1. Spirit Fanfics >
  2. O pequeno soldado da Hydra - Peter Stark >
  3. Escolhas e descobertas

História O pequeno soldado da Hydra - Peter Stark - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - Escolhas e descobertas


Fanfic / Fanfiction O pequeno soldado da Hydra - Peter Stark - Capítulo 3 - Escolhas e descobertas

Por que afinal quem era Wade Wilson? [...]


Minutos antes 💫

— Temos trabalho para fazer fora daqui dentre alguns dias, Peter não pode ficar sozinho entendeu? Você não pode deixa-lo pelos motivos de antes que expliquei, mas também porque não sabemos quando a hydra poderá atacar a base. O garoto tem medo deles, faça o que for possível para o protegê-lo sob qualquer circunstância.

— Ok, porém eu ainda preciso me aproximar dele, eu não posso chegar e falar que eu sou o guarda costas particular. Eu sou só o professor de história na cabeça do garoto.

— O primeiro dia de aula não foi o suficiente?

— Ele me ignorou.

— Tony deixa o sr.Wilson em paz, ele é um dos melhores guardas costas que existem no país, sabe o que está fazendo.

— Vocês dois me dão nos nervos. Tudo bem faça como prefirir, não matando o pirralho está tudo certo. Agora vá antes que ele acorde.


Wade sai junto ao Happy para a saída. Peter aparece assustando os dois heróis, Tony inventa uma desculpa qualquer típica dele e sai da sala.

— O que está se passando na sua cabeça? — Pergunta Capitão tentando entender Peter que estava com uma expressão totalmente confusa. — Pode falar, tudo bem.

— Vocês contrataram meu professor de história para me espionar não foi?

— Não.. Ele só está aqui para te proteger.

— Não acredito, vocês realmente pensaram em tudo isso né? Quer dizer que o Wade não é formado em história, ele é só mais um funcionário do sr.Stark? — Steve percebeu o nervosismo do garoto, então tentou o confortá-lo da melhor maneira possível.

— Ele é de fato um professor de história, porém analisamos a vida dele e vimos que o mesmo fazia esse tipo de trabalho para outras pessoas. Peter, nada vai mudar entendeu?

— É, por que não contratam mais três babás para mim? Uma para cada turno do meu dia. Ahh e claro, aproveitam para contar toda a minha vida para mais pessoas, digam quantos inocentes eu matei ou que eu tenho poderes. — Diz ele com o tom de voz alterado, Peter estava irritado com a história e não precisava ser adivinha para saber disto. O garoto saiu de lá ignorando Steve que tentou chamá-lo novamente.


Rogers foi ao escritório de Tony, pois sabia que ele estava lá. O mesmo estava consertando algumas armaduras e tocando uma música alta. Assim que viu Steve o chamou para dançar, o loiro sorriu mas disse que não sabia dançar.

— Anda, não seja tímido! — Tony o puxa para uma dança, fazendo Steve rir da insistência do mesmo.

Ele dançou, ou pelo menos fez o possível para isso.

— Parece que só lançar um escudo não seja só o seu dom. — Diz Stark cômico como sempre.

— Tem muitas coisas que você não sabe sobre mim. — Retruca Rogers porém não em um tom intimidante, mas sim num tom provocador.

— Como o quê? Conte o que está no seu coraçãozinho obscuro Rogers. — Capitão sorri mas ainda não conseguia responder a pergunta, eles acabam ficando em silêncio por alguns segundos. A cada nota da música eles sentiam como se devessem se aproximar mais, ao ponto em que só conseguissem sentir a respiração do outro, parecia que tudo estava indo em uma verdadeira câmera lenta.

— Tony.. — Indagou Steve ainda observando o rosto de Anthony e sentindo sua respiração quente e agitada em seu rosto. — Eu..

— Preciso ver o Peter. — Ele diz se afastando do rosto do mais velho. Tony tinha muitos medos e incertezas na vida, e muitas pelas quais se tratavam de Steve.


Capitão havia errado muitas vezes com o milionário, e talvez o mesmo não estava preparado para nada agora, na verdade ele nem sabia se isso se significava alguma coisa.

Não podia arriscar, não podia.

