História O Plano da conquista - Perina - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Malhação
Personagens Karina "Ká" Duarte, Pedro Ramos
Tags Perina
Visualizações 65
Palavras 1.325
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa Leitura!

Capítulo 7 - Primeiro passo


Pedro

Eu ainda não estava conseguindo raciocinar direito, ela havia dito que sim, que ia me ajudar?!

—Tudo bem?-ela estalava os dedos bem a frente dos meus olhos.

—Ah...tudo, é...quando...

—Podemos começar agora, se você quiser é claro, acho que posso te dar essa força depois de tudo- ela sorriu fraco e me senti mal ao perceber que seus pensamentos voltaram à uma semana atrás, para ser mais exato, em um banheiro na Academia Aquazen.

—Mais é claro que quer né Pedro- Johnny se pronunciou por mim e apenas assenti absorto a qualquer reação.

—Ótimo, é...temos muito trabalho pela frente- ela falou olhando para nós por cima do ombro já entrando no ônibus a nossa frente.

(...)

No caminho fomos em silêncio, cada um aproveitando do momento para ouvir músicas, jogar ou apenas pensar na baita confusão que se meteu.

Fomos todos lá pra casa, para ser mais exato, para o meu quarto, ali teríamos mais privacidade, o Johnny correu até o vídeo game e se esparramou na cadeira jogando um dos meus jogos que continha ali.

—Você tem que jogar isso fora- Karina falou apontando para o aparelho eletrônico responsável pelo entretenimento de João.

—Por que?-questionei por não entender o motivo.

—Quando você trouxer a garota pro seu quarto ela vai ver o vídeo game e vai te definir como infantil- minha mente parou de processar o que ela dizia depois de "Quando você trouxer a garota pro seu quarto", o ar faltou e ao menos tempo me fez engasgar, dando sequência a tosses fazendo Karina revirar os olhos.

—Acho...é...acho melhor começar pelo básico- falei sem graça, com certeza eu estava completamente vermelho com o que ela havia dito.

—Ok nerd, quer dizer Pedro, me mostre o que você sabe- ela falava se posicionando a minha frente, porém mantendo uma distância.

—Como assim?-eu realmente não entendia, não era pra ela me dizer o que fazer?

—Me mostre como você chega na garota, o que fala, o que faz- ela falava óbvia- Digamos que eu sou a garota que você está afim-"Mais você é" pensei.-Ai você vem até mim e mostra o que sabe.

Me aproximei dela de forma receosa, eu não fazia a mínima ideia do que dizer ou fazer, eu nunca cheguei em garota alguma, na verdade eu nunca nem beijei uma garota e logo a garota que eu sempre fui apaixonado, estava ali no meu quarto me pedindo pra mostrar o que eu sei, mas na verdade eu não sei de nada.

—Oi- falei tímido assim que me aproximei dela, que olhava para um ponto qualquer fingindo ser a tal garota que havia mencionado, sem saber que realmente ela era essa garota.

—Oi- ela arqueou as sobrancelhas esperando que eu continuasse, mas minhas mãos começaram a soar, nunca havia pensado na possibilidade de estar nós dois ali tão próximos ensaiando uma cantada.

—É...você...você vem sempre aqui?-usei a mais típica frase que se usava, em todos os filmes que eu vi era a que mais se repetia, talvez eu não soasse tão idiota, repetindo ela para a Karina.

—Nossa garoto, originalidade por favor- ela falava revirando os olhos- Se você falar essa frase vai ser o mesmo que dizer "Vamos ali pra eu te pegar"-nesse momento meu ar faltou, na verdade desaprendi a respirar, minha cara deveria esta mais do que vermelha, talvez mesmo até roxa, pude ouvir a risada do João me fazendo lembrar que ele ainda estava ali.

—Calma Pedro- Johnny soltou toda a ironia em apenas uma frase.

Naquele mesmo instante quis que um buraco se abrisse debaixo dos meus pés e me engolisse pra dentro sem chances de salvamento.

—É Pedro calma, não precisa ficar assim, eu vou te ajudar não se preocupa- por fim Karina se pronunciou me deixando mais tranquilo em relação a áurea de constrangimento que havia se instalado em meu quarto, apenas assenti pra ela, já que a minha voz não saía de tanto desconforto que estava sentindo.

(...)

