História O outro Ackerman - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Shingeki no Kyojin (Attack on Titan)
Personagens Levi Ackerman "Rivaille", Mikasa Ackerman
Tags Attack On Titan, Levi, Levimika, Mikasa, Rivamika, Romance De Época, Shingeki No Kyojin
Visualizações 58
Palavras 1.932
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Ecchi, Hentai, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá meus leitores,

Tudo bem com vocês? Espero que sim!

Aproveito para agradecer os comentários incentivadores do capítulo anterior.Amei!

Como agradecimento vou presenteá-los dois capítulos. Este ficou muito grande e eu não gosto de cansar vocês.

Então segue a primeira parte, espero que gostem, se divirtam e tenham uma boa experiencia de leitura.

Capítulo 13 - O Futuro Rei Parte 1


Vinte e dois anos antes

 

Kenny está sentado no trono. Duque de Kentsville está ajoelhado diante do Rei.

- Majestade, me sinto honrado em servi-lo. Mas gostaria de pedir permissão de partir para as batalhas na guerra contra a invasão muçulmana.

- Pedido negado. – Disse o Rei.

Lorde Ackerman suspirou.

- Majestade. Minha presença será mais útil lutando contra ameaças do que em seu reino. – Pediu.

Kenny se levantou.

- É o futuro Rei. A Princesa está prestes a dar luz. Preciso que fique para aprender como se tornar um Rei.

O outro Ackerman suspirou.

- Majestade. Me sentiria mais feliz luta do contra os invasores do que o auxiliando no governo bem-sucedido que sua Majestade representa.

O Bispo o fitou e decidiu intervir.

- É dever da coroa proteger o seu sucessor, Duque. Por favor, aceite a ordem do seu Rei e assuma seu lugar.  A Princesa Eldiana espera que o reino cumpra sua promessa.

O loiro se assustou.

- O que tem a dizer, Milorde? – O Duque perguntou surpreso.

Kenny e o Bispo trocaram olhares.

- É o seu dever. – Disse o Bispo.

O Duque de Kentsville suspirou.

- Majestade... Prefiro levar nossos exércitos a vitória. Deixe-me conduzi-lo.

Kenny pensou um pouco.

- Se a princesa der à luz... – Iniciou.

Kenny fez sinal para o outro deixasse o salão do trono. O Duque se levantou e deixou o salão irritado.

- Não vou me casar com uma viúva! – Gritou.

 

*

 

Kuchel está prestes a dar à luz. Toda a corte e os súditos estão apreensivos. Kenny reza na igreja para que seja um menino. Temia as decisões de Duque de Kentsville. Conhecendo o sobrinho provavelmente deixaria o reino contra a sua vontade.

- Majestade. – Disse o Bispo. – É um menino.

Kenny assentiu.

- Devo lhe dizer que o Duque de Kentsville deixou o palácio contra a sua vontade, Majestade.

- Eu sabia que ele iria. – Disse. - É um menino, Bispo. Tenho um sucessor. O Duque pode fazer o que quiser.

O outro se preocupa.

- Então sabe o que tenho que fazer. Seu avô foi incisivo. Na coroa não tem espaço para revoltas e rebeldes. Mesmo com o garoto deveria repensar sua posição e arranjar um casamento. Até mesmo com a princesa...

- Não nasci para ser pai. – Disse. – Kuchel deu à luz a um menino e eu tenho a coroa. O que mais eu poderia querer além de poder?

- Como quiser majestade. – Disse fazendo uma reverência.

Kenny assentiu e deixou a igreja para ver o sobrinho. Kenny foi ao quarto da irmã e pegou o príncipe.

- Bem-vindo futuro Rei. – Sorriu e devolveu para a mãe.

- Qual será o nome dele? – Perguntou feliz.

- Escolha. – Pediu. – É o meu herdeiro, mas ainda e o seu filho.

Ela olhava para o bebê apaixonada.

- Levi. Ele trará união.

Ele assentiu e todos fizeram uma breve reverencia ao monarca e ao bebê.  Durante dias o povo festejou o nascimento de mais um príncipe.

 

*

 Levi crescia rapidamente sob os cuidados da mãe. Três anos depois de longo período sem notícias, o Duque retorna para a corte acompanhado de sua esposa grávida. Foi punido, seu título retirado e foi enviado ao seu condado apenas como Lorde Ackerman. Kenny e o Bispo negociaram que não houvesse guerra entre os reinos.

Percebendo que o futuro da coroa era na cabeça de uma criança que mal sabia andar e falar, o Bispo afastou Kuchel de Levi e provocou uma queda acidental. Ao ver o desespero da irmã ao cuidar do filho desacordado, o Rei sentiu necessidade de voltar a igreja e pedir novamente pela vida de seu herdeiro.

