1. Spirit Fanfics >
  2. O pintassilgo (Boreo) >
  3. Você é tudo que eu penso (parte 1)

História O pintassilgo (Boreo) - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Demorou mas o novo capítulo apareceu. Ele vai ser dividido em duas partes porque eu não queria que a leitura se tornasse cansativa e chegasse a mais de 2.600 palavras.
Os trechos colocados no capítulo são da música wild do Troy Sivan.
Espero que gostem do capítulo e nos vemos lá embaixo. ♥️

Capítulo 4 - Você é tudo que eu penso (parte 1)


Fanfic / Fanfiction O pintassilgo (Boreo) - Capítulo 4 - Você é tudo que eu penso (parte 1)

*Boris

Estava voltando pro hotel depois de uma pacífica transação de negócios. Queria chegar logo para aproveitar o resto do dia com Theo que havia deixado amargamente sozinho, espero que ele esteja bem.

 Liguei para seu celular, mas estava dando fora de ária, me preocupei pois sei que ele não deixaria o celular desligado, imediatamente pedi para que o motorista dirigisse um pouco mais rápido. 

Logo estava de volta ao hotel e como já era 6:30 não perdi tempo indo procurar por ele na piscina, fui imediatamente para dentro do estabelecimento e pegando o elevador. Por pura impaciência bati na parede espelhada enquanto continuava a ligar para o celular de Theo, será que algo teria acontecido ou ele só dormiu o dia todo até agora? 

Finalmente as portas do elevador abriram e corri até o quarto, o mesmo estava completamente vazio o único barulho que havia era o do celular do moreno que tocava em cima da mesinha ao lado da cama, o peguei e reparei que deixei cair um papel no chão. Me abaixei, peguei e comecei a ler. Meu coração batia rápido e minha cabeça doía com passar de cada frase escrita naquele bilhete. 


*Quando estiver lendo isso provavelmente seu namoradinho tenha dado um na sua bunda. Eu te falei Boris, a única pessoa que vai te amar como você é sou eu. Eu avisei que ele ia se cansar de você e te deixar com o rabo entre as pernas. *

Ass: Seu Anjo*


- Mais que droga Theo. - Gritei quando bati o punho na parede. Como eu pude deixar isso acontecer? Merda. E esse psicopata tá aqui......ele me seguiu? Não, com certeza alguém que trabalha pra ele em Nova York ficou de olho em mim. Aquele canalha. - Que droga, que droga....porra!- Gritei a última parte com toda a força que consegui reunir. 

Aquele miserável deve ter contado tudo que eu fazia na época em que fiquei com ele, com certeza deve ter mentido, deve ter amedrontado Theo até ele decidir me deixar aqui. Miserável. 


Saído meu transe bravamente para ir até o frigobar e pegar uma cerveja, eu precisava beber. Enquanto caminhei até o pequeno geladeira percebi as malas no chão, as minhas malas e as malas de Theo. Fui em direção a elas e abri a do moreno, vi que ela estava intocada, seu passaporte, sua carteira, seus documentos estavam todos lá dentro. E isso indicava que o mesmo ainda não teria voltado para Nova York, ainda estava em Tokyo.

Me levantei e voltei para o celular de Theo, me sentei na cama e observei o bilhete caído no chão. Estava tentando juntar as peças de uma história mal contada.


- A única pessoa a ter a chave do quarto é apenas eu e Theo, e esse bilhete....esse bilhete não foi escrito por ele, foi escrito por...Anjo.- Senti a raiva me subir a cabeça, a única coisa que aprendi com o tempo que passei com ele foram duas coisas: ele é um psicopata babaca e que sempre se deve esperar o pior dele. Logo uma hipótese me passou pela cabeça, uma ideia tão provável quanto a de Theo ter ido embora. - Seu miserável, que bom que é tão burro, você facilitou as coisas pra mim. 


Me levantei da cama e peguei minha maleta, a abri em cima da cama e tirei o jornais de dentro a deixando apenas com algumas munições e alguns explosivos, peguei alguns pacotes de Vicodin que havia trazido por precaução colocando-os dentro da maleta e por fim  recoloque os jornais novamente. Bebi um pequeno gole da minha cerveja intocada e deixei em cima da mesa de cabeceira. Peguei meu celular e liguei para Jacob pedindo para me pegar no hotel. - Nos temos um servicinho para resolver de última hora.

