História O Poder e a Dor - Capítulo 41


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Denki Kaminari, Eijirou Kirishima, Enji Todoroki (Endeavor), Fumikage Tokoyami, Fuyumi Todoroki, Hanta Sero, Hizashi Yamada (Present Mic), Izuku Midoriya (Deku), Katsuki Bakugou, Mei Hatsume, Mina Ashido, Minoru Mineta, Momo Yaoyorozu, Neito Monoma, Ochako Uraraka (Uravity), Personagens Originais, Shouta Aizawa (Eraserhead), Shouto Todoroki, Tenya Iida, Toru Hagakure, Toshinori Yagi (All Might), Tsuyu Asui, Yuga Aoyama
Tags Amor, Boku No Hero, Depressão, Hentai
Visualizações 79
Palavras 3.662
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Bishounen, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shounen, Violência
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eai pessoal! Tenho comentários de Depressed ainda para responder, me desculpem, pretendo responder a todos, andei meio sem tempo mas amanhã eu conseguirei me atualizar de tudo!

Boa leitura <3

Ah, capítulo com conteúdo sexual delicioso e explicito, se não curte yaoi eu nem sei o que tu ta fazendo aqui, na verdade kkkkkk

Capítulo 41 - Apenas um Jogo...


Pego uma das inúmeras barras de chocolate e abro a embalagem para comer, todas as garotas já entraram e se ajeitaram entre a cama e o chão, Mina ficou sentada no chão bem de frente para mim, que estou sentada no meio da cama, faço menção de morder o chocolate e sou impedida pela rosada que toma o doce das minhas mãos.

- Ei Ashido, qual é... – resmungo frustrada e suspiro ao notar seu semblante solene ao olhar para as garotas ao redor, como se estivesse fazendo suspense para dizer uma grande notícia.

- Então meninas, temos muito o que colocar em dia hoje, mas primeiro vamos começar com a Hatsune – ela declara e falta apenas reverenciar a todas tocando um gongo, dou uma risada de escárnio pela solenidade desnecessária e me surpreendo ao escutar perguntas pipocando de todos os lados de repente.

- Konan, como foi que você parou nesse triângulo amoroso? – Momo pergunta apertando uma almofada em seu colo e refletindo a expectativa em seus olhos.

- Vocês três se beijam ao mesmo tempo, kero? – Tsuyu questiona e me pego até pensando sobre isso. Nunca houve um beijo triplo, mas seria estranho demais.

- Você consegue andar depois do sexo ou precisa de muletas? – Mina faz a pergunta com um sorriso sacana e dou risada quando algumas das garotas ficam coradas de vergonha. Ela sabe muito bem que algumas de nós ainda permanecem “puras” quanto a esse tipo de coisa.

- Ashido! – Ochako exclama com o rosto em chamas e as mãos posicionadas na cintura.

- Uraraka! – Mina responde no mesmo tom, mas ostentando o deboche em sua face. Dou risada da situação e pego meu chocolate de volta, conseguindo de fato morde-lo dessa vez.

- Hagakure – A garota invisível entra na onda e exclama o próprio nome erguendo os braços para cima. Balanço a cabeça ao notar que a rosada acabou levando a conversa para um rumo diferente por alguns segundos, mas logo mais uma pergunta leva o foco para mim novamente.

- Tirando você da equação, qual deles fica por baixo? – Jirou questiona e os olhares automaticamente recaem sobre mim. Reviro os olhos com a pergunta e dou mais uma mordida na barra de chocolate pensando em como responder, espero que eles estejam melhores que eu neste momento.

-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-_-

Narrado por Bakugou Katsuki

Entro no quarto sendo seguido de perto pelo meio a meio, olho para ele rapidamente encontrando a sua cara impassível de sempre e apenas aprecio sua presença, tentando não pensar demais nas palavras de Hatsune. Aquela fujoshi doida e pervertida, acaba me contagiando com sua imaginação fértil e sedenta por sexo. Não que eu ache ruim, mas me deixa deveras... ansioso. Jogo a mochila em qualquer canto e me jogo na cama, observo o bicolor pousar sua mala próxima a minha de forma delicada, ele se aproxima e senta-se na cama olhando-me inexpressivo.

