História O Outro Ackerman - Capítulo 20


Escrita por:

Postado
Categorias Shingeki no Kyojin (Attack on Titan)
Personagens Levi Ackerman "Rivaille", Mikasa Ackerman
Tags Attack On Titan, Levi, Levimika, Mikasa, Rivamika, Romance De Época, Shingeki No Kyojin
Visualizações 54
Palavras 2.403
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Ecchi, Hentai, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá meus amados,

Tudo bem com vocês? Espero que sim.

Para finalizar a semana, conforme eu prometi, segue mais um capítulo atualizado com sucesso.
Espero que gostem, se divirtam ou se emocionem e tenham uma boa experiência de leitura.

Capítulo 20 - Kentsville Desabrochar de paixões


- O que houve, minha amada?! – Perguntou surpreso enquanto abraçava seu corpo inerte.

Um guarda que passava pelo corredor , servos viram a situação.

- Chamem o Duque com urgência. – O Príncipe pediu.

Mais guardas vieram apressados.

- Não era bem isso que planejei para esta noite, minha querida. – Disse beijando seu rosto.

Ele a pegou nos braços e levou para o ele fitou a garota durante alguns segundos.  Levi a levou para o quarto e foi recebido por uma serva.  Pouco depois Lorde e Lady Ackerman chegaram eufóricos.

- Filha!! – Lady Ackerman disse se ajoelhando ao lado da jovem desacordada. – Meu Deus! – Disse abraçando a filha.

Lorde Ackerman se aproximou. Levi olhava a cena preocupado.

- Mikasa. – Disse o pai preocupado. – Chamem um médico para fazer uma sangria! – Gritou aos servos.

Lorde Ackerman olhou para Levi que estava arrasado.

- Vá descansar alteza. Amanhã deve seguir a viagem. – Pediu.

O príncipe franziu o cenho preocupado.

- Seguir? Cancele minha viagem. Não irei sem ela. – Avisou preocupado.

- Va descansar, alteza. – Pediu o primo. – Ela vai ficar bem. Precisa seguir com o compromisso.

- Partiria amanhã. – Disse Levi. – Não irei sem ela. – Avisou mais uma vez. Está decidido.

O Duque suspirou.

- Tudo bem, Alteza. Apenas vá descansar. – Pediu calmo.  – Mikasa receberá o devido atendimento. Fique tranquilo.

O príncipe assentiu.

- Mantenha-me informado.

Levi retornou para seu quarto. Assim como em Greenville, passou a noite acordado. Estava preocupado com a prima.

 

*

 

Os súditos não ficaram felizes ao saber que teriam que ficar em Kentsville mais alguns dias por causa da Mikasa. O Duque e a Duquesa se encarregaram de organizar distrações para os nobres da comitiva.  Levi passou seu primeiro dia apenas em seu quarto lendo. Gostaria de obter uma permissão para visitar Mikasa, o que seria negado. Apenas pediu notícias, mas nenhum servo ou seus amigos conseguiram.

 Escreveu para a mãe uma pequena carta informando o estado de saúde da favorita para Kuchel. A carta, entregue por Farlan, arrancou sorrisos da princesa ao ler as palavras preocupadas do filho com a garota. Também expressava a tristeza explícita sem saber notícias ou poder estar ao seu lado para conforta-la pela dor que sentia.

A princesa olhou o frasco vazio. Tinha suas suspeitas. Mas ainda não podia expor sua acusação.  Enquanto o exército ocupava a corte para ir à guerra, Levi estava um pouco longe das ameaças do Bispo e apaixonado demais para pensar em um confronto.

Farlan aguardava pacientemente.

- Por favor, Milorde. Espere alguns minutos. – Ela pediu gentil.

Kuchel deixou o rapaz e foi para os aposentos. Traute estava acompanhada.

- Agora deixou de ser minha dama de companhia para ter as suas?

A baronesa ia responder, mas foi interrompida.

- Deixe-nos. – Kuchel pediu as demais servas.

As damas deixaram o ambiente não sem fazer a reverência. Traute estava diante da penteadeira e se levantou.

Kuchel a fitou chateada.

- Consegui seu encontro com o Rei. O que tem a me dizer? – Perguntou a Princesa. – Era isso que queria.

