1. Spirit Fanfics >
  2. O novo professor de Defesa Contra As Artes das Trevas >
  3. Aula de Transfiguração

História O novo professor de Defesa Contra As Artes das Trevas - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Eu mudei um pouco a forma como escrevo os diálogos, creio que assim fique mais fácil de entender.
Boa leitura!

Capítulo 7 - Aula de Transfiguração


Fanfic / Fanfiction O novo professor de Defesa Contra As Artes das Trevas - Capítulo 7 - Aula de Transfiguração

Harry, Ron e Hermione ficaram espantados quando Madeleine lhe contara no café da manhã que estava de detenção logo no primeiro dia de aula. Claro que não dissera toda a verdade aos amigos pois estava envergonhada. Disse que estava sem sono e foi até a biblioteca ler um livro, quando o professor Grindelwald a pegou fora da cama e lhe deu uma detenção. Hermione estava muito decepcionada com ela.

Hermione- Você poderia ter pegado alguns dos meus livros, Mad! Não acredito que foi tão irresponsável de sair do dormitório de madrugada, sabe que é proibido e perigoso. 

Rony- Ah, dá um tempo Hermione! Que perigo poderia ter ir a biblioteca a noite?

Hermione- Você não pensa mesmo, não é?! Não sabe que tem um assassino à solta? E os dementadores?! Dumbledore disse que ficam rondando o castelo...e se entrassem sem ninguém ver e achassem a Mad em seu caminho? Ela teve sorte que professor Grindelwald estivesse por perto.

Rony- Muita sorte! Agora vai ter que cumprir detenção no primeiro dia de aula. Já vi que esse professor é igual ao Snape. 

Harry- Afinal, o que você vai ter que fazer?

 Madeleine- Não sei...ele não disse. 

Hermione- Melhor perguntar. Temos aula de Defesa Contra As Artes das Trevas hoje, às 18 horas. Pergunte depois da aula.

Rony- Nem pensar! Vai que ele esqueceu. Não pergunte nada.

Enquanto Hermione revirava os olhos, Harry consultava em seu caderno os horários das matérias do dia.

Harry- A primeira aula é Adivinhação com a professora Sibila Trelawney, na torre norte.

Madeleine- Então é melhor irmos logo, porque estamos bem longe!

Madeleine engoliu rapidamente seu café, queimando a língua. 

O caminho até a torre norte fora complicado. Se perderam tantas vezes por causa das escadas que mudavam de sentido, que provavelmente chegariam quando a aula estivesse terminado. Quando estavam prestes a pegar uma outra escada que levaria às masmorras, Neville Longbottom apareceu com uma expressão de alívio.

Neville- Achei vocês!

Harry- Está tudo bem, Neville?

Neville- A professora Trelawney pediu para que eu viesse buscar vocês, porque previu que iam se perder. Mas eu me perdi no caminho.

Rony- Ah, que maravilha!

 Neville- Acho que o caminho é por aqui…

Depois de cinco minutos andando, conseguiram chegar à sala que estava praticamente vazia, tendo apenas 5 alunos e a professora. A sala era cheia de panos e cortinas multicoloridas que caíam do teto. Tinha um cheiro forte de incenso no ar, dando ainda mais um clima místico para o ambiente.

Trelawney- Ah queridos! Conseguiram chegar. Sou a professora Trelawney. E não se preocupe Longbottom, sei que também se perdeu. Sentem-se, sentem-se! Como podem ver, ainda nem todos os alunos acharam o caminho. Estamos esperando ansiosamente enquanto ensino a ler previsões em borras de chá. Agora tomem tudo até verem o fundo da xícara. Depois tentem interpretar as borras utilizando seus livros. Página 5.  E querida…. cuidado para não se queimar novamente, está quente!

Todos olharam espantados para Madeleine quando estavam prestes a beber o chá pelando.

A aula tinha corrido bem e até divertida, pois ninguém conseguia enxergar nada nas xícaras e passaram a inventar presságios sob o olhar interessado da professora. Mas o clima mudou quando a educanda, cansada de ouvir risadas da mesa dos quatro amigos, foi ler a de Madeleine.