- O Kirishima já sabe – eu declaro olhando para o teto enquanto apoio ambas as mãos abaixo da cabeça, deixando os cotovelos abertos sobre o travesseiro. Decido dizer apenas para começar um assunto, eu já pretendia dizer ao cabelo de merda, já que sempre o considerei o único idiota que aguenta ser meu melhor amigo. A reação dele foi realmente engraçada.

- Deixa eu ver se eu entendi, você namora com a Hatsune, que namora com o Todoroki, que no caso também é seu namorado e vocês três se namoram simultaneamente? – ele questiona olhando para os dedos como se estivesse fazendo contas de matemática. Reviro os olhos e bufo com a sua dificuldade em assimilar. Por que eu fui abrir minha boca mesmo?

- É isso ai, cabelo de merda – respondo simplesmente para acabar com este assunto. Ele me analisa por longos segundos e temo por uma reação negativa quanto aos fatos.

- Poxa Bro, eu to felizão por vocês, isso é estranho demais ta ligado, mas eu não achei que você ia arrumar uma pessoa, imagina duas – ele exclama passando o braço pelos meus ombros em um meio abraço e apenas balanço a cabeça bufando de irritação.

- Vai se foder, Ejirou

 

Todoroki me olha e apenas dá de ombros, mostrando que para ele não há problemas quanto a isso.

- Midoriya também já sabe – ele diz e eu fico completamente puto com a menção do idiota, mas acabo por relevar, é provável que ele já soubesse muito antes da gente realmente oficializar isso.

- Acho que esse puto sempre soube, Shouto, a gente praticamente esfregou isso na cara dele – declaro irritado, me inclino para o lado e pego um pacote de balas ácidas no gaveteiro ao lado da cama, tiro a embalagem de uma e coloco na boca, mastigando e sentindo o sabor azedo e forte enchendo a minha boca, deixo o papel sobre a cama e noto o bicolor pegando o mesmo e começando a dobra-lo cuidadosamente.

- Ah, então por isso ele não ficou muito surpreso – o rapaz diz inclinando a cabeça para o lado levemente enquanto franze as sobrancelhas denotando sua perplexidade. Porra, esse cara é um tarado sem qualquer mínima inocência, mas tem certas coisas em que ele é lerdo pra caralho. Não posso negar que acho isso fofo, sua expressão de confusão o deixa adorável.

- Você é lerdo de um jeito adorável – digo me sentando e puxando-o para um beijo, fazendo com que ele parasse de dobrar mais um dos papeis de bala para levar suas mãos ao meu rosto. Sua língua toca a minha com volúpia e travamos uma batalha em nossas bocas com um ligeiro sabor de morango sobressalente em meu paladar, misturando-se com o hálito fresco e mentolado do bicolor. Me afasto olhando-o com seriedade e noto uma coloração avermelhada desponta em suas bochechas.

- É estranho ouvir isso de você – ele comenta com sinceridade e acabo rindo de sua constatação.

- Eu não vou ser um viado assim o tempo todo, então aproveite – respondo arqueando uma das sobrancelhas e fico vidrado no sorriso de Todoroki, com os dentes perfeitamente alinhados à mostra, o que é raro e eu gosto.

Pego meu celular para ver se há notificações nas redes sociais e passo as telas com os aplicativos, vejo alguns jogos de FPS e lembro-me de Konan xingando os caras no servidor online.

- E sobre aquilo que a Hatsune comentou... Faremos algo a respeito? – o bicolor questiona se aproximando do meu rosto com um olhar intenso, suas irises bicolores percorrem aminha expressão impassível e não deixo de sorrir quando seus lábios pousam sobre o meu queixo em um beijo delicado.