- A sua garotinha. – Avisou. – Pela sua expressão, ela não está bem, certo?

A princesa não respondeu. Traute abriu uma gaveta.

- Faça com que beba todo o conteúdo aos poucos. Em breve se sentirá melhor. – Pediu.

- Terá muito a explicar. – Disse pegando o frasco com violência.

Kuchel se certificou que não estava sendo seguida.  Escreveu duas cartas e as entregou a Farlan.

- Tenha cuidado. – Pediu. – Certifique-se que não está sendo seguido e entregue este frasco apenas a Lady Ackerman.

- Duquesa de Kentsville agora. – Ele avisou com um sorriso.

Ela devolveu o sorriso.

- Boa sorte, Lorde Farlan. – Desejou.

Farlan entregou a correspondência aos destinatários. A Duquesa se preocupou ao ler a sua e destituiu todos os servos de Mikasa e Levi. Passou a noite cuidando da filha e ministrando o remédio enviado por Kuchel. Levi leu a carta em que a mãe pedia cuidado e o parabeniza por conquistar os títulos e o desabrochar do amor por sua prima.

 

*

 

No segundo aproveitou para treinar com os soldados do exército, treinar arco e flecha e ler ao ar livre enquanto aguardava notícias. As vezes caminhava com os rapazes e as demais damas. Estava desatento demais para grupos. As brincadeiras e piadinhas as vezes o irritavam. Os olhares românticos das damas também eram curiosos. Apenas Annie, Petra e Ilse Estavam alheias aos flertes. Petra tentava conversar com ele, mas em vão. Sua mente e coração estavam com Mikasa. Decidiu ficar sozinho em seu quarto admirando as belezas do condado.

O terceiro aproveitou para treinar, estranhou a troca de servos, mas não fez perguntas. Enquanto lia, sozinho no fim de tarde ouviu uma batida na porta.

- Alteza. – Disse o primo ao entrar no ambiente. – Lady Mikasa acordou. – Gostaria de vê-la?

Queria dizer em alto e em bom som que sim.

- Ela está em condições de receber visitas? – Perguntou. – Estava desacordada há três dias.

O Duque sorriu ao notar o quanto o primo estava preocupado com sua filha.

- Perceberá que ela vai se recuperar bem, alteza. Ela ficará feliz em vê-lo. – Garantiu.

Levi contendo a felicidade foi ao encontro da prima.

 

*

 

Mikasa passou dois dias com febre e delírios. Em seus momentos mais críticos, chamou por Levi e pedia para salva-la. Nos pesadelos, acreditava que Bispo tentava matá-la. Nenhum médico soube explicar o que aconteceu com a garota. Alguns disseram que era apenas um resfriado comum ou algo que tenha comido.

- Ela vai sobreviver? – Perguntou a Duquesa.

Os médicos diziam receosos que sim. Sem o conhecimento da esposa, o Duque visitava a capela local e rezava por sua filha. Lady Ackerman recebeu a carta da Princesa, com ódio, queimou o papel e guardou o segredo para si.  Ministrou o medicamento a filha que começou a apresentar pequenos, mas significativos sinais de melhora.

- Lady mãe...- Chamou. – Gostaria de ver o príncipe. – Disse virando para o lado sentindo dores.  

Sua mãe passou o lenço em seu rosto e uma serva a ajudou.

- Verá, meu amor. – Respondeu emocionada. – Farei com que o Príncipe a visite. – Prometeu.

Mikasa se afundou no travesseiro. Só acordou na terceira noite um pouco melhor. Passou o dia confinada em seu quarto e no quarto conseguia caminhar com ajuda. Ainda estava pálida e um pouco fraca. Enquanto ainda estava rodeada de médicos e servos, pensava em qual momento primo viria visitá-la. Vestiu o vestido azul e aguardou.

- Alteza. – Disse ao vê-lo e tentando se levantar e fazer uma reverência.

Ele aproximou com as mãos para trás.

- Não precisa. – Disse gentil.

Eles se olharam. Levi sorriu e se abaixou diante dela.

- Como se sente, milady? – Perguntou segurando suas mãos.

- Me recuperando. – Respondeu feliz com a presença dele.

Ele beijou as mãos dela com carinho e Mikasa as uniu. Percebeu que a prima ainda estava fraca.

