História O nosso combinado - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Capitão Killian "Gancho" Jones, David Nolan (Príncipe Encantado), Emma Swan, Henry Mills, Regina Mills (Rainha Malvada), Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Comedia, Drama, Romance, Swanqueen
Visualizações 127
Palavras 1.705
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fantasia, FemmeSlash, Ficção, LGBT, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Escutando uma música de Saia Rodada "Bebe e vem me procurar", me veio a inspiração pra essa fanfic que à princípio vai ser uma one, mas se quiserem eu continuo. Perdoem os erros, minha primeira fic não tem como sair perfeita. É isso, espero que gostem

Os personagens não são meus, pertencem a série Once Upon A Time. A fic se passa após a season finale.

Capítulo 1 - Bebe e vem me procurar.


Fanfic / Fanfiction O nosso combinado - Capítulo 1 - Bebe e vem me procurar.

Bem, o que dizer sobre minha vida e como estava Storybrooke... 

 

Minha Hope já estava com seus três anos, já eu eu e o Killian percebemos que nosso relacionamento tinha virado uma grande amizade e cada um seguiu o seu caminho. Ele continuava residente em Storybrooke, mas trabalhava no porto e constantemente viajava pelos países encantados. Hope era louca pelo pai e ele não ficava atrás, o maior grude. Henry estava com Cinderela e Lucy no castelo, Lucy como uma boa adolescente nos enlouquecia com sua curiosidade, adquirida obviamente do pai. Papai, mamãe e o jovem Neal viviam nos arredores do castelo de Regina. Ahh Regina... O que falar dela?! A Good Queen continuava aquele furacão de mulher. Ótima gestora, mãe, avó e tia. Hope era louca por Regina e a imitava constantemente. O mais engraçado é que ela realmente parecia com ela, loucura neah?!

Nossa amizade continuava a mesma, eu passei a ser conselheira do reino, porém continuei na delegacia. Depois do término com Killian, assumi que tinha uma queda pela rainha. Nada que eu não pudesse controlar, ficando constantemente numa distância segura da mesma! Hahahah

Bem, hoje é o dia do velho encantado ficar na delegacia, tinha segurado três fins de semana pra ele. Dessa vez ele me deu uma trégua. 
 

- Filha, cheguei. _ papai chegou com a sua pontualidade da real _ Vá descansar, como foi que o Henry disse _ parou pensativo _ Você está "workaholic", tá viciadona nessa delegacia. 

- Tá todo moderninho hein, velho Nolan?_ falei e dei um beijo no seu rosto.

- Boa noite minha querida, aproveite que Hope está com a Lucy, bom descanso.

 

Entrei no meu velho fusca e fui em direção a minha casa. 

Após um bom banho coloquei uma camiseta e uma calça folgada. Acendi a lareira e coloquei uma música ambiente. Fechei os olhos e pensei em Regina, na verdade esse era um pensamento constante. Sempre pensava em como seria, se no nosso encontro, na última maldição, eu tivesse ficado ao seu lado. Infelizmente eu já não podia, precisava proteger a Hope, mas meu coração de alguma forma ficou ali. Sempre fazia visualizações pra ver como ela estava, e caramba, ela tava cada dia mais linda. Enfim, acho que o tempo tinha passado, mas eu nem sabia se ela sentia o mesmo. 

Nos últimos dias tinha fugido bastante da presença da Regina, acho que ela deve tá bem "p" da vida comigo, fazer o quê? Soube que ela estava conversando com um príncipe amigo do Aladdin, não ia atrapalhar a felicidade dela, não dessa vez. Bem, eu não sei se ela realmente estava gostando dele, Regina é bem difícil de decifrar. 

Três batidas na porta me tiraram dos meus devaneios.

Quem seria a essa hora?

Como possuía magia fui tranquilamente até a porta e olhei pelo olho mágico. Vi uma Regina meio transtornada, apesar do frio na barriga, abri a porta no mesmo instante. Assim que abri que Regina veio com tudo pra cima de mim, apontando o dedo em riste no meu peito. 

