1. Spirit Fanfics >
  2. O Orfanato (One Shot) >
  3. (Capítulo Único)

História O Orfanato (One Shot) - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - (Capítulo Único)


Áudio 01 - Minha Vida:

   Dizem que as mulheres sofrem desde o nascimento, por ser mulher, isto é fato. Desde os tempos antigos as mulheres eram consideradas delicadas, dependentes de homens, donas de casa, objetos, certinhas e entre muitos outros fatores.                 

   Os homens não sabiam dar o devido valor a uma mulher, sendo que somos nós que os coloca no mundo, depois de Deus é claro, nós geramos no nosso ventre um bebê e com a realização do parto, aumentamos a taxa de reprodução. Não estou querendo gabar as mulheres, só estou dizendo uma realidade.

   Agora vocês devem estar se perguntando "Por que eu estou falando tudo isso?" por que isso é um desabafo feminino, estou gravando este áudio no meu celular para soltar tudo que está preso em mim.

   Eu sou uma mulher gestante, divorciada, deficiente visual desde o meu nascimento e sou escritora, meu nome ainda não será revelado, em breve vocês saberam. Sobre meu ex marido... Ele era machista e com o pensamento muito conservador, então resolvi me livrar do peso em minhas costas e seguir com uma barriga crescendo.

   Como falei anteriormente, sou deficiente visual desde pequena, eu não consegui uma solução justamente por isso ser genético, então infelizmente uma cirurgia não poderia ser realizada, sofri bullying na escola e até hoje sofro na sociedade. As pessoas achavam que eu não conseguiria conquistar meu futuro por causa da minha deficiência, achavam que por eu não conseguir enchegar a mesma coisa que eles, era impossível eu ir longe, porém eu fui forte e segui em frente e hoje estou conquistando cada vez mais meu futuro.

Áudio 02: Sequestro

   Hoje é 24 de Fevereiro, ainda é de manhã, não faço idéia de que lugar estou, quando cheguei fui tocando nas coisas e concluí que no local onde eu me encontrava, tinham dois beliches, uma porta de ferro com uma pequena grade, uma janela pequena com grades grossas de ferro e um banheiro. Minha cabeça dói, tudo que me lembro é de estar numa loja de roupa infantil e quando saí, alguém colocou algo com um cheiro forte no meu nariz, me fazendo desmaiar.

   Estou enjoada, vomitando com frequência, tonta e minha filha não para de mexer em minha barriga... Eu acariciava pedindo para ela se acalmar e até que deu certo por um tempo.

   Quando deu o horário do almoço, alguém entrou no quarto era uma voz feminina dizendo que havia trazido comida, agradeci e perguntei onde eu estava, ela me respondeu que não podia me dizer ou seu chefe a colocaria junto a algo que não entendi muito bem, pois ela falou baixinho, quando lhe perguntei o que ela havia dito, a mesma disse que não falou nada e saiu enquanto eu pedia para ela esperar e me contar, porém não tive sucesso.

Áudio 03: Amigas

   No mesmo dia, porém no horário noturno, escutei a porta abrir e vozes femininas ecoavam pelo lugar, elas pediam ajuda com voz de choro. As mesmas se sentaram no beliche e ficavam se perguntando do porquê daquilo tudo estar acontecendo, falei que eu também não sabia e que estava tão confusa quanto elas.

   Uma delas diz "você também está grávida!", depois disso ser dito, entendi que elas também era gestantes, o que achei estranho, muito estranho... Deduzi que o responsável esteja sequestrado gestantes para fazer algo que ainda não sei, elas concordaram comigo e decidimos ficar atentas para entender tudo.

   Uma delas se apresenta como Hana Hopes, ela é uma psicóloga que infelizmente tem um problema na coluna, escoliose, a mesma sofre com isso desde a adolescência, e mesmo após os procedimentos, nada mudou. Mas mesmo assim ela está lutando para ter suas filhas, perguntei-lhe quantos meses ela estava e ela respondeu que já estava com 6 meses e eram gêmeas, Sky e Faith.