Após treinarmos muito o que dizer e o que fazer, estávamos cansados e com fome, resolvi ir até o Perfeitão e trazer algo para comermos.

—Vamos ao primeiro passo- Karina falou assim que acabou de comer.

—Pensei que já tínhamos dado o primeiro passo.

—Não seu ner... Pedro, não damos o primeiro passo ainda, essa foi apenas a preparação, agora é que começa o trabalho de verdade.

—E Qual seria o primeiro passo?-perguntei receoso.

—Nosso primeiro passo será- ela falava pensativa levando o dedo indicador ao queixo- O aparelho.

—Mas...- a verdade é que eu já nem precisava mais usar o aparelho a muito tempo mas o costume me fez recorrer a ele, para continuar a me esconder

Com o que eu tinha de mais natural pra mim.

—Não tem, mas ou meio mas, vamos marcar agora com um dentista para amanhã tirar isso da boca- apenas assenti indo em direção ao telefone e discando o número do Dr. Alberto, meu dentista.

—Alô! Gostaria de marcar um horário com o Dr. Alberto. Ok. Amanhã às três, estarei aí.

—Pronto?-ela perguntou arqueado as sobrancelhas.

—Pronto respondi inda meio incerto.

—Amanhã damos continuidade ao nosso trabalho, agora eu vou pra casa- Karina se despediu e logo saiu me deixando ali jogado na cama com um par de olhos verdes a me encarar.

—Cara isso definitivamente não vai dar certo- suspirei pesadamente.

—Calma Pedro, esta apenas no começo, ela já topou te ajudar, depois vai ser mais fácil, ela vai te transformar em um cara desejável- ele falava sério, mas com um pouco de ironia.

—Espero Johnny, espero.

(...)

No dia seguinte fui pra escola junto com o João e a Karina, no ônibus ficamos repassando alguns ensinamentos de como conquistar uma garota.

Na escola nos mantivemos distantes, parece que a Karina tem vergonha de mim e não queria que nos visse juntos, aquilo me machucou pois o que eu mais queria era ficar perto dela o máximo que eu pudesse.

À tarde fomos todos juntos para o consultório do dentista, segundo a Karina ela queria ver de perto o trabalho de me libertar do metal que eu usava na boca.

Chegamos no consultório e esperamos alguns minutos até sermos atendidos, a atendente veio até nós avisando para que entrássemos na sala do dentista.

—Pedro Ramos- uma mulher morena vestida de Branco veio até a entrada da sala com uma prancheta em mãos.

—Aqui- levantei a mão indicando minha presença naquele ambiente.

—Por aqui, por favor- acompanhei a mulher até está mais uma vez naquele cômodo.

—Pedro Ramos- o doutor falou com um pequeno sorriso nos lábios.

—Olá Dr. Alberto- falei meio sem graça por demorar tanto pra voltar.

—Sente-se meu rapaz- apontou uma cadeira a sua frente- Vamos ver, vejo que enfim marcou a retirada do aparelho- Dr. Alberto olhava um papel a sua mesa.

—Demorei um pouco pra voltar- falei sem jeito.

—Você demorou um ano e meio Pedro e isso pode ter afetado a sua arcaria dentária, sente-se ali, vou te examinar- sentei onde ele havia indicado.

Abri a minha boca e Dr. Alberto me examinou por muita sorte o aparelho não me prejudicou, mas a recomendação foi que eu o tirasse o quanto antes e resolvi tirar naquele momento mesmo.

—Prontinho, agora é cuidar direitinho.

—Obrigada Doutor- agradeci e lhe entreguei o cheque antes de sair.

Era tão esquisito está sem aparelho, com certeza demoraria pra eu me acostumar a estar sem ele.

—Quero ver como ficou, então sorria- Karina falou assim que saímos do consultório, eu apenas abaixei a cabeça e sorri sem graça.

—Vai Pedro sorri-o Johnny insistiu, mas neguei com a cabeça.

—Pedro Ramos, eu como sua conselheira e orientadora tenho o direito de saber e no caso ver como está indo meu trabalho- ela falava indignada e não pude evitar sorrir, sorri como nunca mais tinha sorriso antes, me senti até mais leve e quando olhei para Karina ela me encarava séria talvez até mesmo surpresa, só não entendi o motivo.


Notas Finais


Espero que tenham gostado. E continuem acompanhando. Até o próximo, beijocas!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...