1. Spirit Fanfics >
  2. O nerd e o popular (Minjoon) >
  3. Falsos

História O nerd e o popular (Minjoon) - Capítulo 8


Escrita por:


Capítulo 8 - Falsos


Fanfic / Fanfiction O nerd e o popular (Minjoon) - Capítulo 8 - Falsos

A quilômetros da casa de Namjoon, a música alta e vozes claramente incomodam os vizinhos. Não é nada fora do comum Kim Taehyung dar uma festa um tanto exagerada toda vez que seus pais viajam para tratar de negócios.


Pode se dizer que metade da escola está ali, isso sem contar as outras pessoas que os convidados levam. Taehyung sempre foi o filho mimado de uma família nobre, ele é o mais novo de três irmãos, esses que já seguiram suas próprias vidas. Por ser o mais novo, Taehyung sempre foi muito bajulado e como consequência, faz o que quiser. 


Dentro e fora da casa a bebida corre solta, acompanhada também de drogas. No meio dessa bagunça toda, Taehyung e Jungkook estão sentados no grande sofá com várias garotas ao redor, ambos seguram a cintura das garotas mais próximas enquanto conversam sobre coisas que já aprontaram juntos. 


Taehyung sempre olha para Jungkook disfarçadamente, eles são amigos desde os cinco anos de idade e é claro, Jungkook foi o responsável por moldar parte da personalidade de Taehyung. 


- Jimin não vem? - Uma das garotas perguntou alto devido a música. - Eu vi o Hoseok e o Yoongi chegando, esperava ver Jimin junto como das outras vezes. 


- Jimin? - Jungkook levanta uma das sobrancelhas. - Ele deve estar..."fazendo novas amizades" com os nerds. 


Por algum motivo, aquilo causou risos debochados de algumas meninas. 


- O que houve com vocês? Eram tão amigos. - Taehyung perguntou pegando seu copo com bebida que estava na mesa de vidro na frente do sofá.


- Acho que nunca fui de fato amigo dele. Eu só vi um garoto perdido, isolado e um zero a esquerda para ser mais específico, acho que o que fiz foi apresentar a popularidade a ele, como é ser adorado e desejado pelas garotas. - Ao terminar a frase, o mesmo beija o pescoço da garota ao seu lado esquerdo, causando inveja nas demais. - Mas para isso, eu precisei me aproximar dele. Foi tão difícil transformar ele no que é hoje, ele é tão pobre. - Jungkook abaixou a cabeça e balançou em sinal de deboche. 


Taehyung apenas balançou a cabeça como se não aprovasse a atitude do amigo e continuou bebendo. 


De fato, Jimin foi convidado para a festa, mas depois do que aconteceu mais cedo ele achou melhor ficar em casa, o que não foi uma má ideia. Ele tem a saúde frágil e por ter tido contato com a fumaça, ele sabe que se acontecer algo, as pessoas que o ajudariam apenas por "cuidados futuros".

(*-*)

Na residência dos Kim, a polícia foi acionada devido ao barulho que vinha da casa. Assim que as luzes azuis e vermelhas começaram a entrar pela janela e a sirene fazer barulho, Bae empurrou a esposa para dentro do quarto do filho que também foi agredido. 


- Se vocês fizerem o mínimo de barulho, eu volto aqui e bato em vocês pior que a última vez. - O mesmo facha a porta e tranca por fora. 


O homem caminhou calmamente até a escada ouvindo batidas na porta, antes de abrir, passou a mão no cabelo e ajeitou a roupa. 


- Posso ajudá-los? - Bae perguntou tranquilo como se nada estivesse acontecendo. 


- Recebemos uma denuncia sobre vozes altas e possivelmente violência doméstica. 


- Vozes altas? - O mesmo levanta uma sobrancelha. - Desculpe policial, acho que você está na casa errada, eu não ouvi nada. 


- De qualquer forma, eu posso entrar? - Perguntou dando um passo a frente. 


- Para que? Eu já disse que não ouvi nada. 


- Está escondendo algo, senhor? - O policial o encara por alguns segundos.


- Não, claro que não! Pode entrar! 