   A outra disse se chamar Dandora Lee, a mesma trabalha como advogada, ela é bem cabeça e calma, ela também contou que é uma mulher trans, e depois de seu transplante de útero, ela finalmente realizou seu sonho desde o casamento. Perguntei a ela da gravidez e ela disse que estava um mês a mais que a Hana, ela estava esperando um casal de gêmeos com lindos nomes, na minha opinião, Yin e Yang.

   Expliquei sobre minha vida a elas, meu nome, falei também que estava com 4 meses apenas de gestação e que era uma menina, chamada Hera. Continuamos a conversar até comermos e dormimos.

Áudio 04: Meu Parto

  Eu estava amedrontada, as meninas já haviam dado a luz, elas me disseram que foram levadas até uma outra sala onde tiveram seus leites sugados e colocados em recipientes grandes, elas também me disseram que haviam muitas mamadeiras lá e que garotas asiáticas davam o leite na mamadeira para os recém nascidos.

   Hana falou que minha dedução estava certa, estavam realmente sequestrando mulheres grávidas, haviam muits, cada uma com 4 mulheres ou até mesmo mais que isso, Dandora me avisou que escutou várias gritando para ver seus bebês e todos ignoravam seus apelos... Acabei chorando imaginando isso acontecendo, elas também estavam tristes, pois não sabiam o que aconteceria com seus filhos...

   Hoje é dia 20 de Agosto e foi o dia mais triste que ja tive e é por isso que estou soluçando e com voz de choro, eu finalmente dei a luz, quando senti as contrações, fui levada para a sala de parto e um obstetra que se apresentou como Seokjin realizou uma cesária. Ao acordar senti um vazio em meus seios e barriga, ouvi as minhas amigas ao meu lado, começei a chorar pedindo para ver minha filha e ambas me abraçaram chorando também.

   Sentíamos a mesma dor e aquele abraço foi o único consolo para todas, eu me questionava mentalmente "por quê?" tudo o que eu queria saber... Era do por que disso, sinto como se nada tivesse mudado na vida das mulheres, me sinto usada, todas aqui.... Sofreram para gerar um fruto próprio, carregaram por 9 meses e ainda sim, parece que nesse lugar ninguém liga para isso...

   Agora me encontro em minha cama, com minhas amigas sentadas nela ainda me consolando. Enquanto gravo este áudio estou segurando a pulseirinha de pérolas que fiz igual a minha para minha filha.... Desculpa... Mas eu vou ter que parar por aqui...

Áudio 05: Estupro...

   Dois dias se passaram, eu andava cabisbaixa, apesar de eu ser autoconfiante eu não sou de ferro, eu mais as meninas decidimos descobrir de uma vez o que estava acontecendo.

   Quando uma das mulheres asiáticas veio trazer nosso café da manhã, agimos normal e quando ela iria sair fiz sinal para Hana e Dandora a segurarem e taparem a boca dela. Então mandei ambas levarem a garota para o banheiro, tranquei a porta e mandei ela ficar quieta ou colocaria a cabeça dela na privada até afoga-la, mandei soltar a garota e então lhe perguntei o que era tudo isso acontecendo e por quê, sem esquecer dos detalhes.

   A mesma disse que não queria estar participando disso tudo, e muito menos as outras, porém elas são obrigadas, se não fizerem, podem acabar que nem a gente, grávidas a força... Perguntei quem é o responsável mas ela se recusou a falar, mandei as meninas abrirem a privada e fazer o que falei que iria fazer, a garota tentou gritar mas as meninas taparam a boca dela. Cheguei perto de seu ouvido e susurrei "fala logo", ela se recusou novamente e as meninas colocaram a cabeça dela na privada de novo, quase a afogando.

   Ouvimos a porta de ferro abrir e uma voz masculina ecoar, a garota gritou o nome "Jungkook" e o rapaz acabou arrombando a porta do banheiro, sua expressão era raivosa e a garota chorava acusando a gente, o rapaz manda ela ir chamar outros caras.

