História O Preço da Fama - Capítulo 17


Escrita por:


Notas do Autor


Depois de vocês muito me perseguirem pedindo atualização, aqui está, comentem agora!!!
Agora sério, gente, estava vendo os números desta fic, vcs não sabem como estou feliz e orgulhosa, 70 favoritos, mais de 2k de visualizações e 100 visualizações do ultimo cap, Deus, eu jamais ia sonhar com esses números, eu quero agradecer a todos, todos mesmo! Isso é tão incrível, nem sei o que dizer, só obrigada!


Quando Yang diz mãe ela está falando de Raven, quando ela disse mamãe ela está se referindo a Raven.

Capítulo 17 - Capítulo 17


 


 

— Você está muito linda. — Yang não conteve o sorriso que se alargou por sua face. 

— Você acha mesmo? Acho que estou começando a ficar insegura, tem certeza que não dá para ver a barriga? — Summer deu um sorriso um tanto sem jeito enquanto alisava as dobras do vestido. 

— Mamãe? — Yang chamou se aproximando por trás da mulher, ela abraçou a ômega deixando seu queixo descansar no topo de sua cabeça. — Não dá para ver sua barriga, mas mesmo que desse, isso não é um problema, porque, uma, só vai tá a família e amigos, ninguém vai julgar você, duas, eu sei que a Raven adora sua barriga, todo alfa ama ver a barriga grávida de seu ômega, e terceiro, jura que você se importa com o que as pessoas vão dizer? 

Summer riu.

— Você tem razão. 

— Sim, tenho, então quando eu dizer que você está perfeita é para você aceitar como verdade universal. 

— Tá bom. — Summer se olhou no espelho mais uma vez. —Yang?

Seu tom ficou tão sério que Yang se afastou preocupada. 

— O que há de errado, mamãe? 

Summer a olhou pelo reflexo do espelho, sua expressão era estranhamente dura para ela. 

— Eu quero que você faça as pazes com Raven. 

— O que? Mas nós estamos em paz! — Yang exclamou surpreendida pelo pedido da ômega. 

— Não, não estão. — Ela se virou ainda com aquela extensão estranha. — Eu sei que vocês duas fizeram um grande progresso, e eu fico muito feliz com isso, mas sei que ainda há mágoa que você guarda, Yang. — Summer levantou as mãos e colocou nas bochechas da filha. — Eu quero que nossa família esteja plena e feliz quando esse bebê chegar, para isso, preciso que você e Raven firmem seus laços. 

Yang abriu a boca para dizer algo, mas acabou que nada saiu e Summer voltou a falar. 

— Eu sei que é difícil, você sente que ela te abandonou, que abandonou todos nós. 

— Sim, e todos agem como se não fosse nada! — Yang acabou gritando e se afastou um passo. — Principalmente você! Você aceitou ela de braços abertos, não deu dois meses que o papai morreu e você estava dormindo com ela! Ruby também aceitou Raven rapidamente, mas eu? Eu não podia fazer isso! Eu… 

— Eu sei, eu sei. — Summer correu para seu lado e puxou Yang para se sentar na beira da cama, ela trouxe a cabeça da filha para descansar em cima de seu ombro, imediatamente o cheiro floral e doce de ômega encheu o ambiente. 

Teve o efeito desejado e Yang se sentiu mais calma com o cheiro reconfortante. 

— Eu estou tentando levar isso na boa, eu sei que é estúpido, mas… Meu orgulho alfa fica… eu me sinto rebaixada! E ela não faz nada sobre isso, pelo contrário, as vezes sinto que Raven me humilha de propósito! 

— Yang! Não! Raven nunca faria isso! — Summer projetou sua voz espelhando sua certeza do que dizia. 

— Não é o que parece… — A alfa loira disse amuada. 

— Oh, meu amor… — A ômega mais velha acariciou o cabelo de Yang. — Você já disse isso para ela? Já disse como você se sente? Tenho certeza que Raven não sabe disso, se soubesse, não faria. 

— Você acha? — Yang levantou os olhos deixando um pouco de esperança transparecer. 

— Sim! Fale com sua mãe, eu sei que vocês podem se reconectarem. 

— Nos reconectar? — Yang ficou em silêncio por alguns segundos e depois se levantou com o corpo rígido. — Mas nós nunca tivemos nenhuma conexão! Isso não vai dar certo, desculpe. — Ela praticamente saiu correndo do quarto. 

