História O nosso recomeço (Snowbarry) - Capítulo 28


Escrita por:

Postado
Categorias The Flash
Personagens Barry Allen (Flash), Dra. Caitlin Snow (Nevasca / Killer Frost)
Tags Arrowverse, Barry Allen, Caitlin Snow, Flashfrost, Killer Frost, Nevasca, Romance, Snowbarry, The Flash
Visualizações 135
Palavras 2.177
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Um capítulo mais light depois de tudo o que nosso casal passou. XD

Espero que vocês gostem e boa leitura ❤️❤️

Capítulo 28 - Um dia especial.


[…]

Recebi uma ligação da minha mãe logo pela manhã avisando que poderia vir aqui em casa hoje conhecer meu namorado. Durante os últimos dias estive tentando marcar com ela um dia para nos vermos, o que realmente foi muito complicado considerando que minha mãe é muito ocupada. Mas, felizmente, hoje ela conseguiu um tempo para própria filha.

Acordei o Barry minutos depois de receber a ligação, avisando sobre o caso. Barry parecia muito mais animado e ansioso do que eu. Ele fez questão de arrumar toda a casa, não que isso levasse muito tempo já que graças a sua velocidade ele concluí isso em segundos. E no fim, se ofereceu para fazer a comida. Claro que eu aceitei, desde que eu pudesse ajuda-lo.

Sem avisar Barry ou minha mãe, convidei também Nevasca para vir aqui. Será muito bom minha mãe conhece-la como uma pessoa e apesar de saber o evidente conflito entre ela e o Barry acho que será uma boa forma de reconciliação. Assim espero…

Entre minhas trocas de carícias com o Barry no meio da cozinha escutamos a campainha, nos fazendo despertar rapidamente e também rir demais da situação. Arrumo meu cabelo e ajeito minha roupa que estava um pouco amassada e vou em direção a porta de entrada, abrindo a mesma e dando de cara com a mulher que mesmo tendo convidado para vir não esperava realmente que ela considerasse meu convite.

─ Nevasca?

─ Oi. ─ a mesma tirou da sacola que estava em sua mão uma garrafa de bebida ─ Trouxe bebida.

─ Entra… Entra aí. ─ falei pausadamente ainda não acreditando na figura que estava em minha frente, eu realmente estava muito feliz por ela estar aqui.

─ Então... ─ ela entrou dentro da casa ─ Acha que sua mãe vai gostar de mim?

Eu sentia uma certa insegurança na voz de Nevasca como se ela quisesse mesmo que minha mãe a aprovasse. Sua reação me intrigava. Fechei a porta tomando coragem para responde-la.

─ Minha mãe é uma boa pessoa. Ela pode passar uma impressão meio errada no começo… mas ela é boa. Você só precisa ser legal com ela que ela será legal com você.

─ Ser legal… difícil. ─ ela fala num sussurro mas mesmo assim consegui ouvi-la.

Fomos em direção a cozinha, certamente Nevasca sabe que Barry está aqui, mas Barry não. Ao chegarmos, os dois em minha frente se olharam mortalmente, até que o olhar de Barry foi desviado para mim. Como eu pensei, sobrará para mim acalmar as duas feras.

─ O que a Nevasca está fazendo aqui?

─ Sou a presença ilustre, Flash. ─ ela responde por mim enfim colocando a garrafa em cima da mesa, quase tão forte que eu pensei que fosse quebrar.

─ Barry, eu convidei a Nevasca porque achei que fosse importante… Sabe? Ela e minha mãe se conhecerem.. ─ gesticulei tentando explicar da melhor maneira possível me aproximando um pouco mais do mesmo.

─ Ah… tenho certeza que o Barry vai lidar com isso. Não é?! ─ Nevasca perguntou me fazendo virar bruscamente para ela e tentar faze-la parar apenas a olhando torto.

Vi Barry abrir a boca pronto para respondê-la, mas felizmente a campainha tocou mais uma vez. Isso me salvou! Fiz um sinal para eles irem se sentando já que a comida já estava sobre a mesa e fui até a porta, logo abrindo a mesma.

─ Mãe! ─ dei um abraço na mesma que logo foi retribuído ─ Fico muito feliz que tenha vindo.

─ Eu tenho que pedir desculpas à você, Cait. Não tive tempo nos últimos dias, esteve muito corrido no laboratório.

─ Tudo bem. Agora você está aqui, não está? Entra…

Dei passagem para a mesma entrar então fomos nós duas a caminho da sala de estar. Ao chegarmos, os dois outros convidados se levantaram indo comprimentar minha mãe.

─ Mãe, esse é o Barry. Mas acho que a senhora já conhece ele. ─ os apresentei.

─ É um prazer conhecer você, Dra.

─ Por favor, pode me chamar apenas de Carla.

─ E mãe, essa é a…

─ Nevasca? ─ ela completou, atônita.