   O mesmo nos agarrou pelos cabelos e nos jogou na cama com brutalidade, nos assediou e usava uma linguagem imprópria para se referir a nós. Escuto a porta novamente e mais três vozes masculinas ecoarem, Jungkook mandou "Namjoon" cuidar da Hana, "Yoongi" da Dandora e "Jimin" sobrou para mim junto ao Jungkook, começamos a chorar enquanto eles rasgavam nossas roupas e nos penetrava com brutalidade, Jimin e Jungkook entraram juntos em mim, gritavamos de dor enquanto eles se divertiam...

   Depois que acabou a tortura, eles se foram e nos deixaram exaustas, roucas de tanto berrar e sangrando nas partes íntimas, Hana gritava de dor por causa de sua escoliose, Namjoon a colocou de quatro e mesmo com ela gritando de dor na coluna, ele não parou o que a prejudicou muito, eu e Dandora tentamos ajudá-la mesmo com dor... Fizemos uma massagem bem leve enquanto ela descontava sua dor no colchão da cama...

Áudio 06: Uma Ajuda Médica.

   Hoje é dia 27 de Outubro, uma tarde chuvosa e fria, eu e as meninas engravidamos novamente e estamos todas com 2 meses de gestação, não tivemos tempo nem de descansar o corpo para um segundo bebê, tenho medo do que possa acontecer, queria ver aquele médico, ele deve saber dessas coisas. Hana estava triste estes dias, ela desabafou conosco, falou que não queria ter engravidado novamente porque sabia que não teria contato com este bebê, do mesmo jeito que não teve com suas filhas, disse também que iria sofrer tudo de novo, por ela ter a coluna torta, a dor é maior, ainda mais quando ela estava carregando gêmeas que o peso da barriga é em dobro.

   Também nos sentimos assim, não entendo aquelas "mães" entre aspas, que isso para mim não é ser mãe, que abandonam os filhos ou simplesmente abortam. Tirar uma vida! Queria poder saber o que dá na cabeça delas, e na dos homens também, chegamos num ponto que o homem nos estupra para satisfazer seus desejos sexuais em cima da nossa dor... E ainda nos culpam por não ter sido do jeito que eles queriam, se todos os homens que pensam assim passassem pelo mesmo, talvez eles entenderiam e seríamos uma sociedade melhor...

   Meus pensamentos foram interrompidos pelo barulho da porta, Dandora susurrou para mim que era uma das garotas asiáticas e o homem que estuprou a Hana, Namjoon eu acho, a voz fina da garota nos avisou que o Doutor Seokjin queria nos ver e que fossemos até seu consultório. O homem nos levantou com violência e saiu nos empurrando até o local desejado e nos apressando verbalmente. Ao chegar ele nos empurrou para dentro do consultório dizendo que ficaria ali de vigia e que se tentassemos algo, já sabíamos o que aconteceria, nos entre olhamos assustadas, principalmente a Hana... O doutor Seokjin tentou nos acalmar dando um pouco de água, depois disso conversamos com o rapaz e o mesmo nos explicou que não era para termos engravidado com tão pouco tempo, eu principalmente que foi literalmente 2 dias depois do parto. Ele nos disse que o recomendado era esperarmos de 3 à 5 anos para engravidar de novo, ou poderia causar: anemia, ou seja o bebê ficaria com baixo peso, aborto espontâneo ou parto prematuro (o bebê nasceria antes de 37 ou 42 semanas que é o tempo normal da gestação). Ele me alertou que no meu caso teria chance de abortar espontaneamente, por ter sido mais recente, mandou eu cuidar ao máximo para que isto não ocorra, eu chorei, não queria perder uma vida gerada por mim... Mesmo que tenha sido a força.

