História O outro Baruch - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Kuroko no Basuke
Personagens Aomine Daiki, Kise Ryouta
Tags Beastkin, Coling Dragon, Cultivo, Demonios, Deuses, Fanfic, Furry, Kuroko No Basket, R-18, Santos
Visualizações 11
Palavras 1.174
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishounen, Crossover, Ecchi, Fantasia, Fluffy, Lemon, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shounen, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 5 - Derrota da igreja radiante


Pov Kise:

Conforme os anos foram passando e fui me familiarizando com meus irmãos, comecei a amar os dois como familia.

A luta no poder imperial acabou com a ordem do semideus Obrien, o pilar espiritual do Império guerreiro, quando ele deu a Linley seu token especial.

Warthon casou-se com a sétima princesa, Linley recebeu a informação dos planos superiores, mas foi recusado. Finalmente conheci a futura mulher de linley, e ela era linda e de boa família. Claro que meu irmão estúpido é denso demais, ou se finge de burro para não se comprometer no momento.

Em busca de um irmão jurado que sofreu uma trama no exército, depois de descarregar a fúria, Linley e seus subordinados partiram em direção as terras anárquicas perto da floresta negra, onde o soberano dos ratos governa.

Eu me despedi dele nesse momento. Eu não quero me tornar um personagem secundário seguindo Linley em suas aventuras. Peguei Haeru, e partimos pela cordilheira em direção ao vasto mar, onde viraria um mago santo.

Assim que entramos na cordilheira das bestas mágicas, me livrei completamente das roupas ficando nu com um suspiro aliviado. Esse corpo e ao longo dos anos eu, passei a gostar de andar sem roupa.

Dois metros de altura, largo, forte e muito musculoso, meu peito, e abdome cheio de pelos aparados que seguiam a trilha da felicidade do meu umbigo no tanquinho sarado, até minha virilha densa e cabeluda que ocultava minha jeba de 27cm mole que parecia uma cobra adormecida.

Relaxei e me espriguicei, e resolvi tirar algum tempo de férias. Enquanto aproveitava o sentimento de relaxar de olhos fechados com um sorriso, não pude deixar de rir quando senti uma lingua quente e meio áspera engolindo meu pau de forma gulosa.

Abri os olhos e olhei com amor meu gatinho aproveitando finalmente estarmos sozinhos novamente. Não o impedi, e trouxe seu corpo peludo e firme para mim, e brinquei com suas bolinhas peludas, até trazer seu pênis vermelho pra fora, e começar a brincar com ele com minha boca.

Passamos o dia trepando como dois gatos no cio, e dessa vez, não deixei aquele gatinho malicioso escapar, pois foi ele que provocou. Brinquei com ele sem parar por 3 dias sem parar um momento, e no final Haeru caiu no sono sem forças em cima de mim depois que gozei pela última vez em sua entrada.

Continuamos nossa jornada, e ao longo do caminho enfrentamos várias bestas e treinei minha lança e comecei a entender os mistérios das leis da água. Escolhi a essência da água para ser a primeira, pois me dará a base firme para começar as outras, e me fará semideus mais rápido.

Depois de 6 meses, chegamos ao vasto mar que era lindo e terrivelmente perigoso, com suas bestas oceânicas infinitas.

Como Haeru era uma besta santa, eu não precisava me preocupar com o problema dele respirar em baixo d'água. Pulamos no mar, e me transformei na forma dragão azul, e senti minha afinidade com a água ao redor aumentar, e meus movimentos ficaram mais suaves e poderosos.

Dia e noite, começamos a explorar o vasto mar. Batalhas mortais nos cercavam a cada passo. Ao longo do tempo, descobri a hierarquia submarina. O dragão santo da água era o rei dragão, e governava as várias raças aquáticas em estados, com os chefes como governadores.

Nossa chegada foi como uma bomba no reino Pacífico de estrangeiros da terra firme. Um mero dragão de água ousa reclamar o trono do dragão em frente ao descendente de um soberano de um dragão azure, o senhor dos céus e da água? Ridiculo.

Comecei recolhendo informações, e logo soube da reputação sábia do rei dragão, e desisti de criar problemas quando o povo não estava tendo motivo que pudesse me apoiar se eu fizesse uma rebelião.

Cheguei a cidade do rei dragão, e me registrei para abrir um salão de treinamento de lança na cidade principal, e depois de usar os núcleos das bestas em terra que eram muito valiosos no mar, construí um salão de treinamento para mim, onde podia receber alunos, e eu poderia treinar a lei em paz.

Claro que não esqueci de continuar treinando como mago. 5 anos se passaram assim, e ganhei muita reputação quando matei um leviatã de nivel santo que tentou destruir a cidade do dragão num golpe de lança que o cortou em duas partes.

Com a reputação, a lenda dos guerreiros supremos chegou ao reino do mar e se espalhou, assim como meu nome Baruch. Ganhei muitos alunos, e sendo contratado pelo próprio Rei dragão, virei o marechal do exercito do mar, e treinador oficial dos soldados.

Recebi noticias de fora, de que Linley tinha transformado com sucesso o reino baruch no Império, e estava se casando com Délia na cerimônia de coroação como o primeiro imperador da dinastia.

Claro que me foi enviado um convite, que passei ao rei dragão, que aceitou e veio junto comigo e um exercito para fazer relações com o povo terrestre pela primeira vez em 600 anos.

Quando foi anunciado que o rei dragão do imperio de Atlântida tinha chegado, todos se surprenderam pois era a primeira vez que viam a tribo do mar. Nesses 5 anos, o rei dragão tinha alcançado a deidade, se tornando um semideus e assumindo a forma humana. Um homem lindo e elegante, com uma aura majestosa e digna de um nobre entrou comigo em seu lado direito.

Longos cabelos azuis, olhos dourados, vestindo um belo traje real azul e dourado detalhado com escamas cristlinas, junto de sua coroa de corais dourados, atoordou muitas mulheres humanas.

Eu andava em Haeru em meu uniforme de marechal Tritão, que era uma armadura dourada que parecia ser feita de escamas.

Cumprimentei minha familia, e os introduzi ao rei e me afastei com os soldados e a festa começou depois da coroação.

Desse dia em diante, as desconhecidas raças do mar foram reveladas e as noticias de seu relacionamento com o Império Baruch fez muitos ansiosos.

Eu era um santo como guerreiro e como mago, e agora era só treinar para chegar ao nivel semideus. Quando eu conseguir dominar a lei da essência da água, ascenderei. Tenho que me apressar, pois a invasão dos prisioneiros de Gebbados se aproxima.

Com o objetivo de Linley de erradicar a igreja do Império Baruch, o confronto com a igreja radiante e o culto das sombras se aproximava.

Finalmente a batalha começou, e terminou quando todos os santos do grupo de linley, no nível prime que é o meio passo antes de semideus enquanto santo, lançamos todas as magias proibidas possiveis e destruímos tudo arrancando a igreja e o culto pelas raizes de uma vez por todas.

Retornei ao mar, e continuei a treinar. 2 anos depois, ouvi um chamado em minha mente me convocando a entrar na necrópole dos deuses. Eu já sabia de quem era essa voz. O soberano de Yulan, Beirute.

Me arrumei e junto de Haeru, esperei no fundo do mar, na entrada da necrópole.

Pov kise fim.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...