— Yang? Para onde você está indo? 


 

~**~


 

— Já vai! — Weiss correu na direção da porta de seu apartamento, a recepção havia ligado alguns minutos informando que Yang estava lá embaixo e pedia para subir.

Weiss estava empolgada para ver a alfa novamente, desde seu encontro no pub, elas mal se viram, mas quando ela abriu a porta, foi recebida por uma imagem totalmente diferente do que ela esperava.

— Yang? O que houve? — Ela abriu os braços e deixou a alfa loira entrar direto neles, Weiss a abraçou enquanto Yang se encolhia contra ela.

— Eu… eu posso conversar com você? — Yang disse com a voz claramente emocionada contra seu ombro.

— Sim, claro que sim. 

— Tem certeza que não vai te atrapalhar muito? — Ela se afastou e Weiss viu dor em seus olhos.

— Não, você pode falar comigo sempre que precisar. — Weiss conduziu Yang para dentro até se sentarem no grande sofá branco de sua sala de estar principal.

— Obrigada, eu… 

— O que houve? — Weiss perguntou aflita por não saber o que estava acontecendo. 

— Nada demais é só que… Mamãe me pediu para fazer as pazes com minha mãe, mas… não dá. — Yang balançou a cabeça. — Eu me sinto horrível, queria perdoar, mas não consigo esquecer o fato que ela nos abandonou por anos, por que eu não consigo fazer como todo mundo e relevar isso? — Ela olhou para Weiss com seus olhos inchados e suplicantes. — Será que eu sou uma pessoa tão ruim por não poder perdoar a minha mãe? 

Weiss se sentiu automaticamente hipócrita antes mesmo de proferir as palavras que diria a seguir, pois ela mesma sabia que não conseguiria perdoar seu pai por tudo que ele fez mesmo se o homem lhe implorasse. 

— Isso não te torna uma pessoa ruim, mas guardar esse sentimento com certeza faz mal para você. 

— Faz, eu odeio como as coisas são entre e mim e minha mãe.

— Eu entendo. — Weiss puxou delicadamente os ombros da alfa até Yang se inclinar e descansar a cabeça e seu colo.

— Obrigada, Weiss. — Ela se aconchegou mais no colo da ômega envolvendo seus braços ao redor da cintura fina e delicada da cantora e deixando o cheiro doce de Weiss encher seu nariz fazendo sua mente e coração se acalmarem.

Weiss sorriu olhando a alfa loira se enrolar em seu colo como um gato carente, ela não resistiu e levou sua mão até o cabelo de Yang e acariciou suavemente, era macio e quente, Yang se acomodou mais ainda.

— Eu ouvi a porta, quem era senhorita, Schnee? — Klein apareceu limpando as mãos com um pano de prato. — Oh, senhorita Xiao-Long! Eu deveria ter imaginado. — O homem ômega careca sorriu ao ver a cena, Weiss fez um gesto para ele fazer silêncio, mas Yang levantou a cabeça de seu colo quase tímida e sorriu para o homem.

— Desculpe, Klein, estou roubando sua garota. — Yang disse.

Weiss riu ao ouvir aquilo.

— Eu acho que o papel de donzela sequestrada não combina muito com a senhorita Weiss.

— Totalmente concordo, ela tem cara que espetaria a bunda de um  vilão com uma espada e depois passaria um sermão! — brincou Yang e a sala se encheu de risos.

— Muito engraçado, vocês, Klein, traz pipoca, por favor? E, Yang? Que tal um filme? — Weiss propôs sorrindo.

— Eu adoraria isso. — Ela sorriu de orelha a orelha.


 

~**~


 

Elas haviam se mudado para a sala de cinema dentro do apartamento de Weiss, não era tão grande, havia quatro fileiras de poltronas grandes e confortáveis de frente para uma tela de TV de última geração e os equipamentos de som ao lado. Weiss sabia que Yang precisava relaxar e se divertir um pouco, ela escolheu um filme de comédia antigo que funcionou muito bem.

A gargalhada da loira enchia a sala ainda mais alto que o som do filme.

— Obrigada, nem sei como agradecer pelo que você fez por mim, Weiss. — Yang disse quando recuperou o fôlego da última risada e se virou para a ômega que estava na poltrona a seu lado.

— Eu nem fiz nada, Yang. — Weiss sorriu de volta e sustentou o olhar, ela viu quando uma suave cor rosada surgiu no rosto da alfa.

