História O Ômega Perfeito (JIKOOK ABO) - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Jikook, Namjin, Vhope, Yoongi
Visualizações 154
Palavras 2.080
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Ficção Adolescente, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


a tristeza continua :(

Capítulo 14 - Afastamento


 

A Ômega saiu do quarto com um sorriso triunfante, afinal de contas os seus planos não seriam interrompidos. Revirou os olhos ao ouvir o choro de Jimin, ela não se importava com o sofrimento do Ômega de forma alguma.

“Ômega estúpido, se tivesse se apaixonado pelo meu filho tudo seria mais fácil”.

Ela desceu as escadas e se direcionou a sala de visitas, os demais presentes a fitaram com expectativa.

“O que houve? Estou ouvindo meu filho chorar” _ Cho-Hee disse incomodada.

“Isso é normal, não tem porque se preocuparem. Logo Jimin irá perceber que estamos fazendo o melhor para ele” _ Dae possuía uma frieza assustadora.

“Eu continuo discordando disso tudo. Mas a decisão não cabe a mim” _ o senhor Min falou.

“Isso é o melhor para o meu filho” _ Chung-Ho disse convicto.

“Exatamente Chung. Isso é o melhor para Jimin e para todos nós” _ Dae completou _ “Agora vamos indo. Aqui está o telefone de Jimin, eu peguei para evitar que ele fale com o Lúpus. E é melhor vocês providenciarem os seguranças, enquanto isso eu vou organizar as mudanças no casamento”.

Assim que os Min’s saíram, Chung-Ho ligou para uma agência de segurança e contratou vários deles. O Alfa estava determinado a seguir as orientações de Dae, por pensar que aquilo realmente era o melhor para seu filho. Cho-Hee observava tudo em silêncio, mesmo sendo contra o que acontecia não conseguia defender seu único filho, era covarde demais. Quando a noite chegou, ela foi até o quarto do filho, acompanhada pelo marido, e se depararam com Jimin dormindo no chão com o rosto banhado por lágrimas.

“Veja só o estado de nosso menino. Chung, ele vai sofrer muito” _ disse cuidadosa, sem querer irritar o Alfa.

“Ele pode sofrer agora, mas depois ficará bem”.

O Alfa pegou o filho pelos braços e o carregou até a cama, depositou o mesmo no leito e o cobriu com a colcha. Acariciou as madeixas brancas e depositou um beijo na testa do Ômega adormecido.

“Estou fazendo isso para seu bem, meu filho”.

Disse por fim, antes de sair do quarto junto de Cho-Hee.

 

Quando abriu os olhos, Jimin sentiu sua cabeça doer fortemente, não lembrava em que momento tinha adormecido e nem como veio parar na cama. Sentou-se em seu leito, ainda sonolento, e em seguida levantou-se. Foi até sua penteadeira e olhou-se no espelho, a imagem que refletia era pesarosa, olhos vermelhos e inchados, cabelos desgrenhados, roupa amarrotada, rosto manchado por lágrimas ressecadas. Não era a imagem do Ômega perfeito, na qual todos estavam acostumados a ver. As lembranças do dia anterior voltaram a sua mente, estava tão feliz com Jungkook e de repente tudo desmoronou num piscar de olhos. 

O Ômega caminhou até a porta, logo constatando que a mesma ainda estava trancada, olhou pelo buraco da fechadura e viu dois homens grandes e vestidos de preto parados na porta de seu quarto. Então Dae estava certa, ele ficaria preso e sendo vigiado por seguranças. As lágrimas voltaram a molhar seu lindo rosto, o desespero invadindo seu coração, Jimin deu-se conta que as ameaças daquela mulher eram verídicas. Ela seria capaz de matar Jungkook, tudo estava perdido, ele e o Lúpus não poderiam ficar juntos.

Correu para sua cama e embrenhou-se no meio dos cobertores, como se aquilo fosse servir de algum consolo, os cobertores tinham o cheiro de canela de seu Alfa, devido as noites que o mesmo dormiu no quarto de Jimin. O Ômega chorou, gritou e permitiu-se extravasar sua dor, a dor de saber que nunca mais veria o amor de sua vida. E em meio ao seu sofrimento, ele tomou uma decisão.

