1. Spirit Fanfics >
  2. O Peso da Coroa, Jennie e Mino. >
  3. Por favor, não vá!

História O Peso da Coroa, Jennie e Mino. - Capítulo 54


Escrita por:


Notas do Autor


Vou voltar aos poucos, se cuidem e sou MUITO grata por acompanharem a fanfic.

Capítulo 54 - Por favor, não vá!


Fanfic / Fanfiction O Peso da Coroa, Jennie e Mino. - Capítulo 54 - Por favor, não vá!

Após as palavras de Jay, eu sentia algo em meu coração palpitar, como se fosse angústia, não era uma coisa boa. Mas Jay sempre me mostrava seu largo sorriso que dizia que as coisas ficariam bem e que ele estava ao meu lado. Naquela altura do campeonato o meu objetivo era voltar para a Coréia e concluir aquele maldito comeback, ajeitar a minha vida amorosa e desaparecer por um tempo. Até que tudo ficasse bem, até que tudo se acalmasse e meu coração se entendesse com ele mesmo. 

Eu não via Jay e Mino como rivais ou como opções, não havia acontecido nada demais entre eu e Jay. É Mino... eu me pergunto o que ele esteja fazendo agora.

Aos poucos escutamos a voz de Rosé nos chamar, já estávamos com as passagens e pronto para voltar para casa. Dessa vez juntos.

Caminhamos lentamente um do lado do outro nesse ordem Jay, Rosé e eu na direção dos portões de embarque, bastante silenciosos sabíamos que assim que voltarmos a por os pés naquele lugar, nos saberíamos a guerra em que nos teremos.

Ficamos com os aposentos Vips e por isso nossas cadeiras eram bem separadas, eu estava sem força apenas olhava para Rosé de longe que se ajeitava em sua enorme poltrona e me lançava um sorriso confortante.

Eu apaguei.


//=//

Coréia do Sul, 04:55 AM.

Senti alguém fazendo leves carinhos em meu cabelo como se fosse um leve cafuné, abri meus olhos levemente e a imagem de Jay ficava mais nítida conforme eu ia acordando.

- Chegamos Jennie. - Disse Jay num tom leve e calmo se levantando e deixando a cabine.

Jennie? Pensava que Jay só me chamasse de princesa? Aish, não vou esquentar a minha cabeça com isso. Não faz diferença mesmo... ou faz.. Pensei alto e recuperei meus sentidos.

Sai da cabine a procura de Rosé e Jay, peguei minha mala e sai do avião. Fui andando as pressas para dentro do aeroporto e no portal de desembarque e eles estavam lá parados, pareciam discutir sobre alguma coisa mas pararam assim que sentiram eu me aproximar.

- O que estavam falando?. - Perguntei curiosa e percebi os olhares nervosos que estavam a dar um para o outro. 

- Nada, não é nada, vamos logo quero voltar para o dormitório quase não dormi direito no avião. - Desconversou Rosé.

- Não dormiu? Ouvi seus roncos da minha cabine, como não dormiu. - Brincou Jay.

Suas palavras me tiraram uns sorrisos, era bom ter alguém que implicasse com a Rose ela era tensa demais.

- Espera vocês vão para o dormitório?. Fiquem na minha casa até o almoço, vão acordar suas colegas de grupo.

- Olha com o cansaço que estou, tô topando qualquer lugar que tenha uma cama para eu apagar. - Falei dando um leve bocejo, ainda estava cansada da viajem.

Rosé concordou com a cabeça e antes de falarmos algo, Jay nos interrompe.

- Vou deixar vocês lá, não fica muito longe daqui. Vou resolver uns negócios, fiquem o quanto precisar. - Jay havia mudado seu tom de voz, parecia frio e sem emoção.

Jay agora me olhava diferente, eu não via paixão nos seus olhos, eu não sabia explicar drsde aie havia me chamado pelo nome no avião, as coisas pareciam estranhas entre nós.