— Fez sim, eu sei que não parece muito, mas foi importante para mim, porque você é uma pessoa importante para mim. — Ela disse tentando disfarçar a emoção em sua voz, Yang acabou desviando o olhar. — Eu vou tentar ficar bem com minha mãe, vou… perdoar…

Weiss colocou uma mão no ombro dela e a alfa se virou para olhá-la.

— Estou orgulhosa de você.

Os olhos de Yang brilharam de emoção por um instante, depois ela abaixou a cabeça quase envergonhada.

— Mas eu nem sei se vou conseguir.

— Não importa se você vai conseguir ou não, você vai tentar, está disposta a tentar, isso já é algo muito difícil que muitas pessoas não fazem.

Yang levantou a cabeça para olhá-la novamente, ela sorriu e sem pensar no que estava fazendo, sua mão procurou a de Weiss e entrelaçou seus dedos.

 — Eu queria que você estivesse lá, não quer vir para o casamento das minhas mães?

— O que? — Weiss se surpreendeu. — Está me convidando para o casamento? Eu não acho que seja uma boa ideia, em locais assim, as pessoas sempre tiram fotos e postam, manter minha presença longe da imprensa seria difícil.

— Mas, só vai tá a minha família lá, e os amigos mais próximos. — Weiss fez uma cara de descrença para aquelas palavras. — Tá, eu entendi, não dá para confiar. Mas que pena. — Yang ficou com um semblante bem triste.

— Não, não! Nada de ficar triste. — Weiss cutucou a bochecha dela com um dedo. — Conheço outro filme que você vai adorar.

Yang sorriu:

— O que estamos esperando?


 

~**~


 

O quintal de sua casa foi completamente transformado, havia uma pérgola coberta com pequenas flores brancas, seis fileiras de bancos bem de frente para o altar armado sob a pérgola, amarrado as árvores, tinha pequenas luzes brancas que caiam como uma chuva de estrelas, no chão pétalas de rosa branca estavam espalhadas, os arranjos pendurados em cada banco rústico que compunha o tema. Ao fundo estava uma mesa com o bolo de 3 andares simples de cor branca e vermelha, pinhas e pétalas de rosa e folhas de poinsétia completavam a decoração.

Os convidados já tinham chegado e ocupavam o espaço sentados em espera para o grande momento.

Yang estava nervosa, a hora se aproximava e ela teria de estar lá por sua família. Ela foi até a cozinha, com os convidados do lado de fora, o interior da residência estava vazio, ela havia acabado de tomar um copo de água quando ouviu a campainha tocar. A alfa estranhou pois tinha certeza que todos os convidados já tinham chegado, mesmo assim ela foi abrir e se surpreendeu com o que viu. 

— Weiss? Você veio! — Yang exclamou alegre, era a ômega de cabelo branco bem ali parada sorrindo para ela. 

— Oi, você me convidou, a não ser que você tenha mudado de ideia… — Ela começou, mas a alfa a interrompeu a abraçando de forma repentina. 

— Muito obrigada por ter vindo, não sabe o que isso significa para mim. 

Weiss se surpreendeu por um segundo, mas depois abraçou a loira de volta sentindo o cheiro bom que Yang tinha. 

— Imagina, eu sei que era importante para você, por isso eu vim.

Yang se afastou sorrindo. 

— Você veio só por mim? — perguntou com cautela. 

— Yang… — Weiss parecia escolher bem suas palavras. — Está acontecendo algo entre nós, você sabe. 

A alfa sorriu. 

— Sim. — Yang segurou a mão da ômega e a trouxe para dentro fechando a porta evitando que o ar frio do início do inverno entrasse. 

— Precisamos ter uma conversa sobre isso. — Weiss disse. 

— Sim. — A alfa confirmou. — A cerimônia vai começar agora, podemos falar depois? 

A ômega sorriu. 

— Sim. — Weiss deu um passo para trás e deu uma boa olhada em Yang. — De terno? Hmmm… ficou muito bem em você. 

A alfa riu. Ela estava usando um terno preto, camisa branca e colete cor creme, a gravata era amarela. 

— Quem está aí? — A voz de Raven soou no alto da escada, Yang e Weiss se viraram para ver a alfa mais velha vestida em um terno com paletó vermelho e o resto do conjunto preto, só sendo quebrado pela gravata que também era vermelha. 

Antes que qualquer uma delas falasse Ruby apareceu atrás de Raven, seus olhos brilharam e ela correu na direção da cantora. 

