História O Poder do seu Amor - Capítulo 20


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Angélica Vale, Jaime Camil, Personagens Originais
Tags Afmb, Amor, Angélica Vale, Fernando, Jaime Camil, James, La Fea Mas Bella, Lety, Los Angeles, México, Miami, Originais, Romance, Valecida
Visualizações 12
Palavras 1.908
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Devido as poucas visualizações, e a mina falta de tempo. Esse é o penúltimo capitulo da estória.

Capítulo 20 - Capitulo 19


(Adamari) – Então... Eu acho que estou amando!

Adamari suspira e Angie e eu nos olhamos.

(Eu) – Explica isso direito!

(Adamari) – A gente começou a conversar... E ele ficou um tempo me encarando... E eu achei que estava tendo alguma coisa... Até que eu encostei nele...

... Lembrança...

(Adamari) – Ramon?... Você está bem?

(Ramon) – Si... Sim!... É que eu me distraí... Um pouco!

(Adamari) – Ah... Sim... Você trabalha em que área da empresa?

(Ramon) – Trabalho com a área de marketing... Diretor na verdade!

(Adamari) – Humm... Estou conversando com um homem importante... Da Universal!

(Ramon) – Não é para tanto... Sou só um funcionário!

(Adamari) – Tenho certeza que você é um ponto chave na empresa!

(Ramon) – Ok... Eu assumo... Sou sim... Mas meu trabalho é chato... Comparado ao seu...

(Adamari) – Você conhece meus trabalhos?

(Ramon) – Conheço muitas coisas sobre...

(Adamari) – Sobre... Mim?

(Ramon) – Na verdade sim!... Po... Pode parecer meio assustador... Mas eu seu muitas coisas sobre você!

(Adamari) – Sabe?

(Ramon) – Sim... E uma das minhas personagens favoritas que você fez foi a Ofélia... Em Amigas e Rivais... Ali você foi fantástica... Você foi... Incrí... Vel!

(Adamari) – Obrigada... Foi um choque e tanto para a época... Ter uma personagem soropositiva... Foi uma experiencia muito boa... Eu aprendi e ensinei para os telespectadores.

(Ramon) – Sim... Foi muito bom mesmo... Mas... Mudando de assunto... Como anda sua vida agora?

(Adamari) – Vai bem... Obrigada... Estou para começar um novo projeto... Que sinceramente está me deixando muito ansiosa.

(Ramon) – Será que você poderia contar... Para seu fã número um?

(Adamari) – Fã número um?

(Ramon) – Sim... Você nem faz ideia do quanto sou seu fã!

(Adamari) – Então me mostra!

“Pensamento Adamari – O que me deu para falar isso?”

“Pensamento Ramon – Essa é minha hora!”

(Ramon) – Se você insiste!

Ramon se aproxima de mim e acaricia meu rosto. E fica tão próximo que eu consigo sentir sua respiração. E automaticamente fecho meus olhos. E em seguida sinto os lábios dele nos meus. Na hora me assusto, mas quando eu sinto seus braços em volta da minha cintura, eu me entrego ao beijo.

(Adamari) – Ra...

(Ramon) – Me desculpa... Mas eu já esperei de mais por essa oportunidade!

(Adamari) – Como assim?

(Ramon) – Há um tempo atrás... O Otto me chamou para ir com ele em um encontro de casais... Eu sairia com a Angelica... E... Ele com você...

(Adamari) – Comigo?

(Ramon) – Sim!... Mas quando eu cheguei... Eu vi a mulher uma mulher linda... E me apaixonei na hora... Então furei o encontro... E menos de um mês depois... O Otto se apaixonou pela Angie... E...

(Adamari) – Espera... Eu lembro desse dia... A Angie ficou tão impressionada com o Otto que ela nem ligou do par dela não ter ido... Então era você!... E... A Mulher era...

(Ramon) – Você!

(Adamari) – Eu?... Mas...

(Ramon) – Eu me apaixonei por você... Assim que eu te vi!... E desde aquele dia... Eu nunca te tirei da minha cabeça!

(Adamari) – Você é apaixonado por... Mim?

(Ramon) – Sou sim... Eu sei que é muita informação... Mas... Eu estou muito feliz... Por finalmente ter conseguido... Te conhece e te beija...

(Adamari) – Sim!

(Ramon) – Eu sei que me precipitei... Mas você aceita sair comigo para jantar hoje?... Ai a gente se conhece melhor!

(Adamari) – Aceito sim...

 

... Fim da lembrança...

(Angie) – Então vocês vão sair hoje?

(Adamari) – Sim... E eu já vou indo... Tenho que escolher minha roupa!

(Eu) – Vai de vestido!

(Adamari) – Vestido?

(Angie) – É... Já vai ajudar o serviço dele!

(Adamari) – Angelica!... Respeita a menina!

(Angie) – A Fernanda se duvidar... Sabe de mais coisa que nós duas juntas!