─ É isso aí. ─ a garota de cabelos brancos e voz sombria respondeu se aproximando ─ Eu lembro de você. Ajudou a Cait a tentar me extinguir.

─ Como isso é possível? Como estão separadas?

─ Foi através de um dispositivo.

─ Nunca pensei que isso fosse possível. Então… Eu ganhei uma outra filha.

A expressão no rosto de nevasca foi uma mistura de surpresa e medo ao mesmo tempo. Nunca vi a mesma daquela maneira e isso de alguma maneira me deixava feliz. Sinto que ela está cada vez mais se descobrindo agora e para mim, ela já faz parte da família. Como uma irmã.

─ Bom, vamos comer, o que acham? ─ Barry perguntou voltando a mesa quebrando o clima desagradável que se instalou.

[…]

As últimas horas foram maravilhosas. O almoço correu tudo bem. Minha mãe conheceu mais Nevasca e Barry e posso até mesmo dizer que a nossa relação melhorou depois daquilo. A insegurança de Barry sumiu assim que minha mãe deixou bem claro o quanto estava feliz por eu estar com ele e despejou uma série de ordens que era obrigação me fazer a mulher mais feliz do mundo. Eu não a via desse jeito desde a morte do meu pai. Não cabe no meu peito a felicidade que eu estou sentindo.

─ Fiquei magoado por você ter chamado a Nevasca e não ter me avisado. ─ Barry resmungava enquanto distribuía beijos por todo o meu pescoço e clavícula.

─ Ficou mesmo? ─ perguntei rindo ─ Não parece.

Ele endireitou seu rosto para conseguir me olhar nos olhos. Estamos nós dois deitados na cama desde que Nevasca e minha mãe foram embora.

─ Você podia ter me avisado. Sabe que Nevasca me odeia.

─ Ela não te odeia. Na verdade ela trata todo mundo daquela maneira.

─ Não tenho tanta certeza disso. Mas, eu realmente estou muito feliz por vocês. Hoje, na mesa parecíamos uma família. ─ seu olhar intenso se perdeu no meu enquanto ele falava, o que deixava bem claro a sua sinceridade

─ Porque somos uma família!

Puxei o moreno em minha frente para um beijo que foi cada vez mais intensificado enquanto sentia suas mãos passearem livremente pelo meu corpo. Depois do jantar à luz de velas de ontem eu e Barry tivemos mais uma noite especial no qual eu me recordo bem de cada mínimo detalhe. Seu jeito carinhoso, sua gentileza, tudo isso me faz sentir a mulher mais feliz do mundo.

─ Espero que não tenha se esquecido que eu ainda tenho um presente para você. ─ ele diz entre os beijos

Por incrível que pareça eu estava quase me esquecendo desse tal presente que ele anda comentando desde ontem. Barry sempre foi o mais romântico entre nós dois, aquele que sempre está me dando presentes e fazendo surpresas. Eu espero realmente poder retribui-lo um dia, não que realmente precise, mas esses gestos me fazem tão feliz, tenho certeza que o fará feliz também.

Não me dando chances de responde-lo ou até mesmo perguntar de uma vez qual era o presente, o mesmo tomou meus lábios numa fome, como se quisesse saciar seu evidente desejo. Enquanto eu procurava por mais contato entre nossos corpos o mesmo me apertava contra ele querendo a mesma coisa. Até então ele mesmo interromper:

─ Tenho que ir ver o Cisco.

─ Meu namorado está definitivamente me trocando pelo Cisco!

Ele revirou os olhos dando uma risada e se endireitou, dessa vez levantando da cama e para minha infelicidade; colocando uma camisa que até então estava sem.

─ Prometo voltar logo. Coloque uma roupa que a gente vai sair assim que eu chegar

─ Isso faz parte do presente?

─ Hmm, talvez. ─ ele se aproximou novamente me dando um último selinho que fiz questão de prolongar para um beijo, não querendo deixa-lo sair ─ Seja uma boa garota, Cait.

Assim que o mesmo finalmente saiu do quarto eu me levantei pronta para começar a me arrumar. Parei em frente ao espelho me olhando por completo e dando um sorriso. Tenho a boa sensação de que a noite será memorável.

[…]

Barry Allen

Cisco e eu combinamos de nos encontrar na Star para que o mesmo pudesse me entregar o dispositivo que abre brechas para outros lugares, ou terras. Desde o início meu plano era levar Cait como um casal normal a Cancún. Viajar de avião, nos misturar com os outros… Mas eu não aguentava mais ansiar a ideia de ir para Cancún com ela. E para que isso acontecesse não precisaríamos tentar parecer normais, sendo que há toda uma tecnologia ao nosso favor.

