História O Popstar e a Repórter - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Malhação
Tags Amor, Bruno, Bruno Gadiol, Confusão, Daphne, Daphne Bozaski, Gadizaski, Gune, Hot, Musica, Popstar, Reporter, Romance
Visualizações 110
Palavras 1.689
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Festa, Ficção Adolescente, Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi lindezas
Me perdoem, não consegui postar antes.. Mas aqui está mais um capitulo
Segunda estou de férias e vou mexer vocês de capítulos..
Sem mais demoras...
Boa leitura 😉

Capítulo 10 - Dia 5: Barcelona parte 2


            ( Daphne )

Levantei, fiz minhas higienes pessoais e como ia apenas passear resolvi deixar o preto de lado e coloquei uma saia midi rodada vermelha com uma blusinha de alçinha de cetim branca, um salto médio e com um grampo prendi meus cabelos em um coque bagunçado, passei uma leve maquiagem e ao pegar meu celular vi que havia chego uma mensagem do Bruno.

"Estou te esperando no lobby."

Eu nada respondi, mas confesso ter ficado muito surpresa em ele não ter perdido a hora, e muito mais pelo fato dele já estar me esperando 15 minutos antes do combinado. Passei meu perfume, peguei minha bolsa e sai do quarto.

- Bom dia Bruno. - falei ao me aproximar dele.

- Bom dia Daph, você está linda como sempre. - disse ele, típico dele ficar elogiando as mulheres só para pode levá-las para a cama. Mas se ele pensa que eu vou cair nisso está muito enganado.

- É... vamos tomar café antes de ir? - perguntei. Nem agradeci ao comentário anterior dele para evitar que ele continuasse com os elogios.

- Sim, vamos. - falou ele.

Entramos no restaurante e nos servimos.

- Guto vai com a gente? - perguntei e percebi que sua feição mudou na mesma hora que ele ouviu sair as palavras da minha boca.

- Não, Augusto não vai. - respondeu ele seco. Ontem quando estávamos no avião percebi o quanto a minha aproximação com Guto mexeu com Bruno, me dei conta então que ele sente ciúmes de mim. E isso é bom, significa que mesmo depois de todo esse tempo eu continuo mexendo com ele.

- Porque ele não vai? Você não chamou? - perguntei.

- Sim eu chamei. Mas ele disse que não queria ir. - disse ele.

- Entendi. Que pena, queria muito que o Guto fosse. - falei provocando, eu sabia que ele não ia gostar desse comentário. Ele abaixou a cabeça e ficou alguns segundos quieto.

- Descansou bastante essa noite. Vamos ficar o dia todo fora. - disse ele.

- Descansei sim. Mas você ainda não me disse, aonde vamos? - perguntei.

- Nós iremos em vários lugares, vamos turistar em Barcelona. - disse ele.

- Se é vários lugares porque disse que é surpresa? - perguntei.

- O último lugar que iremos será surpresa. Você já veio para Barcelona? - perguntou ele.

- Não, é a primeira vez que venho para cá. - respondi.

- Ótimo. Vamos? - perguntou ele e eu acenti me levantando. Então saímos do hotel. Roberto contratou um motorista para nós levar a todos lugares que queremos durante os dias que ficaremos aqui.

Ainda no carro, a caminho do nosso primeiro passeio vi Bruno aproximando o rosto de mim.

- Nossa...que perfume bom. - disse ele num susuro que fez meu corpo inteiro reagir a um arrepio bom, me fazendo sentir algo que nunca antes havia sentido. Enguli seco e permaneci quieta fazendo de conta que nada aconteceu comigo.

- Chegamos. - disse ao motorista estacionando o carro, e eu em pensamento agradeci por isso ao olhar de canto e notar o olhar malicioso de Bruno.

Olhei pela janela e vi uma linda construção histórica.

- A Sagrada Família? - perguntei.