 

- Quem você pensa que é pra fazer isso comigo?_ Falou extremamente alterada. 

- O O que eu fiz, Regina?!_ gaguejei e continuei _ O que houve com você? Você estava bem?

-Bem? Você ainda tem coragem de me perguntar isso?_ Além do medo, pela proximidade, pude sentir o cheiro de álcool_ Você é uma idiota, Swan. Que merda, por que você faz isso comigo?

- Regina, você está me assustando!

Então ela avançou em mim e colou nossos lábios. Senti o gosto das suas lágrimas, mas apesar de estar assustada, me entrei a aquele beijo. Sua língua foi pedindo espaço dentro do beijo desesperado. Ficamos nos beijando por algum tempo, até que foi preciso respirar.

- Regina...

- Não fala nada!

E mais uma vez ela avançou e começamos mais um beijo intenso. Virei um pouco e a empurrei até o sofá. Sei que Regina estava alta, provavelmente nem lembraria amanhã da nossa noite, mas não perderia essa oportunidade. Ela veio com as mãos na barra da minha camiseta, deixei ela tirar e jogar longe. Desabotoei a sua camisa social e o desejo só aumentava. Aos poucos pude ver seu sutiã branco de renda e minha boca salivou. Ela deu um sorriso safado e me puxou colando nossos lábios. O beijo beirava o selvagem, juro que nunca imaginei uma Regina assim... Mentira, eu não esperava nada diferente, essa mulher é muito quente.

- Posso?_ falei enquanto puxava o zíper da sua saia lápis.

- Vai, Swan._ falou ofegante.

Continuei a tirar sua saia, enquanto ela puxava minha calça de moletom. Estava muito quente, nossas mãos vagavam e suas unhas constantemente me arranhavam. Estamos apenas com nossas calcinhas e sutiãs. Encaixei minha perna no sexo de Regina, e caramba, ela estava muito molhada.

- Tudo isso é pra mim, Regina?! Quem diria!

- Cala a boca idiota.

- Não perde a mania de me xingar._ constatei o óbvio.

Intensifiquei o ritmo dos seus quadris em direção a minha coxa. Sentia minha coxa cada vez mai88ths molhada, tinha acabado com a sua calcinha com toda a certeza. Não me fiz de rogada e a tirei, porém não medi minha força e a rasguei. Recebendo um olhar de pura luxúria, quando o seu sexo entrou em contato com minha pele. O sutiã seguiu o mesmo caminho do que restou da calcinha.

- Ahhhhh Emmaaa.

Coloquei minha mão dentro daquele vale molhado, enquanto minha foi até seus seios... E que delícia. Regina era maravilhosa.

- Que gostoso esta aqui Regina, isso tudo é pra mim. Hummm, me fala?

- Ahhhhh... É... É simm... Ahhh... É sim, Em-ma.

- Então me diz o que você que eu faça.

- Ahh... Primeiro tira tudo, quero sentir você.

Ela me ajudou a tirar a calcinha. Assim que me encaixei e os nossos sexos se tocaram foi uma explosão, gemi alto. O fez o tesão de Regina atingir picos alarmantes, ela ficou fora de si. 

Desci pelo seu corpo chegando no lugar de maior desejo, seu cheiro de mulher era inebriante. Sem demora passei minha língua e o seu sexo estava tão molhado. Enquanto a chupava, introduzi dois dedos e estimulei com socadas intensas. Dediquei minha total dedicação e me delicitei com seu sabor delicioso. 

- Ohh isso Em-ma... Ahhhh vaii, você faz tão gostoso... Ahhhh me chupa... Vaii...

Senti seu orgasmo chegando com intensidade, quando ela explodiu com vários espasmos, seu corpo tremia descontroladamente. Continuei chupando todo o líquido do prazer que tinha dado a ela. Tirei seu dedo devagar e também os chupei. E todo o tempo que a estimulei não parei de olhar em seus olhos e como essa mulher era selvagem de tanto prazer. 