Se não podia ficar com Jungkook, então não faria nenhum esforço para continuar vivendo.

~~~~

Preocupação transpassava no rosto de Jungkook, ele entrou na escola aflito e procurando por seu Ômega. Jeon sentia que algo estava acontecendo, era como se Jimin estivesse sofrendo e precisando de seu apoio. O rapaz tentou se comunicar com seu amado, mas o telefone estava desligado, e isso permanecia até o momento atual. O moreno procurou pelo Ômega por toda escola e não encontrou-o em lugar algum, começou a desesperar-se e resolveu ligar outra vez, o telefone permanecia desligado.

“Jungkook, tu o encontraste?” _ perguntou Hoseok.

Os dois se separaram para tentarem encontrar Jimin mais rapidamente. Mas nenhum dos dois obteve sucesso na busca.

“Não. E pelo que vejo tu também não encontrou-o”.

“Acho melhor falarmos com o Tae, ele deve saber se aconteceu alguma coisa”.

“Tens razão, vamos falar com seu Ômega”.

Os dois Lúpus não tardaram a encontrar Taehyung, o Ômega também parecia imensamente preocupado e olhava para todos os lados da escola. Assim que avistou Hoseok e Jungkook, correu em direção dos mesmos.

“Tae, tu sabes onde Jimin está?” _ Jungkook perguntou aflito.

“Ele não veio para a escola?”.

“Não, e eu estou muito preocupado” _ o moreno disse quase desesperado.

“Meu amor, sabes o que aconteceu para Jimin não vir à escola?” _ Hoseok acercou-se de seu namorado.

“Temo que tenha acontecido algo terrível” _ Tae segurou-se para não chorar, sentia que seu amigo estava em apuros.

“E por que dizes isto?” _ a aflição de Jungkook cresceu ainda mais.

“Jimin ligou para mim, ontem. E me disse que os pais dele tinham descoberto tudo sobre vocês dois”.

O coração do Lúpus quase parou de bater, a sensação de que seu Ômega precisava de si não era sem fundamento. O Jeon já podia imaginar o tipo de atitude que os Park’s tomariam a respeito disso, Jimin iria precisar de seu apoio mais do que nunca.

“E como eles reagiram sobre isso?” _ a voz do moreno entonou temerosa.

“Muito mal, Jimin me disse que eles ficaram bravos e que o prenderam no quarto. Depois que nos falamos, eu tentei entrar em contato com ele, mas o telefone estava desligado”.

“Eu preciso vê-lo e saber o que houve”.

“Acalme-se Jungkook, se tu fores até a casa dele poderá piorar tudo” _ Hoseok alertou.

“E o que queres que eu faça? Não ficarei de braços cruzados enquanto meu Ômega precisa de minha ajuda”.

“Talvez seja melhor eu ir até lá” _ sugeriu Taehyung.

“Também acho que seja o melhor a se fazer” _ confirmou o Jeon mais velho.

“Está bem, mas eu vou junto. Prometo que irei observar de longe”.

“Sendo assim, é melhor irmos logo” _ disse o Ômega, seguindo para fora da escola.

.

.

Os três estavam a alguns metros de distância da casa de Jimin, mas logo puderam ver que tinha algo errado acontecendo. Muitos seguranças cercavam a residência, todos muito bem armados e em completa vigília.

“O que esses seguranças fazem ali?” _ o Ômega estava deveras confuso.

“Isso com certeza não significa algo bom” _ Hoseok deduziu.

“Tae, por favor descubra o que está acontecendo com meu Ômega”.

“Eu vou agora mesmo”.

“Tenha cuidado meu amor” _ o ruivo depositou um selar no Ômega.

Taehyung assentiu e foi em direção a casa de seu amigo, um pressentimento ruim se apossava de si e isso assustava-lhe. Parou no portão, mas ao dar um passo a frente teve vários seguranças impedindo sua entrada.

“Não pode entrar na residência dos Park’s” _ um dos homens avisou.

“Eu sou amigo de Jimin, os Park’s me conhecem desde criança”.

“As ordens são para não deixar ninguém entrar”.

“Podes pelo menos avisar que eu estou aqui?”.

“Só um momento”.

O Alfa discou o interfone e avisou ao senhor Park sobre o Ômega, não demorou para Chung-Ho aparecer do lado de fora da casa. Ele possuía um semblante nada amistoso, e nem ao menos cumprimentou Taehyung.

“O que faz aqui?” _ perguntou seriamente.

”Vim falar com Jimin, ele não foi para a escola e eu fiquei preocupado”.

”Meu filho não vai mais estudar. Não será necessário, já que o casamento dele com Yoongi será dentre alguns dias”.

“Mas o casamento não seria daqui um mês?” _ o Ômega estava em choque.

”Os planos mudaram, devido ao envolvimento de meu filho com aquele maldito Lúpus. Agora o casamento foi adiantado, e Jimin não poderá entrar em contato com ninguém até lá”.

