História O plano - Capítulo 2


Escrita por: e BatatinhaOli

Postado
Categorias Shingeki no Kyojin (Attack on Titan)
Personagens Armin Arlert, Eren Jaeger, Hange Zoë, Levi Ackerman "Rivaille", Mikasa Ackerman, Sasha Braus
Tags Comedia, Levimika, Rivamika, Vingança
Visualizações 70
Palavras 1.327
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Hentai, LGBT, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu tinha pego um pedaço de bolo pra comer e comeram meu bolo
To triste

Capítulo 2 - Cabeçada


Terça-feira, 5pm

Mikasa estava na sua sétima volta na quadra com o lenço do oficial dentro da blusa – ela pretendia deixa-lo lá, quando fosse jogar as outras roupas fora.

Levi encarava as botas sujas de lama como se fossem uma prova de um crime – o que era exatamente isso.

Enquanto terminava a sua corrida, Sasha a seguiu, ficando lada a lado.

-Vai me falar? – Perguntou.

A Ackerman olhou ao redor, vendo que não havia ninguém perto ela respirou fundo e contou à garota batata. O oficial encarava ambas com curiosidade, como se soubesse do que elas falavam.

-O quê? Você é louca, Mikasa?! – Sasha perguntou elevando seu tom. – E você só queria me dá cinco batatas? Eu mereço umas vinte!

-Shii! – Pediu. – Eu já te prometi as cinco batatas. Não aumente mais nada.

-Olha – suspirou -, eu acho melhor você desistir disso. Vai dá merda e não acho isso só porque você não vai me da batata.

-Eu queria... mas e tão tentador jogar as roupas brancas e limpas do cabo na lama. É serio, fiquei hipnotizada.

-Mikasaa! – Sasha gritou de repente. – Eu... eu... eu deixo você sem me dá batata e guardo isso a sete chaves se você me ajudar... em uma coisa...

-Que coisa? – Mikasa perguntou terminando a última volta.

-Eu tô gostando de alguém... – A Ackerman engasgou com saliva.

-O Connie?

-Não... é... eu preciso que você me der cobertura para sair do dormitório hoje... – Falou sem jeito.

-Eu ia aproveitar que hoje iria entrar novamente lá. – Choramingou.

-Por favor, Mikasa. Você só tem que me encobrir na hora do jantar.

Suspirou dando-se por vencida.

-Está bem. Porém, o que a ver você gostar de alguém e seu pedido?

-Eu... eh... eu preciso de cobertura pra ficar com a tenente. – Falou entre tossidas.

Mikasa parou de andar e encarou Sasha.

-V-você gosta da Hanje?!

-A gente tá namorando...

A Ackerman iria indagar como isso começou, mas a voz do cabo ecoou em toda quadra.

-Agora é treino corpo-a-corpo. Se dividam!

Mikasa acompanhou Sasha, evitando olhar para o Levi.

-Então, temos um segredo. – Mikasa sussurrou. – Eu não conto e você não conta.

-Soldada Ackerman e Sasha, vocês duas não. Vamos trocar isso aí. Eren está sozinho.

A Mikasa foi em direção ao irmão, mas uma mão no seu ombro a parou. Ela gelou.

-Ackerman, você irá treinar comigo. – Ele sussurrou. Vai repreendendo todo mal que queira chegar perto de mim, Deus. Mikasa pensou. – Sasha, lute contra Eren! – Gritou.

Quando entraram em posição de luta, Mikasa tentou sair de fininho e usar cólica como desculpa, mas novamente Levi a impediu.

-Venha, Ackerman. – Ele chamou.

Ela entrou em posição, se obrigando a olhar para ele.

-Sua bota está suja. – Constatou o óbvio. – Por quê?

-Eu estava correndo, capitão. Seria estranho ela está limpa. – Retrucou, avançando em sua direção com um soco.

Levi se esquivou e devolveu um chute no estômago da jovem. Ela cambaleou para trás.

-É? Podia jurar ver você pular da minha janela ontem.

Ela engoliu seco.

-Está sonhando com uma subordinada, capitão? – Questionou, com ironia. – Que errado.

Ele continuavam lutando. Mikasa o acertava e ele revidava.

-Será mesmo, Ackerman? O que estava fazendo lá? – Ele perguntou, e ela notou um semblante irritado. – Roubou até a porra do meu lenço?! Qual seu problema?

-Eu não sei do que está falando, capitão.

Nesse ponto, todos os soldados encaravam a troca de socos entre os dois Ackermans. Mikasa havia conseguido derrubar Levi e a cena era épica de ver.

O capitão segurou os pulsos da jovem e prendeu suas pernas na cintura, por mais que a garota tentasse se levantar, não conseguiria.

As bochechas da soldada ganharam um tom avermelhado quando o oficial encarou seu pescoço nu – porque o cachecol estava em uma cadeira longe do treinamento – e desceu para sua blusa. Onde ele forçou os olhos, depois, arregalou-os.