— Ahn.. Ok. Aliás ele está irritado, eu acabei contando para ele sobre o Wilson.

— Vou falar com ele.

Tony e Steve dificilmente conseguiam fugir de alguma coisa, mas dessa vez os dois pareciam fazer algum tipo de esforço. O sentimento estava presente, mas nenhum dos dois estava afim de se arriscar.

Ao chegar no quarto do garoto, Tony bateu na porta gentilmente que estava aberta, esperando que o mesmo pudesse o atender. Mas pelo contrário, Peter lançou suas teias na porta a fechando.

A essa altura o milionário teria dado um sermão daqueles para o menino, em como ele deveria ser educado e respeitar os mais velhos. Porém o mesmo manteve a paciência e prosseguiu para tentar conversar com ele.

— Garoto por favor abre, como espera que possamos chegar em um acordo se você bater a porta na minha cara? — Por um momento Tony podia jurar ouvir Peter resmungar e suspirar irritado, mas deixou isso de lado quando ele abriu a porta. — Obrigado.. Nossa nunca tinha reparado no seu quarto direito, a gente deveria pintar essas paredes a cor não combinou muito, Bruce me disse que essa era a cor do momento e..

— Você não veio aqui para falar do meu quarto, então não enrola sr. Stark.

— Por que te chateia tanto contratarmos alguém para te proteger?

— Você lembra o que eu fiz com os vingadores naquele dia? Lembra que eu já fiz parte de uma associação que me treinava para justamente matar vocês não é? Acha que eu preciso de uma babá para me proteger?

— Olha, eu entendo sua frustação garoto. Mas é por questão de segurança, eu preciso ficar tranquilo quando eu viajar e..

— Espera, vai viajar? — Pergunta ele o interrompendo.

— Eu não posso parar a minha vida, eles precisam de mim e eu preciso de você aqui. Sei que pode se cuidar sozinho, mas eu não vou ficar tranquilo sabendo que você não tem ninguém por perto.

— Não tive ninguém por perto desde quando eu tinha meses de vida, acha que isso me incomoda?

— Entendo, mas já está decidido. — Quando Tony falava isso Peter já sabia que não tinha mais o que fazer, porém ele não queria aceitar e insistiu no assunto.

— Você mente, igual todo mundo. Nunca me disse nada sobre o Wade mesmo já tendo planejado tudo desde o começo. Sabia com quem eu conviveria, sabia quem seria meus professores, exatamente tudo. E ainda contou sobre a minha vida para um desconhecido, pensei que seríamos honestos um com o outro.

— Desculpa garoto, não deveria ter feito isso. Pode ser que você ganhe um novo amigo pense pelo lado bom, anda pode não ser tão ruim.

— Está bem, que seja, não tem mais nada que dê para fazer né.

— Obrigado por entender, acredite ou não, eu não tenho mais idade para passar nervoso então tenha dó do velho aqui. — Tony beija a testa do mesmo e sai do quarto com um pequeno sorriso de lado no rosto.

— Que ótimo. — Murmura Peter se esparramando na cama, desistindo de si mesmo por alguns minutos.


No dia seguinte foi mais difícil para Peter ir para o colégio. Veria Wade e isso certamente não seria legal, antes já era difícil de olhar para o mais velho, agora parece que só tinha piorado.

Tony não tinha consciência do que o garoto podia fazer, mesmo vendo o que aconteceu em algumas semanas atrás, mas isso mudaria. Peter queria ser respeitado, mesmo não sendo tão confiante quando se tratava da hydra, ele queria demonstrar que poderia sim cuidar de si mesmo e mudar.

Ele queria ser visto pelas pessoas como alguém importante e cuidadoso. Como um herói, mesmo tendo um pouco de receio em tentar.

Até porque parece que ele estaria cometendo um crime se tentasse virar alguém como Tony ou Steve.

— Peter, tudo bem se eu passar na sua casa hoje? Quero terminar a estrela da morte.— Pergunta Ned.

— Você está criando uma? Não acredito que maneiro, quantas peças?!

— 3.803 peças. — Disse ele animado.

— Incrível, mas.. Não vai rolar não. Meu.. Avó vai estar lá sabe e ele não curte visitas.

— Quem é seu avô?