- Você parece mesmo querer isso, mas to afim de jogar antes – vejo sua expressão murchar um pouco e dou risada de sua decepção. Uma ideia perversa me vem à mente e ele não perde por esperar pelo jogo que estou planejando. Levanto-me da cama e ligo a televisão, aperto o botão de inicialização do videogame e jogo o controle na cama ao lado do rapaz, ele retira os tênis e as meias e se senta sobre a cama com as pernas cruzadas, tiro a camisa e pego algumas coisas na mochila que eu creio serem necessárias para o que pretendo fazer. Volto a me sentar e deixo as coisas no chão ao lado da cama, fora das vistas de Todoroki.

- O que vamos jogar? Sabe que eu não sou muito bom nisso que nem você e a Hatsune – ele declara olhando para a tela e passando pelos jogos de mídia digital. Fico sentado com as costas apoiadas na cabeceira da cama e puxo seu corpo para que ele fique sentado entre as minhas pernas, com as costas apoiadas no meu peito. Arranco a camisa e jogo no chão, pegando o controle de suas mãos para configurar o jogo. Escolho um jogo de apocalipse zumbi e devolvo o joystick para o bicolor quando a partida está prestes a começar.

- Você primeiro, se conseguir ganhar a partida eu te dou um prêmio – Claro que coloquei o modo recruta para que ele não tivesse muitas dificuldades, já que sua habilidade será comprometida. Ele pausa o início da partida e olha para trás com as sobrancelhas erguidas.

- Eu posso escolher? – ele questiona e sorrio com seu entusiasmo, creio que nem há necessidade, o prêmio que tenho em mente não beneficiará somente a ele.

- Pode, é claro – respondo por fim e puxo seu corpo para colar no meu, ele reinicia a partida e logo começa a jogar, ele mata alguns dos zumbis que ainda permanecem em pouca quantidade, ele terá que sobreviver por 6 minutos dentro da partida e creio que é tempo o suficiente para deixa-lo insano. Levo minhas mãos à sua cintura de forma inocente, mas logo subo as palmas por seu abdômen e arranho levemente sua pele.

- Katsuki, assim eu não consigo me concentrar – ele diz com a voz grave e redundante, como se realmente estivesse se esforçando para vencer o desafio. Sorrio diabolicamente e mordo o lóbulo de sua orelha antes de responder.

- Eu sei, então se esforce um pouco mais – sussurro subindo a mão direita para seu peitoral e aperto seu mamilo com os dedos, fico satisfeito com o suspiro sôfrego do rapaz e observo seu desempenho no jogo. Ele ainda está conseguindo lidar com facilidade, então talvez seja a hora de dificultar um pouco mais. Levo minha mão esquerda até a barra de sua calça e coloco minha mão sobre seu pênis, sentindo-o já excitado com poucos toques – Está tão concentrado nisso que já está até armado...

- Bakugou... – sua voz tem um leve tom de advertência e levo isso como um incentivo para abaixar um pouco suas calças junto com a cueca boxer vermelha, tiro seu pau de dentro da peça e começo a masturba-lo lentamente, continuando as carícias em seus mamilos. Ele não tira os olhos da tela e aperta o controle em suas mãos com um pouco mais de força, ouço sua respiração acelerar quase sobrepondo-se ao som dos tiros e gritos dos zumbis. Passo a língua por seu pescoço e noto quando o bicolor tensiona o maxilar.

- Se quiser seu prêmio terá que vencer – eu provoco-o mais uma vez aumentando a velocidade da minha mão sobre seu falo rijo e latejante, suas pernas dobram-se e tensionam com o estímulo, ele inclina seu corpo para trás apoiando-se em mim um pouco mais e seu esforço para manter os olhos abertos é notável, dou risada de sua determinação para ganhar e decido apelar um pouco mais. Deixo um chupão na sua nuca e aperto seu mamilo com força, fazendo-o gemer e jogar a cabeça para trás, apoiando-a em meu ombro, fico surpreso ao notar que ele permanece na partida e quase vencendo, diga-se de passagem. – Só deixarei você gozar se terminar a partida.

