1. Spirit Fanfics >
  2. O Pintor (SasuHina KibaHina ) >
  3. Capítulo 7

História O Pintor (SasuHina KibaHina ) - Capítulo 7



Notas do Autor


Oi gente, cheguei depois de 15 dias sem atualizar esse bebezinho aqui ◉‿◉ me desculpa, eu cortei minha mão e fiquei impossibilitada de escrever, e ainda estou ಥ‿ಥ
Bom esse capítulo só está saindo pq tive ajuda das minhas parceiras e amigas, a @Saory_Uchiha e a @Nyne, eu expliquei como seria o capítulo e elas escreveram pra mim. Pq ainda eu não posso exagerar nós movimentos com a mão. Então agradeçam a elas, dêem muito amor e carinho pra essas mulheres. Eu amo vocês ❤️❤️ @Princess-Hina aqui está mais um capítulo do seu presente, @Uchira_Hinatta bandida obrigada por beta esse capítulo ❤️❤️ sem mais delongas. Boa leitura (◍•ᴗ•◍)❤

Capítulo 7 - Capítulo 7


Fanfic / Fanfiction O Pintor (SasuHina KibaHina ) - Capítulo 7 - Capítulo 7

Nome: Ino Yamanaka Idade: 23 anos 

Data da coleta: 15/01/2021.

EXAME BETA HCG 

Resultado: REAGENTE 

— E-eu… Eu não acredito — balbuciou, levando a mão à boca. — Eu estou grávida — sussurrou, enquanto lágrimas banhavam seu rosto. — Como eu vou contar isso ao Naruto, Deus?! — diz, levando a mão ao cabelo.

Respirou fundo, guardou o resultado do exame em sua bolsinha, pegou seu celular e procurou na agenda o nome de Hinata, discando.

 "O celular chamado encontra-se desligado ou fora da área de cobertura" 

Ino então guarda o celular na bolsa. Olhando o céu, assim que saí da clínica, ela limpa as lágrimas dos olhos e se pergunta onde a amiga estaria.

◟⋯⋯⋆・●✺●・⋆⋯⋯◞

Sasuke apertava o corpo pequeno em seus braços, tentando passar segurança para a moça. Minutos depois o moreno vê a Hyuuga respirar mais tranquilamente. Então, afastou-a um pouco de si e olhou em suas orbes peroladas, agora vermelhas, e no rosto banhado em lágrimas.

— Está mais calma? — pergunta, vendo ela confirmar com a cabeça. — Ótimo. Agora tome um banho que eu te espero ali no quarto.

— Obrigada — ela agradeceu dando um pequeno sorriso.

Sasuke saí do banheiro, deixando a porta aberta, parte para o quarto. Ele se senta na cama e fica olhando para a janela, pensativo.

— O que fizeram com você, Hinata? — murmurou baixo, enquanto escutava o chuveiro ligado.

No banheiro, Hinata encosta a testa no azulejo, sentindo a água levar suas lágrimas e sua angústia. Ela vai abaixando-se pouco a pouco, encostando a testa sobre os joelhos, apertando as pernas com força, tentando sufocar os soluços.

— Eu via as trocas de olhares maliciosas entre eles — murmurou — E eu me fazia de cega, meu Deus! — disse com a voz embargada. — Aquele dia em que esqueci meu celular e tive que voltar a cozinha. Eu escutei a conversa entre eles e reparei na forma que reagiram.

Flashback On

— Pode deixar que eu lavo a louça, Hina — Hanabi se ofereceu já pegando os pratos e colocando-os na pia. Se virou para pegar a xícara e o prato de Kiba.

— Obrigada, Hana — Hinata agradeceu saindo da cozinha, deixando o namorado e a irmã onde a Hyuuga mais nova fez questão de esbarrar nele. — Ah! Desculpa, Kiba — disse dando um sorriso amarelo, girou os calcanhares e acidentalmente derrubou o garfo.

— Eu pego… — O Inuzuka se prontificou.