Desliguei o Celular e me dirigi para fora do hotel apressadamente, se eu estivesse certo sobre minha suspeita de o Theo ter sido sequestrado... então o tempo era essencial porque quem sabe até quando o Anjo vai cansar de brincar, a vida do meu amor está em jogo e eu tenho que ser ágil. 

Quando entrei no carro explique a situação para Jacob recebendo como resposta um aceno e uma aceleração repentina do mesmo. 

Enquanto estávamos a caminho do "casebre" do anjo coloquei os fones de ouvido para tentar relaxar um pouco, eu precisava descansar e reunir forças para enfrentar o que estava por vir. Peguei o celular, coloquei os fones de ouvido e deixei a música no aleatório. 


"Tentando durante não me apaixonar no caminho de casa."

"Trying hard not to fall on the way home"


Fechei meu olhos e me lembrei de quando nos conhecemos, do novato nova Iorquino. 

Me lembrei de quando o chamei para beber comigo e dividimos nossas perdas injustas. 


"Porque ainda falta muito para o fim de semana, muito tempo até eu me afundar em suas mãos." 

"Cause there's still too long to the weekend, too long till I drown in your hands."


Me lembrei dos filmes que assistíamos juntos na minha casa, do dia que levei uma surra do meu pai quando ele viu as garrafas de cerveja espalhadas pela casa. 


"Muito tempo desde que eu fui feito de bobo."

"Too long since I've been a fool"


Não pude deixar de sorrir do dia que estávamos tão bêbados que passamos a falar sobre garotas e Theo me disse que nunca havia beijado ninguém na vida e tinha medo de não saber o que fazer caso tivesse que beijar alguma menina. Rimos e eu me ofereci para dar uma base de como era, eu esperava que ele fosse negar essa ideia, mas o mesmo foi mais afoito se aproximando de mim e colocando os braços em volta da minha cintura, seus olhos estavam atentos em mim e os meu nos dele, mas essa concentração não durou muito tempo, em questão de segundos havíamos passado a observar e desejar os lábios um do outro e sem aguentar mais me aproximei devagar e deixei que ele também se aproximasse e sem demora já estávamos em um prazeroso roçar de lábios. E antes que as coisas ficassem mais quentes que aquilo meu pai havia chegado e nos pegou no quarto. 


"Nunca soube que amar poderia doer tanto

"Never knew loving could hurt this good


Sim, ele ia arrebentar o Theo se eu não tivesse o empurrado o que fez o menor ter um tempinho para correr. 

Sorri novamente ao lembrar das palavras ridículas que meu pai havia falado naquela noite enquanto me batia até que eu desmaiasse: 

- Vai virar bichinho seu desgraçado ?- Ele gritava em russo enquanto chutava meu estômago com frequência. Mesmo com dor, comecei a rir pelo efeito das drogas que tinha usado. 

- Tá rindo de que seu merda? Acha mesmo que está no direito de rir de mim, deveria sentir vergonha de si mesmo. Reconheça seu lugar, vai virar uma menina seu desgraçado?!- E isso foi a última coisa que eu ouvi antes de apagar. 



Essas lembranças são valiosas pra mim, cada uma me deixa extasiado, me deixa triste e aos mesmo tempo animado. Eu finalmente estava feliz, depois perdi a felicidade quando Theo se foi... fiquei completamente perdido e tentei achar um meio de vida quando meu pai me abandonou. Fui passado de " mão em mão" conforme eu ia me tornando eficiente com a venda de drogas, era quase como ser promovido. Até que fui parar nas mãos do Anjo, desde que comecei a trabalhar com ele passei a perceber o jeito que ele me tratava e não demorou para que eu me tornasse seu protegido. Vivamos grudados um no outro quase como um só, aprendi tudo que ele podia me ensinar sobre como comandar aquele mundo, tudo que sei hoje foi graças a ele, mas essa foi a única coisa boa que ele fez por mim.






Notas Finais


Coitado do Boris gente. ;-;

Espero que tenham gostado e até o próximo capítulo pessoal. ♥️🌈
Aviso: capítulo não revisado
Desculpa por qualquer errinho gramatical que houver.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...