- Sim, aqui é nossa primeira parada. Mas como sabe? Falou que nunca veio para Barcelona. - perguntou ele.

- Eu nunca ter vindo não significa que eu não saiba dos pontos turisticos daqui. - falei curta e grossa. Ele já está com muita gracinha para o meu lado eu sendo seca com ele. - Imagina se eu der trela. - acabei falando em voz baixa mas foi o suficiente para ele ouvir.

- Se o que? - perguntou ele.

- Nada. - falei.

- Eu ouvi Daph. Imagina se você der trela pra quem? Para o Augusto? - perguntou ele um pouco irritado. É impressionando como ele cismou em minha amizade com o Guto.

- O que? Não... Nada a ver. Eu só pensei em voz alta. Vamos descer ou vamos ficar aqui no carro o dia todo? - perguntei para mudar de assunto antes que ele insistisse mais para saber o que eu estava pensando.

- Vamos. - disse ele abrindo a porta do carro e descendo um pouco irritado.

Descemos e andamos conhecendo tudo, após um bom tempo voltamos para o carro para dar continuidade ao nosso passeio.


Olhei para o céu e vi que o sol começava a se pôr, ficamos o dia todo passeando fomos a vários lugares, e eu realmente estava amando o passeio, Bruno e eu quase não conversamos, ele até tentou puxar assunto muitas vezes mas eu só falava o necessário. Eu adoro conversar, mas tenho muito medo de reatar a amizade com ele e acabar sofrendo novamente. Sem falar que estou aqui com outro propósito, o de me vingar dele. Apesar, que se eu me envolvesse com ele, como amiga ou algo a mais, seria bom para que depois ele não suspeitasse de mim. Se bem que desligado do jeito que ele é não iria se dar conta de nada.

- Gostou do passeio? - perguntou Bruno enquanto estamos no carro indo para algum lugar, acho que para o hotel.

- Sim. Foi legal, mas cansativo. - falei não dando muita importância.

- Está cansada? Não deveria, nosso passeio ainda não acabou. - disse ele com um sorrisinho de lado.

- Não? Aonde vamos agora? - perguntei um tanto curiosa.

- Já disse que é surpresa. Mas relaxa, estamos chegando. - disse ele e eu olhei pela janela para ver se via algo suspeito.

- Um parque de diversão? - perguntei surpresa.

- Sim, aqui é o Parque Tibidabo. Como eu sei que você adora essas coisas… - disse ele sorrindo e eu sorri de volta. Ele está certo, eu adoro parques de diversões, sempre gostei. - Vamos? - perguntou ele e eu acenti, descemos do carro, compramos nossos bilhetes e entramos no parque.

Andamos em vários brinquedos parecendo duas crianças que iam para um parque de diversão pela primeira vez. E depois de tanto tempo eu estava me divertindo ao lado de Bruno, sem me lembrar do passado.

- Bruno, eu acho melhor irmos. Amanhã o dia será bem cansativo, precisamos descansar. - falei assim que saímos da montanha russa e me dar conta que está tarde.

- Já vamos, só quero te levar para andar em mais um brinquedo. - disse ele com um olhar misterioso.

- Qual? - perguntei curiosa.

- Feche os olhos. - disse ele.

- O que? Não, de jeito nenhum. - falei.

- Vai Daph, fecha os olhos. Você não confia em mim? - perguntou ele.

- Não, não confio. - respondi friamente.

- Nossa Daph, não precisava ser tão direta assim. - disse ele fazendo cara de chateado.

- Só falei a verdade. - falei séria.

- Você sempre foi muito direta, e eu sempre admirei isso em você. Mas, por favor feche os olhos, eu prometo que não vou te fazer nenhum mal. - disse ele calmamente.

- Tá bom Bruno. - falei fechando os olhos, minha única intenção é acabar logo com isso.

- Obrigado. - disse ele amarrando uma bandana em meus olhos.

- Precisa disso? - perguntei.

