História O passado está no presente... - Capítulo 73


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 2
Palavras 1.630
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, Mistério, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Nudez, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 73 - Strange Dream


Aquele dia amanheceu com um bocado de lágrimas. Alice em sua terra natal naquele momento chorava enquanto o corpo de Nathan era enterrado junto de sua família que havia morrido a muitos e muitos anos. Ela, Sebastian, Lili, Ryan, Henry, Ema e Gregório, juntos olhando para a lápide de granito. O nome de Nathan estampado em sua composição, junto com a sua data de nascimento e sua data de morte modificada para não causar suspeitas.

Sebastian foi o primeiro a partir, deixando apenas um tipo de kepe em cima da lápide. Ele não havia chorado ou esboçado qualquer tipo de reação.

Lili foi a segunda, ela havia demonstrando apenas um pouco de tristeza. Deixara um lírio na terra.

Ryan e Henry se foram juntos deixando sua homenagem para aquela alma abrindo continência para o Major Nathan que se fora.

Ema e Gregório também se foram juntos. Ema com uma certa dificuldade abaixou e deixou um pequeno beijo na lápide, ela estava com alguns resquícios de lágrimas. E Gregório fez como Ryan e Henry dando continência.

Mas Alice apenas ficou ali como se o tempo não existisse. Em suas mãos havia o anel que Nathan deixara cair, o anel que salvou Alice do feitiço.

Aquele pequeno circulo de prata com uma pequena pedra de brilhante salvara almas.

E a morte dele salvou Sebastian e fez Alice dar, sem querer, a coisa que Nathan mais queria: Não ser um monstro.

Quando Alice se pôs a chorar como queria começou a chover no mesmo segundo. As gotas de água caiam no céu e formavam poças pelo campo repleto de lápides de outras famílias. Enquanto a chuva caía forte as lágrimas de Alice caiam com mais força. A maquiagem que Alice fez somente para aquele dia havia ido por água abaixo, quase que literamente.

Alice:- Sei que fez isso para salvar um amigo, me acordar do feitiço e ter oque mais queria... Mas porque so consigo me sentir culpada?;- perguntou chorando mais e mais. Seu cabelo longo ja encharcado caia sobre seus ombros que iam para baixo  e para cima enquanto os soluços faziam parte de seus pulmões.

Zack:- Não foi sua culpa...;- disse atrás dela dando um pequeno susto em Alice que se virou rapidamente secando as lágrimas, oque não dava resultado algum pois mais e mais vinham de seus olhos.

Alice:- Não consigo deixar de me sentir assim...;- disse abaixando a cabeça. E Zack por puro reflexo se aproximou rápido e a puxou para um abraço. Seus corpos encharcados pela chuva se chocaram.

Zack:- Nathan não gostaria disso, ele gostaria de ter ver sorrindo, mostrando esse sorriso doce que pode mudar tudo na vida de uma pessoa;- disse ainda no abraço. A face de Alice estava nesse momento enterrada no peito de Zack, ela chorava e chorava.

Alice:- Duvido que esteja gostando de sua esposa estar chorando pelo ex noivo;- disse em forma de piada rindo um pouquinho.

Zack:- Eu fiz uma promessa: Sempre e para sempre, não importa em que momento...

Alice:- Sempre estarei com você, e para sempre estarei ao seu lado...;- disse completando seus votos de casamento. E os dois demonstraram sorrisos doces um para o outro.

Zack:- Ele esta em um lugar melhor, acredito que Ghaya irá aceitá-lo de bom grado no céu ja que ele ajudou a salvá-la;- disse dando um pequeno beijo na testa de Alice.

Alice:- Acredito que sim...;- disse saindo do abraço caminhando até a lápide.

Alice se ajoelhando na frente dela colocou sua mão no nome de Nathan esculpido ali.

Alice:- Eu vou sentir sua falta...;- disse abaixando sua cabeça deixando sua última lágrima cair na terra. E se afastando correu até os braços de Zack o abraçando novamente.

Zack:- Vamos para casa?;- perguntou baixo.

Alice:- Por favor...;- disse e Zack sumindo dali foram para casa, seu castelo.

 Bem ao longe dali Maxinie e Deus viam tudo oqur estava acontecendo. Era como se eles fossem os telespectadores que apenas viam de longe enquanto seus personagens viviam suas vidas. Mas naquela vida Deus e Maxinie puxavam as cordas, eles que faziam as coisas acontecerem ou não, bem, isso era oque a mente deles pensava.

Max:- Esse garoto não serve para comandar o mundo como achamos... Ele é tão...

Deus:- Sentimental? Ele esta amando querida, você ja viveu isso...

Max:- E você sabe muito bem como isso acabou, perdi tudo que eu ja tive por causa dessa coisa idiota chamada amor...;- disse com raiva.

Deus:- E oque deseja fazer quanto a isso?

Max:- Vou fazer Ezequiel voltar a si, ele não vai ser o Rei se essazinha estiver no meu caminho.;- disse serrando os punhos.

Deus:- Quis disser, no caminho dele certo?;- perguntou semi serrando seus olhos.

Max:- Claro, no caminho dele;- disse sumindo.