- Puta que pariu... – o xingamento em sua voz contida pelo esforço me faz sorrir e me sinto pleno por vê-lo tão desesperado, seu peito sobe e desce rapidamente pela respiração ofegante que o proporciono com as carícias ora rápidas e ora vagarosamente tortuosas, seu rosto está corado e seus dentes cerrados, suas mãos tremem um pouco, mas ele continua firme em sua determinação. Vejo que restam apenas 10 segundos para o término da partida e acelero os movimentos, inclino meu corpo um pouco mais para trás e levo-o junto comigo, arranho seu peito e mordo seu pescoço no exato momento em que ele finaliza a partida e larga o controle ao seu lado, levando suas mãos às minhas coxas. Ele goza gemendo meu nome de um jeito extremamente sexy e sinto meu próprio pau clamando por contato. Limpo minha mão em sua camisa, que já havia sido atingida de qualquer forma e retiro a peça do seu corpo, permitindo que sua dorsal fique contra o meu peito sem qualquer tecido interpondo-se no contato de nossas peles.

- Pode escolher seu prêmio – falo divertido observando a expressão etérea de Shouto ao me olhar de forma intensa, as cores vivas dos seus olhos lentamente perdendo espaço para suas pupilas dilatadas pelo tesão.

- Eu quero você – ele declara e sorrio perverso, puxo seu rosto para um beijo, mas me afasto quando o mesmo faz menção de colocar a língua em minha boca, mordo seu lábio e puxo seu cabelo afastando-o novamente. 

- Isso você já tem – respondo com um brilho nos olhos e vejo sua expressão se fechar e tornar-se ameaçadoramente séria.

- Eu quero você me fodendo, então – ele reitera e suas palavras tem um efeito direto no pau que parece se mover dentro das boxers apertadas.

- Ótimo, isso eu ia te dar mesmo se tivesse perdido – falo e o rapaz se ergue virando-se na minha direção, suas mãos espalmam em meu peitoral e me arrepio com a sensação quente e fria que suas palmas me proporcionam, beijo-o dessa vez de forma selvagem e carnal, ele busca a proximidade de forma urgente, mordendo minha boca e passando a ponta da língua por meus lábios em seguida. Deixo os instintos me guiarem e inverto nossas posições, ficando por cima de Todoroki, me livro das minhas calças e faço o mesmo com as dele, tirando um pequeno intervalo de tempo para analisar seu corpo de cima à baixo.

- Vai ficar só olhando, Kacchan? – ele pergunta me provocando com esse apelido tosco e fico ainda mais irritado por ficar excitado com sua voz rouca clamando por mim dessa forma. Como um felino eu me aproximo do rapaz e fico sobre seu corpo, levo minha boca ao seu peito e deixo minha língua passear pelo seu peito, demorando-me um pouco mais para morder seu mamilo, conseguindo um gemido em troca. Pego o lubrificante que havia deixado no chão ao lado da cama e com a outra mão simplesmente arranco a peça que restava sobre o corpo de Todoroki, vejo seu pau começando a se erguer novamente e despejo um pouco do gel sobre os dedos. Afundo meu rosto em seu pescoço, deixando lambidas e mordidas pela extensão da pele alva e sorrio com o arfar do bicolor ao sentir meu dedo indicador penetrando-o lentamente.

- Eu vou comer seu cu até você não aguentar mais, é bom eu te preparar bem porque meu pau vai te arrombar pra caralho – declaro em seu ouvido movimentando meu dedo em seu interior, noto que ele fica ainda mais excitado e relaxado quando falo coisas sujas em sua orelha e sorrio com a nova descoberta – Você gosta de me ouvir falando putaria, interessante...