— Weiss! Oh meu Deus, eu não acredito que você está tá aqui! 

— Você sabia disso? — Yang riu vendo a sua irmã se jogar nos braços de Weiss e esmagá-la em um abraço apertado. 

— Quem você acha que me deu seu endereço? — Weiss riu e Ruby a liberou do abraço. 

— Culpada. — Sua irmã deu uma piscadela e colocou a língua para fora em uma expressão de zombaria. 

— Suas danadinhas, estavam armando pelas minhas costas. — Yang brincou. 

— Que perda de tempo, vamos logo Ruby. — Raven disse terminando de descer as escadas. — Não quero que a cerimônia termine muito tarde, e Yang? 

A alfa loira se virou para ela, Weiss já notou que ela estava tensa. 

— Não esqueça que você deve entrar com Summer um minuto depois. 

Yang assentiu e Raven ergueu o braço, Ruby enrolou seu braço no da alfa mais velha. A ômega usava um vestido vermelho simples e meia calça preta, combinava com as roupas de Raven. As duas foram na direção da porta até Raven parar e se virar na direção da filha:

— Essa é uma noite muito importante, é o sonho de Summer, nada pôde sair errado, ok? — Seus olhos  foram para Weiss.

A ômega sentiu Yang ficar tensa e rapidamente segurou a mão da loira entre as suas, Weiss sorriu e disse simpática.

— Todos nós sabemos, e estamos torcendo para ser a noite mais perfeita do mundo para vocês, nada sairá errado.

Raven a encarou por um tempo e depois assentiu, ela se virou e saiu com Ruby, por trás, elas puderam ouvir a voz de Velvet chamando as suas para tirar uma foto antes de entrar na direção do altar.

— Nossa, sua mãe é bem intimidadora. — Weiss disse.

— Ela é, não é? — Yang deu um sorriso sem graça.

— Hmm, ela não é tão forte fisicamente quanto você, mas certamente tem uma presença bem dominante, agora entendo porque você fica tão tensa o tempo todo.

— Ela faz isso o tempo todo, e age como seu eu fosse uma idiota que sempre estraga tudo.

— Yang, eu tenho certeza que ela não está fazendo isso para te machucar, às vezes as pessoas agem de modo que nos incomoda, mas a pessoa nem percebe isso, você deveria dizer isso. Se ela souber, há uma boa chance de ela mudar de atitude.

A alfa loira riu.

— Nossa, você falou igualzinho a minha mamãe agora.

Weiss sorriu para ela.

— Olha quem está aqui, Weiss Schnee! 

As duas olharam para a escada, era Blake, e Summer estava a seu lado, a beta usava um vestido preto reto e simples, a ômega usava um vestido de noiva branco. O tecido bordado com flores e enfeitado com pequenas pérolas, a saia ia até abaixo do joelho dando um ar muito clássico, mas, ao mesmo tempo, moderno, o decote reto acrescentava elegância e deixava sua marca de acasalamento a amostra em seu pescoço, preso em seus ombros tinha uma capa branca, com certeza uma escolha pouco ortodoxa para um vestido de casamento, em sua cabeça uma tiara feita de flores brancas e um pequeno e discreto véu de tule.

— Oh meu Deus, eu amei o seu vestido. — Weiss passou direto por Yang e foi na direção da ômega mais velha. 

— E eu amo os seus filmes! — Summer exclamou, excepcionalmente ela estava usando maquiagem naquela noite, Yang sabia que era com esse detalhe que Blake estava ajudando sua mãe no quarto. — Eu não acredito, Weiss Schnee na minha casa? E você veio para o meu casamento? Não acredito.

— Ah, Yang me convidou. Espero não está atrapalhando.

— Imagina, é uma alegria lhe ter aqui.

— Ah, gente, tá na hora! — Yang falou guardando o celular no bolso. — A mãe vai ter um ataque se demoramos muito para entrar.

— Ela vai achar que eu fugi. — Summer riu.

— Ela não ia pensar isso. — Blake comentou.

— Ia sim. — A ômega mais velha falou. — Ontem ela estava me dizendo que teve um pesadelo onde eu fugia no dia do casamento e deixava ela no altar. — Ela riu mais.

Yang e Blake riram também, Weiss ficou sem entender a piada. 

— Vamos. — A alfa ofereceu o braço para Summer que entrelaçou com o seu.

— Weiss, você vai entrar comigo. — Blake disse.

