História O nosso louco amor - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bastian Schweinsteiger, Cristiano Ronaldo, Daniel Carvajal, Eden Hazard, Francisco "Isco" Suárez, Manuel Neuer, Marcelo Vieira, Marco Reus, Mario Götze, Sergio Ramos, Zlatan Ibrahimovic
Personagens Bastian Schweinsteiger, Cristiano Ronaldo, Daniel Carvajal, Eden Hazard, Francisco Román Alarcón Suárez, Manuel Neuer, Marcelo Vieira, Marco Reus, Mario Götze, Personagens Originais, Sergio Ramos, Zlatan Ibrahimović
Tags Ajax, Barcelona, Futebol!, Parissaintgermain, Suécia, Zlatanibrahimovic
Visualizações 14
Palavras 1.348
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Esporte, Famí­lia, Festa, Literatura Feminina, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, voltei com mais um capítulo da história. Gostaria de agradecer à Gioszc por ter comentado no capítulo anterior, foi o primeiro comentário que recebi na história e fiquei muito feliz😘
Espero que curtam esse capítulo. Boa leitura!!!

Capítulo 3 - Capítulo Três


“De todos os loucos do mundo eu quis você porque a sua loucura parece um pouco com a minha."

 

—Se acalme, você está muito tenso, mais tenso até do que eu mesmo—Zlatan diz a Hasse Borg, o diretor de seu primeiro clube profissional, Malmo FF. Este o encara do outro lado do corredor, da poltrona em que estava do avião e ri sem humor.

—Eu estou calmo—diz simples e Zlatan ri negando com a cabeça, pois o nervosismo era visível em sua feição, além de Hasse enxugar o suor da testa com um paninho de cinco em cinco minutos.

—Quero dizer, aproveite. Não fique tão tenso—O aconselha.

Hasse apenas assente e logo seus olhos se voltam para Katarina que dormia ao lado de Zlatan, com a cabeça encostada na janela da aeronave, enquanto o sueco segurava a mão da namorada de forma protetora e possessiva.

—E a jovem?—O diretor do Malmo aponta para a loira— Decidiu mesmo morar com você na Holanda? —Questiona e de forma instantânea o olhar de Zlatan se volta para a namorada que respirava de forma lenta e ritmada, denunciando o sono profundo.

—Sim, eu consegui convencê-la. Ela ficou um pouco relutante, mas nós sabíamos que relacionamento a distância não daria certo entre nós e nem ela e muito menos eu queríamos dar fim ao que temos. São mais de três anos de relacionamento. Além do mais, os pais dela que estavam no Oriente Médio foram mortos… agora ela só tem a mim.—Suspira ainda a encarando. Estava sendo difícil para a jovem seguir em frente sabendo que nunca mais veria seus pais—Ela vai terminar esse semestre de nutrição na Malmö Universitet, mas já conseguiu transferência para uma Universidade holandesa. Ela também precisa resolver os últimos detalhes sobre a venda da casa dela e só virá morar comigo de fato no início do próximo ano. Hoje ela está indo para minha apresentação ao clube, mas já volta amanhã mesmo para a Suécia. Ela sabe o quão importante é sua presença neste momento para mim.

Para Hasse aquilo era algo inédito. Geralmente jovens na idade de Zlatan só queriam ficar com todas as mulheres que pudessem e não engatarem um relacionamento sério com nenhuma delas. Zlatan, ao contrário, pretendia ficar com Katarina e apenas ela, formar uma família com a jovem. A cada dia que passa o rapaz o surpreendia mais.

—Vocês se gostam muito, estou certo?

Zlatan assente e o encara.

—Ela é a pessoa mais importante para mim!

O mais velho assente, entendendo sua colocação e logo volta seu olhar para o jornal em seu colo onde havia a foto de todo o elenco do Ajax. Logo Zlatan se inclina em sua poltrona para olhar também, por curiosidade.

—Quantos jogadores têm? —Questiona e logo Hasse conta.

—Vinte e quatro—diz—as transferências custaram em torno de 50 milhões.

—Eu valho mais que todos os vinte e quatro juntos—Zlatan diz confiante e sorri em deboche, com seu ego inflado.

A viagem seguiu e Zlatan virou-se para o lado de Katarina e passou o resto da viagem acariciando seus longos cabelos loiros, que ele tanto adorava, enquanto velava seu sono.

Em uma promessa silenciosa afirma que será um jogador de alto nível e terá uma linda família com ela. Ela estava com ele nos momentos ruins, o levantava quando ele caía, o fazia voltar para o jogo quando ele pensava em desistir, o lembrando o porquê de ter começado. Ele queria, ou melhor, quer retribuir um dia tudo que ela fez por ele e sua família. Lhe dar o mundo se possível for.

