1. Spirit Fanfics >
  2. O Preço da Felicidade >
  3. O pior pesadelo finalmente é lembrado -8

História O Preço da Felicidade - Capítulo 9


Escrita por: e _Nolan


Notas do Autor


Leiam as notas finais por favorrrrrrrrrrr

Capítulo 9 - O pior pesadelo finalmente é lembrado -8


Fanfic / Fanfiction O Preço da Felicidade - Capítulo 9 - O pior pesadelo finalmente é lembrado -8


Caminhava sobre a neve espessa, só conseguia pensar em quanto a vida me tirou. Nunca havia pensado bem nas palavras que meu pai havia falado naquele dia, mas uma carta fora mencionada pelo assaltante, certo? Não podia estar ficando louca.

De longe pude ver Justin ainda fazendo exercícios, porém agora havia uma pessoa do lado. Conforme ia me aproximando mais sentia que era melhor sair dali. Quando estava a três metros pude reconhecer Enry, teria saído dali se Justin não tivesse me visto.

- Hey! Amor, vem cá! Quero que conheça uma pessoa! - a cada passo dado era uma gota de suor.

- Oi amor! - falei tentando parecer animada, Enry ainda não havia percebido que era eu.

- Kiara, este é Enry, meu tio, Enry, esta é Kiara, minha namorada. - Enry olhou para mim e arregalou os olhos.

- ESSA é a sua Kiara? - perguntou com o semblante totalmente indecifrável.

- Sim... Já se conheciam? -perguntou Justin.

- Na verdade s.... - Enry me interrompeu.

- Essa era a MINHA Kiara. - arregalei meus olhos e olhei para o lado, Justin estava com a mesma cara que eu.

- Como esse mundo é pequeno! Sinto mu... -começou porém o interrompi.

- Não tem que sentir muito Justin, passado é passado, nada que aconteceu anos atrás pode interferir no agora. - disse secamente.

- Pois é, eu vim convidar o Justin e a "Kiara dele" para meu casamento, então aqui está. - Enry me entregou o convite.

- Bom, estaremos lá - ergui uma sobrancelha e lancei-lhe o melhor olhar intimidador que conseguia.

- Mas é sério tio Enry... Desculpa mesmo... Eu jamais iria saber... - Justin ainda parecia pasmo.

- Tudo bem Juu, não tinha como saber mesmo, esquece isso cara. - Enry falou isso olhando em meus olhos - Tenho que ir, a Stéph vai armar um escândalo, ela e insuportável que chega sem um, então, até mais. - Sorriu, deu meia volta e foi embora.

-Ele é seu tio?
- Era namorada dele?
*Dissemos ao mesmo tempo*


- Sim... Ele é meu tio...

- Sim...Namoramos..

- Meu Deus, ele deve tá com muita raiva.

- Justin.... Vocês conversavam sobre mim?

- Sim... Me sinto mal por isso, ele ama tanto você... Talvez eu esteja só atrapalhando tudo..

- Ei... Olha pra mim, você não tá atrapalhando, eu tô com você agora e vou continuar estando!

Puxei-o para um beijo e antes de selar nossas bocas pude ver Enry olhando-nos a distância. Meu coração se quebrou um pouquinho mais. Além de não saber o que tanto procurava, perder Enry, agora tinha de conviver com ele e Justin no mesmo ambiente.

Se não houvessem tantas incógnitas na minha mente agora teria coragem para cometer suicídio. Não que isso fosse uma boa ideia, era uma péssima ideia na verdade, mas o que diabos eu estava fazendo com a minha vida? Será mesmo que eu só conseguia fazer merdas?

O beijo foi cessado por falta de ar, nos olhamos corados, olhei para o céu e vi que já escurecia, Deus, por quanto tempo havia ficado no cemitério? Nos levantamos e seguimos para minha casa lado a lado.

- Você parece cansada... O que rolou lá? - perguntou-me Justin.

- Sinceramente.. Não sei.. Revivi a morte do meu pai, foi horrível mas... - ele olhou pra mim - eles mencionaram uma carta que ele havia deixado, ou não também, não sei.....

- Um tabelião pode nos ajudar.....

- Não sei... Em questão de testamento talvez, mas meu pai não teria deixado essa carta com ninguém, tenho um pressentimento...

- Sobre? Olha, não perdi meus pais, mas sei que deve doer e eu vou estar aqui quando precisar..... Pode confiar em mim....

- Não acho que seja a hora certa... Eu sinto que preciso fazer mais coisas até chegar na verdade...

- Descansar? Porquê essa é a única coisa que você não faz desde a viagem para o Canadá á um ano atrás.

-Isso é fácil... Agora que eu não vou mais ir pras passarelas...

- Graças a Deus, depois daquele dia lá em Guadalajara e melhor você não modelar mais mesmo!

- Eu lá ia saber que iria acontecer um assalto, tentativa de sequestro ou sei lá o que! Eu só...

