1. Spirit Fanfics >
  2. O pacto sangrento. - Ichihime >
  3. O pacto sangrento V

História O pacto sangrento. - Ichihime - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Nada a declarar. Boa leitura.

Capítulo 5 - O pacto sangrento V


Fanfic / Fanfiction O pacto sangrento. - Ichihime - Capítulo 5 - O pacto sangrento V

Lolly caminhava apreensiva na praça. Não queria entrar em desespero.

Orihime on:

Aquele tal de Renji Abarai, usa as roupas quase iguais ao Senhor Kurosaki. E o mais estranho é a sen... Rukia conseguir ver eles. Tenho que perguntar à ela.

Depois daquele incidente, volto pra casa apenas pra descansar.

Mais tarde...

-Obrigada.- Rukia pagou o motorista e me puxou pra casa de madeira fina. 

Ao entrar, o cheiro de incenso e ervas invadem minhas narinas, dando-me uma leve sensação de bem-estar. 

-Zaraki Taichou!- Rukia  chama o suposto médium, enquanto aguardo sentada em uma cadeira da sala.

Sem perceber, um homem assustadoramente alto de cabelo espetado surge dentre as cortinas. 

-Ora, ora, ora. A que devo a visita da tão renomada Kuchiki Rukia?- perguntou irônico. 

-Existe um jeito de desfazer um pacto de vida?- encara-o séria. 

Ele arregalou os olhos e logo sorriu.

-Quem foi a azarada?

Os olhares de Rukia e Zaraki pararam em mim. Dei um risinho querendo cortar o clima estranho.

-Olá!- acenei sem graça. 

-Vamos pra outra ala.- ele continuou me encarando e logo saiu da sala. Estava sério. 

Agora me sinto culpada, meu desejo de viver foi tão egoísta assim? Vendo as vantagens, eu posso viver ao lado dos meus pais e nao deixá-los tristes. O que eu fiz foi tão errado assim?

-Vou começar com três perguntas. Primeira: como conheceu o demônio?- Zaraki taichou suspirou decepcionado. Com certeza já imaginava qual seria minha resposta.

-Prestes a morrer.- respondo sincera.

Ele se ajeitou na cadeira.

-Como foi o pacto?

-O demônio tomou meu sangue.

Seu semblante de sério foi pra intrigado e preocupado. 

-O nome... qual era o nome do demônio?

Respiro fundo. Agora percebo que essa situação é perigosa.

-Kurosaki Ichigo, senhor!- falo. Zaraki levantou da mesa.

-O demônio da morte, Ichigo. Jovem, você cometeu um grave erro.- olhou-me inexpressivo. - Isso é um grande pecado.

-Ele é atraído por maldade e lascívia, isso que meu irmão disse!- Rukia interfere.- Inoue não é uma pessoa má...

-É ao contrário!- a cortou.- Ele é atraído por pureza e inocência. Sua energia vital é arrancada, e aos poucos ele muda o jeito de pensar do contratante.

-Mas...- contestou.

-Seu irmão já fez parte das 13 divisões, Kuchiki, ele saiu por não querer envolver a família nisso.  

Meu mundo parou. 

-A idéia de saber que você não tem salvação é assustadora, mas saber que sua fonte de alimento é a pureza. Me deixa sem chão. - Rukia me abraçou. 

-Respondendo sua pergunta de antes, Kuchiki; os únicos jeitos de quebrar o pacto são severos demais, principalmente se for do Ichigo!- Zaraki pegou um livro grosso de uma estante próxima à ele. 

-Diga quais são os métodos!- ela exigiu.

-Dê a alma de alguém puro que você se importe.- não, nunca.- Seja morto por outro demônio... - Isso não é necessário!- ou se mate. 

-Orihime...

-Só existem esses meios? Não tens outro?- pergunto esperançosa, talvez haja um meio que não machuque a ninguém. 

-O último é difícil. Nunca conseguirão fazer um demônio se apaixonar.- corei com essa opção. 

-Nenhum está adequado. Você sabe as consequências da quebra do pacto?- Rukia me trouxe a realidade.

-Ela morrerá no mesmo instante e será guiada ao inferno. 

Inferno... essa palavra me lembra coisas horríveis.

-Ykkaku! Traga a vela vermelha!- exclamou.- Você teve contato com outro demônio?- me encarou.

- Sim! Com um tal de Renji Abarai. - Rukia nem me deixou falar.

Um sorriso macabro surgiu em seu rosto. Um careca apareceu com a vela e a acendeu; apagando as luzes e se retirando do local.

-Dêem as mãos e fechem os olhos.- eu e Rukia obedecemos.- Ó demônio dos mortos, guardião de hollows. Aquele que mantém preso o verdadeiro eu do Kurosaki Demônio... apareça e atenda às minhas questões. - recitou um encanto. 

A vela se apagou, o calor que sentia no cômodo sumiu. Eu estava tremendo, se Rukia não tivesse do meu lado, o infarto seria certo.

-Touché!- uma voz conhecida soou na sala onde estávamos. - O que querem comigo, seus pirralhos?


Era ele, Renji Abarai.





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...