1. Spirit Fanfics >
  2. O plano perfeito - Nam2seok >
  3. Parte 1 - Ideias

História O plano perfeito - Nam2seok - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Parte 1 - Ideias


Estava tudo calmo... ao menos por enquanto.

Seus dedos pressionavam rapidamente as letras presentes no teclado à sua frente. Como se fosse um robô, digitava as informações necessárias para preencher aquela planilha que aumentava cada vez mais o número de linhas, mas que faltava pouco para terminá-la. Não sentia tédio ou nada parecido, já que estava acostumado com sua rotina de trabalho que para os olhos alheios era algo tão maçante.

O dever que muitos consideravam como algo cansativo, para Namjoon era apenas mais um dever a ser cumprido. Ter papéis a mais ou a menos para revisar, não fazia tanta diferença para o homem que não gostava de se distrair enquanto trabalhava.

Contudo, uma pequena bolinha de papel menor que as unhas de seus dedos lhe tirou a atenção. Sentiu o impacto fraco que ela fez sobre sua têmpora, olhando em direção para os risos baixos que passaram a preencher o cômodo. Não estava muito longe de si, pois na verdade, estava praticamente ao seu lado.

Hoseok já preparava outra bolinha, colocando-a na ponta do tubo transparente da caneta sem o refil costumeiro da tinta preta. O viu respirar fundo antes de colocar a boca na abertura e soprar com força. Namjoon apenas acompanhou com o olhar o pequeno pontinho branco que voou pelo escritório.

— Mas o que... – Jimin olhou para trás. – Hoseok!

— Me passa a papelada. – Disse como se fosse óbvio o motivo para ter chamado a atenção do outro dessa maneira.

— Venha pegar caramba!

— Estou com preguiça. – Namjoon fez apenas uma careta quando aqueles olhos pidões foram em sua direção. Hoseok tentava ser fofo, mas estava muito longe de ser classificado como tal. – Namu...

Bufou alto.

— Era só o que me faltava.

Querendo voltar logo com seus afazeres, o loiro arrastou sua cadeira de rodinhas até a outra mesa. Nela ficava a área de trabalho de Jimin e Jin, sendo que este era um de seus grandes amigos de trabalho; contudo assim como si, não gostava de ser perturbado enquanto não acabasse logo com a papelada diária.

Pegou o maço de papéis em mãos, voltando para sua mesa em que dividia com o Hoseok, o cara mais irritante mas que por incrível que pareça também era seu amigo. Ele foi o primeiro a falar consigo quando chegou na empresa, guardando um certo carinho por isso.

— Obrigado! – Sorriu abertamente, mas ao invés de voltar ao trabalho, rasgou outro pedaço da folha em branco. O sorriso antes de agradecimento, passou a demonstrar suas ideias travessas. – Jimin...

— O que é?! – Perguntou irritado, e seu humor pareceu piorar quando foi atingido bem no meio da testa. – Qual é o seu problema?!

Sem demoras ou sequer pensar em suas atitudes, pegou um dos lápis que ficavam disponíveis na caneca com desenhos de vários pintinhos por toda sua volta. Jogou com força em direção àquele que apenas ria alto, assim como sempre fazia quando provocava alguém. Porém, o que Hoseok tinha de irritante, tinha de reflexo. Desviou sem muita dificuldade, fazendo com que o lápis amarelo fosse direto contra a nuca do rapaz de cabelos negros que estava um pouco atrás de seu alvo.

Jimin colocou suas mãozinhas em frente a boca, já sentindo o peso da culpa.

— Jungkook! – Gritou alarmado. – Meus Deus... me desculpe, de verdade!

— Ah... – O pobre rapaz esfregava o local atingindo, sentindo a dor aguda que a ponta do grafite ocasionou na região. – Tudo bem, Jimin.

Apenas demonstrou-lhe um sorriso desconfortável, já que não sentia coragem o suficiente para xingar seu colega de trabalho. Por mais que Jimin possua dedos pequenos e pareça tão frágil a quem o visse pela primeira vez, sua força era surpreendentemente grande.

Jungkook sentiu isso na pele nesse exato momento, e não gostou nem um pouco de descobrir isso. Hoseok apenas conseguiu rir mais ainda.

— Tadinho! – Passou as mãos freneticamente na cabeleira escura de seu colega, bagunçando os fios que costumavam ser tão alinhados num corte de cuia. – Como pode ter coragem de machucar ele, Jimin?

— Cale a boca que foi você quem começou! Enfie esses papéis na bunda!

— Não entendi porque você também tacou uma bolinha em mim. – Comentou Namjoon já quase terminando mais uma planilha do dia.