Trelawney- Vamos ver o que você tem aí, querida...Hum, interessante. Vejo que você encontrará grandes sentimentos em Hogwarts este ano...sim...mas há um tão complexo que a trará problemas difíceis. Um sentimento antes apático, passivo e esquecido se erguerá  das cinzas em sua forma mais intensa e poderosa para ressurgir num corpo desolado.Terá de tomar uma decisão para que liberte almas aflitas. E tem uma palavra...vetiti caritate... isso significa algo pra você, querida?

Madeleine que estava atônita desde que a professora começara a falar, tentou encontrar sua voz para responder.

Madeleine- É a senha de entrada do Salão Comunal da Grifinória deste ano…

Sibila franziu a testa, pensando demoradamente sobre o que aquilo significava. Até que despertou de seu transe, sorrindo gentil

Trelawney- Bem... espero que tome a decisão certa, querida. Escolha com cuidado.

Como se não tivesse sido estranho o suficiente para todos que ouviram, ela decidiu ler o de Harry também, o que ocasionou no fim de uma aula bem desconfortável, ao constatar que na xícara do menino havia um agouro de morte. 

Saíram da sala, em silêncio total. Madeleine e Harry estavam incomodados com as previsões de seus futuros, mas Hermione achava tudo uma grande bobagem.

Hermione- Não sei porquê estão preocupados...eu li que Adivinhação é uma matéria muito imprecisa no mundo bruxo. É difícil encontrar pessoas que realmente conseguem prever algo que vai acontecer. E mesmo se encontrar, não significa que o futuro está determinado. O futuro muda de acordo com nossas escolhas.

 Rony-É... mas ela acertou sobre o Neville, não é? E sobre a Mad se queimar com o café…

Hermione- Coincidência! E aquela previsão do Harry... qualquer um que o conhece sabe sobre sua história envolvendo mortes e a volta de Você-Sabe-Quem. Está na cara que ela inventou isso para ficarmos impressionados.

Harry- Sim...pode ser. Mas quanto à Mad?

Hermione- Ah, fala sério! Que previsão vaga foi aquela?! "Você terá que fazer uma escolha… achará sentimentos complexos em Hogwarts…" Qual é! Estamos sempre tendo que tomar decisões, por exemplo...qual escada vamos pegar para ir até a aula de Transfiguração?

Os quatro pararam e observaram suas alternativas, decidindo pela que parecia ser a melhor. 

Madeleine- Então temos Transfiguração agora?- disse tentando mudar de assunto para esquecer sua preocupação quanto ao seu futuro.

Hermione- Sim. Com o professor Sirius Black.

Rony- Só espero que ele seja normal. Não sei se aguento outro professor lunático hoje.

Caminharam por poucos minutos até avistarem a porta da sala de aula que estava aberta. O professor que sempre vestia roupas pretas estava lendo um livro sentado em sua mesa, quando os quatro entraram. Ao notar a presença dos primeiros alunos, disparou um sorriso divertido

Sirius- Ora veja se não é o grupo que mais causa problemas na escola! Fiquei sabendo sobre as aventuras de vocês contra um basilisco e sabem... fiquei muito impressionado! 

Hermione- Sou Hermione Granger, senhor - disse animada 

Rony- Ronald Weasley

Harry- Harry Potter

Sirius- Harry... não precisa se apresentar. Não sei se sabe...mas eu era o melhor amigo dos seus pais…

Harry- Fiquei sabendo. Estou feliz que a verdade apareceu e você tenha saído de Azkaban.

Sirius- Bem, também estou feliz com isso, sabe... aquele lugar é horrível. Mas agora estou aqui...e...eu gostaria de conversar com você depois, em particular, se for possível…

Harry- Claro senhor.

Sirius ficou com um sorriso estampado no rosto antes de se virar para Madeleine, então ficou surpreendido

Sirius- Você também não precisa se apresentar, não é?! Constato que conseguiu chegar a Hogwarts, afinal! Não precisou pular para fora do trem ao final do destino, espero…

Madeleine riu graciosamente.

Mardeleine- Não senhor, não precisei pular.

Sirius- Fico contente em ouvir isso, fiquei preocupado depois que você foi embora... percebi que não fui educado ao não verificar se tinha se machucado. Mas como ainda consegue andar, não irei mais me martirizar.

Madeleine- Sim...estou muito bem, senhor. Obrigada por se importar.