— To..Tosteve, nome antigo não repara. Ele é um idiota sabe, não curte visitas, conta da minha vida para qualquer cara na rua, e só porque praticamente me adotou acha que é o dono da minha vida. E tem o outro que eu nem prefiro comentar.

— Espera.. Você é adotado?

— Ahn.. Sou?

— Sinto muito, você foi achado aonde? Num lixão, orfanato, lares comunitários ou..

— Não sei, não me lembro. Mas não insiste nisso pode ser?

— Como quiser.

— Eu vou fazer uma ligação pode me esperar por aqui?

— Claro, vou ali com a MJ.

Apropósito, Peter arrumou uma nova amizade. Michelle Jones, conversaram por celular mas já são considerados amigos, Ned os apresentou.


Peter pega em seu celular e disca para um número desconhecido, ele estava nervoso mas precisava resolver algumas coisas que não podiam esperar. O garoto entrou na sala de limpeza do zelador e ficou lá até ser atendido.

Suas mãos estavam começando a suar, o nervosismo era presente o fazendo sentir como se estivesse tendo uma crise de ansiedade. Mas ele se controlou e manteve o foco, não era ansioso que ele iria resolver seus problemas, o mesmo respirou fundo enquanto a ligação estava em espera.

— Olá, você ligou para a loja de roupas, como posso te ajudar?

— Aqui é o agente 32, passe para o representante. — Por alguns segundos tudo que era capaz de ouvir na chamada era um chiado, mas que logo foi substituído por um silêncio, o silêncio que o garoto conhecia muito bem.

— Que bom poder ouvi-lo Peter. Pensei que tinha deixado sua equipe e criadores para trás, seria muita ingratidão não seria?

— Escuta, não quero mais fazer parte disso, na verdade eu nunca quis. Liguei para me deixarem em paz, e deixar os vingadores em paz.

— O que eles fizeram com você? Você nunca tomou esse tipo de iniciativa filho. Provavelmente está confuso, mas mandei você aí para matá-los e nos dar informações sobre eles. Não te criei para ser um desses heróis, você nunca vai ser um herói, entendeu?

— Eu posso ser um, sr.Stark me ensinou a ser uma pessoa diferente.

— O que mais ele te ensinou, a brincar de consertar bonecas? Não pode jogar todo o sacrifício que tive que fazer por você, eu te encontrei e te protegi. O mínimo que deve fazer é cuidar da sua família.

— Eu..

— Acha que eles se importam com você? Eu disse que eles iriam demonstrar isso mas mesmo assim acreditou, estou desapontado.

— Sr.Stark disse que eu não precisaria mais matar!

— Vai desejar matar alguém meu filho. — A chamada é encerrada. Peter sentiu como se o mundo dele fosse desabar de vez, sabia que teria que fazer isso, mas não queria.

A hydra o criou, Caveira Vermelha era o seu pai, ele o acolheu quando ninguém mais o queria.

Caveira Vermelha é líder da hydra, sempre contou ao garoto que o mesmo era seu filho e seu rosto era idêntico ao de Peter, porém os vingadores o "destruiu" deixando seu rosto avermelhado e horrendo.

Peter começou a chorar desesperadamente naquele minúsculo quartinho de limpeza. Definitivamente ele não queria ter decepcionado seu "pai", era a última coisa que ele queria fazer.

Alguém abre a porta, mesmo com seus olhos embasados de tanto chorar o jovem Peter sente necessidade em tentar desvendar quem era a figura à sua frente.

— Ei, o que aconteceu? Está tudo bem com você? — Era Wade. O mesmo se abaixa para ficar á altura do garoto que estava sentado no chão.

— Não é nada, vá embora. — Disse o menino certamente envergonhado pelo seu guarda costas o vê-lo assim, era no mínimo humilhante.

— Não vou fazer isso, escuta está tudo bem, eu estou aqui.

— É eu sei, o problema é justamente esse. — Peter levanta do chão, limpando suas lágrimas do rosto enquanto Wade se levantava. — Não preciso de você, posso me cuidar sozinho.

— Eu não disse que não podia, Tony me contou que você já sabe de tudo então.. Sem mais surpresas. Escuta, estou aqui como um amigo não como seu guarda costas.