— Queria testar se estava funcionando.

Os dias úteis da semana sempre costumavam ser assim, com alguma perturbação vinda principalmente por parte de Hoseok. Seria mentira se dissessem que não estavam acostumado com isso, mas a sensação de irritabilidade sempre costumava ser a mesma.

E Jimin era o que com certeza mais sofria com isso.

Este apenas bufou, tentando se concentrar mesmo que ainda se sentisse culpado por ter machucado o novo funcionário da empresa. Mesmo assim, não poderia deixar de terminar a revisão daquela papelada que seu chefe sempre lhes dava, tendo um número considerável na mesa que dividia com o homem que se levantou de sua cadeira.

— Vou pegar um café. – Pronunciou. – Quer alguma coisa, Jimin?

— Vou com você, preciso sair daqui antes que não controle a minha mão voando na cara de certas pessoas!

Fez questão de aumentar o tom de sua voz conforme o término da frase, olhando de relance para o outro que lhe encarou de volta, mas que não fez nada além de dar uma jogada de ombros em desdém enquanto voltava seus olhos à folha em mãos. Jimin revirou os seus, acompanhando Jin até a cafeteria disponível na empresa.

Quando chegaram no local almejado, o cheiro forte do café preto aliviou os seus nervos pelo menos um pouco. A fumaça quente entrou por suas narinas assim que levou o copo descartável a boca, se permitindo sorrir por isso.

— Mais calmo agora? – Seokjin riu quando o viu se assustar. O silêncio havia sido abruptamente quebrado, mas Jimin não deixou sua postura se abalar por muito tempo.

— Sim, café me acalma. – O silêncio voltou novamente entre os dois, mas não por muito tempo dessa vez. – Como você e o Namjoon aguentam ele?

— O Hoseok? – O outro assentiu. – Costume. – Sorriu, bebendo seu café.

Entre os funcionários com quem dividia o escritório, Seokjin era o mais velho e o que estava a mais tempo naquela empresa. Iria fazer uns seis anos, trabalhando em frente ao computador em que havia pego uma certa afinidade com o objeto. Até um wallpaper personalizado ele havia colocado, e claro, era com uma foto sua.

Aquela mesa no canto da sala era seu pequeno mundinho, e sentiu um pouco de raiva quando teve que dividi-lo com Jimin. Se acostumou com o tempo, já que ser importunado por Hoseok era algo muito pior que isso.

O moreno que falava muito, falava alto e ainda falava coisas desnecessárias em momentos importunos; estava presente em sua vida fazia três anos. Não era tanto tempo assim para pegar a afinidade que eles tem hoje em dia, mas extrovertido e sem vergonha do jeito que o outro era, Seokjin apenas foi aceitando gradativamente a presença daquele que quando menos esperava estava frequentemente em seu apartamento.

Mesmo expulsando-o várias vezes, ele sempre voltava como se nada tivesse acontecido.

Riu sozinho quando pensou nisso, mas antes que voltasse com seu colega para o escritório assim que terminaram de beber o café, este parou de repente no meio do caminho. Direcionou seu olhar para onde Jimin parecia vidrado, vendo Yoongi adentrar um dos corredores à frente e sumir de vista.

— Ah... – Jimin suspirou. – O que eu faço?

A pergunta primeiramente não foi de entendimento do mais velho, mas bastou alguns segundos para que processasse a situação.

— Quer chamar ele pra sair?

— O-o que?! – Seu rosto estava extremamente corado.

Porém, um triste sentimento tomou o seu corpo. Não querendo pensar muito sobre isso, voltou a andar ao lado do mais alto, mas estava sendo inevitável pensar naquela pequena paixão que causava um aflorar esquisito na boca de seu estômago. Era a sensação de que como várias borboletas estivessem voando dentro de sua barriga, tendo o calor de suas bochechas como acompanhante de tudo isso.

— Ele nem deve saber que eu existo. – Falou decepcionado, fazendo com que Seokjin apenas desviasse seus olhos para um canto aleatório qualquer.

"Oh! Ele sabe muito bem da sua existência..." disse em mente, mas decidiu não comentar para que aqueles pensamentos não voltassem à tona e Jimin acabesse por perceber seu óbvio desgosto pelo rapaz da área administrativa.

Quando lembrava-se disso, a frustração era inevitável, mas Seokjin precisava superar o pé na bunda que levou com gosto.

Era um pouco egoísta pensar mais nos próprios sentimentos e descartar a possível chance que daria para o firmamento de um novo casal? Sim, mas seu orgulho falava mais alto, então não falaria com Yoongi e muito menos sobre ele.

Mas esses não eram os pensamentos de Jimin.