Voltei para casa logo após. Não ficaríamos muito tempo por lá, na verdade seria infelizmente no máximo por uma semana. Tentarei fazer essa semana a melhor de nossas vidas. Tenho alguns planos para nós, envolvendo até mesmo nosso futuro…

Ao abrir a porta de casa e ir caminhando até a o quarto que estava com a porta fechada, não me dando tempo de abrir a mesma, Caitlin apareceu através da porta. Ela estava com um vestido vermelho, o mesmo era soltinho mas ficava perfeito em seu corpo. Seu cabelo estava solto e havia uma leve maquiagem em seu rosto.

─ Uau… ─ foi a única coisa que saiu de minha boca enquanto admirava a mulher em minha frente

─ Você não falou para o lugar que seria, então fiz o que pude. Tá bom assim, né? ─ ela diz dando uma voltinha enquanto olhava para a própria roupa.

─ Tá.. você está magnífica!

Me aproximei da mesma dando um beijo em sua testa. Pedi para que ela ficasse na sala enquanto arrumava algumas coisas no quarto. Cait estranhou no começo, mas disse que fazia parte da surpresa como desculpa, assim deixando ela menos desconfiada.

Já dentro do quarto com super velocidade arrumei nossas malas, não coloquei muita coisa, mas sim o essencial. Peguei algo para tampar a visão de Cait para que a mesma não pudesse ver até passarmos pela brecha.

─ Isso é mesmo necessário, Barry? ─ ela resmungava enquanto colocava a venda em seus olhos.

─ É sim. É por pouco tempo, ok?

Me afastei da mesma assim que a venda estava em seus olhos. Fiz alguns sinais para ver se ela conseguia enxergar mas sem nenhuma reação dela presumi que não.

─ Pronta?

─ Tô com medo ─ ela diz rindo

─ Não confia em mim?

─ Confio.

─ Então, vamos lá.

Peguei as malas procurando fazer o menos barulho possível e abri a brecha com o dispositivo. Estava na hora. Minha respiração estava descompassada enquanto meu peito batia sem parar, ansioso por sua reação. A ajudei passar pela brecha, felizmente ela não desconfiou de nada.

Em segundos finalmente estávamos em Cancún. Como atravessamos através de uma brecha, fiz o possível para que fosse em um lugar um pouquinho mais isolado. Eu olhava ao redor contemplando o lugar enquanto respirava fundo.

─ Vamos dar só alguns passos daí eu tiro sua venda ─ falei próximo ao ouvido da mesma que assentiu ao meu ouvir.

Fomos caminhando e logo já dava para sentir a areia nos pés e o barulho maravilhoso do mar. As pessoas conversando ao redor, rindo e se divertindo. Enquanto mais para frente havia os prédios e o hotel que vamos nos hospedar.

Tirei a venda de Cait ainda com um pouco de receio fazendo contagem regressiva, percebia a ansiedade da mesma que estava tão grande quanto a minha, e com a venda enfim tirada ela olhou ao redor contemplando o lugar. Sabia que de primeira ela não saberia que é Cancún.

Estamos na praia Forum de Cancún, uma das mais belas praias da cidade. Tendo casas noturnas e clubes muito movimentados seria o lugar perfeito para passarmos essa semana.

─ Barry…

Estamos em Cancún! ─ gritei abrindo os braços para receber seu abraço.

Caitlin se jogou em meus braços me abraçando apertado e eu retribui seu abraço na emoção. Vi que a mesma até mesmo chorava.

─ Eu não acredito! Como você conseguiu? A gente tem dinheiro para isso?

─ Não se preocupe quanto ao dinheiro. Passaremos uma semana nesse paraíso. Eu quis que fosse tudo certinho no começo, queria que fossemos de avião... Mas não precisamos de fato.

─ Não... Não precisamos! ─ ela dizia com um enorme sorriso no rosto ─ Por Deus, eu estou tão feliz!

─ Vamos. Temos que nos hospedar no hotel e depois voltamos aqui para desfrutar disso tudo.

─ Eu tenho vontade de fazer tantas coisas. É uma gigantesca lista!

─ Pode ir me falando, senhorita.

Peguei as malas e fomos em direção ao hotel. Caitlin falava e falava sobre seus planos para essa semana, os lugares que ela gostaria de visitar enquanto eu fazia uma lista na minha própria cabeça tentando decorar tudo. Eu queria que fosse especial de verdade para ela essa viajem. E com certeza, já está sendo para mim.

Continua...


Notas Finais


Fiz algumas pesquisas sobre Cancún para poder fazer esse e os próximos capítulos, então se algo estiver errado coloquem a culpa no Google! kkkkkkk. No meio do capítulo, Barry disse que tem planos para essa viagem que pode determinar o futuro dos dois... Teorias?!
No próximo capítulo que finalmente terá coisas imperdíveis. Eu prometo a vocês ⚡❄️

Espero realmente que vocês tenham gostado ❤️ até a próximo!

Conheça minhas outras fanfics;

https://www.spiritfanfiction.com/historia/dois-caminhos-uma-escolha-13766300

https://www.spiritfanfiction.com/historia/teen-heroes--universo-arrow-12968741


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...