História O pedaço de mal caminho - Jay Park - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Jay Park, Personagens Originais
Tags Hot, Jay Park
Visualizações 28
Palavras 2.084
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 14 - A perseguidora


Fanfic / Fanfiction O pedaço de mal caminho - Jay Park - Capítulo 14 - A perseguidora

Acordei no outro dia de manhã e fui direto pro banheiro com dores fortes na barriga, pressionava minha barriga com minhas mãos, me sentei no chão quase chorando de dor, voltei pro quarto e procurei um remédio na minha mala, achei e tomei dois comprimidos. Voltei ao banheiro e fui tomar banho.

Depois de terminar meu banho eu fui pegar a roupa que eu separei e me vesti. Olhei a hora e vi que estava um pouco atrasa, peguei minhas malas, fui para o elevador às pressas e encontrei a Gabi.

Gabi: você não está com uma expressão muito boa, aconteceu algo?

S/n: eu só estou com uma dor no estômago, nada demais.

Descemos até a recepção entregamos o cartão de acesso do quarto e pagamos tudo. Quando saímos pegamos um táxi direto pro aeroporto, avisei o Jay que já estava indo pro aeroporto, quando chegamos ainda tínhamos 10 min até chamar os passageiros. Fui a uma lanchonete e peguei dois café, entreguei um a Gabi e ficamos esperando a chamada.

Chamaram a gente e nós duas conseguimos ficar uma do lado da outra, antes de começar a decolagem eu já tinha começado a dormir para esquecer a dor do estômago.

• QUEBRA DE TEMPO •

O avião já tinha pousado e a Gabi me acordou, a dor já tinha passado mas eu ainda estava um pouco tonta, descemos e fomos pra esteira pegar nossas bagagens, quando íamos saindo do aeroporto eu percebia que tinha alguém me seguindo, mas eu não me importei, pois achei que era uma pessoa indo pelo mesmo caminho.

A Gabi tinha outro caminho pra ir, então me despedi dela e fiquei em frente a um ponto de ônibus, pedi um Uber e fiquei esperando, a mesma pessoa que eu achei que estava me seguindo eu a vi no outro lado da rua, quando eu a encarei ela deu meia volta. Meu Uber chegou eu coloquei minhas bagagens com a ajuda do motorista no porta malas.

Percebi que tinha um táxi seguindo a gente, eu fiquei um pouco com medo, quando o Uber me deixou no meu destino, que no caso era a empresa do Jay, eu disse ao motorista tomar cuidado, ele não entendeu muito bem mas ele levou numa boa. Não entrei pela porta principal da empresa, eu fui por trás, senti alguém me seguindo e parei.

S/n: você vai me seguir até quando?!- virei para trás e percebi que era uma mulher.

Quando eu ia em direção a ela eu recuei por sentir a dor no estômago novamente.

??: É melhor você ficar bem longe do Jay, ou eu vou matar você.

Eu olhei pra ela apavorada e ela simplesmente saiu. Fiquei uns minutos parada, até que vejo o Jay vindo até mim. Quando o vi eu me joguei nos braços dele chorando muito, eu estava tremendo e soluçando, ele não entendia nada.

Jay: calma, oq aconteceu pra você tá chorando tanto? Isso é saudade?

S/n: J-Jay, me ajuda.

Ele me olhou sério me afastando um pouco dos seus braços.

Jay: a segurança me avisou que viu você vindo por aqui, e tão eu vim imediatamente, aconteceu alguma coisa? Me explica por favor s/n!

Eu olhei pra ele e comecei a chorar mais, nós subimos até seu escritório e ele me deu um copo d'água e tentou me acalmar, eu me acalmei e suspirei bem fundo.

Jay: o que aconteceu? Por que tá chorando tanto?- ele me abraçou.

s/n: eu senti alguém me seguindo desde o aeroporto até aqui na empresa, então eu não entrei pela porta principal, eu decidi vir pela parte exterior da empresa para enfrentar a pessoa e eu vi que era uma mulher, quando eu ia chegando perto dela eu senti uma forte dor no estômago e recuei, aí essa mulher disse para mim que era melhor eu estar longe de você ou ela ia me matar.- quando terminei de falar eu comecei a chorar mais e abracei o Jay mais forte.