— Não se incomode — ela pronunciou, se debruçando para pegar o talher, empinou a bunda de tal forma que chegou a mostrar uma parte de sua roupa íntima. — Eu já peguei — diz, ao erguer o tronco lentamente, fazendo o Inuzuka engolir em seco pela sensualidade da cena que presenciava.

◟⋯⋯⋆・●✺●・⋆⋯⋯◞

— Se eu fosse a Hina, não sairia do seu lado — Hanabi garantiu ao se aproximar do cunhado, vendo ele se enrijecer. — Até pro banheiro, eu iria atrás de você — declarou beijando o tronco exposto do maior.

— Hanabi, pare com isso — vociferou com a voz arrastada. — Não brinque com fogo — sugeriu. — E se sua irmã vê isso? Estou lascado e você também.

— Eu quero mais é me queimar! — admitiu, dando um selinho em Kiba e indo à cozinha.

Kiba estava em choque, como pode a irmã de sua namorada dar em cima de si na cara dura? Sem vergonha nenhuma. 

— Puta merda! Tenho que ficar o mais longe possível dessa garota — sussurrou pra si.

— Kiba, o Uber chegou! — Hinata gritou por ele do lado de fora da casa.

Flashback off

Hinata estava vendo e ouvindo tudo atrás da porta que estava entreaberta. Ela não queria acreditar que sua irmãzinha estava dando em cima do seu namorado, assim na cara dura. Pensou que pelo menos Kiba iria dar um chega pra lá em Hanabi, mas não, o traste caiu de boca na irmã. 

O choro se intensificou e grossos soluços saíram da garganta da morena. Do quarto, Sasuke escuta e se levanta, indo mais uma vez até o banheiro.

— Hinata? — chama por ela. — Você está bem? — pergunta preocupado.

— Aham! — Hinata responde com a voz abafada. — Só um minuto, Sasuke — diz fungando.

O Uchiha nada responde, apenas espera pacientemente a perolada sair do banho, com as mesmas roupas que ele havia lhe vestido na noite passada. Minutos depois ela aparece, enxugando os longos cabelos — Desculpa se eu te preocupei — murmurou com a face baixa.

— Não precisa se desculpar — diz Sasuke, se aproximando da menor e usando o indicador para levantar o rosto dela. — Vem, vamos lá pra baixo — sugeriu dando um sorriso miúdo. — Quero te mostrar uma coisa.

— O que? — exclamou curiosamente.

— Você vai ver — diz, pegando na pequena mão da garota. 

Guiou Hinata até uma porta onde se virou para ela.

— Eu nunca trouxe ninguém aqui — declarou, abrindo a porta do quarto.

— Nossa — diz Hinata embasbacada, enquanto admirava várias telas expostas ali. — Você que pintou? — pergunta ao rapaz que confirma com a cabeça. — Que incrível! — elogiou, parando em frente a uma tela que chamou muito sua atenção, uma bailarina. — Que linda essa bailarina e essas cores — disse tocando a tela.

— Hum. Pintei essa no Central Park — Sasuke contou olhando para o quadro. — A moça estava ensaiando para uma apresentação que faria naquele final de semana e aquele pôr do sol me impressionou bastante.

Hinata deu um sorriso e foi olhar as outras telas. Viu o quadro de um campo de rosas vermelhas e outro que continha um corvo, até que chegou em um quadro muito bonito, onde tinha uma mulher vestida com um vestido rosa, cabelos ao vento, um chapéu e ela segurava um punhado de girassóis.

— Essa é lindíssima — disse, se referindo ao quadro que estava a admirar. 

— Essa mulher é minha mãe — Sasuke revelou. — Foi durante uma viagem de férias em família. — Sorriu ao se lembrar daquele dia. — Dona Mikoto estava recolhendo esses girassóis para botar na sala da casa de campo de um amigo do meu pai — disse, se aproximando da Hyuuga com as mãos no bolso. — Eu estava pintando o campo e vi que a minha mãe estava tão linda, quis eternizar esse momento.

— Sua mãe deve ter amado esse quadro, né?! — exclamou, se virando para olhá-lo nos olhos.

