História O Poço - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Joana, Menino, O Poço
Visualizações 8
Palavras 887
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Mistério, Suspense, Terror e Horror

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - O Poço


Fanfic / Fanfiction O Poço - Capítulo 1 - O Poço

Quando somos crianças temos medo do escuro, bicho papão, vampiros e monstros, mas quando o medo é de um grande buraco escuro e nojento, é um medo estranho né ?!, quem teria medo de poço? Joana é uma menina de 9 anos de idade, o seu medo é de poço.

 

            Joana era uma menina alegre, divertida e inteligente, mas era medrosa tinha medo de escuro, sua mãe sempre deixava a luz do corredor acesa.

             A vida dela muda quando sua mãe recebe uma carta da sua irmã, estava escrito que sua mãe recebeu uma herança, no qual a herança era uma casa que ficava em Icoaraci, sua mãe estava feliz por ter ganhado uma casa, no qual viveu a sua infância.

             A família mudou-se para casa nova, estavam todos felizes. Joana sentia falta da sua melhor amiga Laura, eram inseparáveis, mas devido a mudança tiveram que separar, mas prometeram uma a outra que iriam escrever cartas, Laura morava no centro de Belém, porém sua mãe não deixava visitar Joana, era uma mãe severa. Quando Joana entrou na casa, rapidamente foi ao quintal, era um lugar lindo, tinha uma árvore enorme, seus olhos brilhavam de alegria, ela encontrou um balanço que estava enferrujado, quando balançava fazia um barulho horrível, de repente um vento muito forte derrubou as flores que estava cobrindo o poço, Joana ficou parada em frente ao poço, ela tinha medo daquele grande buraco escuro, ela achava que lá morava monstros e tinha medo em cair lá dentro e nunca mais voltar.

            Joana respirou fundo se aproximou do poço, conseguiu ver seu reflexo na água, então brincou dizendo, tem alguém aí? Quer brincar comigo? Ela sabia que ninguém iria responder, ela estava se sentido solitária, já que não tinha ninguém para brincar, ela brincava com o poço, o medo dela estava sumindo. Sua mãe chamou ela para jantar, quando Joana se afastou do poço e caminhou em direção da porta, uma voz fraca diz: - Oi!  Eu quero brincar! Mas menina não ouviu a voz, depois do jantar escovou os dentes e foi dormir, seus pais lhe deram um beijo de boa noite e deixaram a luz do corredor acesa.

 

             3 horas da manhã, Joana estava dormindo, ela ouve a voz fraca, dizendo quero brincar, ela não acordava, a voz ficou mais forte, Joana abriu os olhos e se deparou com menino pálido, usando uma roupa antiga, ele estava molhado, parecia que tinha caído numa poça da água, Joana não conseguia gritar, estava paralisada de medo, o garoto olhava para ela e disse quero brincar com você Joana, ela ficou assustada, a menina começou a gaguejar dizendo: - Co-co –mo vo- vo- cê   sa- sa- be meu – no –no-me?  O garoto estava preste a falar, quando Joana gritou sem parar, chamava sua mãe, o garoto pediu que ela parasse de gritar, pois “ele” poderia ouvir eles. Sua mãe entra desesperada no quarto e vê Joana aos prantos, ela estava soluçando, mas conseguiu dizer sua mãe o tinha acontecido, mas sua mãe disse que foi apenas um pesadelo. Joana foi dormir no quarto dos seus pais, ela estava com medo.

            Joana sabia que os pais não acreditariam nela, ela pegou uma folha de papel e uma caneta, escreveu a primeira carta para Laura falando sobre o garoto pálido que apareceu no seu quarto a noite.

 

Icoaraci, 23 de dezembro de 1990

   Oi! Laura! Como vai?

   Estou com medo. Ontem à noite apareceu um garoto pálido e com uma roupa esquisita, ele estava todo molhado, ele disse que queria brincar comigo, não quero mas dormir naquele quarto. Mas acho que chamei ele, no quintal tem um poço, estava apenas dizendo algumas coisas, mas era brincadeira. Quando gritei, ele disse para fazer silêncio, pois “ele” poderia nos ouvir, mas afinal o que ele estava querendo dizer com aquilo? Preciso da sua ajuda!

 

   Laura nunca recebeu a carta da Joana.

            Véspera de Natal, Joana recebe novamente a visita do menino estranho, ele fala para ela não gritar e disse que não fará mal a ela. O garoto apontou para o armário dizendo que tem uma caixa com cartas que está guardada em um fundo falso, ele gostava de escrever para sua irmã que morava longe, ele disse para Joana pegar a caixa, ela desceu da cama foi em direção ao armário, a caixa estava com poeira, ele pediu que ela lê se a última carta que escreveu para sua irmã, na carta dizia o que tinha acontecido com ele naquela véspera de natal no ano 1970.

            Joana leu a carta, lágrimas escorriam pelo seu rosto delicado, cada palavra que li ficava assustada e horrorizada. O garoto olhou em seus olhos e disse: - Agora você conheceu minha história, quero que guarde essa caixa, ninguém pode saber dessa caixa. Ah! Meu nome é Tony. E ele sumiu. O quarto estava em silêncio, Joana revirava a caixa para encontrar mais informações sobre o Tony, ela encontrou uma carta com o título “adeus”, ela abriu a carta, Joana não acreditava no que estava lendo, aquilo não fazia sentido para ela.

    No final da carta dizia “ Ele foi culpado, ADEUS”

            Mas afinal o que estava escrito na carta misteriosa? O que aconteceu com a carta que Joana escreveu para Laura? Onde está Tony? Qual é a história de Tony?  E quem é “ele”?

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...