Jay ficou apavorado e me soltou de seus braços me dirigindo ao sofá fazendo eu me sentar nele. Ele saiu do escritório dele as pressas e eu fiquei sem entender da reação dele, eu apenas fiquei no sofá e fechei meus olhos jogando minha cabeça para trás.

• JAY ON •

Quando a s/n me explicou do porque estar apavorada eu fiquei com medo, decidi deixar ela no meu escritório e saí, fui a sala de câmeras e pedi pro segurança que cuidava de lá colocar as imagens do parte exterior do prédio, quando ele colocou eu fiquei assustado quando vi a pessoa.

Sai da sala imediatamente e me sentei no corredor colocando as mãos na cabeça, a secretária me viu e veio imediatamente na minha direção preocupada.

Secr: senhor Park, aconteceu algo? Quer ajuda? Esta passando mal?

Jay: eu estou bem, você pode cancelar os compromissos que eu tenho pra hoje, se tiver algum claro, e cancela meus ensaios de hoje e pode dispensar os dançarinos por hoje.

Ela apenas fez que sim com a cabeça e me ajudou a levantar, ela me acompanhou até ao meu escritório e voltou a sua mesa pra fazer os cancelamentos. Quando entrei me deparei com a s/n dormindo no sofá, não quis acordar ela e fui a minha mesa, peguei meu celular e liguei para minha mãe.

• LIGAÇÃO ON •

Sra. Park: ou Filho, o que foi?

Jay: mãe preciso da sua ajuda

Sra Park: o que aconteceu Jay?- ela disse em um tom preocupante.

Jay: mãe a Sun-hwa voltou, e ela tá ameaçando a s/n, preciso da sua ajuda.

Sra. Park: o que essa vagabunda tá fazendo por aqui? Eu vou matar ela.

Jay: calma mãe, eu só preciso que você fique aí com a s/n por alguns dias, precisa proteger ela.

Quando terminei a minha frase percebi que a s/n estava acordando.

Jay: preciso desligar mãe, depois nos falamos.

Desliguei o telefone e fui em direção a s/n.

• S/N ON •

Escutei o Jay entrando na sala mas eu não quis me mexer por estar cansada, então escutei ele falando no telefone com alguém, parecia ser a mãe dele, mas por que ele parece estar tão preocupado?

Quando ouvi ele dizer que uma tal de Sun-hwa estava me perceguindo eu fiquei um pouco com medo, quem ela poderia ser? O que ela quer comigo e por que me quer longe do Jay? Quando o Jay disse que eu precisava da proteção da mãe dele eu decidi fingir estar acordando.

Me espreguicei um pouco e levantei do sofá bem devagar, Jay me viu e desligou o telefone, veio em minha direção me pegando pelos braços.

Jay: você está bem?

S/n: minha dor melhorou, mas preciso ir ao médico ver o que é e Jay, quem você estava falando no telefone?

Jay: minha mãe, nós vamos... Passar alguns dias com ela, ela está com saudades.

S/n: ata, você vai sair da empresa agora? Preciso ir na minha casa ver meus pais.

Jay: eu levo você lá.

Saímos da empresa e Jay me levou até minha casa, no caminho ele parecia estar tão preocupado, quase não prestava atenção no que eu dizia.

S/n: JAY? O que houve? Por que está distraído?

Jay: eu só estava pensando em algo, oq estava dizendo?

S/n: nada, esquece.

Chegamos e Jay foi o primeiro a sair do carro, ele abriu a porta pra mim e ficou olhando para os lados. Entramos e meus pais estavam jantando. Eles ficaram feliz quando nos viram, eu cumprimentei todos e conversei bastante, depois fui ao meu quarto, Jay ficou com meus pais conversando.

• JAY ON •

Aproveitei que s/n tinha ido ao quarto dela e pedi permissão aos pais dela pra ela ficar na casa da minha mãe por uns dias, expliquei do por que, eles ficaram muito preocupados mas confiaram em minha segurança sobre a s/n, pedi pra que eles não comentassem nada, por que eu ia explicar pra ela quando nós chegar na casa da minha mãe.

• S/N ON •

Fui até meu quarto e coloquei algumas roupas para lavar, e separei outras pra ir a casa da mãe do Jay, quando terminei eu peguei minha mala e voltei a sala, eles não perceberam minha chegada e escutei meus pais dizendo para o Jay tomar conta de mim e não deixar a tal da Sun-hwa fazer mal algum comigo.