“Esses seguranças são para isolar meu amigo?” _ indignação transpassou pelo Ômega _ “Não podes fazer isso com ele”.

“Eu sou o pai dele, e sei o que é melhor para meu filho” _ o Alfa estava irredutível _ “Portanto, não procure mais o Jimin, e diga o mesmo para aquele Lúpus”.

Deu as costas para Taehyung e retornou para sua casa, o Ômega ficou estagnado na calçada com as feições desesperadas.

“Tae, o que houve?” _ Hoseok decidiu vir atrás de seu Ômega e saber o que estava acontecendo.

“Meu amigo está sendo mantido em cárcere dentro da própria casa”.

“Como assim? Jimin está preso?” _ Jungkook surgiu logo atrás do irmão.

“Jungkook, eu disse para tu esperar longe” _ o Lúpus mais velho repreendeu o caçula.

“Meu Ômega está sendo preso pelos pais, é isso?” _ ressaltou a pergunta.

“É isso mesmo. E eles também adiantaram o casamento de Jimin e Yoongi”.

Vertigem atingiu o Jeon mais novo, sua cabeça parecia girar enquanto sua mente processava o que tinha acabado de escutar. Jimin preso dentro de casa, casamento adiantado, isso não podia estar acontecendo, Jungkook pensava, tinha que ser só um pesadelo que logo cessaria. Mas ao olhar para a residência dos Park’s, se deu conta da enorme quantidade de seguranças que havia ali, inclusive embaixo da janela que dava acesso ao quarto do Ômega.

“Eu preciso fazer alguma coisa, tenho que tirar meu Jimin desse lugar”.

A voz do Lúpus estava falha, seus sentimentos preenchidos por medo e angústia, e logo a promessa que os dois fizeram veio a sua mente. Eles nunca se separariam, ficariam juntos sempre, e Jungkook não ia permitir que ninguém tirasse seu Ômega de si.

“Não podemos fazer nada agora, temos de ter cautela” _ Hoseok tentava ser racional.

“Como queres que eu tenha cautela? Meu Ômega está preso e será obrigado a casar-se com outro, eu preciso fazer algo nesse instante” _ o Lúpus estava transtornado.

“Jungkook, seu irmão tem razão. Tente pensar com clareza, se fizer algo por impulso pode piorar a situação de Jimin” _ Taehyung disse angustiado.

“E o que querem que eu faça?” _ exalou cansaço, Jungkook estava extremamente abatido.

“Iremos voltar para casa, e depois pensamos em algum plano” _ o Jeon mais velho acalentou o caçula.

Sem contestar mais nada, Jungkook seguiu rumo a sua casa, com seu coração apertado e cheio de preocupação. Seu lobo interior grania sentindo o sofrimento de seu Ômega, era muito doloroso sentir esse afastamento entre ele e Jimin, mas precisaria ser forte se quisesse contornar essa situação.

~*~

“Querido? Está acordado?” _ a senhora Park entrou no quarto do filho, com uma bandeja de café da manhã _ “Vim trazer tua refeição, tu não come nada desde ontem”.

A mulher aproximou-se da cama e depositou a bandeja na mesma, observou seu filho que permanecia em completo silêncio. Jimin parecia nem estar ali, seus pensamentos voltados para seu amado Alfa, o pequeno Ômega não sentia fome ou sede, não sentia vontade de fazer qualquer coisa que fosse, ele havia desistido.

“Meu filho, por favor coma”.

Ela disse tentando uma aproximação, ergueu a mão para acarinhar o rosto do filho, mas ele se retesou no mesmo instante.

“Não encoste em mim” _ disse num fio de voz.

“Jimin, não fale desse jeito comigo. Sou tua mãe”.

“Saia de perto, e me deixe em paz” _ o Ômega transbordava amargura.

“Tu tens que se alimentar, ameu bem” _ Cho-Hee tinha a voz embargada, estava prestes a chorar.

“Não quero comer, então apenas me deixe em paz”.

Vendo que o filho estava inflexível, ela decidiu sair do quarto e deixá-lo sozinho. Trancou a porta e os seguranças voltaram as sua posições, a Ômega entrou em seu próprio aposento e se pôs a chorar. Chung-Ho entrou no quarto, pois ouviu o choro da esposa e já imaginava o motivo.

“Nós vamos perdê-lo, Chung. Nosso filho nunca irá nos perdoar por isso”. 

Ela chorava compulsivamente enquanto o marido buscava consolá-la, o Alfa sabia que perder o filho era uma possibilidade, mas sua decisão já estava tomada.

“Tudo irá ficar bem Cho-Hee. Confie em mim, logo Jimin vai esquecer esse Lúpus”.

Chung-Ho não poderia estar mais errado sobre o que dizia, ele não compreendia que um amor como o de Jimin e Jungkook, nem mesmo a morte era capaz de afastar. 

 


Notas Finais


esse amor nem a morte separa, muito menos Min Dae


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...