   Seokjin susurrou para nós que nos ajudaria ao máximo, ele queria poder nos liberar dessa tortura, então ele teve a ideia de conversar com o dono do local para nós o fazermos uma visita constante para ele nos "examinar", sendo que ele conversaria conosco e descobrirmos do porquê disso. Ouvi a caneta escrevendo e Dandora disse que ela havia pegado um papelzinho que o doutor deu a ela, ele susurrou um "vejam quando estiverem sozinhas" a mesma susurrou que escondeu em meu sutiã, agradecemos a ele e voltamos para o quarto com o mesmo homem.

Áudio 07: Tratadas como Lixo.

  Namjoon nos levava com brutalidade até nossos quartos, ele segurava nossos braços com força e praticamente nos arrastava, reclamamos e a resposta rude dele nos fez ficar quietas. Antes que chegássemos, acabei caindo por conta de uma tontura, as meninas vieram até mim me ajudar enquanto Namjoon nos apressava, "andem logo, que frescura" foi o que ele disse e eu revidei já no meu limite "Se fosse com você não seria frescura não é?" após isso senti ele  apertar meu pescoço falando para eu o respeitar pois eu era só mais uma inferior.

   Ao entrarmos no quarto, escutei outra voz masculina chamando por Namjoon, Hana susurrou que era Jimin, o cara que me estuprou. O mesmo disse que uma mulher de outro quarto estava reclamando de dor e estava sangrando pela parte íntima, "Aff, mulheres são muito chatas, queria que Deus tivesse feito só o Adão" eu nunca tinha ficado com tanta raiva como fiquei agora, a vontade que eu tava era de sair daquele quarto e bater na cara desse imbecil, sei que violência não resolve, mas tudo têm limites, por que homens tem que ser assim, não era para ser... 

   A noite chegou, estávamos jantando tranquilamente, até eu vomitar tudo ali mesmo sem querer, Dandora veio até mim me ajudar enquanto Hana foi tentar chamar alguém, um tempo depois ouvi a porta abrir e a voz masculina reclamar da sujeita e mal odor, "Sua preocupação é essa? Não vê que ela está passando mal?" Dandora diz ao rapaz, "É só um enjoo, depois passa, agora limpem isso, está fedendo! Os produtos estão no banheiro, aproveitem e tomem banho, estão fedendo também" o mesmo responde e sai.

   Passamos um tempinho limpando, ao terminar tomamos banho e lavamos nossas roupas sujas, pois se não lavarmos eles não trazem outra. Acabamos tendo que ir dormir nuas, enquanto nossas roupas secavam na janelinha com o ar gélido da noite... Antes que pegassemos no sono, Dandora lembrou do papel que Seokjin a deu, estava escrito "Kim Taehyung".

Áudio 08: Dia de Adoção.

  Acordamos com o chamado de uma voz fina femimina, provavelmente uma das garotas asiáticas, trazia nosso café da manhã, nos levantamos e agradecemos pela refeição, nisso pelo o menos o pessoal daqui sabe fazer bem. Ela nos perguntou se já sabíamos o nome dos nossos bebês e negamos com a cabeça, ela avisou que teríamos que dar logo então questionei "por quê?" e ela disse apenas "ordens do chefe" e antes de sair nos avisou para irmos até o consultório do doutor Seokjin.

   Terminamos de comer e vestimos nossas roupas, que estavam frias, saímos acompanhadas do Jungkook que não era nada delicado assim como qualquer um aqui. Nos sentamos diante do obstetra e escutei Dandora pegar o papel que o mesmo nos deu, então a gaveta de sua mesa foi aberta. O barulho de papel sendo rasgado e da caneta do rapaz tomaram conta do silêncio daquele consultório, então deduzi que o médico estava escrevendo outro recado, enquanto ele escrevia o mesmo nos comunicou que conversou com o dono do local e obteve sucesso, iríamos visitá-lo uma vez a xada duas semanas.