— Já tenho dois, não preciso de mais um obrigado. — Peter sai do quartinho de limpeza, deixando Wilson para trás, ele não queria aceitar o fato de que precisasse de alguém para o protege-lo. Tanto Wade e tanto os vingadores eram quem precisavam da ajuda dele, não o contrário.


As aulas foram se passando, Peter estava quieto, ele não conseguia pensar direito. Talvez a hydra tenha razão afinal, ele confiou nas pessoas que justamente não confiam nele.

Por mais que tivesse medo, ele não gostava de desapontar a sua organização, ainda mais quando o mesmo sabia que seu pai estava certo o tempo inteiro. Ninguém de fato confia ou acredita nele só a hydra, que era a única coisa que o garoto tinha até então.

Peter parecia ter tomado uma decisão, não queria mais participar disso. Caveira Vermelha poderia estar certo, ele não seria um herói nem hoje e nem nunca.

Ele fugiria hoje, e dessa vez daria certo.

Para ter certeza decidiu ligar para seu pai para confirmar se ainda seria aceito de volta.


"— Com toda certeza, sabia que podia gastar todas as minhas fichas na minha melhor criação".


Então era isso, Peter faria e não precisava pedir autorização de Tony para voltar as suas raízes.



A aula termina, Tony havia decidido buscar Peter no colégio já que o mesmo iria viajar em breve e claro depois da mensagem que Wade mandou avisando sobre o ocorrido na escola, ele teria que mostrar para o garoto que não precisava se preocupar com nada.

Isso o milionário faria quantas vezes fosse necessário, Peter já tinha um lugar reservado no coração de Anthony, e Tony já sabia que não tinha como voltar atrás disso.

O curioso é que quando Stark buscou o garoto, ele não estava falando nada. Happy sempre dizia que Peter era bem tagarela, falava sem parar a viagem inteira, mas dessa vez estava diferente e Anthony queria saber  o por quê.

— Como foi seu dia na escola?

— Foi ok. — Disse simplesmente.

— Está bem mesmo? Sabe que pode contar comigo não né?

— É eu sei. — Disse fingindo um sorriso, que se Tony não o conhecesse tão bem saberia que ele estava mentindo.

— Quer conversar sobre o Wade?

— O que mais eu poderia falar da minha babá? — Stark suspirou, parando o carro para poder conversar com o garoto olhando em seus olhos.

— Ele não é sua babá, é só um guarda costas que vai ficar com você enquanto eu viajar, depois disso Wade vai embora.

— Por que precisa viajar?

— Problemas de adulto.

— Viu? Está fazendo de novo, me tratando como uma criança como sempre, depois diz que o Wade não é uma babá.

— Está bem, está bem! Puxa você é irritante as vezes. Vou para uma conferência importante com os vingadores, é algo secreto ninguém deverá saber.

— Onde vai ser?

— Califórnia. Está feliz?

— Sim, tá' legal sr.Stark eu te perdoo.

— Eu não pedi desculpas. — Tony liga o carro novamente e dá partida direto para a base, quando chega deixa o garoto e vai se encontrar com Rhodes para conversar sobre como andam as atualizações na armadura dele que o mesmo havia arrumado ontem.


Peter vai até seu quarto apressado. Pega seu uniforme no guarda-roupa e o encara com um grande sorriso em seu rosto, era imprescindível em como ele gostava de usá-lo. Era como sua marca registrada, não conseguiria ficar longe disso por nada neste mundo.

O garoto se despiu e o colocou em questão de segundos, estava muito ansioso e animado. Ele sabia que Tony o pegaria novamente se saísse pela porta, então dessa vez iria pela janela.

— Ok Peter você consegue. É uma coisa simples de se fazer, você já fez isso um milhão de vezes. — O garoto suspira, vendo a altura da base até o chão — Puxa não lembrava que era tão alto.. Ugh o Homem-Aranha não tem medo de altura, não tenho que hesitar tanto, vamos lá.

Ele pula da janela, lançando suas teias em alguns bankers que havia perto da base.

— Isso que eu chamo de liberdade, estou voltando para a casa!