Subi lentamente pelo seu corpo, distribuindo pequenos beijos no seu corpo sensível. Até que cheguei em seus lábios e os beijei com intensidade. Percebi que seus olhos estavam meio marejados. Relacionei com o orgasmo recente. Ficamos nos olhando intensamente por um tempo. Não falamos nada, também não era necessário. Então ela suspirou e me virou, tomando a posse.

- Minha vez._Falou com um sorriso sacana.

Transamos a madrugada toda, gozamos inúmeras vezes até apagarmos nos sofá. Acordei algumas horas depois sentindo o peso do corpo perfeito de Regina. Eu ainda não estava acreditando que nossa noite realmente tinha acontecido, essa tensão durava a mais de 10 anos. Puxei um cobertor que estava no sofá, nos cobri e embalei o seu sono, enquanto uma chuva fina caia. Fiquei um bom tempo fazendo carinho no seu cabelo até que eu adormeci.


 

Senti uma claridade no meu rosto e demorei pra me situar. Me arrependendo logo em seguida, pois percebi que tinha sido deixada na sala. Regina tinha fugido e além da raiva que eu estava sentindo, não sabia como agiria com ela. 

 

 

"Eu sei que você fala por aí que não;

Jura que é de pedra o seu coração;

Mas na madrugada vem me procurar;

Eu era só um lance, uma distração;

O meu corpo era sua diversão;

O nosso combinado era não ligar"


 

Dias se passaram e Regina me evitava com veemência. Ninguém entendia, muito menos nossos filhos. O Henry Encantado tinha acabado de voltar do reino de Agrabah e foi o que menos entendeu nossa recente animosidade. 

Já tinha evitado milhares de eventos pra não bater de frente com Regina, me sentia usada. 

Recentemente soube de uma indisposição de Regina. Tentei magia para tentar saber como estava, mas a magia de proteção do castelo não permitia. Aproveitei pra tirar informações de Henry e Lucy.

 

- Ora ora, se não é meu filho e neta desnaturados. 

- Oi vó, deixa de drama, você tá igual a vó Gina. Tia Zel disse que é a menopausa. Vó quase transformou ela em corvo, foi por pouco! falou sorrindo.

- Mamãe a mãe tá a flor da pele, você sabe o motivo?

- Eu? Por que eu saberia? Regina sempre foi de fases.

- Você bem que poderia falar com ela.

- Nem invente Henry,  não vou falar com Regina. Depois ela volta ao normal. 

- Tá bom mãe, eu vou com a lucy buscar as amigas pra festa de pijama, posso pegar a Hope?

- Vai vó, deixa ela ir pro castelo, ela é nossa mascote. Fez aquela cara de pidona idêntica ao Henry. 

- Okayy._ Beijei os dois.

Fui pra casa naquela com intenção de por as ideias no lugar e regular meu sono.

 

Aliviei meu estresse no saco de pancadas, depois de vários minutos, fiz uma refeição rápida e tomei um banho demorado. Meus músculos estavam tensos por todo o estresse que vinha passando. Após alguns minutos sai, escovei meus dentes e me preparei para dormir.

 

Escutei a campainha tocando. Desci a escada lentamente e fui em direção a porta. Olhei no olho mágico e não acreditei no que vi. Abri a porta.

 

- Bem Regina, o que você quer dessa vez?!

- Posso entrar?



 

"Mas tá sentindo falta da cama amarrotada, das roupas pela casa;

Do cheiro do amor no ar, o cheiro do amor no ar;

Caiu na madrugada e viu que tava errada tá desesperada;

Louca pra me encontrar, então bebe vem me procurar… Bebe e vem me procurar."


Notas Finais


Por enquanto, parafraseando looneytunes: Isso é tudo pessoal!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...