Cheguei mais perto anunciando minha chegada e me despedi dos meus pais, voltamos ao carro e coloquei minha mala no porta malas, entramos no carro e fomos direto a casa do Jay, assim que entramos o nosso cachorro veio em direção ao Jay bem feliz, o cachorrinho simplesmente me ignorou. Jay riu da minha cara e eu dei um tapa no ombro dele.

S/n: não acredito que ele ignorou a própria mãe.

Jay: é normal os filhos gostar mais do pai.- ele pegou o dog no colo e começou a acariciar.

S/n: não é normal não!- comecei a rir e fui direto para a cozinha.

Peguei algo pra comer por estar horas sem comer, depois fui para o quarto, me deparei com o Jay sentado na ponta da cama mexendo no celular, ele parece não ter me visto chegar. Bati na porta e ele guardou o celular.

Jay: tava falando com a minha mãe, disse a ela que já estamos saindo.

S/n: mas vamos agora? E o cachorrinho?

Jay: ele vai junto, a Crystal vai fazer companhia pra ele lá na casa dos meus pais.

S/n: Crystal?

Jay: a cachorrinha da minha mãe. Vamos?

Jay pegou a mala dele, pegamos o cachorrinho e fomos pro carro.

• QUEBRA DE TEMPO •

Chegamos na casa dos pais do Jay e já fomos direto ao nosso quarto, nem avisamos que tínhamos chegado, Jay deixou o cachorro solto pela casa, ele ficava correndo pra todo lado.

- DE QUEM É ESSE CACHORRINHO? - Escutamos uma voz masculina e fomos para o lado de fora.

Sr. Park: Jay, s/n, quando chegaram? Porq não avisaram?- ele veio em minha direção e me deu um abraço.

Jay: chegamos agora.- ele abraçou o pai dele.

Descemos e fomos em direção a sala de estar, encontramos a mãe do Jay sentada lendo um livro, quando ela nos viu veio em minha direção me dando um abraço bem forte.

Sra. Park: eu estava com tanta saudade, e quando Jay me disse que estavam te perseguindo eu fiquei apavorada.

Olhei pra mãe do Jay com um olhar desentendido e depois olhei para o Jay que me deu um sorriso falso.

S/n: você contou?

Jay: eu precisava.

Sra. Park: s/n querida, senta aqui, precisamos te contar algo.

Sentei no sofá e a minha sogra parecia estar bem triste, Jay sentou com a gente e o pai do Jay apenas observava a situação sem dar um piu desde o começo.

Sra Park: s/n, a pessoa que estava te perseguindo era a ex do Jay, ela se chama Sun-hwa, Jay a conheceu em um show no começo da sua carreira, eles começaram a namorar, no começo era tudo um mar de rosas, mas com o passar do tempo ela se mostrava ciumenta e não deixava o Jay sair, proibia ele até de interagir com as fãs no show. Teve um dia que ela quase bateu no Jay, o ameaçou com uma faca, Jay terminou o relacionamento com ela, mas ela fingiu uma falsa gravidez pra segurar o Jay, mas eu decidi interferir no relacionamento e acabei descobrindo que era falsa a gravidez, levamos ela ao um hospital psiquiátrico e deixamos ela internada, mas depois de um ano recebemos a notícia de que ela tinha fugido, ficamos preocupados mas com o passar do tempo esquecemos dela.

S/n: mas por que ela era tão agressiva?

Jay: ela tinha um problema com o que era dela, ela achava que ninguém podia estar perto do que era dela.

Depois de todos me explicarem eu fiquei um pouco preocupada com a minha segurança, eu queria ir para a casa dos meus pais mas o Jay disse a mim que já tinha falado com eles, fomos pro quarto e tomamos um banho juntos, sem malícia nenhuma, depois que terminamos o banho fomos deitar.

S/n: eu escutei quando você disse no telefone sobre sua ex pra sua mãe, e também quando você disse aos meus pais.

Jay: e por que não disse nada?

S/n: eu não queria atrapalha, me desculpe.

Jay: não tem problema.

Jay me abraço e ficamos de conchinha, ele fazia cafuné em mim.

Jay: eu estava com tanta saudade de você s/n.- ele beijou minha testa e acabamos dormindo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...