1. Spirit Fanfics >
  2. O Preço da Felicidade >
  3. Capítulo 1

História O Preço da Felicidade - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


eu achei uma fic incrivel, li em 2 dias e resolvi adaptar para beauany(as loca🥴🤪), eu arquivei “why can’t be just us?” pq n tava rolando quando eu terminar com essa e com a two of us eu volto com ela!

Capítulo 1 - Capítulo 1


Any narrando:


- Você devia pensar em se divertir um pouco... - Joalin disse se sentando no sofá de pernas cruzadas com seu pijama de flanela, segurando uma caneca de chocolate quente com ambas as mãos.


Larguei meu lápis sobre o caderno e passei as mãos na cabeça.


- Será que esses imbecis não sabem que noite de domingo não é uma boa hora pra fazer festa num prédio?!


- Bem... de qualquer forma você precisa admitir que a música é boa.


Suspirei.


Há dois anos eu moro nessa república com Joalin - o que a fez se tornar minha melhor amiga -, mas nunca antes havia testemunhado uma festa ali.


- Boa ou não, eu tenho que dar monitoria amanhã! Como posso estudar assim?


- Sei lá. - Joalin encolheu os ombros. - Pelo menos agradeça que Isa tenha um sono pesado.


Olhei o relógio na parede. 01:13 da manhã.


- Chega. Eu preciso estudar.


- Espera, o que você vai fazer? - Joalin pulou do sofá quando eu abri a porta.


- Vou fazê-los entender que nem todo mundo tem a vida ganha como eles.


Saí pisando firme, quase sem ouvir os apelos dela pra que eu voltasse.


Subi as escadas de dois em dois degraus e soquei a porta do apartamento 501, mas ninguém atendeu. Claro. A música estava tão alta, que eu podia jurar que estava atrapalhando até o descanso dos móveis.


Soquei de novo e continuei batendo, até que a porta se abriu quase me fazendo cair de cabeça lá dentro.


- Wow... -Joshua sorriu e me segurou. - Já bebeu antes de vir?


Merda!


Olhei pra ele por um momento sem saber o que responder.


Há um ano e meio eu admirava sua beleza de longe, mas nunca, nem em mil anos imaginei que poderíamos ficar tão perto... sentí-lo tocando meu braço...


- Não é festa do pijama. - Ele me informou apontando com o queixo pra minha roupa.


Olhei pra baixo e...


Dupla merda! Nem percebi que tinha saído de pijama!


Não, espera... Any, foco!


- Eu preciso estudar. - Falei firme, com uma expressão concentrada.


Ele levantou as sobrancelhas, um sorriso brincalhão se formando em seus lábios.


- Então sinto informar, mas você veio ao lugar errado.


Sorri irônica.


- Que engraçadinho... quero que vocês desliguem o som.


Ele pensou um pouco.


- Eu tenho uma ideia melhor. Que tal você entrar e a gente se divertir um pouco? - Ele deu um passo para trás, me dando espaço.


- Por favor, desligue ou abaixe o som.


Ele inclinou a cabeça e estreitou os olhos.


- E se eu negar?


- Olha só, é plena madrugada de segunda feira. Pessoas trabalham e estudam amanhã. Será que podem ter um pouco de consideração?


Ele riu alto.


- Isso é uma festa, meu anjo. Não existe festa sem música alta.


- Primeiro, eu não sou seu anjo. Segundo, se vocês não baixarem eu vou ter que tomar minhas providências.


- Tipo o que? Vai chamar a polícia?


Não respondi. Na verdade, essa ideia não me parecia muito pior do que sair do meu apartamento com um pijama incapaz de cobrir sequer metade da minha pele e começar a discutir com o cara mais cobiçado da faculdade por causa de um maldito som alto.


- Vá em frente. - Ele me desafiou.


- Não me provoque, Joshua.


Suas sobrancelhas se ergueram.


- Parece que meu nome é domínio público... mas qual é o seu?


Eu não precisei de mais de um segundo pra saber que não era uma boa ideia me apresentar.


- Olha, eu só quero que abaixem o som. O que custa?


- A diversão.


- Eu posso acabar com isso em dois tempos.


- Tenta a sorte. - Seu tom de voz soou baixo e ameaçador, sem humor, mas eu não me intimidei.


Bufei, dei as costas pra ele e desci as escadas pisando firme.


Se ele acha que eu sou como as garotinhas ingênuas e alienadas que ele costuma levar pra sua cama, dispostas a abaixar a cabeça e fazer obedientemente tudo o que ele as ordena e conscentir sem discutir com tudo o que ele diz, ele com certeza está terrivelmente enganado.


- Ei... achei que você os faria abaixar o som. - Joalin riu, enquanto eu percebia que o volume havia aumentado vários graus.


- Eu vou. - Peguei o telefone.


- Any...


Tarde demais. Sem hesitar, digitei 190.


Notas Finais


• |Oiiie!
• |Nova fic adaptada aqui para vcs!
• |eu realmente me apaixonei por essa história, e ela eh bem famosa aqui no wattpad, caso vc já leu por favor não de spoilers a quem não leu...
• |obrigada!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...