- Sim, precisa. E não questione. - disse ele pegando a minha mão, e me guiou por alguns minutos, até eu entrar acho que em um brinquedo.

- Pronto? Posso abrir os olhos? - perguntei após ele ter me pedido para sentar.

- Ainda não senhora curiosa, espera só mais um pouquinho. - disse ele e eu bufei.

Não demorou muito para que eu sentisse o brinquedo de mexendo.

- Pronto, pode ver. - disse ele tirando a bandana dos meus olhos.

- Roda gigante? - perguntei ao olhar ao meu redor. E meu coração acelerou, meu olhos marejaram e eu não sei se fico feliz ou triste em estar aqui. Depois daquele dia eu nunca mais consegui andar denovo em uma dessa.

- Sim. Eu achei que seria bom recordar aquele dia. - disse se aproximando de mim. - Gostou? - perguntou ele.

- Não, eu não gostei. Não foi uma boa idéia, aquele dia nunca deveria ter acontecido. - falei colocando minha mãos em seu peito afastando-o de mim.

- Deveria ter acontecido sim, tanto que aconteceu. - disse ele.

- Sim aconteceu, mas foi um erro. - falei abaixando a cabeça e com uma lágrima a ponto de cair de meus olhos.

- Não Daph, não foi um erro. Sabe porque? Porque se fosse um erro eu não continuaria pensando em você todos os dias. - disse ele e eu levantei a cabeça e o olhei nos olhos. - Durante todos esses anos, não teve um só dia que eu não pensasse em você. - disse ele se aproximando de mim novamente.

- Para Bruno. - pedi.

- Não eu não paro. Sabe porque? Porque eu sei que você quer o mesmo que eu... - ele estava dizendo mas eu o interrompi.

- Eu nao.. - fui falar mas ele me interrompeu.

- Você se faz de durona, mas quer o mesmo que eu. Eu vejo nos seus olhos que nós sentimos o mesmo Daph. Pare de fugir. - disse ele aproximando seu rosto do meu. - Se entregue. - falou num susuro enquanto seus lábios roçavam no meu, e que vontade eu tenho de me deixar levar e beija-lo. Ainda mais em um lugar como esse, onde me lembra um dos melhores dias da minha vida.

- NÃO. - gritei ao empura-lo. - SE VOCÊ ACHA QUE EU SEREI MAIS UMA NA SUA LISTINHA VOCÊ ESTÁ MUITO ENGANADO. - falei.

- Daph eu… - ele foi falar mas eu não deixei.

- DAPH NADA, OUÇA BEM, A NOSSA RELAÇÃO É PROFISSIONAL, APENAS PROFISSIONAL. EU NÃO QUERO MAIS NADA COM VOCÊ. - gritei e vi que o brinquedo parou então desci e fui em direção ao carro, vi que ele me seguiu, entramos e voltamos para o hotel, durante o caminho percebi que Bruno tentava achar palavras certas para falar comigo mas todas as tentativas foi em vão já que eu mal o olhava. Chegamos ao hotel e subimos em silêncio ao andar dos quartos, que por coincidência é o mesmo.

- Daph eu sinto.. - ele disse enquanto eu abria a porta de meu quarto, mas eu o interrompi.

- Você fez a sua escolha Gadiol, agora viva com ela. - falei e bati a porta na cara dele, e já não aguentando mais segurar, me joguei na cama e chorei compulsivamente.


Notas Finais


E então.. o que estão achando da fic?

Muitas coisas ainda vao acontecer...

Sei que vocês estavam esperando o beijo deles, não vai demorar muito para isso,mas ainda está cedo ele acabaram de se reencontrar e não é fácil para a Daph se entregar depois de tudo.

Spoilers do próximo capitulo:
"Uma volta ao passado"

Está chegando uns dos capítulos mais esperados... o que vocês acham que aconteceu entre eles? Dei pista nesse capitulo 😉

😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...