— Sim. Mas eu disse a ela que não tinha finalizado o quadro ainda — disse ele. — Estou esperando uma data oportuna para presenteá-la com ele.

Hinata sorri, indo até a janela, toca o vidro com um olhar melancólico. Sasuke vê o estado da garota e resolve perguntar como ela estava.

— Está tudo bem?

— … — Ela respira profundamente, se virando para o Uchiha. — Não — disse sem rodeios — Eu não estou bem.

— Vem, senta aqui. — Esticou a mão, oferencendo-a para a garota, que a pega sem exitar.

Sasuke guiou-a para se sentar em um sofá que estava no canto da parede.

— Você quer falar sobre o que aconteceu com você? — questionou, sentando no estofado e fazendo um carinho nas costas da morena.

— E-eu… — Sua voz embargou com o choro. — Eu sinto que toda a minha vida até agora foi uma grande mentira, e desde que saí da minha casa, estou procurando um sentido para essa bagunça aqui dentro. — Suas lágrimas começaram a rolar enquanto segurava a camisa perto do peito. — As duas pessoas mais importantes da minha vida me apunhalaram pelas costas, da forma mais baixa e cruel que o ser humano pode fazer. O pior é que estava na minha cara, bem embaixo do meu nariz, mas eu estava cega, meu coração se recusava a retirar a venda dos meus olhos e me deixar ver que a minha irmã… — Hinata hesitou. — Minha irmãzinha, que tinha medo de trovão e dormia abraçada comigo até a chuva passar. Eu faria de tudo pela felicidade dela. Sem pensar duas vezes. — A última frase saiu arrastado num fio de voz abafado pelas lágrimas.

— Ei! Calma. — Sasuke se aproximou segurando suas mãos. — Fica calma, está bem. — Ele sorriu — Eu vou pegar um copo com água pra você. — Saiu em direção a cozinha e retornou num piscar de olhos. — Aqui está. — O moreno lhe entrega o copo e volta a se sentar. — Olha, me desculpe ter feito você falar, não precisa continuar se não estiver te fazendo bem. É melhor...

— Eu consigo continuar — interrompeu-o — Se você… Ainda quiser me ouvir. — Ele sorriu.

— Posso ouvir você a noite inteira, se quiser. — Sorriu sem tirar os olhos dela.

— Kiba, era meu cavaleiro de armadura reluzente, meu príncipe encantado — Um sorriso forçado risca sua face corada pelo choro. — Ele fazia eu me sentir uma adolescente apaixonada, desejada. Sempre fazia e falava a coisa certa, ao menos o que eu julgava ser a coisa certa, mas afinal, quem se importava? Era apenas o que eu queria ouvir. Meu Deus! Como eu fui burra, eles trabalharam juntos várias vezes e sempre havia sorrisos e olhares além do normal, mas eu não quis parecer paranóica. — Ela o encarou com as lágrimas ainda rolando. — Eram meu namorado e minha irmã — Um soluço escapou —, minha irmãzinha. Céus, por que eu não confiaria neles? Me diz, isso é tudo culpa minha não é?

— Não, não é! — Se aproximou ficando cara a cara com a morena. — Nada disso é culpa sua, você não pode pensar assim. — Prendeu seu olhar no dela. — Os únicos culpados são eles, que não merecem você.

— Então, como eu faço pra parar? Por que 'tá doendo, 'tá me deixando sem ar! — Sasuke a abraça, enquanto ela era mais uma vez dominada pelo choro incessante. — Eu não sei o que fazer, pra onde ir. — A perolada arregalou os olhos e levou as mãos ao rosto, num rompante. Exclamou: — Meu Deus, Ino!

— Quem é Ino? — pergunta Sasuke, confuso.

— É minha melhor amiga, ela estava comigo quando tudo aconteceu. Tomou minhas dores e deu uma surra na minha irmã enquanto o meu… Enquanto o Kiba tentava se explicar. Como se existisse alguma explicação para o que vimos ali. Te ouvir falando assim me fez lembrar dela. Eu fiquei tão perdida diante daquilo tudo, que sai correndo sem rumo e acabei parando aqui. Ela deve estar desesperada atrás de mim.