Jay havia pedido um Táxi na porta do aeroporto e havíamos chegado numa enorme mansão branca em menos de 20 minutos. 20 minutos de Rosé  e ele discutindo que o arroz coreano era o melhor e eu me remoendo tentando entender a indiferença de Jay comigo.

Saímos de carro e Jay segui a frenteem direção o casarão. Tinha uma belo jardim, e os detalhes dourados, era um típica casa de Verão.

Chegamos no salão e duas empregadas vieram ao nosso encontro.

- Senhora, onde fica o banheiro. - Perguntou Rosé educadamente a uma delas e ela lhe pediu que lhe acompanhasse.

Um silêncio quase desconfortável se estabeleceu  entre eu, Jay e a outra empregada. Logo a criada se retirou e Jay ficava a mexer no celular como se a vida dependesse disso. Parecia falar com alguém.

- Bom, já estou indo Jennie. Até. - Jay disse seco.

- Espera, por que está agindo desse jeito?. - Perguntei me aproximando mais dele, que parecia congelado no tempo. Seus olhos negros penetraram os meus, de forma alucinante.

- Que forma baby girl? - Disse Jay, com um sorriso sacana que havia se formado em sua boca.

- Estava me chamando pelo nome a uns minutos atrás, agindo indiferente.- Falei dando voltas pelo salão, admirando os quadros.

Jay havia ficado em silêncio. Ele chegou mas perto de mim e me agarrou pelos pulsos me chamando a acompanhar ele. Andamos por alguns corredores, até chegarmos numa porta marrom viva, diferente das outras portas dos outros cômodos.

Jay mexeu no bolso e agarrou uma chave, logo abriu. E um escritório enorme em tons de madeira se abriu. Mas eu não entendia o motivo de eu estar ali.

Entramos e Jay trancou novamente a porta mas jogou a chave do comodo no chão, fazendo um barulho.

- O que estamos fazendo aqui?.- Perguntei um pouco ansiosa.

- Eu te trouxe aqui pois quero falar umas coisas. - Respondeu Jay, ele me rondava e me olhava como me comeria com os olhos.

O tatuado se aproximou sorrateiramente por tras de mim e me deu um abraço aconchegante, não podia negar que o que eu sentia por Jay era uma forte atração.

Ele começou a dar leves beijos em meu pescoço me fazendo arfar e curvar, enquanto ele pressionava mais e mais sua corpo contra o meu.

- Não quero que fazer nada com você que seja forçado...Mas me desculpa, eu não consigo me controlar quando estou do seu lado... Seu cheiro de menina me desperto os meus pensamentos mais sujos, ah como eu queria ter você para mim... só para mim. - Jay susurrava em meus ouvidos se uma maneira sexy.

Logo me afastei, eu estava confusa. Com a bipolaridade de Jay Park.

Sentei me em um de seus sofás e o encarei, ele sabia o que meu olhar queria.

Ele venho para perto de mim e se sentou ao meu lado. Nos beijamos calmamente, como se o mundo parasse. O beijo de Jay era excitante mas também delicado, o que não combinava nada com sua imagem.

Eu me sentia segura e protegida, era como se ninguém pudesse tocar em mim quando eu estivesse com Jay.

Logo o seu telefone começa a tocar. Ele hesita em atender mas eu insisto. Ele atende é se afasta desesperadamente, eu reconheci a voz do outro lado da ligação, era Sana.

Um sorriso no rosto de Jay se formava e sua voz era doce. No choque eu não conseguia prestar atenção na sua conversa, mas via o Jay ajeitar suas roupas.

- Tá,  já estou indo. - Disse Jay, animado desligando  e guardando o celular. - Jennie, eu preciso...

Ele percebeu meu estado de choque e meu coração fora despedaçado, eu sentia uma dor tão tão grande ao ver o ar de felicidade dele ao atender a ligação... 

Ele se retirou do escritório mais rápido possível, e deixou a chavena porta.

Eu estava desolada, uma angústia tomava conta de meu coração e eu mal conseguia respirar.

Me aconcheguei num canto do sofá e ali desabei em lágrimas.









Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...