- Não pode passar por essas coisas, você simplesmente entrou em pânico e depois apagou, além de acordar gritando teve que ficar no hospital por um dia inteiro.

- Você sempre soube que ia ser difícil cuidar de mim..... - olhei para baixo.

No fundo ele tinha razão, se fosse apenas isso.... Talvez aquele tenha sido o gatilho para meus pesadelos mas, porquê só agora?

- Eu sei, você me avisou e eu não me importei com isso, eu vou sempre cuidar de você! - Justin disse isso com tanta intensidade que simplesmente acabei chorando. - Acho que foi uma péssima ideia ter ido para o cemitério e eu ter falado essas coisas, vem... - Ele me pegou no colo - se quiser, pode dormir...

Faltavam apenas alguns passos para chegarmos em casa, apenas enterrei meu rosto no peito perfeitamente musculoso de Justin, me sentia confortável o suficiente para poder chorar o quanto precisasse. Justin abriu a porta e Kilian começou com seu discurso até me ver.

- Kiara Feurshtir! Porquê tinha um pên..... - ao chegar no hall de entrada Kilian parou com suas reclamações. - Deus... O que aconteceu com ela?

- Trauma, ela precisa descansar um pouco. Talvez de uma companhia que conhecia seus pais também.......

- Deixa que eu cuido dessa princesa.

Justin me colocou no chão, abracei-o como nunca havia abraçado antes, sentia-me completamente segura de tudo ali, seus braços em volta do meu corpo eram minha maior fortaleza agora. Ele gentilmente deu um beijo em minha testa e afastou o cabelo de minha face, olhou tão fundo nos meus olhos que podia sentir seu olhar tocando minha alma.

Comecei a subir as escadas mas Kilian me levantou do chão, estava sem vontade de falar então nem mesmo protestei pelo ato totalmente desnecessário e inesperado. Ele subiu as escadas lentamente enquanto eu olhava para baixo fixando meu olhar no exato ponto em que meu pai havia morrido. Kilian me deitou gentilmente em minha cama e me cobriu, ficamos lá por horas, não sabia ao certo.

Inúmeras tentativas falhas para falar comigo, Kilian devia estar a uma hora em seu monólogo, ele apenas continuava, sem se importar mais se eu responderia ou não, ele sabia que eu não abriria minha boca até que tudo isso que estava sentindo fosse embora. Havíamos tido muitos anos juntos para saber o tempo de cada um. Enquanto isso eu prestava completa atenção ao que ele me contava.

-.....E então eu e a Bianca fomos naquele lago e bum! Fomos arrastados pela correnteza, era uma cachoeira! A gente ia morrer, mas ela tiro a corda do biquini dela e amarrou na árvore! A gente foi salvo por um fio de friso! Tem noção disso? E teve também a vez que você tava viajando com seu pai e então a gente fugiu de casa, tentamos ir atrás de você... Acredita nisso? A gente ia daqui até Frankfurt atrás de você! Idiotice né?........

- Kilian? Pode vir aqui?..... - Justin apareceu na porta, estava apenas usando uma calça de moletom.

Fiquei com pena de Kilian por ter ficado ali com seu monólogo por tanto tempo, apenas não estava com vontade de falar, na verdade, não estava com vontade de absolutamente nada, havia muito tempo em que eu estava pensando em desistir, Justin apenas me fez vez o quão fraca sou, meu psicológico não é um dos melhores.... Kilian andou até Justin, que deu seu sermão indiretamente para mim.

- Cara... Isso tudo é trauma, toquei num assunto mais cedo que não fez bem pra ela. Acha que ela vai falar com a gente?

- Certeza que não, tô a séculos tentando! Contei a minha vida inteira pra ela! - Quase sorri ao ver a frustração de Kilian.

- Deixa ela vai. Me ajuda a preparar algo pra princesa aí comer? - pelo menos Justin não foi nenhum pouco sarcástico nessa frase.

- Claro....

- Quero que me conte algumas coisas sobre ela.

Os dois apenas saíram e fecharam a porta, podia ouvi -los lá em baixo, Justin provavelmente perguntaria sobre mim e Enry, sinceramente Enry já não me importava mais, não podia importar.

Minha mente vagava nas entrelinhas das últimas palavras de meu pai e do sequestrador, poderia ligar o que ocorreu no México com isso? Já não sabia mais o que poder pensar, estava ficando cansada de tudo.

Provavelmente muito tempo havia passado, Justin e Kilian vieram me ver e tentar fazer eu comer, pelo esforço deles me obriguei a comer pelo menos algumas colheradas da sopa que haviam feito, estava uma delícia porém eu não sentia vontade de comer.

- Kiara.... Tudo bem se eu dormir aqui de novo? Justin disse que se quisesse eu poderia morar aqui.... - Kilian parecia empolgado

- E então? Não vai nem mesmo falar se concorda ou não? - Justin perguntou e eu balancei a cabeça negativamente - Deixa ele morar aqui amor? - balancei minha cabeça novamente, dessa vez em confirmação.