Sirius- Okay... vamos parar com essa história de "senhor" agora mesmo. Não me faça sentir velho, sim?! Tenho 32 e estou muito bem disposto. Me chame de senhor quando eu estiver de bengalas. E o mesmo se aplica a vocês...nada de formalidades idiotas. Não me venham com "professor Black" pra cá e pra lá, me chamem de Sirius ou de professor, não me importo.

Eles se entreolharam divertidos, concordando com o pedido inesperado. 

Sirius- Bem, podem se sentar em suas cadeiras. Vou esperar mais alguns minutos até os outros estudantes chegarem, e então começamos a aula. Aliás, hoje aprenderemos a transformar sapos em taças de cristal... O Hagrid fez o favor de capturá-los pra mim. Mas precisarei de ajuda para retirar o feitiço de todos e colocá-los na caixa, ao final da aula. Você me ajuda, Madeleine?

Madeleine- Eu?! An... claro! 

Sírius- Perfeito então.

Logo os alunos começaram a aparecer, e o professor parou de dar atenção apenas aos quatro. A aula passou depressa e foi muito produtiva, no geral. Apenas Neville e um outro aluno da Sonserina que não tiveram muito êxito. O primeiro deixou seu sapo transparente como um cristal, causando rebuliço na sala por conseguirem ver uma mosca ainda viva dentro do bicho. Já o segundo fez seu sapo desaparecer e não pôde encontrá-lo em lugar algum. 

Sirius- Muito bem, turma... estou encantado com o desempenho de todos hoje. Neville... não desanime! Terá outras oportunidades para tentar novamente. E quanto ao sapo que desapareceu...bem... espero que ele apareça logo. Por hoje é só. Classe dispensada.

 Os alunos foram saindo comentando sobre o quanto o novo professor era incrível, incluindo Harry, Ron e Hermione que lançaram olhares significativos para Madeleine que ficava na sala para ajudar.

Sirius- Então...o que achou da aula?

Madeleine- Achei ótima! Nunca mais da metade da sala se saiu tão bem em um dia só.

Black foi desfazendo os feitiços de cada sapo, enquanto Madeleine os pegava e os colocava dentro da caixa. Ficaram em silêncio por uns minutos, até:

Sirius- E o que você achou de mim?

Madeleine- De você, professor?

Sirius- Sim...sabe...de mim ensinando.

Madeleine- Oh...eu te achei excelente até agora. - sorriu docemente

Sirius- Seria errado eu elogiar minha aluna?

Ela franziu a testa, em confusão

Madeleine- Eu não sei dizer, senhor... talvez…

Sirius- Nada de senhor, lembra?! E bem...eu nunca gostei das regras, mesmo... então saiba que seu sorriso é encantador.

Madeleine sentiu que estava corando até a alma e não soube o que dizer. Sirius riu vendo seu jeito

Sirius- Não precisa ficar vermelha. Foi apenas um elogio. Deve receber muitos mais do seu namorado…

Madeleine- Hum...eu não namoro.

Sirius- Mesmo? Estou espantado. Os meninos dessa escola devem ficar assustados demais com sua inteligência para te chamarem para sair. Eu não seria tão tolo assim se fosse mais jovem.

A ruiva parou, com o último sapo na mão, olhando para Sirius como se tivesse escutado errado, mas ele apenas sorriu em retorno, confirmando sua suspeita. 

Sirius- Agradeço sua ajuda, foi muito mais rápido assim. Agora já pode ir, não quero que se atrase pra próxima aula.

Madeleine- É...sim... até mais, então.

 Ela ia saindo com o sapo que ainda segurava, por estar confusa com toda aquela conversa.

Sirius- Hum... querida...creio que Hagrid irá querer todos os sapos dele de volta. Já vou ter um trabalho para explicar o porquê de um ter desaparecido…

Madeleine- O quê? Ah...o sapo...desculpe. Aqui está. Tchau professor.

Sirius- Até mais, Madeleine.

Assim que virou o corredor, conseguiu soltar o ar que prendia para não surtar."O que raios foi isso?! Ele acabou de flertar comigo ou eu estou ficando mais maluca ainda? E ele é bem interessante, na verdade. Se não fosse meu professor... Ai, Merlin me ajude...esse ano vai ser difícil!"


Notas Finais


x-o-x


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...