- Por um instante temi perde-la. – Disse sincero. – Não sabe o quanto foi duro para o meu coração planejar um dia de alegria e te segurar inerte em meus braços.

Ela sorri triste e tímida.

- Não será um mal-estar que irá me derrubar, alteza. – Respondeu. – Senti sua falta. – Falou sincera e sem intenção de segurar palavras.

- Também senti sua falta, milady. Se conseguisse imaginar o que planejei para nós dois...- Olhou para a jovem. - Não vou a lugar nenhum sem a senhorita. Por favor, se recupere. – Ficou em silêncio. – Ainda não desisti de conquista-la como minha rainha.

Mikasa sentiu uma dor no peito. Por que não dizer o que sentia? Esperava algo mais dele. Talvez ele também esperava dela.

- Alteza, eu…- Se calou diante da dúvida.

- Descanse. – Se levantou, beijando sua testa e tocando seu rosto delicado. Mikasa fechou os olhos para apreciar o carinho e ele se afastou.  – Com certeza ainda não se recuperou da sua queda.

- Ainda posso atender seu pedido se desejar. – Sugeriu.

Levi sorriu.

- Quando se sentir bem, envie-me seu convite. – Pediu.

Ela assentiu, queria que ele a abraçasse, a beijasse, tocasse seu rosto. Levi olhou para trás e seguiu para o corredor. Mikasa ficou sentada sentindo apenas vontade de se levantar e ir até onde ele estava. Sentiu seu perfume em suas mãos e tentou acalmar seus pensamentos.

Já não sentia mais febre. Estava entediada de ficar no quarto. Estava confinada a quatro dias no local que chamava de casa.  Pediu sua mãe para diminuir o número de servos. Escolheu um vestido mais fino de algodão para o fim de tarde quente e enviou o convite.

 

*

 

Levi aguardava impaciente o convite da prima. Sem ser notada, foi aos estábulos e viu que o príncipe escovava seu próprio cavalo.

- Estava ansioso por este momento. – Ela fez uma reverência.

Ele se levantou.

- Eu também. – Disse com tom de voz grave e sorriu. - Mostre-me a sua casa.

Ela sorriu e olhou as vestes mais simples do príncipe.

 Mikasa escolheu sua montaria preferida e decidiram sair pelos campos até o rio de águas cristalinas. Sozinhos, fizeram o trajeto em silêncio. Entraram na floresta.

- É infinitamente belo. – Disse Levi.

Ela sorriu com a surpresa dele. Mikasa olhou o sol refletir nas águas calmas, ele desceu do cavalo e a ajudou a descer.  Eles trocaram um olhar.

- Eu já volto. – Disse indo prender os animais.

Ela retirou o vestido ficando apenas com uma fina camisola e mergulhou nas águas completamente alheia a sua volta. Levi estava atrás de uma árvore olhando seus movimentos. Ela praticamente se esqueceu que Levi estava ali. Quando ele retornou, ficou admirando sua futura nadando tranquila nas águas claras. Ela deixou as águas e ele a fitava intensamente. Mikasa percebeu a admiração dele e olhou para si.

- Alteza! – Disse surpresa ao ver que seu corpo estava a mostra. Sua primeira ação foi cobrir os seios.

Ele recobrou a razão e tirou a capa se aproximando dela e tentando não olhar.

- Permita-me. – Disse tentando protegê-la.

Ela ficou de costas, oferecendo ao príncipe mais uma visão de suas curvas. Levi se aproximou devagar.  Observou mais uma vez suas curvas e suspirou em êxtase com a visão. Queria tocá-la. Colocou a capa e se afastou. Mikasa sentiu o tecido tocar seu corpo, Levi se afastou ficando de costas para ela.

Ele colocou seja cabelos para frente, não resisti e seus lábios tocaram sua pele nua. Ela fechou os olhos sentindo o carinho e se virou para ele.

- Vem! – Disse retirando a capa.

Ele a fitou surpreso.

- Vamos mergulhar um pouco. – Pediu.

Levi desviou o olhar. Mikasa sorriu e se aproximou.

- Ainda não sei. – Respondeu.