- Sua voz é excitante e o que você diz é ainda mais – ele fala ofegando entre as palavras, levo um segundo dedo para penetra-lo e vejo-o morder o lábio e mover os quadris um pouco incomodado. Lembro-me do que ele havia feito comigo e procuro o mesmo local, creio que foi marcante demais para que eu esquecesse daquilo.

- Deixa eu ver... Como era mesmo? – eu declaro passando minha língua sobre a clavícula de Shouto e suas mãos em meus ombros me apertam um pouco mais, olho para seu rosto e observo o mesmo me fitando com atenção, inebriado pelo tesão.

- Do que você está... – ele para de falar no meio da frase levando a mão à boca para abafar o gemido alto que ecoa do fundo de sua garganta, curvo meus dedos novamente acariciando a carne esponjosa em seu interior, identificando corretamente o local que o deixa totalmente vulnerável, suas pernas se abrem um pouco mais e seus olhos estão fechados com força enquanto ele procura sugar ar para seus pulmões, ainda mantendo a mão sobre os lábios para evitar que os sons do seu prazer se tornem compartilhados entre os outros alunos.

- Não imaginei que seria tão fácil – falo aumentando a intensidade dos movimentos e permaneço com os olhos sobre o rosto de Todoroki ao juntar mais um dedo em seu ânus, seus olhos se arregalam e ele coloca as duas mãos sobre a boca, uma sobre a outra, me olhando com temor e tesão solidificados em um único sentimento que me faz transbordar de adrenalina. Tiro meus dedos e procuro pela camisinha ao lado, noto que o bicolor tira as mãos do rosto e respira profundamente tentando se acalmar, tiro a boxer e posiciono o látex sobre o meu pau rapidamente já sentindo a impaciência me tomar para que eu o foda de uma vez.

- Como será que a Konan está agora? – ele questiona trêmulo e penso que deve ser apenas para se distrair do fato de que eu vou fode-lo pela primeira vez desde que estivemos dentro desse relacionamento.

- Melhor que nós com certeza não está – declaro com a voz baixa e deixo um beijo no canto da boca de Shouto, sentindo-me um tanto apreensivo de repente, eu já superei o fato de estar transando com um cara, isso não me incomoda nenhum pouco, mas isso não altera a recíproca de que nunca fizemos assim até agora. Roço a cabeça do meu pau sobre a entrada molhada de Todoroki e sinto suas mãos apertando minha cintura com certa brusquidão. – Está tudo bem?

- Sim, é que... faz um tempo desde que eu... – entendo o que ele quer dizer e não perco meu tempo pensando no filho da puta que já comeu meu namorado. É claro que eu sempre soube que Todoroki é o mais experiente nessa questão dentre nós três, o que é deveras estranho e surpreendente. Colo nossos lábios perdendo totalmente a intenção de foder de forma animalesca e agressiva depois de ouvir suas palavras. Levo minha mão esquerda à sua cintura e passeio minhas digitais por sua pele até alcançar sua nádega, aperto levemente enquanto penetro seu corpo vagarosamente, o beijo se perde e Todoroki ofega em meus lábios, fechando os olhos e cravando as unhas curtas em minha cintura. Observo seu rosto atentamente enquanto o preencho com meu pau extremamente duro pelo tesão acumulado.

 Sua face muda gradativamente a cada centímetro que estoco em sua bunda, seus olhos entreabertos me fitam de volta, mantendo uma atmosfera de cumplicidade absurda entre nós nesse momento, trinco o maxilar com o quão apertado ele é em torno do meu pênis e procuro me controlar para não gozar muito rapidamente, colo minha virilha em seu corpo e pressiono meu corpo contra o seu para garantir que estou completamente dentro dele. Um gemido manhoso escapa de seus lábios e aproveito sua cabeça jogada para trás no travesseiro para deixar um beijo em seu queixo, me estendendo por todo o maxilar, enquanto permitia que Todoroki se acostumasse com a invasão. Suas mãos vão para o meu rosto e suas pernas enlaçam minha cintura, seus olhos esbanjam luxúria e desejo, seus dedos se infiltram em meu cabelo e gemo quando o mesmo rebola e puxa os fios loiros para trás, sua expressão é maliciosa e sádica, semicerro os olhos com sua ousadia e tiro meu pau quase completamente apenas para voltar a estocar com força, ele geme sem pudor algum e isso me faz perder o controle totalmente.