(Adamari) – Sério?

(Angie) – Sim!

(Eu) – Ei eu estou aqui... Sabiam... Mas eu concordo com a Angie... Vai de vestido... Vai facilitar muita coisa!

(Adamari) – Então está bem... Tchau meninas!

Nos despedimos dela e em seguida Otto aparece dizendo que já iriamos para a casa do Jaime.

(Angeliquita) – Mamãe?... A gente está indo para a casa do dindo?

(Angie) – Sim meu amor!

(Angeliquita) – A Nanda vai embora?

(Ellen) – Vai Angeliquita... Mas logo ela volta!

(Angeliquita) – Promete?

(Eu) – Eu prometo... Meu amor!

(Angeliquita) – De dedinho?

(Eu) – De dedinho!

Fomos o caminho todo conversando, e já planejando quando seria a próxima visita.

(Otto) – Chegamos!

(Cadu) – Amor?... Que saudade!

(Eu) – Eu também estava!

(Jaime) – Família!... Finalmente... Vem entrem... Sintam-se em casa!

(Angie) – Obrigada James!... Cadê a comadre?

(Jaime) – Foi no mercado... Já deve estar chegando!

Ficamos conversando por um bom tempo, Heidi chegou e já entrou na conversa também. Quando vimos, já estava bem tarde. E cada um foi para os seus quartos.

(Cadu) – Você está bem?

(Eu) – Eu estou sentindo uma coisa estranha... Sei lá!

(Cadu) – O que você está sentindo?

(Eu) – Angustia... Não sei explicar... Parece que vai acontecer alguma coisa... Ruim!

(Cadu) – Fica calma... Não vai acontecer nada... Vem vamos dormir... Que amanhã vai ser cansativo!

Fomos dormir e eu percebia que a Fernanda, realmente não estava bem. Ela estava de mexendo mais que o normal na cama. Então eu puxei ela mais para perto e ela se aconchegou no meu corpo, e se acalmou. No dia seguinte eu acordei primeiro e fui pegar alguma coisa para a gente comer no quarto.

(Heidi) – Bom dia!... Onde está a Nanda?

(Cadu) – Está dormindo... Ela ontem não estava se sentindo bem!

(Heidi) – O que ele sentiu?

(Cadu) – Estava angustiada... Ela não soube explicar... E dormiu muito mal... Se mexia muito na cama.

(Heidi) – Tadinha!... Vai levar o café dela?

(Cadu) – Vou sim... Vou fazer até um suco de laranja para ela...

(Heidi) – Tem donut... Ali... Sei que ela gosta!

(Cadu) – Gosta sim... Vou levar um crepe com gotas de chocolate... Também!

(Heidi) – Coloca aqui... Nessa bandeja!

Fiquei alguns minutos preparando tudo e sui para o quarto. E quando cheguei lá, a cama estava vazia.

(Cadu) – Amor?

(Eu) – Estou aqui no banheiro!... Por que... Hum... Café da manhã na cama?

(Cadu) – Para o meu amorzinho!...

(Eu) – Que homem... É esse que eu fui arrumar em?... Por que tudo isso?

(Cadu) – É que ontem você... Estava um pouco para baixo... Então resolvi fazer... Como você está hoje?

(Eu) – Bem melhor... Eu acho que era cansaço... Não estou mais sentindo nada... Só uma fome de 10 mendigos!

(Risos)

(Cadu) – Então vamos comer... Que eu também estou morrendo de fome!

Ficamos tomando o café e conversando. Já que as malas estavam prontas no closet.

(Eu) – Vamos descer... Quero aproveitar o tempo com eles...

(Cadu) – Claro!

Descemos a escada e não encontramos ninguém.

(Eu) – Ué... Cadê todo mundo?

(Santana) – Bom dia!... Eles foram na escola das crianças... Tinham uma reunião.

(Cadu/ Eu) – Bom dia!

(Cadu) – Mas eles demoram?

(Santana) – Vão chegar depois do almoço... As 15:00 horas!

(Eu) – Ok... Obrigada Santana!

(Santana) – Com licença!

(Cadu) – Que tal a aproveita... Em?... Já que estamos sozinhos?

(Eu) – Uma ótima ideia!

Aproveitamos que estávamos sozinhos, e apertei a bunda dela. Que soltou um gemido.

(Eu) – Ca... Du!

(Cadu) – Olha como você me deixa... Senti aqui...

Coloquei a mão dela no meu pênis. Que endureceu mais com o toque.

(Eu) – É... Da para o gasto!

(Cadu) – Para o gasto?... Vou te foder bem gostoso...

Falei mordendo seu pescoço e pressionando o seu clitóris. Já que ela estava de costas para mim.

(Eu) – Cadu!... Aqui... Nã...

Aproveitei que estava com um short largo e enfiei dois dedos na vagina dela.

(Cadu) – Molhadinha... Assim que eu gosto...