Deus:- Elizabeth não era assim... Se tivessemos um filho ela seria como uma mãe de verdade...;- disse falando pelo primeira vez o nome de sua finada esposa.;- Será que eu aviso ele?;- perguntou sem segundas intenções.

Gahya:- Me parece que a humanidade esta te abraçando meu filho;- disse caminhando devagar pela grama.

Deus:- Vejo que ficou bem, agora tenho a certeza de que não vai parar de cuidar da minha vida;- disse revirando os olhos.

Ghaya:- Eu tenho um neto, e esse meu neto vai se machucar se Maxinie continuar assim;- disse deixando claro que ouviu tudo.

Deus:- Oque posso fazer? Ela é... Ambiciosa.

Ghaya:- E ela esta colocando isso a frente do próprio filho;- disse dando de ombros;- Acho que você escolheu errado sua companhia meu filho;- disse materna.

Deus:- Se não tivesse matado minha esposa, nós não estariamos assim, agora, por que não vai cuidar da vida de Alice? Ou de qualquer um da família Yang? Acho que eles precisam muito mais de você, do que eu;- disse dando um sorriso sumindo.

No castelo, Zack colocava Alice em sua cama. Ela ainda chorava, mesmo estando em profundo sono.

Zack:- Não chore...;- disse limpando uma das lágrimas com seu dedo indicador. Ele dando um beijo na testa de Alice se afastou, fechou a porta e se pôs a descer as escadas.

Enquanto Zack descia as escadas a imagem de Maxinie aparecia no final das mesmas.

Max:- Precisamos conversar meu filho...;- disse olhando séria para Zack.

Enquanto gritos era ouvidos no andar de baixo Alice navegava em seus próprios sonhos.

Era como se uma câmera focasse em sua face. Devagar caminhando pelo quarto até para ao pé da cama, apontando para seu rosto.

O rosto de Alice virava para todos os lados repetidas vezes, a respiração dela oscilava em normal, com dificuldade e rápida.

Alice:- Não...;- disse ainda em seus olhos.

* Uma única cama no meio do vazio. A imagem de Alice deitada na cama. Sem cobertas, sem nada. Apenas uma cama que parecia ser de hospital e ela com suas roupas normais.

Até que como se ela estivesse em um pesadelo, acorda e se senta na cama.

Ela olha para todos os lados mais não ve absolutamente nada. Mas então um simples assobio preenche seus ouvidos. Um assobio calmo que parecia ja ser ouvido antes por ela.

Ela se levanta da cama e ve a sua frente uma paisagem, parecia ser uma clareira de uma floresta, árvores por todas as partes, era uma imagem quase feliz. Mas essa imagem se deteriorou com a imagem de um carro pegando fogo. E logo depois o som de pneus freiando no asfalto. E depois...um profunfo silêncio.

Alice:- Eu com meus 17 anos... Tudo que eu tinha... Se reduziu a nada...;- disse como se estivesse em uma peça, como se aquelas palavras fossem de um script. Alice olhando para baixo viu uma foto, uma pequena foto de família que não via a muito tempo. E quando se abaixou para pegá-la a cama que estava atrás dela simplismente some. E quando ela olha denovo para a foto o cenário a sua volta muda completamente.

Era como se o cenário vazio se transforma-se em sua antiga casa. E a sua frente havia um cavalete, onde antes era de sua mãe. Nesse cavalete havia uma pintura, essa pintura era da mesma imagem da foto que esta em suas mãos.

Como mágica um simples pincel aparece em suas mãos, e com ela uma chuva grossa e tempestuosa cresce do lado de fora daquele cenário. A mesma chuva que tinha quando ela recebera a notícia...

Enquanto a chuva almentava mais e mais o som do carro pegando fogo se aumenta em seus ouvidos e ela se afasta da pintura. A foto que estava antes em suas mãos cai no chão.

E a pintura que esta no cavalete começa a se incendiar. O fogo se alastra por toda a imagem.

Mas assim que Alice pisca, a imagem ainda está lá, completamente, como se nada tivesse acontecido.

Alice:- Oque esta acontecendo?;- perguntou olhando para todos os lados assustada.

E então ela olha para a pintura novamente. A chuva la fora é silenciada. A única coisa que se pode ouvir é o som de alguns pingos de chuva caindo sobre a pintura.

Em desespero Alice começa a negar com a cabeça, sem a noção real de estar fazendo isso.

A pintura começa a se deteriorar. A imagem de sua mãe e pai começa a sumir a medida que os pingos se alastram pela pintura.

E ela entra mais em desespero chorando.

Alice:- NÃO!!;- disse desesperada.

Mas então tudo para. Um som similar a de um monte de pássaros voando é ouvido por ela.

Ela procura os pássaros com seus olhos mas a única coisa que consegue ver é a sombra deles sobre o chão.

E como se estivesse seguindo um script ela pega a foto que havia caído. Não é mais uma foto em família, mas sim uma foto de um lobo marrom uivando para a lua.

Ela com a foto em mãos a coloca em um simples envelope. E ela olhando para cima, para lugar nenhum, sente alguém atrás dela.

Zack:- Você será a rainha...;- diz ao pé de seu ouvido. E como se uma câmera estivesse se afastando ela filma as asas brancas e enormes de Zacl saindo de suas coscas. A ilusão de um sombra perfeita de Alice com asas.*



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...