   Ele nos avaliou e deu o recado a uma das meninas, antes que fossemos embora, ele nos chamou para vermos algo, ou melhor, as meninas vão ver. Minhas amigas pegaram em minhas mãos e fomos até onde o doutor pediu, toquei e senti um vidro, era uma pequena janelinha, só pude ouvir o choro das meninas enquanto elas apertavam minhas mãos, foi quando recebi a pior notícia da minha vida... "Hoje é dia de adoção... E as crianças são nossos filhos..."

Áudio 09: O plano

   Não conseguimos dormir nesta noite, passamos a madrugada toda chorando, e também escutamos gritos das demais mulheres daquele lugar pedindo para devolverem seus filhos, como puderam fazer algo assim conosco? Estão enganando a todos! E nós estamos sendo usadas! Estupradas e engravidando com frequência sendo que a qualquer momento podemos ficar doentes, perder o bebê ou até mesmo morrer... Eu juro pela minha filha e pelo meu segundo bebê que irei investigar essa palhaçada, ainda mais agora que temos um ajudante.

   Falando nele, lembrei do papel e pedi para Hana o ler, dizia assim "Sala com porta cor vinho, 3:00, cuidado com eles" perguntei a Dandora onde estava o outro recado, a mesma pegou e mandei ela juntar, pensamos e raciocinamos... Então deduzi que a sala que vamos é do Kim Taehyung, às 3:00 da manhã e tomar cuidado com os outros homens que provavelmente ficam de vigia.

   Só iríamos ver o doutor novamente daqui a duas semanas, teríamos que usá-lo para distrair o Kim Taehyung, então minhas amigas vão se esconder na sala e quando ele saísse e trancasse a porta, elas começariam a investigação. Quando terminar, elas teram que improvisar um modo de saída, se não tiver jeito, elas teram que esperar Taehyung voltar e quando saísse para fazer algo, voltarem para nosso quarto, que tentaremos roubar a chave de uma das garotas asiáticas para poder sair. Como sou cega, não poderei participar da invasão, mas ficarei no quarto para dar cobertura, então por isso estou dando ênfase nelas, já contei e as mesmas concordaram, mandei-as fazer tudo com cuidado por causa dos bebês e delas mesmas também. Espero que tudo dê certo...

Áudio 10: Investigação

  Duas semanas se passaram, é hora de por o plano em prática, já era de manhã quando um dos estupradores vieram nos chamar para a consulta, desta vez veio o o Yoongi, até que ele não foi tão bruto como os outros, só era rude. Ao chegarmos, nos sentamos e eu fiz sinal para o obtestra dar um papel e uma caneta para uma das meninas, enquanto ele pegava, tentava disfarçar perguntando como estávamos, se nos sentimos mal nessas últimas semanas, provavelmente para o outro lá fora não desconfiar. Uma das minhas amigas escreveu no papel a parte do Seokjin no plano e entregou ao mesmo, as meninas me disseram que ele ficou meio receoso, mas afirmou com a cabeça no fim das contas, mandamos ele fazer isso depois do jantar, que seria o momento de pegar a chave do quarto.

   Fizemos uma ultrassom para ver se os bebês estavam bem, no momento eles estavam, então Seokjin nos avisou para continuarmos cuidando deles direitinho para que nada de ruim aconteça. Na volta para nosso quarto, ouvimos uma das mulheres do quarto ao lado sendo estuprada, bateu uma fúria... Mas tentei não fazer nada, porém o Yoongi chamou um dos caras que estavam lá e nos empurrou até o quarto com rapidez. Trancadas naquele quarto e com os dois homens ali, fomos estupradas de novo! E grávidas!! Não quero detalhar, foi muito nojento e ridículo, estou enojada de mim mesma, e as minhas amigas não estão diferentes... Isso vai acabar, hoje.

   Já no horário da janta, as garotas asiáticas trouxeram a refeição, agradecemos e quando iam embora, Hana pegou a chave de uma delas, a mesma me disse que era só uma chave então não fez barulho, e quem trancou a porta foi outra, no entanto a que foi roubada não percebiria. Mandei-a esconder entre os seios, ninguém desconfiaria que estava ali, Dandora acabou passando mal e vomitando tudo no banheiro, ajudamos ela e falei que é a hora de agir.

