1. Spirit Fanfics >
  2. O Poder da Determinação >
  3. Aquela cena

História O Poder da Determinação - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Aquela cena


Fanfic / Fanfiction O Poder da Determinação - Capítulo 2 - Aquela cena

*ANTHONY ON*

Depois de pegar aquele martelo e colocar-lo na mochila, eu o esqueço ali dentro por vários dias.

Até que uns dias depois do ocorrido, na sala, Caio chega de surdina atrás de mim distraido, e tenta moca meus cadernos para esconder. Até que ouço ele dizendo:

- Onde que ce achou esse martelo? - disse Caio rodando o martelo como uma bolsinha.

- É-Eee nada não… - Digo tomando o martelo da mão dele.

- Osh… - Diz ele confuso.

- Mas fala, onde que ce achou isso? - Pergunta Caio insistente.

- É-Eeee…. - Tento dar uma desculpa mas algo me interrompe.

-•°AUTO FALANTE LIGAM°•-

-•° Atenção!! Aqui é a Líder do Jornal local, Brunna do 1 ano A, venho comunicar a todos os alunos que ocorrerá um P1 no Auditório, peço a compreensão de todos, Obrigada. °•-

-•°AUTO FALANTE DESLIGAM°•-

Ao fim daquele aviso, me viro para Caio dizendo:

- Bora lá Caio - Digo levantando da cadeira.

- Anem to com pregui-i… - Diz Caio sendo puxado pelo braço por mim.

Saindo da sala de aula, juntamente com os demais alunos fomos para o auditório onde não era muito longe.

Ao chega, conseguimos achar bons lugares no fundão e ficamos ali assistindo.

*NARRADOR ON*

P1 é um termo técnico que significa "Palestra Obrigatória", onde os alunos são obrigados a assistir determinada palestra para fins educacionais.

Alexandre líder do comitê de publicidade, do 8 ano A, pega um dos microfones e inicia a palestra.

*NARRADOR OFF*

-=30 minutos depois=-

- Nossa cara, que tédio que ta aqui[...] - Digo desanimado.

- E mais uma palestra sobre a importância da Astrologia[...] Diz Caio decepcionado.

- Bora pra sala? - Pergunta Caio esperançoso.

- Bora - Falo concordando com a cabeça.

Assim voltamos para a sala.

-=Enquanto isso=-

*CAROL ON*

Depois de ouvir aquele recado dos autos falantes da sala, bate aquela preguiça de ir lá. Me viro pro rumo de Fran e digo:

- Vamo na Lydía comigo? - Digo com uma cara de dó.

- Nei amarrada de costa pro Tiogo - Diz Fran revoltada.

- Pfv… - Digo implorando ajoelhada.

- Não poha - Diz Fran enfurecida.

- Ta… - Digo levantando emburrada.

Me levanto do chão frustada com Franciny e saio dali a deixando sozinha, atravesso a porta e vou em direção da sala de Lydía.

Como o centro das atenções estava naquela palestra desnecessária, não iriam vim encher o meu saco depois. Ao chegar na sala dela, vi que estava vazia, logo deduzi que ela foi me procurar juntamente com a Soninara.

Andando errante pelo colégio sozinha perco a paciência, e decido voltar pra sala, mas percebo algo estranho.

Vi que todas as salas estavam com as portas abertas, exceto uma, que estava bastante suspeita. Como eu não sou idiota comecei a ir embora normalmente mas algo me chama a atenção pra debaixo daquela porta, e vejo a blusa de Lydía.

Sem pensar duas vezes, arrombo aquela porta com um chute e entro com tudo[…] mas logo fico aflita[…]

*MAYCOW ON*

Depois de mete o pé daquela palestra, decido procura o Caio pra falar de anime e tals. Até que nos corredores avisto Carol metendo um fucking chute numa porta e entrando com tudo naquela sala. Como sou curioso, sigo ela mas fico sem entender nada pois ela havia do nada ajoelhado no chão logo depois que entrou.

Sem reparar muito naquela sala, me agacho do seu lado e pergunto o que havia acontecido mas ela só soluçava[…]

Até que olho em nossa volta e fico perplexo com a cena:

Lydía, a amiga da Carol, estava fincada na parede daquela sala toda ensanguentada com a cabeça decapitada, que a mesma estava no chão sem vida alguma. Percebia que ela estava de olhos abertos cheios de lágrimas[…]

Fico em choque pois não vejo coisas assim com frequência, olho para Carol que está chorando[…] e entre os seus cachos se perecia que ela estava com as mãos no rosto e soluçando sem parar.

Sem ter o que fazer, abraço ela e pergunto:

- Você sabe o que ouve? - Digo abalado.

- N-nn-nã-oo-o… - Disse Carol soluçando repentinamente.

- Calma Carol… Ela deve ter ido para um bom lugar. - Consolo ela.

Mas ela não conseguia falar por conta dos soluços, com isso, fico ali com ela por alguns instantes até que uma voz feminina fala:

- Que bunito não é?! - Dizia o ser atrás de nos.

Assustados, nois nos soltamos do abraço e vimos a dona daquela voz[…], era Valentina, líder do comitê de dança, do 1 ano C.

- Porque não estão na palestra, seus fi de peste? - Disse Valentina furiosa.

- E-ee-e que….. - Tento dizer algo mas gaguejo sem parar.

- Quem foi? - Diz Valentina apontando para o corpo de Lydía.

- N foi a gente, nois achamos ela ass-ii… - Tento explicar mas ela me interrompe.

- Acredito - Disse Valentina nos pegando pelos braços.

- Até parece que vocês não tinham contas pendentes para acertarem. - Diz Valentina arrogante.

- Ei me solta carniça - Gritavam eu e Carol.

- Enquanto o responsável não aparecer, vcs vem comigo - Disse Valentina apertando ainda mais suas mãos.

- Só um milagre pra nos tira dessa… - Digo sem esperanças.

- Fudeu, essa pirralha é difícil de convencer […] a típica cabeça dura - Dizia Carol mentalmente.

Até que um ser brota na nossa frente, e incrivelmente nossaa pressas foram ouvidas!


Notas Finais


Tenham paciência que logo sairá novos capitulos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...