- Deveria escolher uma noiva e se casar, Majestade. – Disse o Bispo entrando no recinto.

Kenny continuava irredutível.

- Meu herdeiro será Levi. – Disse.  – Tenho plena fé que meu sobrinho vai escapar com vida.

- Se está criança...

- Não ouse falar uma barbaridade dessas. – Pediu. – Seria capaz de executa-lo se tiver a audácia de repetir tamanha blasfêmia contra o seu futuro Rei.

O Bispo fez uma reverência.

- Perdão, Majestade. Vou orar pela criança. – Se afasta e se encontra com Kuchel. - Princesa. – Fez uma reverência.

- Majestade. – Ela estava abatida mas abriu um pequeno – O Príncipe acordou.

Kenny sorriu e foi ver o garoto com seus próprios olhos.

- Ele terá sua própria residência. Será criado em Greenville. Não será mais seguro viver aqui. – Disse.

Kuchel o fitou.

- Majestade. Levi é o meu filho e deve ficar comigo. – Justificou.

Kenny olhou para a irmã.

- Levi pode ser seu filho, mas é o meu herdeiro. Eu como o seu Rei ordeno que ele será criado em Greenville onde estão os exércitos. É mais seguro.

Ela limpou as lágrimas.

- Não aceitaria rebeldes. – Avisou. – Ele será Rei. Parece que vocês torcem para a família caia! Aceite!  – Deixou o quarto irritado.

Poucos dias depois, ele foi enviado a Greenville. O povo ficou feliz com a escolha. Kenny aliviado por que sei herdeiro estava em segurança.

 

*

Agora

 

Levi fingia observar os súditos. Mikasa entrou no salão e olhou rapidamente para as demais damas atentas aos outros jovens nobres da corte. Provavelmente já teriam noção que o príncipe não estava tão afim delas.

- Onde esteve durante o torneio? – Perguntou Lady Ackerman quando se sentou ao lado dos pais.

- Milady. – Chamou Lorde Ackerman. – Não é o momento para repreender Mikasa. 

Ela fechou o semblante.

- Sei que não é o momento para isso. – Reclamou Lady Ackerman. – Não podia perguntar na frente do príncipe. Qualquer desconfiança pode nos prejudicar.

Mikasa olhou para a mãe.

- Então, não vamos discutir aqui, Lady mamãe. – Sugeriu.  – Eu estava com as demais damas.

Trocou uma piscadinha com o pai.

- Eu não vi. – Ela disse.

- Mas estava. – Disse seu pai. – Eu a vi e isso e suficiente.

Lady Ackerman assentiu. O banquete com os nobres ocorreu animado com direito a apresentações, danças e as apresentações teatrais. Levi estava atento até mesmo aos suspiros de sua prima. Kuchel estava impaciente. Kenny fingia que estava tudo bem. Lorde Ackerman estava satisfeito com o desempenho da filha na luta contra o príncipe e os demais nobres.

Ao finalizar o banquete, toda a família se reuniu no salão da princesa. As três Lady Ackerman ficaram juntas. A reunião era composta por homens do conselho do Rei.

- Preste atenção. – Pediu Lady Ackerman a filha.

Mikasa assentiu e trocou olhares com Levi que abriu um pequeno sorriso. Ela desviou o olhar.

- Convoquei está reunião para falar sobre os negócios do reino. – Disse o Rei. – Estou prestes a deixar a minha coroa para o meu sucessor. Gostaria de saber dos meus conselheiros como andam as finanças, guerra, a moral do povo em relação a monarquia e outros assuntos.

O Bispo se levantou e olhou para Mikasa.

- Lorde Ackerman não deveria estar nesta reunião. Ele não...

Levi olhou para o homem e explicou.

- Lorde Ackerman pertence a família real. Mesmo sem título, sua família cuida do condado que produz alimentos para todo o reino. Ele merece respeito. – Pediu.

Os dois trocaram olhares fulminantes. Mikasa sorriu ao ver o príncipe defender o seu pai.

- Agradeço alteza. – Disse lorde Ackerman. – Devo informar que a produção continua próspera e que teremos grandes colheitas ainda este ano.

- Quanto a guerra – Iniciou Pixies. – Temos grandes perspectivas, Majestade. No momento não temos notícias de rebeliões. Mas temos um aviso sobre uma possível invasão por águas. Piratas ou busca por mais territórios. Estamos atentos em todas as defesas para as nossas fronteiras. – Ele olhou para os conselheiros. - O número de prisioneiros diminuiu. O Bispo executou alguns e tivemos algumas revoltas. Mas foram acatadas pelo exército leal ao Rei.

