1. Spirit Fanfics >
  2. O Passado Me Persegue >
  3. Promessas

História O Passado Me Persegue - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Olá meus amores. Mais um capítulo para vocês. Desejo uma boa leitura.
🦊☕🍃

Capítulo 3 - Promessas



Eu não me movo, apenas fecho os olhos e espero. Ele encosta sua testa na minha por alguns segundos e depois a beija. Ele definitivamente mudou. Eu sorrio. Ainda não tenho certeza se ele está pronto, mas.. ele finalmente entendeu.

- Eu sei que eu disse que não deixaria você ir embora.. – ele coloca distância entre nós – Mas isso é uma escolha sua. Eu apenas quero que você se mantenha por perto.

Ele?..

- Irmão. – uma moça entra no quarto, que eu até agora não havia reparado que não era o meu ou mesmo o de um hospital – Eu apenas queria saber se ela já tinha acordado, mas vejo que não será necessário que me responda. – ela diz sorrindo enquanto se aproxima de Robert e coloca a mão em seu ombro.

- Era apenas isso? – pergunta Robert gentilmente.

Olho para um relógio que vejo na parede. 18:23. Eu preciso voltar. Me levanto calmamente e pego meu casaco que vejo em cima de uma mesa que está ao lado da porta. Sei que ambos me observam.

- Na verdade, eu também vim pedir para que Aisha jante conosco.

- Eu sinto muito, mas não poderei ficar. – respondo calmamente – Há algumas coisas que preciso fazer, pra falar a verdade.. diria que estou atrasada.

- Eu posso levá-la de carro. – sugere Robert.

- Não precisa. Apenas me acompanhe até a porta e já estarei grata.

Ele me olha meio contraditório, mas não diz nada. Apenas assente levemente com a cabeça.

- Já que você está de saída, espere um pouco que irei buscar suas roupas que estão na secadora. – a irmã de Robert diz e logo depois se retira.

Até agora não havia reparado que eu estava com uma roupa que não era a minha. É claro.. eu caí no lago naquela hora, minhas roupas estavam molhadas. Onde está aquele garotinho? Uns cinco minutos depois a irmã de Robert retorna com minhas roupas e ambos saem do quarto para que eu possa me trocar. Após me trocar, eu dobro cuidadosamente o vestido branco que eu estava usando e o coloco em cima da mesa. Visto meu casaco e me dirijo até a porta.

- Vamos. – eu me espanto com Robert que estava encostado na parede oposta a da porta – Vou levá-la até a saída.

Eu aceno e ele me guia pelo corredor, onde duas portas depois do quarto onde eu estava, descemos dois lances de escadas entrando em um salão bem amplo. Onde havia apenas uma mesa pequena e um sofá bem grande em forma de L. O garoto estava brincando com a irmã de Robert. Quando ele me percebe, sorri para mim e fala algo para sua mãe, algo que não pude ouvir ou ler seus lábios. Passamos por eles e chegamos a porta. Robert abre-a para mim e eu saio. Paro do lado de fora e me viro para encara-lo. Ele parece surpreso.

- Eu prometo que ficarei por perto desta vez. – digo com a voz calma e baixa para que apenas ele escute. – Até mais Robert.

Eu apenas me viro e sigo meu caminho.

• • •

- Senhora, finalmente chegou.

- Onde ele está?

- Está lá em cima descansando.

- Obrigada Margareth. Por favor peça para alguém preparar o meu banho. Eu terei uma reunião daqui a pouco com o Adams. E escolha a minha roupa também. Vou dar uma olhada no Shun antes do banho.

Tiro meu casaco e entrego a Margareth que me dá um aceno de cabeça e segue para a cozinha. Eu subo as escadas e paro em frente ao terceiro quarto a direita do corredor. Eu entro fazendo o mínimo de barulho que posso. Shun está dormindo confortavelmente em sua cama. Abraçando a raposa de pelúcia que eu dei a ele. Eu me sento na beirada da cama e o observo. Eu prometi a ela que cuidaria de você. Eu sempre mantenho minhas promessas. Ele se mexe um pouco, mas não acorda. Eu me levanto e dou um beijo em sua testa.

- Tia?.. – ele pergunta com a voz baixa, assim que chego a porta.

- Sim?

- Você não voltou ontem. Onde estava? Era meu aniversário. – ele diz meio triste enquanto se senta na cama, e então eu volto para a cama e me sento ao seu lado.

- Eu sinto muito pequeno Shun, eu tive que ir resolver alguns problemas ontem. – eu digo passando a mão em seus cabelos castanhos, como os de minha tia.

- Eu não sou pequeno. – ele diz afastando minha mão e cruzando os braços – Eu já tenho oito anos.

- Mas para mim você continua pequeno.

- Tia?..

- Sim?

- Você promete que vai passar meu próximo, e todos os outros depois deste, aniversário comigo?

Shun.. você.. me pegou.. Eu olho para seu rosto pensativa. Ele continua com os braços cruzados e olha para mim com expectativa. Eu não sei se consigo Shun.. seu aniversário é.. no mesmo dia em que eu tive de enterrar meu Ícaro.. eu.. não posso dizer isso a você meu pequeno. De repente Margareth entra no quarto. Eu me viro para ela, ainda sentada na cama.