— O que? Não, mas eu…

— Não, agora que você veio, vai ter de participar. — A beta pegou a mão da cantora  a puxou para fora.

— Blake, espere, não é uma boa ideia, as pessoas vão me reconhecer, vai ter fotos.

— Você pretende ficar trancada aqui dentro de casa?

— Você tem razão, vamos. — Weiss segurou a mão da beta, elas deram a volta pela lateral, alguns dos convidados olharam quando elas passaram, mas ninguém esboçou nenhuma reação exagerada, ela reparou que havia realmente poucas pessoas, era um casamento bem íntimo.

Elas duas se sentaram na fileira da frente, onde Ruby estava sentada, Weiss viu que no altar havia uma mulher mais velha que se parecia muito com Blake, com a pele um pouco mais escurecida e o cabelo em um corte mais curto, fora isso, a beta parecia uma versão mais velha da garota sentada ao seu lado.

— Minha mãe. — Blake sussurrou perto de seu ouvido. — Ela é pastora… e juíza de paz.

Weiss se surpreendeu com aquilo, mas não comentou nada. Ao lado direito do altar estava Raven, a alfa ainda parecia tensa e rígida. De repente a marcha nupcial começou a tocar, todos se levantaram e viraram para ver Yang e Summer de braços dados se aproximando pelo corredor que as cadeiras formavam, ela viu Velvet circulando por ali tirando fotos. Aquilo era tranquilizante para a ômega cantora, era pouco provável que a nova namorada de Coco  fosse tirar fotos dela e soltar na imprensa, e nenhum dos convidados pareciam interessados em tirar fotos com seus celulares.

De algum modo Summer parecia ainda mais bonita em seu vestido ao caminhar pelo chão cheio de pétalas e com as luzinhas cintilando acima de sua cabeça, o buquê de rosas em sua mão sendo a única cor que quebrava o branco. Quando chegaram a seu destino, Yang passou a deixa para sua mãe.

Raven sorriu parecendo muito aliviada ao finalmente ter sua esposa ao seu lado, mas então Yang tossiu, o sorriso da alfa se desfez.

— Antes de começar, tem uma coisa que eu queria te dizer. — Yang falou e Raven franziu o cenho para ela, parecia que ia brigar com a filha, mas Summer colocou a mão em seu braço.

— Deixe ela falar. — A ômega disse com suavidade, mas de modo firme, Raven assentiu para Yang continuar.

— Eu só quero dizer que estou muito feliz por você está aqui, estou feliz por ter voltado, de verdade. — Yang disse emocionada. — Por muito tempo eu guardei muita raiva e mágoa de você, eu acho que ainda preciso de mais tempo para superar tudo, mas de verdade, eu sou agradecida por está aqui, por cuidar de nós, por se preocupar com Ruby, por fazer a mamãe feliz novamente. — As lágrimas começaram a cair no rosto da loira. — Você não é a pessoa mais fácil no mundo para se conviver, mas tem algo que eu admiro em você é sua força para cuidar família quando você realmente quer isso, eu sei que você nos ama e não é justo que só olhe para os erros que você cometeu no passado sendo que apesar de nossos atritos, você se esforça tanto para dar o melhor para nossa família, eu só queria dizer que… 

Ela tentou engolir, mas estava muito difícil falar, seus olhos estavam o tempo todo em Raven que parecia tentar segurar a emoção, Summer por outro lado já estava chorando.

— Eu sei… — Raven disse com a voz frágil. — Eu também te amo.

Yang quebrou de vez e começou a chorar com mais intensidade, ela deu um passo à frente e as duas se abraçaram.

— Nós nem começamos e vocês já conseguiram fazer todo mundo chorar. — Kali comentou atrás da mesa do altar. 

Houve um riso do público e Yang e Raven se separam, a alfa mais velha limpou um pouco dos olhos e se voltou para a pastora segurando a mão se Summer que antes da filha sair, lhe deu um sorriso amoroso.

Yang voltou e elas abriam espaço para a alfa loira se sentar bem entre Ruby e Weiss.

— Isso foi maravilhoso. — A ômega de cabelo branco elogiou segurando a mão de Yang entre as suas. — Estou muito feliz por você. — disse fazendo uma cara de orgulhosa.

— Obrigada, foi super difícil, mas… estou me sentindo melhor agora. — Yang sorriu de volta para ela.

— Shiuuu, gente, vai começar. — Ruby sussurrou.