— Será que ele acharia estranho um desconhecido o chamar para sair? – Perguntou um pouco avoado, imaginando as diversas possibilidades que sua mente fazia para caso a situação fosse de fato acontecer.

— Com certeza. – Tentou encerrar o assunto, mas o colega não colaborou.

— Eu devia tentar?

— Não.

— Mas acho que eu vou. – Seokjin o olhou surpreso. – Não custa nada tentar.

— De onde veio essa coragem repentina?!

— Tenho pensado nisso a algum tempo, mas estava um pouco inseguro em relação a isso. Você já chamou alguém para sair sem conhecer a pessoa direito?

— Já sim. É exatamente por isso que chamamos as pessoas para sair: para conhecê-la melhor.

— Então porque não fez isso com o Namjoon quando ele entrou na empresa?

Agora foi a vez do mais alto parar os seus passos. Jimin apenas o encarou, esperando uma resposta que não veio tão rápido quanto gostaria. Seokjin sentiu as bochechas queimarem, lembrando da época em que teve um crush no amigo.

— Eu era como você, um tímido que não tinha iniciativa.

— Então você mudou bastante nesses anos. – Sorriu, apertando o botão que chamava o elevador. Estavam enrolando muito para voltarem ao trabalho. – Mas por que não investiu? Hoseok foi quem aproximou vocês dois, não é mesmo?

— Tenho que agradecê-lo por isso. – Suas palavras fizeram Jimin rir um pouco. – Só que eu não vejo o Namjoon mais com os mesmos olhos. – Ambos entraram no elevador. – E mesmo se ainda o visse como uma possível transa ou namorado, aposto que ele não sente a mesma coisa por mim. Ele é tão abobado, tão lerdo e atrapalhado, que eu meio que apenas consegui desenvolver uma amizade.

— O Namjoon é assim mesmo. – Sorriu em divertimento. – Apesar de ser inteligente pra caramba.

— Eu fico um pouco surpreso com isso.

Saíram do elevador quando chegaram no quarto andar, finalmente caminhando pelo corredor que dava acesso a porta do escritório em que sempre trabalhavam. Porém, nem mesmo Jimin sabia o que estava acontecendo consigo hoje quando acordou, estando mais sincero e até mesmo mais atrevido que o normal.

— Eu também já quis transar com o Namjoon. – Admitiu de repente.

— Você o que?!

— Por que ficou surpreso? – Riu da cara indignada de seu colega.

— Eu... – As palavras morreram em sua boca, demorando um pouco para completar a frase. – Achei que tivesse olhos somente para o Yoongi.

— Hoje em dia. – Esclareceu. – Não sou cego, Namjoon é muito gostoso e você sabe muito bem disso.

E sim, ele sabia muito bem.

Lembrou-se quando saíram para beber num final de semana aleatório em suas vidas. Estavam ele, Namjoon e Hoseok, e como sempre gostavam e estavam acostumados a fazer; bebiam para se desestressarem das responsabilidades da vida adulta. Contudo, a piscina foi alvo das ideias daquelas pessoas com a cabeça levada pelo álcool.

Nadaram pelados na piscina, e o vizinho de Hoseok quase chamou a polícia por conta disso. Foi uma noite divertida, e por mais que tratassem a situação com certa naturalidade, Seokjin reparou bastante no corpo dos dois.

Espera aí... dos dois?!

Bem, não dava para negar que Hoseok também era muito bonito.

Mesmo que tivessem voltado para seus devidos lugares em frente ao computador, pela primeira vez Seokjin se encontrava incapaz de se concentrar. Em todos esses anos havia sido um funcionário exemplar, fazendo tudo em um ótimo tempo e até mesmo tendo uma boa relação com seu chefe. Gabava-se por ser alguém focado, e ouvir elogios por conta disso aumentava o seu ego já inflado por natureza.

Desviou por alguns segundos sua atenção da tela brilhosa, olhando em direção a mesa em que seus dois amigos trabalhavam. Eles estavam da maneira que o mais velho precisava ficar urgentemente: focados, fazendo com que se sentisse um pouco inquieto por conta disso.

Quando sua visão foi por alguns momentos ao rosto de Jimin, foi como se um balde de água fria tivesse sido despejado em cima de sua cabeça. Foi por conta daquela conversa que havia ficado assim, não sabendo dizer se de fato tinha ficado com raiva dele por fazer isso consigo.

Seus olhos foram novamente em direção à Namjoon, depois para Hoseok, mas no final de tudo apenas ignorou as ideais que passavam em sua mente e voltou de vez ao seu trabalho.

Ao menos por enquanto.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...