— Ligue pra ela, diga que está bem.

— Sim, você está certo. Pode pegar minha bolsa, por favor?

— Claro, só um minuto — diz ao se retirar. Voltando com a bolsa de Hinata pouco depois. 

Assim que a entrega, vê a jovem pegar o celular, mas ela faz uma cara de decepção, notando que o aparelho estava descarregado.

—Você tem algum carregador que possa me emprestar?

Sasuke mexe em uma das gavetas e logo entrega um carregador para Hinata, que coloca o celular em uma tomada próxima, indicada pelo moreno.  

— Bom, enquanto seu celular carrega, posso dar meu parecer sobre tudo isso?

— Claro, mas imagino o que vai dizer. Que sou uma idiota e que procurei por tudo isso.

— Não, está enganada. Não te acho uma idiota, pelo contrário. — expressou olhando nas orbes claras — Pra mim, idiotas são sua irmã e esse cara. 

— Mas eu já havia percebido os sinais — ela admitiu. — Já estava sentindo que algo poderia estar rolando entre eles.

— Ainda assim. Sua irmã agiu errado ao dar em cima do cunhado, mas ele também agiu como um canalha ao corresponder. Poderia ter colocado a garota no lugar dela, mas deve ter gostado de ter o ego inflado e resolveu tirar proveito da situação. Você não fez nada de errado, Hinata, apenas confiou em pessoas que se mostraram indignas da sua confiança. A culpa não foi sua.

— Acha mesmo?

— Sim — ele afirmou. — Entendo sua revolta, mas não deve se culpar pelo que aconteceu, ou acha que eles estão se culpando pelo o que fizeram?

— É, você tem razão.

Alguns minutos depois, quando o celular já se encontrava com uma carga considerável, Hinata ligou o aparelho, recebendo uma chuva de notificações de mensagens e ligações não atendidas, entre elas, de Ino, Naruto e até mesmo algumas de Kiba. 

— Eu sabia, deixei a coitada desesperada atrás de mim.

— Liga pra ela, diga que está bem.

— Farei isso agora mesmo — diz ao discar para a loira, que atende antes mesmo do toque se completar.

— Hina, é você? — pergunta desesperada do outro lado da linha.

— Sim, sou eu.

— Graças a Deus! Onde você está. Está tudo bem? Voltou para sua casa? Estou indo te ver agora mesmo!

— Não Ino, não estou em casa.

— Não? Onde você está?

— É um pouco complicado… — Hinata faz uma pausa coçando a sobrancelha e continua: — Mas calma, estou bem. Estou indo te encontrar, vou te explicar tudo. Está na sua casa?

— Sim, estou — a loira confirma.

— Ótimo, estou indo. Me espere — diz ao desligar e olhar para Sasuke.— Obrigada pela ajuda, mas preciso ir agora. 

— Eu ouvi, mas vou com você. — diz se virando.

— Não precisa, já te incomodei demais — diz sem graça.

— Eu faço questão. 

Hinata não teve outra escolha a não ser concordar com o moreno, que a acompanhou até a casa de Ino. 

 ◟⋯⋯⋆・●✺●・⋆⋯⋯◞

Assim que a loira abriu a porta e se deparou com a amiga, a abraçou tão forte que Hinata sentiu o ar lhe faltar nos pulmões por alguns segundos. 

— É tão bom te ver! Não faz ideia do quanto ficamos preocupados! — Ino diz ainda abraçada com a morena.

— Desculpe, amiga. Não fiz por mal — fala a morena, sentindo os olhos marejarem outra vez.

— Quem é esse cara? — pergunta a loira ao encarar Sasuke de cima a baixo.

— O nome dele é Sasuke, eu estava na casa dele.

— Na casa dele? Como assim? De onde se conhecem?

— É uma longa história.

Ino convida Hinata e Sasuke para entrarem e a morena aproveita para dizer tudo o que havia acontecido desde o momento em que saiu correndo sem rumo pelas ruas.