(Eu) – Cadu!... Mais... Rá... Pido...

(Cadu) – Isso... Geme... Vai...

Dei mais duas estocada e ela gozou nos meus dedos. E em seguida chupei meus dedos limpando eles. Eu conseguia ainda sentir ela estremecendo nos meus braços. Peguei ela no colo e levei para o quarto, deitei ela na cama e comecei beijando o pescoço, a fazendo gemer.

(Eu) – Cadu... Para de me torturar!

(Cadu) – Me pede o que você que!... Que eu faço.

(Eu) – Me fode... Com gostoso...

Tirei a roupa dela e cai de boca na boceta dela. Sentindo seu sabor maravilhoso, que eu já era viciado. Enfiei a língua fazendo com que ela arqueasse as costas, e começasse a gemer mais alto. Tirei minha língua e coloquei dois dedos dentro dela, e comecei a estocar rápido e com força. Cada gemido que ela soltava, eu ficava mais excitado e dolorido por ainda estar de calça. Poucos minutos depois ela gozou, e me deu um sorriso safado, que fez o meu crescer mais ainda.

(Eu) – Deita... Agora é a sua vez!... Vou fazer você gozar... Bem gostoso!

Ela nem me deixou falar nada, já foi me jogando na cama e arrancando minha bermuda. Eu conseguia vê nos seus olhos a fome que ela sentia naquele momento. E aquilo estava ficando bom demais. Ela sentou nas minhas pernas pressionando meu pau, que ficou muito duro e incomodando.

(Cadu) – Como você é gostosa...

(Eu) – Você ainda não viu nada!

Fernanda me beijou com força fazendo minha boca ficar latejando quando ela se afastou. Desceu pelo meu pescoço e foi beijando minha barriga, até chegar no cós da calça. Eu não sei o eu estava acontecendo com ela, mas eu estava amando aquele lado selvagem. Desabotoou a calça e desceu junto com a cueca que eu usava. Se afastou e ficou olhando para o meu pau, que só com o olhar que ela lançava ficou ereto na sua direção.

(Cadu) – Gostou do eu está vendo?

(Eu) – É lindo... E todinho meu!

(Cadu) – Só se...

Não consegui terminar de falar ela já foi abocanhando meu pau, sem aviso. E logo senti ele ater no fundo da garganta dela, me dando um arrepio.

(Cadu) – Isso... Engole... Tudo!

Quanto mais eu gemia mais ela colocava para dentro, e eu quase gozei na boca dela.

(Cadu) – Amor... Eu estava quase lá...

(Eu) – Shiii... Você vai gozar dentro de mim...

(Cadu) – Com o maior prazer... Senta aqui!

Fiz ela se sentar e ela começou a cavalgar, num ritmo gostoso. Que estava me deixando com as pernas moles.

(Eu) – Ahhhh... Mas rápido amor!

Então aumentei velocidade das investidas acertando em cheio ponto G, há fazendo ter um gozo intenso nos meus braços. Eu nunca tinha visto ela gozar assim, foi lindo vê ela entregue daquele jeito. E não aguentando ela me mordendo intimamente gozei também.

(Cadu) – Ohhhhh... Ohhhhhh...

Ficamos recuperando a respiração, até que senti ela beijando meu pescoço.

(Eu) – Amor... Você foi demais!

(Cadu) – Não você foi demais... Foi maravilhoso!

(Eu) – Despedida em alto estilo...

(Cadu) – Foi sim... Em grande estilo!

(Eu) – Você me deixa dormir um pouquinho... Você exigiu muito de mim!

(Cadu) – Não mocinha... Você que exigiu de mim... Mas dorme sim... Vou ficar aqui com você!

Acabamos pegando no sono, e só acordando com batidas na porta.

(Jaime) – Crianças... Hora de acordar...

Acordei com a voz do Jaime nos chamando.

(Cadu) – Já vamos...

(Jaime) – Não demora... Se não vão perder o voo!

(Cadu) – Ok!... Já vamos!... Amor?... Acorda!

(Eu) – Não... Eu estou cansada!

(Cadu) – Eu também... Mas a gente descansa no avião.

Nos arrumamos e fomos para o aeroporto. Já tínhamos nos despedido de todos e já estávamos dentro do avião.

(Eu) – Amor!... Eu vou dormir!

(Cadu) – Eu também vou!

Parece que a viajem passou num piscar de olhos, dormimos a maior parte do tempo. Só acordamos com a comissária avisando que já íamos pousar. Fizemos o checkout e fomos para a parada de táxi. Como já era 22:00 da noite nós iriamos para a minha casa.

(Taxista) – Boa noite... Para onde vamos?

Passei o endereço e o taxista começou a movimentar o carro.

(Taxista) – Mais que droga!

(Cadu) – O que foi?

(Taxista) – Fecharam a rua... Está tendo arrastão!


Notas Finais


Desculpa pela demora para postar o capitulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...