— Correndo o risco de soar como a frase mais clichê do mundo. — Kali começou a dizer. — O amor é a força mais poderosa que existe, eu já fiz muitos casamentos nessa vida, e escutei todo o tipo de história que juntaram duas almas nesse momento chamado matrimônio, casais que enfrentaram todo tipo de adversidade, superando os maiores obstáculos em nome desse sentimento que é capaz de dá forças para derrubar os maiores gigantes.

Weiss sentiu a mão de Yang apertar mais a sua, quando ela olhou, a alfa estava encarando a cena  sorrindo.

— Eu procuro inspiração em cada casal que conheço, e devo dizer, Raven e Summer, vocês são uma inspiração para todos nós! A história de amor de vocês é sobre perdão, sobre aceitar o outro como ele é em nome do amor, em nome da família. Sobre como o amor é a cura e base para uma família. Hoje vocês oficializam uma união que já é mais do que sólida, o amor que vocês sentem uma pela outra reconstruiu essa família depois de uma tragédia.

Yang enxugou uma lágrima e Weiss acariciou sua mãos com seus dedos.

— Hoje estamos reunidos aqui para celebrar a história de vocês, a família de vocês, o amor de vocês. — Ela fez um gesto e um homem que estava sentado do outro lado da fileira se levantou, ele tinha o cabelo grisalho e olhos vermelhos, ele tinha duas rosas, uma vermelha e uma branca.

— Eu falo por todos nós aqui. — O homem disse. — Summer e, minha irmã Raven, todos nós desejamos que vocês vivam com intensidade esse casamento, com amor e respeito, nunca esqueçam o que as trouxeram aqui, e aquele que guiará suas vidas no futuro, esse filho que vocês estão esperando. Desejamos felicidade eterna, para os três. — Ele entregou a rosa branca para Summer e a vermelha para Raven.

— Obrigada, Qrow. — A ômega agradeceu emocionada.

Raven deu um abraço rápido no irmão que voltou a se sentar, depois a alfa tirou algo que estava amarrado a haste da rosa e prendeu a flor no lado esquerdo do peito de Summer, como se fosse um broche. A ômega fez o mesmo processo com a sua própria rosa e a prendeu no paletó de Raven.

As duas deram as mãos e se olharam de frente.

— Summer, com essa aliança, eu selo um compromisso essa noite com você. — A alfa começou. —  Eu prometo diante de Deus e das testemunhas aqui presentes, te amar e te respeitar, te proteger e te valorizar, na saúde e na enfermidade, na riqueza e na pobreza, nos melhores dias e nos piores dias. — Ela colocou a aliança na mão da ômega. — Eu te recebo como minha esposa para lhe ser fiel neste dia e para todo o sempre.

Foi a vez de Summer.

— Raven, com essa aliança, eu selo um compromisso essa noite com você. — disse emocionada. —  Eu prometo diante de Deus e das testemunhas aqui presentes, te amar e te respeitar, te proteger e te valorizar, na saúde e na enfermidade, na riqueza e na pobreza, nos melhores dias e nos piores dias. — Ela colocou a aliança na mão da alfa. — Eu te recebo como minha esposa para lhe ser fiel neste dia e para todo o sempre.

Dava para sentir a emoção no semblante de cada pessoa ali presente.

— Raven e Summer. — Kali disse com a voz mais projetada. — Diante de Deus e das testemunhas aqui presentes, eu, incumbida pelos deveres sacerdotais e respaldada pela jurisdição deste estado, as declaro casadas! — Houve palmas pelos convidados. — Como uma forma de celebrar essa união, beijem-se para demonstrar fisicamente o sentimento que tem uma pela outra.

Assim as duas deram um  beijo na boca muito rápido, mas as palmas dos convidados cresceu em barulho e ouve gritos de comemoração.

Weiss e Yang apertaram suas mãos mais fortes sentindo o calor reconfortante uma da outra. 





 


Notas Finais


Eu dei uma adaptada na cerimonia e fiz do meu jeito, espero que tenha sido bom para todos, eu particularmente achei tudo lindo e super fofo. Dá para sentir que a conexão entre Yang e Weiss esta chegando no limite, elas não já podem mais ficar sem se tocarem, logo irá acontecer algo, isso é certo! Estão tão ansiosos quanto eu?

Deixem comentários, me ajuda a me manter motivada <3

PS: Se quiserem, mandem sugestões para o nome do bebe da Raven e da Summer <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...