- Eu adoro ouvir seus gemidos, mas dessa vez você vai ter que ficar bem quietinho – declaro colocando a minha mão sobre sua boca e começando a investir contra ele de forma frenética e concisa, seus gemidos são abafados, mas ainda assim audíveis para mim, mordo o lábio a fim de conter os meus próprios e me permito focar nas expressões deleitosas do rapaz que arranha minhas costas sem temor algum. Diminuo um pouco a velocidade, mantendo o movimento constante e certeiro em seu ponto de prazer, aproximo meu rosto do seu pescoço e sussurro em seu ouvido – Você é um safado pervertido, está adorando quando eu meto meu pau todo no seu cuzinho, eu consigo sentir...

 Ele geme e rebola erguendo um pouco mais os quadris, sorrio com sua ansiedade e continuo ditando os movimentos com lentidão.

- Está ansioso? Quer que eu coma sua bunda com mais força? Me responda – eu digo tirando minha mão de seu rosto e apreciando o gemido baixo e arrastado que sai de sua boca quando meto tudo e movo meus quadris em círculos.

- Eu quero que você meta esse pau em mim como se não houvesse amanhã, caralho Bakugou – ele suplica segurando meu rosto entre as mãos e me encarando com uma expressão desesperada e virtuosa, o suor já escorre por minhas costas e também me sinto no limite.

- Se é cacete que você quer, é isso que vai ter – eu rosno afundando meu rosto em seu pescoço e segurando seus quadris com força, começo a estocar com agressividade, permitindo que minha mente esvazie completamente, mantendo-me focado na única tarefa de fazê-lo gozar junto comigo. Ele morde meu ombro e seus gemidos se tornam abafados, arfo com a sensação quente e inebriante que desenvolve-se em meu abdômen, o som dos nossos corpos é latente e preenche o cômodo, as pernas de Shouto tensionam e seu gemido sôfrego me leva à beira do precipício, gozo em seu interior, enchendo a camisinha de porra enquanto o sêmen do bicolor se espalha em nossos abdomens suados. Procuro respirar um pouco e ergo um pouco meu corpo com os braços para deixa-lo livre de parte do meu peso. Seus cabelos brancos e vermelhos misturam-se e grudam em sua testa pelo suor, seus olhos estão fechados e fico um tempo observando suas feições satisfeitas.

- A Hatsune estava certa mesmo – ele declara e eu fico perplexo, estava certa sobre o que? Tem tantas coisas que ela já disse, ainda mais no âmbito que estamos. Tiro meu pau e jogo a camisinha fora voltando a deitar sobre a cama ao lado do bicolor, sem me importar no momento com nossos corpos melados.

- Que porra que cê ta falando? – questiono ficando de lado e apoiando minha cabeça sobre a mão para olha-lo. Seu rosto vira em minha direção e suas írises bicolores brilham como estrelas. Acabo dando risada quando o mesmo esclarece sua observação.

- Você como ativo é selvagem pra caralho.


Notas Finais


Eita lasquera, o próximo capítulo é o último ;-; Mas olha, estou pensando em fazer um salto temporal e criar uns 4 ou 5 capítulos sobre eles no futuro, me digam o que acham, caso não seja interessante eu vou apenas criar um epílogo enorme que estou planejado a muito tempo kkkkk

Até mais!

Próxima att de fic: Notes To Be Noticed <3 (Cap com o Aizawa hein)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...