   Abri o quarto e elas deram uma olhada antes de saírem, fechei a porta e susurrei um "cuidado..." fiquei ouvindo para ver me certificar que nada sairia do planejado. Ouvi um choro no quarto ao lado, acho que é a mulher que foi estuprada mais cedo, fui até a parede e conversei com ela, eu sabia o que ela estava sentindo e tentei a consolar ao máximo. Depois disso voltei minha atenção aos passos que vinham até os quartos, então chamei seja lá quem for e xinguei ele, justamente para ele se estressar e vir até aqui, quando ele abriu a porta empurrei sua cabeça que bateu na porta de ferro, ele ficou meio desnorteado, outras vozes masculinas começaram a chegar perto, e eu me tranquei no banheiro, porém eles conseguiram arrombar e me puxaram com brutalidade até o centro do quarto, me jogaram no chão e rasgaram minhas únicas roupas, começaram a me bater sem piedade, socavam, chutavam, e arrastava pelo chão, acabei não aguentando e desmaiei.

Áudio 11: A Chupeta de Raposa.

   Acordei ainda meio tonta, ouvi a voz do Seokjin e das meninas preocupadas perguntando o que aconteceu. Expliquei tudo a elas e ambas me abraçaram chorando, Seokjin disse que infelizmente eu perdi o bebê...Nunca chorei tanto, eu gritava dizendo "não" "meu bebê" "eu quero meu bebê de volta", fiquei ali chorando abraçada as meninas, eu não quis saber de mais nada, a dor maior para mim naquele instante, era a perda da minha outra metade, a vida que gerei, eu só queria meu filho ou filha de volta.

   Mais tarde, fui carregada no colo por Seokjin até o quarto, o mesmo me deu uma bolsinha com medicamentos e pomadas para eu manter o cuidado das feridas e dores. Me deu um beijo na testa e saiu, me deixando com minhas amigas que ficaram cuidando de mim, me deram banho e colocaram meu vestido que estava costurado junto com as peças íntimas que também estavam costuradas, elas disseram que Seokjin que fez aquilo, às vezes existem homens que não são iguais a maioria, e Seokjin faz parte desses homens, eu o agradeço por tudo que fez por nós desde que wle nos ajudou e sempre vou ama-lo no fundo do meu coração.

   Minhas amigas me disseram que não conseguiram muita coisa, estava rolando uma confusão danada por causa do que aconteceu comigo, então tiveram que sair as pressas, mas disseram que conseguiram pegar um objeto e um bilhete deixado perto do objeto. Elas disseram que o bilhete fala assim "Querida Lee-Sook, depois de tanta insistência sua, fui ao médico e descobri que infelizmente sou infértil, por isso não posso te engravidar, me desculpe, sei que planejamos todo nosso futuro, mas não posso te fazer feliz sem um filho. Eu quero divórcio, você merece coisa melhor... Te amo.

Ass: Kim Taehyung"

   Então era isso? Ele está fazendo tudo isso por causa dele ser infértil? Tentei entender o lado dele, mas ele não precisava fazer todas as mulheres aqui dentro sofrer desta forma... De qualquer maneira a esposa dele não seria feliz ao seu lado. As meninas explicaram que este bilhete estava guardado na gaveta da mesa do rapaz e que ao lado tinha uma chupeta, de raposa, então elas deduziram que aquela chupeta seria para o filho ou filha dele antes que o mesmo descobrisse a infertilidade... Agora tudo está fazendo sentindo.