Kenny olhou para o Bispo. O homem olhou para os demais.

- Estive pensando em enviar navios para conquistar novas terras. O papa, a igreja me solicita alguns. Seríamos bem-sucedidos visitando e lutando por novas terras no novo mundo, Majestade.

- Negado. – Disse Kenny. – Já falamos sobre isso.

- Eu já havia...- Continuou e foi interrompido.

Kenny olhou para as mulheres.

- Já disse que está negado. – Avisou. – Os navios ficarão aqui para proteger a costa e cuidar das necessidades do povo. – Disse. – Não tenho interesse em colonizar terras no novo mundo. Além disso seria um desperdício de exércitos na busca por novas terras.

Todos trocaram olhares.

- Próximo conselheiro. – Pediu Kenny.

- A educação está em grande avanço. – Disse Lorde Smith.- A falta de recursos está atrasando impressão de livros e atrasando as pesquisas. A maioria dos recursos tem ido para os mosteiros e conventos.

Kenny olhou surpreso. Mikasa olhou para Levi.

- Como ele pôde? – Ela perguntou a princesa e a mãe.

- Mikasa. – Chamou sua mãe. – Silêncio, minha filha.

Kenny suspirou.

- Enviem mais recursos para edição de mais livros, Bispo. – Pediu. – Próximo.

O Bispo fez uma expressão de desaprovação.

- A saúde da população se encontra em seu melhor estado. – Disse Lorde Jaeger. – Mas os recursos têm diminuído a cada mês.

Kenny olhou o papel.

- Volte aos valores antigos. – Ordenou. – Meus cidadãos não podem ficar sem seus recursos básicos.

- Milorde...- Chamou o Bispo. – Precisamos pagar nosso tributo ao papa pelos...

Kenny olhou para o Bispo.

- Desde quando temos que pagar tributos a igreja? – Questionou. – Que eu me lembre eu não devo nada ao papa.

Os conselheiros trocaram olhares.  Levi continuava a fitar um papel.  O Bispo engoliu em seco.

- Tem um mês para entregar suas finanças corrigidas. – Disse Levi olhando as contas e jogando o papel a distância. – Isso daqui é inaceitável. Aproveito e solicito ao rei que devolva o título de Lorde Ackerman. Caso seja filha seja escolhida ela precisa que os pais tenham um título a altura de sua nobreza.

- Seria necessário aprovação do conselho. – Disse Bispo.

- O conselho é unânime na devolução do título. – Disse Pixies.

Os demais assentiram.

Kenny assentiu. Os Ackerman ficaram surpresos.

- Estudarei seu pedido alteza. – Concordou. – Em breve, sua alteza real e a comitiva deverão partir para Dashiville. – Ordenou o Rei.

- Majestade, caso Lady Mikasa seja escolhida ela deve ter um título adequado.

- Se for escolhida. – Disse Kenny. – Ainda não terminamos.

Levi ficou em silêncio e olhou para ela e assentiu.

- Não fui informado da necessidade da partida do Príncipe, Majestade. – Disse o Bispo. – Devo aconselha-lo ser um gasto desnecessário visto que...

Kenny e Levi trocaram olhares e o Príncipe disse.

- Caso as finanças não estejam de acordo, gostaria de solicitar diante dos senhores a tomada das terras do Bispo como punição.  – Olhou para Mikasa. – E daremos a futura Rainha escolhida.

Kenny sorriu ao notar a firmeza do sobrinho para tomar decisões e continuou.

- O Príncipe é o próximo na linha de sucessão. Caso seja necessário irá para a batalha. Eu ainda sou Rei e é meu dever proteger meu país e meu sucessor. – Falou Kenny.

- Majestade! – Chamou o Bispo.

- Tem algo a mais que gostaria de nós informar, Bispo? – Questionou Levi. – Caso não consiga corrigir suas finanças e explique suas conversas particulares com o Papa...Eu não terei misericórdia. Não vivo de acordos passados. Não hesitarei em punir todos os traidores da coroa. Um por um. – Olhou para o Bispo. – Começando pelo senhor. – Ameaçou.

Levi levantou e todos os conselheiros fizeram o mesmo. Mikasa ficou surpresa.

- Reunião encerrada. – Disse o príncipe.

Kenny assentiu. Todos fizeram uma reverência e Kenny deixou o salão seguido por Levi e os demais integrantes da família em silêncio.

 O Bispo se sentou irritado.

- O moleque quer guerra. Então terá. – Disse irritado.


Notas Finais


Continua...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...