Bae dá espaço para que o oficial entre. O mesmo olha para os lados e coloca as mãos para trás, Bae fecha a porta e começa a seguir o homem que para de frente para a escada. 


- Tem mais alguém com você? 


- Não, minha esposa ainda não chegou do trabalho.


Antes de subir o primeiro degrau, o policial olha para Bae, que não expressa nenhuma expressão, não parece nervoso, muito medos intimidado. O mesmo acompanha o policial até o andar de cima, sempre ficando no corredor enquanto o homem olhava os quartos. 


- Por que essa porta está trancada? - O policial pergunta assim que tenta abrir a mesma.


- Nós não usamos esse quarto, por isso deixamos a porta trancada. 


- Pode abrir, por favor? 


- Não. É muito doloroso...


- O que seria doloroso, senhor?


- Esse quarto...era do meu falecido filho...sempre que eu entrava nesse quarto várias lembranças vinham em minha mente, de como ele sorria, de como era feliz brincando com os brinquedos que eu dei a ele. - Bae fecha a mão e tampa a boca, fingindo estar sentindo falta de seu filho "falecido".


Antes de falar algo, o policial olhou para o homem triste a sua frente. 


- Não tive a intenção de deixá-lo desconfortável, senhor. - O policial diz se afastando da porta.


- Não se preocupe, está tudo bem. Já fazem anos que ele nos deixou. 


O policial apenas balança a cabeça e continua olhando a casa antes de descer as escadas e dar mais uma olhada. 


- Bem, me desculpe o incomodo, tenha uma boa noite. 


- Igualmente.


Com um sorriso falso, Bae fechou a porta e soltou um longo suspiro. Isso o deixa mais irritado, com sua expressão totalmente diferente, ele encara a viatura parada na rua pelo canto da janela.


Assim que a viatura saiu, ele se virou e andou em direção as escadas, subindo degrau por degrau pacientemente. Ao parar na frente da porta, levou sua mão até o bolso e destrancou a porta vendo Namjoon e Sook sentados na cama abraçados. 


Soltando o ar de seus pulmões ele anda até sua esposa e a puxa pelos cabelos. 


- Vá fazer o jantar, eu estou faminto. - O mesmo empurra a esposa para fora do quarto e a encara até que a mesma andasse com dificuldade até as escadas. Assim que Sook começou a descer os degraus o mesmo fechou a porta e olhou para o filho encolhido na cama. - Ainda não acabei com você, Nam. 

(*-*)

Jimin está aéreo, pensando em muitas coisas enquanto lava a louça do jantar. Sua mente está uma bagunça, ele pensa em como era antes de conhecer Jungkook, ele era um garoto comum, não tinha nada de tão marcante, não tinha destaque em meio a uma multidão de pessoas. 


Depois que Jungkook virou seu amigo, muita coisa mudou, ele o fez emagrecer, porque segundo Jungkook as garotas nunca olhariam para uma pessoa como Jimin, isso mexeu com a cabeça dele, já era inseguro em relação ao seu corpo e aparência, as palavras que saíram da boca do Jeon o atingiram dolorosamente. No dia seguinte, Jimin começou uma dieta, não comia quase nada e fazia exercícios em casa pois não podia ir até uma academia. 


Jungkook sempre o ajudava, falando coisas horríveis disfarçadas de concelhos, na cabeça de Jimin tudo aquilo era para o seu bem. Em uma semana, a evolução do seu corpo era notável, estava mais magro, porém sua aparência...ele estava pálido, seus lábios estavam secos e seus olhos tinham olheiras escuras, ele estava doente. 


Como sempre, Jungkook disse a ele que todo sacrifício era necessário para ter um corpo ideal. Jeon não o deixava comer, comia apenas uma pequena porção de arroz três vezes ao dia, até que seu corpo não aguentou mais e desabou.


Jimin não sabe bem o que aconteceu, só se lembra de acordar em uma cama no hospital recebendo soro na veia. Naquele dia seus pais brigaram muito com ele, as atitudes do Jeon não estavam o ajudando, estavam acabando com Jimin cada vez mais.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...