama e sentando ali.
   - Ji-Jimin, 17. - disse meio assustado, já que ele fazia parte da família e não podia ter me visto
   - Pera seu nome é Ji-Jimin?? Que diferente. - ele me olhou meio surpreso pelo nome diferente.
   - Não é JIMIN. - eu disse me sentando novamente na cadeira.
   - Ata, mas eai por que está aqui? A minha vó ja sabe disso??
   - Bem... Ela acha que eu fui para a casa de um amigo..
   - Pera ai, como assim ela acha isso?? Ela te conhece?
   - Siim. - comecei a relaxar mais já que percebi que ele estava sendo bem gentil.
   - Como? - ele me ollhou corioso.
   - Eu sou neto dela.
   - Que? Tu é meu primo??
   - Bem, acho que sim. - eu falei meio confuso.
   - Quem são seus pais? - eu olhei diretamente nos olhos dele e disse.
   - Minha mãe morreu quando eu nasci, meu pai me largou quando eu tinha 7 anos.
   - Espera tu é filho da Tia Yang-Mi?
   - Siim. - abaixei minha cabeça.
   - E por que você não estava lá com nós?
   - Pelo simples fato da minha família me odiar. - ele se levantou e veio para perto de mim.
   - Então quer dizer que a nossa família te odeia e te prenderam aqui?
   - Bem só a Sun-Hee e a tia Lee sabe, os outros não podem saber que estou aqui, se não vai sobrar tudo para a vovó. - olhei para ele.
   - Realmente vai sobrar tudo para ela, mas por que eles te odeia? E cade seu pai, por que ele te largou?
   - Eles me culpam pela morte da minha mãe, ja que em vez dela escolher a vida dela ela escolheu a minha, o meu pai a mesma coisa, ai ele perguntou para a vovó se ela queria ficar comigo, se ela não quisesse ele ia me colocar no orfanato.
   - Uau, então a tia Yang-Mi escolheu que você tivesse vida em vez dela, e todos te culpam por isso? - balancei a cabeça em uma forma positiva. - Ah eu ainda não falei meu nome, me chamo Taemin, tenho 19 anos.
   - Quem são seus pais?
   - Minha mãe é a Ye-Jin, tenho uma irma de 17 anos ela se chama Chun-ja, meu pai se chama  Chung-ho.
   - Ata, ja que eu nunca tive tanto contato com a família não lembro muito deles.
   - TAEMIIIN. - uma voz bem aguda estava gritando pelo nome do menino em minha frente que me olhou assustado.
   - Merda é a minha irmã, que que eu faço agora, já sei vamos pular a janela, ai nós podemos falar com eles.
   - Você está louco? Eu não posso sair daqui.
   - Venha logo. - ele me puxou meu pulso. - Vou falar que você é um amigo meu, eles não vão te reconhecer.
   - Claro que vão.
   - Não olha, meu pai me deu dinheiro suficiente para pintar seu cabelo, eu falo para eles que eu vou encontrar um amigo e que não vou demorar muito tempo, enquanto isso você troca de roupa e pula a janela, e fica me esperando na esquina do outro lado da rua, Ok?
   - Você é louco. - comecei a rir - Mas ok, eu faço de tudo para sair daqui.
   - Ok, vou lá. - ele pula a janela e eu vou trocar de roupa.
   Depois que terminei de me "arrumar", eu pulei a janela e fui para o outro lado da rua e fiquei esperando o Taemin, fiquei ali por alguns minutos até eu ver que ele estava vindo.
   - Eai vamos?
   - Por que eu tenho que pintar meu cabelo? Eu não posso colocar alguma piruca?
   - Não você não me disse isso. - ele puxou meu pulso e nós fomos para um cabeleleiro.
   Quando chegamos ele falou para a moça que queriamos mudar a cor do meu cabelo, uma cor diferente e que iria combiar.
   - Que tal está cor? Vai ficar bonito. - ele me olhou e começou a rir, era um bege eu achei bem bonito.
   - Jimin deixa que eu escolho, você vai ficar parecendo uma múmia. - ele começou a rir mais. - Ele vai pintar desta cor.
   Depois de um tempo e me olhei no espelho....


Notas Finais


Continua ou para?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...