Zlatan não queria ser mais um perdedor, um desistente. Não, ele queria mostrar, sobretudo para os garotos do bairro onde morou, que todos podem alcançar seus sonhos se colocarem dedicação e força de vontade nisso. Mostrar que eles podem fazer muito mais, serem o que quiserem.

Sem perceber, absorto em pensamentos, adormeceu também.

 

Amsterdã, Holanda

 

Vários fotógrafos e jornalistas estavam no aeroporto à espera daquele que tinha sido a contratação mais cara do Ajax até então.

Katarina tentou sair do foco disso tudo. Era o momento de Zlatan, ele era a estrela ali e ela deixou que ele caminhasse na frente com Hasse, todavia ele parou no meio do aeroporto e esperou que ela chegasse perto de si, logo pegando em sua mão.

—Zlatan...—ela tenta protestar, contudo ele não a deixa terminar.

—Você é minha namorada, te quero ao meu lado, como sempre esteve e não escondida atrás de mim.

Diante dessas palavras a jovem não disse mais nada, apenas caminhou ao lado do namorado, enquanto tentava a todo custo esconder o rosto de todas aquelas câmeras.

—Não cubra o rosto, vida—a chama pelo apelido que ela tanto amava— e não abaixe a cabeça também. Você é linda, além do mais somos o casal que vai dominar a Holanda agora, portanto cabeça erguida sempre—diz e ela ri.

Logo chegam até uma mulher que parecia ser funcionária do clube Ajax e que parecia estar ali para recebê-los.

—Olá, meu nome é Priscila, prazer em conhecê-los. Sejam bem-vindos—diz em tom amistoso, sorrindo em seguida e eles se apresentam e agradecem a acolhida.

Seguem para o carro, que os levaria para o local onde ocorreria a coletiva de imprensa com apresentação de Zlatan ao time, sob flashes e bombardeamento de perguntas.

—Simplesmente incrível —Katarina diz enquanto olhava a paisagem através do vidro do carro e Zlatan sorri para ela.

—Obrigado por estar aqui comigo. Sem você aqui seria horrível para mim—segura sua mão depositando um beijo no dorso em seguida—Eu amo você.

—Eu também amo você—diz e no mesmo segundo ele a puxa para um beijo lento, cheio de promessas silenciosas.

. . .

—Zlatan, esta é sua camisa, com o número 9 na parte de trás— Leo Beenhaker, o técnico do Ajax lhe apresenta a blusa do uniforme e em seguida aperta sua mão

—Boa sorte.

Várias fotos são tiradas e logo é aberto o momento no qual os jornalistas poderiam fazer perguntas ao novo contratado do time holandês.

—Zlatan, o que acha do Ajax?—Um deles questiona, enquanto segurava um gravador para não perder nenhuma palavra do sueco.

—Acredito que o Ajax é o clube perfeito para mim, eles jogam o meu tipo de futebol—diz firme.

—E qual seria seu tipo de futebol? —Outro questiona, aproveitando o momento.

—Técnico—diz simples.

—Técnico? Mas este é muito difícil—rebate

—Eu sou Zlatan Ibrahimović, nada é difícil para mim—diz simples.

Outra repórter levanta a mão, pedindo permissão para tomar a palavra e esta lhe é concedida.

—Percebemos que chegou com uma moça, aliás uma linda moça. É alguém especial em sua vida?—Questiona interessada e logo Zlatan revira os olhos.

—Gostaria que fizessem apenas perguntas relacionadas ao meu futebol, por favor, perguntas que não forem relacionadas a isto, não irei responder—diz simples e seco. Não queria que ninguém invadisse sua privacidade e da sua namorada.

Todos os presentes entenderam isto e deram segmento as perguntas.

Katarina estava muito feliz. Finalmente via o amor de sua vida realizar o sonho que sempre tivera.

Neste momento pensou em todos que não acreditaram que ele poderia ir longe, e agora vejam só.

Zlatan Ibrahimović, vinte anos, de ídolo e semideus na terra natal, foi para um país desconhecido onde era apenas mais um, digno de receber vaias caso não provasse seu alto valor de mercado.

O garoto vindo de um bairro pobre na cidade de Malmö, na Suécia. O garoto que se não se tornasse jogador de futebol, provavelmente se tornaria um ladrão de bicicletas, o que não é algo muito distante da realidade que circunda os meninos do bairro de Rosengârd.

O jovem de cabelo tímido e olhar assustado, que poderia confundir muita gente, mas não Katarina. Três anos foram suficientes para conhecê-lo como ninguém.

Zlatan poderia parecer ingênuo para os outros, entretanto, aos poucos, já começava a demonstrar o mesmo sorriso cínico e o ego inflado que ela está acostumada a ver e não demoraria muito para ele mostrar a que veio.


Notas Finais


Espero que tenham gostado. Beijos😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...