-Você tá com meu lenço?!

Ela em um reflexo para tentar sair, deu uma cabeçada no capitão.

-Meu deus, ela deu uma cabeçada nele. – Jean disse, chocado.

Mikasa se aproximou para dá outra, quando ele sequer se mexeu.

-Ela vai dá uma cabeçada nele! – Sasha falou, horrorizada.

Ela deu uma segunda cabeçada e quando ia dá a terceira quando teve outra ideia por conta do impulso. Ela aproximou a boca dos lábios do capitão e o mordeu.

O Levi a soltou, surpreso.

Todos os soldados encararam incrédulos Mikasa levantar, pegar seu cachecol e correr.

Até mesmo Levi não soube dizer ao certo o que aconteceu, mas levou a mão à sua boca e a tocou. Porra, doía para caralho.

-Dispensados. Não quero ouvir nenhum comentário sobre isso. – Ele falou. – Se eu pegar, irei garantir que passem uma boa semana limpando todo o quartel!

*

Mikasa estava com vontade de enfiar a cara na terra e nunca mais sair de lá. De preferência, morrer.

-Mikasaaa! – Sasha pulou em cima dela. – Obrigada!

-Pelo o quê? – A voz da jovem saiu abafada pois estava deitada com a cara enfiada no travesseiro.

-Depois de você beijar ele – Mikasa soltou um ruído semelhante a um resmungo -, o capitão dispensou a gente. Aí eu aproveitei e me encontrei com a Hanje.

-Que bom. Agora, me deixe entrar em decomposição e morrer.

-Que isso, Mikasa! – Sasha a repreendeu, rindo. – Você é no mínimo muito audaciosa. Beijou o capitão na cara dura? Na frente de todos os soldados? – A Ackerman a encarou, vendo a garota-batata com um sorriso malicioso no rosto.

-Eu não o beijei! – Retrucou, sentindo as bochechas ganharem um tom avermelhado. – E-eu... eu mordi os lábios dele. – Murmurou.

-Caralho! É pior do que eu pensava! – Ymir apareceu no quarto, chocada. – Você mordeu a boca de um capitão!

-Foi sem querer! – Se defendeu.

-Não tem como morder a boca de outra pessoa sem querer, Mikasa! – Historia disse.

-Por que vocês estão aqui? – A Ackerman indagou.

-Ora! A gente dorme aqui também! – Ymir retrucou.

-E-e todo mundo viu?

-Viu o quê? – Sasha perguntou.

-Eu morder o capitão...

-HAHAHA! Filha, você estava em um treino com os soldados da tropa, você acha que ninguém parou para ver? – Ymir disse com ironia.

-Me deixem! – Mikasa enfiou a cara novamente no travesseiro.

Algumas horas mais tarde:

-Mikasa, vamos comer! – Sasha a chamou.

-Eu não quero. – Choramingou.

-Então o que você quer? – Ymir perguntou.

-Morrer.

-Nossa, Mikasa. – Historia disse. – Eu tenho certeza que se você falar...

-Não! Nem continua!

-... com ele, ele vai entender.

-É verdade. – Sasha comentou. – Vão achar estranho você não ir para o refeitório.

-Fala que eu morri, sei lá. Que os titãs de estimação da Hanje entraram no meu quarto e me comeram.

-Vamos deixar a Mikasa mofar neste quarto. - Ymir falou, indo em direção a porta.

-Tchau, Mika! – Historia despediu-se.

-Tchau. – Ela respondeu, ouvindo a porta bater.

Sasha suspirou antes de sair.

-Não inventa de ir no quarto do capitão jogar as roupas dele fora. – Falou.

E naquele instante, Mikasa se levantou decidida. Ela começara o plano, agora iria termina-lo.

Nem sequer se lembrava do plano perfeito de vingança, mas agora tudo parecia ter sentindo. Afinal, a jovem se sentia estranha desde que havia mordido o pobre capitão.

Ela andou furtivamente pelo o quartel, indo em direção ao escritório do oficial, porem, para sua infelicidade, a porta estava fechada.

Ela resmungou, saindo dali e caçando uma maneira de entrar no quarto do Levi.

Então, como uma Mikasa do mal falando no ouvido da garota ela teve uma ideia: iria subir a janela.

Isso! Não daria nada errado, o máximo que poderia acontecer é algumas costelas quebradas.

Ela encarou a árvore do pátio, o galho mais alto dava exatamente do lado da janela do capitão.

Mikasa deu uma gargalhada maléfica. Nada daria errado agora. Nada.

Ela subiu a árvore com determinação, e pulou a janela sorrindo.

Pena que esse sorriso não durou muito quando ela caiu na cama e ela rangiu. Nada seria pior do que notar a porta do banheiro entreaberta, com um capitão nu a encarando.

-Errei de janela? – Mikasa tentou.


Notas Finais


Atualizei mais cedo do que eu previ
Acho que vai ter 5 ou 4 caps
Ja to com o terceiro quase pronto


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...