Sasuke apenas observava a reação da loira, percebendo a aflição tomar conta do rosto dela, deixando claro que ela deveria estar odiando o tal Kiba, sentimento que Sasuke já compartilhava com ela. 

— Enfim, foi isso — Hinata termina de explicar tudo para Ino.

— Meu Deus, amiga, que loucura! Graças a Deus você está bem. Obrigada por ter cuidado da Hina, serei eternamente grata por isso — diz a loira ao olhar para Sasuke, que sorri de lado.

— Não precisa agradecer, fiz o que achei certo — Sasuke diz, dando um pequeno sorriso de lado.

Ino sorri para Hinata enquanto a abraça. Se afastando pouco depois, coloca uma das mãos da perolada sobre a própria barriga.

— Com toda essa confusão, quase esqueço de te contar. Meu exame deu positivo. Você será titia.

— Oh meu Deus! Isso é sério? — pergunta, com um sorriso verdadeiro nos lábios, pela primeira vez desde o momento em que Sasuke a conheceu, o que causou uma sensação até então desconhecida no moreno. — Estou muito feliz por você e pelo Naruto.

— Espero que ele fique feliz também, ainda não contei pra ele — Ino confessa, insegura. — Mas por hora, vamos falar de você... — Se virou totalmente para a morena. — Trouxe suas coisas? Porque com certeza você não vai continuar morando com aqueles dois traidores, não é?

— Não, claro que não! — disse convicta. — Vou buscar tudo o que é meu assim que sair daqui, só não sei pra onde ir depois disso.

— Como assim, não sabe? — pergunta colocando as mãos na cintura. — Lógico que pra cá!

— Não, Ino. De jeito nenhum. Não quero invadir sua privacidade e a do Naruto, ainda mais agora com um bebê a caminho — Hinata tenta explicar para Ino — Não sei pra onde vou, mas fique calma, saberei me virar.

— Mas Hina… — Ino tenta convencer Hinata, mas a morena a corta.

— Estamos conversadas, Ino. Agora vou indo, assim que estiver instalada em outro lugar, te aviso. Se cuide, e desse bebezinho também — diz ao acariciar a barriga da amiga.

— Tudo bem, mas por favor, não desapareça outra vez, 'tá? — súplica com os olhos já marejados.

— Não vou — diz sorrindo ao se despedir da amiga, saindo da casa de Ino juntamente com Sasuke. 

Dentro do carro do rapaz, leva as mãos ao rosto, suspirando pesadamente. Sasuke apenas a olha, sentindo que novamente ela parecia angustiada.

— Para onde vamos agora, sua antiga casa?

— Sim, por favor. Imagino que esse horário nenhum dos dois vá estar lá, então posso pegar tudo o que é meu e ir embora sem precisar olhar para a cara deles — diz, levando as mãos aos cabelos, os puxando enquanto ria nervosamente. — Não quis dizer nada para a Ino, mas a verdade é que me sinto um lixo, uma completa idiota que não faz a menor ideia de como vai se virar daqui pra frente. Eu não sei pra onde ir, como agir, o que fazer… Meu Deus, eu estou desabafando com um completo desconhecido!

— Desconhecido? Meu ombro você já conhece muito bem! — Um sorriso riscou a face do moreno que a encarava com ternura. — Não se preocupe, não contarei seus segredos a ninguém e quanto não saber para onde ir, você pode ficar comigo.

— Por que você está fazendo isso? Mal nos conhecemos. — Indagou curiosa. 

— Eu sei, mas eu gostei de você, Hinata. Não me pergunte o porquê, mas sinto que não foi um simples acaso que fez com que você fosse parar na porta da minha casa, além do mais, eu não acredito em acasos. 

Hinata ficou sem jeito e abaixou a cabeça, sentindo Sasuke tocar seu rosto com delicadeza. 

— Me diga seu antigo endereço, vamos encerrar esse ciclo de uma vez por todas.



Notas Finais


E aí gente gostaram?
Até semana que vem, se Deus quiser
( ˘ ³˘)♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...