Mikasa passou a mão pelos ombros e desceu pelo peito. Olhou nos olhos do amado e o puxou. Ela caminhou até na beira das águas e retirou a capa deixando-se cair. Levi admirou a visão que tinha e ela mergulhou novamente nas águas. Ele retirou os sapatos, e entrou na água e mergulhou indo ao seu encontro. Enquanto ela boiava nas águas, Levi se aproximou e a trouxe para si beijando seus lábios.

Em êxtase, ela o olhou enquanto ele a abraçava.

- Alteza. – Disse baixinho. – Quero te mostrar algo. – Disse mergulhando novamente.

Levi a seguiu e deixaram as águas. Mikasa vestiu o vestido.

- O que tem em mente?

- Siga-me. - Saiu correndo em direção ao seu cavalo.

- Ei! – Levi gritou

Mikasa saiu cavalgando pelos campos e Levi foi com ela. A garota só parou diante de uma velha árvore.

- Estamos distantes demais. – Disse Levi se aproximando enquanto observava o local, descendo do cavalo em seguida.

Mikasa desceu do animal admirada com a velha árvore e se deixou cair na relva.

- Lady Mikasa! – Ele foi ao seu encontro se ajoelhou ao seu lado preocupado.

Ela abriu os olhos e sorriu, percebendo que ele estava tenso e preocupado. Sua mão tocava seus ombros.

- Esta tudo bem. – Ela disse tocando seu rosto. – Só gostaria de matar a saudade de casa, alteza e ver minha velha figueira onde fazia meus pedidos ainda criança.

Levi olhou para a árvore.

- Posso saber quais eram os seus pedidos? – Perguntou se deitando ao seu lado ficando de frente um para o outro.

Ela sorriu e olhou para ele.

- São meus pedidos. – Explicou.

Levi a olhava intensamente. Ela riu.

- Eu pedi a ela para não colocar o amor no meu caminho. Queria ser uma guerreira como meus pais. Protetora. Lutar batalhas. Continuar a viver livre nos campos de Kentsville.

- E o que ela fez? – Perguntou curioso.

Ela riu. Ambos ficaram se olhando enquanto ele tocou seu abdômen. Ela sentiu um calor percorrer por todo o seu corpo. Ficaram em silêncio ouvindo o canto dos pássaros, o balançar das copas das árvores. Ela iniciou o beijo em seus lábios. Levi ficou um pouco sobre ela e apertou suas coxas. Mikasa tocou sua nuca, suas costas e posicionou as mãos em seu peito e finalizou apertando seu ombro.

- Me colocou no seu caminho. – Disse.

Ele tocou seus braços, suas costas, estava tentando se controlar sobre ela. Beijou seus lábios, lóbulos das orelhas, pescoço. Seus ombros. Desceu um pouco o vestido e teve a visão de seus ombros e seus seios quase despidos.

- Alteza. – Disse retirando suas mãos e ele saiu de cima se sentando seguido por ela.

- Perdão. - Ele pediu a surpreendendo.

Mikasa sorriu.

- Pedindo perdão?  - Observou surpresa.

- Não estava com intenções de...- Ele a fitou e tocou seu rosto.

Mikasa desviou o olhar e ele a beijou. Seus lábios desceram pelo seu pescoço, colo, e acariciou novamente os seios quase despidos os apertando-os com cuidado e os beijando em seguida. Ela gemeu e se rendeu ao carinho, o desejando ardentemente e o parou bruscamente.

- Não.  – Respondeu o afastando.  – Ainda não. – Pediu tensa.

Levi suspirou cansado.

- O que você gostaria que eu fizesse? Seu pai já tem o título. Estou rastejando aos seus pés pedindo que seja minha Rainha e a senhorita recusa meus avanços sabendo que sente o mesmo por mim? – Perguntou sério.

Ela se levantou.

- Vamos retornar. – Pediu. – Já está ficando tarde.

Eles montaram em seus animais e retornaram em silêncio.   Ao chegar aos estábulos, servos a ajudaram a descer, ela fez uma reverência e se afastou.

- Ah, Mikasa...como eu te quero para mim. – Disse Levi para si.

Ela foi para o quarto e se trancou.

- Onde esteve? – Perguntou sua mãe.

Mikasa a fitou surpresa. 


Notas Finais


Muito obrigada e até o próxima sexta!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...