História O piano ainda não é lenha - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Bts, Drabble, Drama, Jimin, Oneshot, Romance, Suga, Yoongi, Yoonmin
Visualizações 34
Palavras 647
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Shonen-Ai

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - ...e nem será.


O piano continua no mesmo lugar que você deixou ao ir embora ─ desafinado como sempre, vale dizer ─ e, mesmo que eu tenha dito que quando você menos esperasse, eu faria dele lenha para nossa lareira no inverno, eu não o fiz.

Sabe, acho que é porque sinto sua falta. Não é a mesma coisa sem você, ainda que as coisas lá em casa estejam no mesmo lugar, do jeitinho que você deixou. Sua jaqueta ainda está no cesto para lavar, as flores ainda estão enfeitando a mesa de jantar e eu ainda não devolvi aquele livro que você emprestou da biblioteca.

É como se eu sentisse que, se tocasse em qualquer coisa, nossas memórias escapassem por entre meus dedos como a areia fina da praia. Eu não quero acordar e perceber que tudo o que vivemos, e que se tornou a melhor parte da minha juventude, não passou de um devaneio.

Eu quero acreditar que foi real.

Você diria que é só mais uma de minhas besteiras sem sentido, mas está ficando cada vez mais difícil não pensar nesse tipo de coisa, quando tudo o que posso ter de ti agora, são conversas efêmeras pela manhã, antes de alguém vir dizer que o horário de visita acabou.

Dói te ver deitado numa cama de hospital todos os dias, como se o tempo estivesse passando ao nosso redor e nós estivéssemos sendo deixados para trás. Você continua sorrindo desde o primeiro dia, achando que assim, não me preocupará das dores que sente e que te corroem por dentro por causa da doença.

Se você soubesse o quanto me machuca ver seu sorriso sumir aos poucos, sem poder fazer nada, talvez não tentaria tanto se fazer de forte e fingir que está tudo bem.

Tocar piano se tornou solitário sem sua voz doce para preencher nosso cantinho com as cores que só existem em você. E, eu ainda quero acreditar que um dia você voltará para casa, e tudo isso não passará de um sonho distante que será esquecido com o tempo.

Você mal lembrará das dores porque eu tocarei para você todos os dias e te verei dançar, como a primeira vez que nos vimos, e poderemos começar tudo de novo. Eu me apaixonarei por você e pelo seu sorriso mais uma vez e então segurarei sua mão sem o medo de te perder.

Mesmo que as teclas do piano estejam desafinadas, mesmo que tudo esteja empoeirado e velho.

O meu amor por você nunca empoeirou.

Eu quero te ouvir reclamar o quão desorganizado e descuidado eu sou, quero que me xingue porque não reguei suas margaridas, quero te contar a mesma piada pela décima vez e ouvir sua risada ressoar pela nossa casa. E então você dirá o quanto sentiu falta de tudo aquilo, e eu vou ter a certeza de que amar você foi a melhor decisão que eu poderia ter feito.

Por isso, Jiminie, levante dessa cama. Eu sei que você consegue dançar sua música favorita de novo, todos estão perguntando de você. Você sabe muito bem que não é hora de ir.

Nós ainda vamos ver o pôr-do-sol embaixo de uma cerejeira, como você viu num filme uma vez. E eu ainda quero te ouvir cantar enquanto passa os dedos pelos fios do meu cabelo, até que meus olhos se fechem e eu sonhe com nós dois.

Eu quero viver tudo isso com você, meu amor. Não existe cura para o choro, um dia nós vamos sentir falta da nossa infância e contar histórias ao redor de uma fogueira. Então, eu te peço, não desista agora. O piano ainda não é lenha, eu estarei o guardando para quando você voltar para casa, para que possamos viver nossas memórias novamente.

E quando você menos perceber, a dor não vai mais estar ali. Vai ser apenas nós dois, nossas lembranças e um piano empoeirado.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...