Áudio 12: Conversa com Kim Taehyung

   Dias se passaram, eu não estava nem ai mais, a raiva estava tomando conta do meu corpo, decidi ir ter uma conversa com Kim Taehyung cara a cara, as meninas tentaram me impedir, mas eu estava decidida, isso para mim já deu, é hora de tomar uma atitude. Primeiro na base do diálogo, se não funcionar, partirei para o modo tortura, saí do quarto sem me importar com nada ao meu redor, se iam me ver ou não, eu só segui em frente, ouvindo gritos e choros das mulheres de outros quartos durante o caminho, senti mãos me puxando pelo braço, mas me soltei e dei um chute na intimidade do rapaz, segurei seus cabelos e perguntei onde ficava a sala do Kim Taehyung, ele se recusou a dizer, lhe dei um soco e saí, não vou perder meu tempo pedindo informação.

   Bati numa porta, não sabia ao certo qual era, só ouvi um "pode entrar", entrei e perguntei se era o homem que eu estava procurando, o mesmo negou e disse que era o Seokjin, mandei ele me mostrar a sala que eu queria, para agora e ele logo me levou sem questionamentos. Bati na porta e assim que tive a permissão para entrar, assim o fiz sem nenhum receio, eu estava totalmente fora de mim.

   O rapaz me mandou sentar mas recusei, "não tente me subornar Kim Taehyung, eu sei da verdade." falei já no meu limite, só escutei uma risada vinda dele perguntando do que eu estava falando, então joguei na cara dele "que você é infértil, e por isso está sequestrando mulheres gestantes inocentes para poder você manter seu negócio? Fala sério seu idiota! Você não enxerga que está machucando todas nós? Mandando nos estuprar para engravidarmos mais e mais, está achando que somos uma máquina? A saúde de várias está em risco POR CULPA SUA! Se você não tivesse pedido o divórcio, sua esposa pediria, nenhuma mulher será feliz com você agindo assim Taehyung. Um filho não é a única felicidade de um casamento, vocês se amando é o que importa...", a sala ficou em silêncio, eu tremia de raiva e minha respiração estava acelerada.

   Depois de minutos em silêncio ele finalmente falou algo "eu só queria o bem dela, ela não iria ser feliz comigo, era para eu ter percebido isso antes de me casar, se eu tivesse ido ao médico logo e descoberto isso, eu não tinha perdido tempo me casando. Todos sabemos que o sonho de qualquer mulher, é ter um filho" ele dizia com o tom baixo, ele queria chorar, me aproximei dele, sentei em seu colo e o abraçei "Você não precisava ter feito isso, nem toda mulher deseja a mesma coisa, se sua esposa queria era só vocês adotarem uma criança, ajudaria tanto vocês quanto ela... Ainda dá tempo de mudar suas atitudes Taehyung" lhe entreguei a chupeta, "eu queria fazer meu próprio orfanato, sempre foi meu sonho, mas quando fui procurar por crianças, não tinha nenhuma, pois já existiam outros orfanatos ajudando." ele diz retribuindo meu abraço "e por conta da raiva, começei a fazer isso... Eu sou um monstro..." ele diz começando a chorar pedindo perdão, "Você foi um idiota, eu só vou te perdoar, se você soltar todas as mulheres, entregar seus filhos e filhas e se entregar para a polícia, você tem que lidar com as consequências." eu falei desfazendo o abraço e ele suspirou e concordou.

Áudio 13: Decisão Difícil.

  Bem, depois daquela conversa, ele fez tudo o que pedi, os estupradores foram presos junto ao Taehyung, que foi a uma delegacia se entregar, os policiais vieram até o local, e encontraram na sala do Taehyung os documentos assinados pelos pais adotivos, eu peguei o documento e pedi para Dandora ler, minha filha foi adotada por um casal chamado David Thompson e Kayla Thompson, me disseram o endereço e pedi para que um policial me levasse até lá.

   Ao chegar, desci da viatura acompanhada dele e bati na porta, o marido veio atender, sua voz era tristonha e soluços foram ouvidos, me apresentei e disse que precisávamos conversar, depois do policial explicar toda a situação o rapaz ficou surpreso e triste, perguntei o que houve e ele respondeu "Minha esposa faleceu alguns dias, ela estava com câncer de mama... Ficarei sozinho agora..." o abraçei em forma de consolo, me lamentando pela perda, então me virei para o policial e lhe falei que queria passar a guarda da Hera para o David, o policial disse que eu teria que ir na justiça fazer as papeladas e o David assinar, o mesmo chorou me agradecendo eu acabei sorrindo pela primeira vez depois de tudo o que passei minha decisão foi difícil, mas vai fazer alguém feliz e é isso que importa.