Anthony estava terminando algumas coisas que tinha que fazer antes de viajar, quando uma coisa inesperada acontece. Alguém importante descia as escadas, alguém pela qual Tony conhecera muito bem. Pepper Potts.

Por um momento, Tony imaginou que estivesse vendo coisas mas analisando bem a situação, era muito real para ser apenas coisa da cabeça dele. O mesmo ficou calado por alguns segundos, tentando entender o que de fato estava acontecendo ali.

— Oi Tony. — Ele não respondeu, estava totalmente atônito não sabia por onde começar — Eu senti a sua falta.

— Você está bêbada?

— Não, na verdade temos uma conversa séria para tratar, sei que te devo explicações.

— Está atrasada por alguns longos anos, sério o que você tem na cabeça? O que eu causei para você fugir assim?

— É melhor se sentar, o que eu vou te contar pode te deixar até zonzo. Vou te contar do início, mas preciso que sente-se. — Tony obedeceu com um nó na garganta, Potts nunca falava assim nem quando eram assuntos realmente importantes de sua vida, apesar que fazia anos que não se falavam, então ele não poderia ter mais certeza de nada. Pepper deve ter mudado, ela parecia tão.. Cansada, como se aqueles tivessem sido realmente anos estressantes.

— Estou ouvindo.

— Naquela noite, a nossa última noite.. — A mesma suspira tentando se concentrar no que deveria ser dito — Eu fui para a casa, e eu ia te ver novamente até por que descobri algo que certamente mudaria nossas vidas para sempre.. Tony eu descobri estava grávida.

Anthony sentiu seu coração acelerar, ele não esperava por essa notícia, quer dizer.. Onde está o filho dele?

— Naquela mesma noite quando eu ia te ligar para contar a novidade, algumas pessoas acabaram me pegando, me ameaçaram de todas as formas possíveis se eu tentasse fazer algo. Me mandaram enviar uma mensagem para você terminando tudo, não achei que fosse acreditar mas.. Enfim né.

— Eu te procurei, mas nunca te encontrei. Acha que eu simplesmente te abandonei assim? Pepper caramba, o que aconteceu durante esses anos, eles te machucaram, machucaram o.. O b-bebê? — Os olhos de Tony enxeram-se de lágrimas, sua voz trêmula entregava o quão abatido ele estava com as afirmações de Potts.


— Dias depois, me fizeram uma proposta para mim entregar o bebê e em troca não matariam ninguém. E na época eu não queria esse bebê, eu me sentia impotente demais para criar uma criança. Eu não conhecia a hydra de verdade então.. Pensei que eram pessoas boas desculpa Tony. — Pepper também chorava enquanto narrava o passado, não era uma coisa fácil de dizer.

— Espera.. Você disse hydra?

— Sim, sinto muito.

— Qual era o nome da criança Pepper? Você lembra?

— Peter, Peter Stark.

— O garoto.. O garoto é meu filho! M-mas.. Como?

— Tony do que você está falando?

— Eu já conheci ele, eu lutei com ele. Merda! Estava na minha cara o tempo inteiro.

— Espera, lutou com ele?

— Você o abandonou não pode me julgar. Jarvis, onde está o Peter?

Senhor, ele não está em nenhum local da base. Pelos meus dados Peter saiu assim que chegou da escola, ele foi embora levando o uniforme.

— Não, não, não ele não poderia ter saído estão atrás dele! Jarvis localize o último lugar que Peter passou.

Sim, senhor.

— Pepper você é uma irresponsável, tratarei com você depois. Se meu filho morrer a culpa será toda sua, Jarvis prepare minha armadura agora!

Capitão aparece assim que começa a ouvir a gritaria, assim que olha para Pepper percebe que algo estava errado.

— O que houve?

— Em resumo, perdi o garoto e ao que parece ele é meu filho. Reúna todos os vingadores não quero saber de nenhuma desculpa, preciso trazer o Peter de volta e de preferência vivo.

— O quê? Entendido, ahn.. Oi Pepper.

— Capitão!

— Estou indo, estou indo.



E o pai do ano vai para Tony Stark. 


Notas Finais


Espero que tenham gostado, me perdoem por qualquer erro ❤

Video: https://youtu.be/upRvhi0EmKs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...