- Minha senhora. Jovem mestre. – ela cumprimenta Shun e eu com um aceno – Sra. Yang, seu banho já está pronto e já separei sua roupa.

- Obrigada Margareth. – eu olho para Shun novamente – Eu terei de ir agora, mas prometo que estarei de volta para o jantar. Por tanto.. descanse um pouco mais e não dê trabalho para a Margareth, ok?

Eu sorrio para ele. Sua expressão descontente faz com que eu me sinta mal. Eu levanto a mão fechada, com apenas o mindinho esticado, para ele.

- Você vai prometer? – ele me olha nos olhos, com os olhos brilhando – Não só para o jantar, mas para a pergunta que lhe fiz onee?

- Eu.. eu.. – sinto meu coração pesar – eu lhe prometo Shun. – ele entrelaça seu mindinho junto ao meu e então eu o puxo para um abraço. Eu sinto uma lágrima cair, mas trato de limpa-la rapidamente – Eu tenho de ir agora.

- Obrigada nee-chan. Vou estar te esperando para o jantar.

Seu sorriso me anima. Mexo em seu cabelo mais uma vez e então me retiro de seu quarto.

• • •

- Já está pronta minha senhora?

Pergunta Margareth entrando em meu quarto. Eu estou me olhando no espelho. Meus olhos vermelhos sangue estão sem vida. Meu cabelo longo e ruivo cai por sobre meus ombros. Eles ainda possuem seu brilho. Eu termino de penteá-lo e então me viro para Margareth.

- Sim. Eu já estou pronta.

Ela me acompanha até a entrada. Adams está me esperando ao lado do carro. Eu o cumprimento com um leve aceno de cabeça e ele faz o mesmo. Ele está de terno preto, igualmente sua calça. Com uma camisa branca e uma gravata vermelha. Então você gosta tanto assim do meu cabelo Adams?.. sempre usando algo vermelho quando está comigo. Você sempre fez isso, desde que éramos pequenos. Ele abre a porta do carro para mim. Eu me despeço de Margareth e entro no carro. Adams faz o mesmo.

Adams dirige até a empresa Yang em silêncio. Eu olho pela janela do carro e observo as pessoas que andam pela calçada, entrando e saindo de prédios, lojas e casas. Vejo famílias, estudantes, trabalhadores, pessoas normais, assim como eu. Cada uma com seus problemas. Quando passamos pelo parque X, vejo um menino jovem e ruivo brincando com um cachorro. Prendo a respiração. Ícaro?

- Pare.

- O quê? – pergunta Adams.

- Pare agora.

Ele freia na hora. Fazendo nossos corpos querer ir para a frente, mas o cinto os mantém no lugar. Eu olho através do vidro do carro. O jovem continua a brincar com o cachorro. De repente ele vira e vejo seu rosto, alguém parecia tê-lo chamado. Ele começa a se distanciar junto com o cachorro. No que estou pensando?!.. Cubro meus olhos com a mão direita. É claro que não era ele.

- Vamos.

- Por que mandou que eu parasse?

- Achei ter visto alguém que conhecia.

Ele coloca o carro em movimento. Percebo que me olha algumas vezes. Ele me conhece bem.

- Você vai mesmo se casar com o filho da Sheron?

- Por enquanto eu não tenho escolha. Então até que eu ache outro meio de impedir que ela ponha as mãos na empresa de meu pai, sim.. eu me casarei com Seowon.

- Mesmo que você tenha que ir morar na casa dela?

- Talvez eu não vá para lá. Seowon pode ser o cachorrinho da mamãe, mas ele também herdou possessividade dela, então não acho que ele vá querer ela interferindo em nosso casamento. Ele não vai querer a mãe mexendo com algo que ele acha que é dele.

- Ela pode manipula-lo, você sabe disso. Pretende assumir o controle da situação afastando ele da mãe? Você vai manipula-lo contra ela? – ele sorri. Um sorriso maldoso.

- Você realmente me conhece Adams. Devo tomar cuidado?

- Não comigo.

- Você tem razão. Você conseguiu alguma coisa?

- Não muito. Erick ainda está trabalhando nisso.

- Eu sei que ela teve haver com o incêndio na casa Yang. Se eu puder provar, ela vai ser presa e perderá todo o direito que tem sobre a empresa. Eu darei a ela o que ela merece.

- Isso é uma promessa?

Adams está sério. Ele entra no estacionamento da empresa. Ele estaciona o carro e sai para abrir a porta para mim. Eu olho séria para ele. Olho em seus olhos verdes mar.

- Isso com certeza é uma promessa Adams.

Ele sorri. Um sorriso mais maldoso do que o anterior. Seu olhar frio refletiu o meu.

- Então devemos ir. Seu futuro noivo a espera na sala de reuniões.

Ele estende o braço para que eu segure, o que faço sem hesitar. Nos dirigimos para o elevador e esperamos até que escutamos o “plim” e as portas do elevador se abrem. Entramos. Adams aperta o botão e as portas se fecham. Não acho que você vai ter a chance de pensar em seus crimes na cadeia minha querida tia Sharon. Isso.. é mais uma promessa.




CONTINUA...


Notas Finais


Por enquanto é só, espero que tenham gostado. Não sei quando postarei o próximo, mas talvez não demore. Beijinhos da Natsumi ☕🍃🖤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...