- Ai, obrigado maninha! - Kilian pulou em cima de mim com a felicidade estampada no rosto.

Eles provavelmente iriam me incomodar de mais futuramente porém ter a casa cheia parecia algo bom. Os dois ficaram ali por mais um tempo, depois Kilian desceu e Justin deitou ao meu lado, me deu um beijo na cabeça e fechou os olhos.

Fiquei olhando o teto por longos minutos, aquele céu estrelado me lembrava do piquenique noturno que fiz com meu pai a oito anos atrás. O céu naquele dia estava totalmente estrelado, uma aurora boreal majestosa estava ao norte, próxima á montanha Saana.

Lágrimas já escorriam por minha face, Justin deve ter percebido, mesmo eu pensando que ele já dormia profundamente, ele mostrou o contrário me abraçando, acabei dormindo em seus braços.

Deixei a situação fugir do meu controle. Uma semana havia se passado, eu não comia, não bebia nada, Justin e Kilian estavam fazendo de tudo para me colocar de volta a ativa, Bianca havia voltado e também havia voltado e estava me irritando juntamente com Justin e Kilian. Eles estavam tão desesperados para fazerem eu voltar ao normal que chamaram Enry para conversar comigo.

Continuei sem falar, continuei sem comer, estava fraca e a cada dia mais nítido meu pesadelo ficava. Dormia agarrada á Justin por conta do medo. Agora eu consegui distinguir o local e a maioria das pessoas, estava realmente em um parque de diversões em Hiroshima, Bianca e Kilian estavam comigo juntamente com alguém que apesar de reconhecer a voz, não conseguia ver o rosto.

A cada dia era torturada com uma parte a mais do quebra cabeças, deitei-me já esperando pelo pesadelo que viria a seguir.



"Eu estava vestida como uma boneca, andando por aí no parque de diversões ao lado de alguém que eu não conseguia ver o rosto, mesmo depois de todos os meus esforços simplesmente não conseguia. Depois de ter reconhecido Bianca e Kilian pensei que conseguiria ver o rosto que eu mais tentei decifrar de quem era.


Tudo estava indo bem até que entro para ler meu futuro, ainda não conseguia escutar essa parte porém conseguia ver as cartas, tudo indicava morte, saí apavorada novamente, a cartomante gritava para mim não ir ver o pôr do sol, lembro que a única coisa que eu conseguia pensar era que não podia ser verdade. Mas o que não podia ser verdade? Eu não tinha certeza, talvez a morte?


Planejamos ver o pôr do sol, eu estava com um misto de tensão e alívio, sabia que podia morrer mas não acreditava que isso era verdade.


Estávamos indo de teleférico até uma outra montanha, meu coração começou a acelerar e em determinado momento entrei em pânico, ainda não tinha percebido o que acontecia, apenas sabia que estava com medo e era um medo real, apenas vi um vislumbre do rosto do garoto á minha frente, ainda assim muito pouco para eu saber quem era, depois desse progresso enorme eu não saberia quem era o garoto. Em um segundo estava abraçada á ele e no outro estava gritando por conta do medo que se instalara em mim.

A cabine caía, foi tudo tão rápido, caímos com um baque ensurdecedor na água, ao bater no chão a cabine se quebrou, seus estilhaços se incrustaram em nossa pele, a dor era excruciante, jamais havia sentido algo parecido antes.

Pude ver os corpos de Bianca e Kilian mais á frente, olhei para o garoto ao qual havia percebido que amava verdadeiramente apenas agora, ele já não podia me escutar, sua vida havia se esvaído por minha culpa.

-Juu..... - Então esse era seu nome - Eu... Te....

E foi isso, a água invadiu completamente meus pulmões, meu último pensamento fora que apesar de tudo não havia conseguido dizer que amava Juu."


Acordei suada e chorando, Justin me encarava sem falar nada. Ele apenas me deu outro abraço de urso e chorei em seus braços, aquele sonho era triste de mais, terrível de mais.

- Você esta bem? - mesmo não esperando uma resposta ele me perguntou.

-S..sim... - o fim deste sonho indicava que eu devia procurar pistas sobre meu pai - Estou com fome......

- Volto já!

Justin saiu do quarto com um sorriso torto que aqueceu meu coração, depois de todos esses dias sonhando e sofrendo com o sonho, coloquei na cabeça que eu definitivamente não conseguiria saber quem era a pessoa ao meu lado, talvez algum dia o destino resolvesse me colocar a par de todas as incógnitas que haviam desde que eu nascera.


Notas Finais


Tô me sentindo como nos flashbacks de Naruto reescrevendo a morte da Larissa tantas vezes Ksksksks

Falando em Naruto.... O que acham de eu fazer uma fic sobre o universo de Naruto?... Tenho 3 caps prontos, só não sei se posto...

Bom, espero que tenham gostado e até a próxima "pissual" 😚😚❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...