   Meses se passaram e a guarda da minha filha agora foi para o David e eu ainda podia visita-la quando quisesse, acabei ficando amiga do David, afinal ele estava se sentindo sozinho e não tinha com quem conversar ou passar o tempo.    

   Minhas amigas recuperaram as filhas e filhos e os que estavam em suas barrigas, Dandora infelizmente também acabou perdendo, seu útero transplantado acabou não aguentando um segundo bebê por muito tempo, o da Hana veio um menino, se chama Leon. Enquanto a Taehyung, ele acabou pegando prisão perpetua junto aos outros foram muitos crimes... Eu o visitava, apesar de tudo que ele fez, eu sei que ele se arrepende, numa visita ele me contou que a esposa do mesmo foi lá, não ocorreu muito bem, ela estava muito decepcionada... Nunca mais ela olhou na cara do rapaz. As garotas asiáticas estão livres agora, responderam no dia do julgamento do Taehyung assim como Seokjin, que também está livre.

   Em Dezembro, quase na data de Natal, eu fui até a prisão, conversei com o rapaz e quando eu ia embora, ele me chamou e me deu um bilhete, dizendo "Logo irei para um lugar melhor, por favor, entregue a minha esposa", afirmei com a cabeça e lhe falei "não fale ou faça besteiras" antes de sair. Fui me encontrar com a Dandora, ela iria comprar algumas coisas para os filhos, durante as compras falei a ela o que ocorreu na prisão, e pedi que ela visse o endereço escrito no papel,  quando terminamos as compras, ela pediu para o marido dela nos levar até o local. Quando cheguei bati na porta, uma voz fina ecoou em meus ouvidos, "Se você é a ex esposa do Taehyung, olha ele foi um idiota eu sei, mas ele se arrepende, ele me mandou te dar isso...Perdoe ele antes que seja tarde" falei entregando o bilhete, logo outra voz só que masculina chamou por ela, ele se apresentou como Hoseok, o atual marido da Lee-Sook.

   Taehyung acabou se suicidando no banheiro da prisão no dia 30 de Dezembro, a data de seu aniversário... As vezes as pessoas se arrependem do que fizeram, ele só queria uma segunda chance... E ninguém deu além de mim... Descanse em paz... Kim Taehyung.

"Eu sei que você me odeia, mas eu não queria que nada disso acontecesse, eu fui idiota por acreditar que um filho seria a nossa única felicidade, mas uma mulher específica, que te entregou isso inclusive, me ensinou que a felicidade principal de qualquer relacionamento, é o amor entre as pessoas, o respeito, a confiança... E eu não pude de dar tudo isso, espero que você esteja feliz agora, seja lá com quem estiver ao seu redor. Juro que vou te proteger lá de cima... Eu te amo❤"


Livro: Última Página.

Meu objetivo neste livro, foi mostrar a dificuldade que é ser uma mulher, em muitos outros sentidos e não só os que relatei na história. Não quis gabar as mulheres, todo mundo tem defeitos, ninguém é perfeito...Homens até podem ser babacas, idiotas, machistas, mas ninguém é igual ao outro. O Kim Taehyung sofre uma desigualdade social no final, por causa das ações tomadas dele, mas existem pessoas que merecem uma outra chance, outras não... Depende de você mesmo.

Espero que tenham gostado deste livro e aprendido várias coisas. Dêem mais valor a uma mulher, elas são tão importantes na sua vida que nem mesmo elas sabem explicar.

Autora: Leona King


Notas Finais


Espero que gostem deste One Shot, foi difícil triste escreve-lo...😢😞 a mensagem que ele passa é importante...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...