História O Preço (Is It Love: Ryan) - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Is It Love
Visualizações 62
Palavras 1.091
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela, Saga, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Boa Leitura

Capítulo 2 - A Caixa


Fanfic / Fanfiction O Preço (Is It Love: Ryan) - Capítulo 2 - A Caixa

5 de Março de 2018 as 08:00

Faz mais ou menos um mês que já trabalho aqui, é bem legal, tenho novos amigos, como Matt e Lisa, claro que Colin e uma espécie de colega, mas às vezes eu acho que ele é mudo, mas tudo bem.

 

- Oi Princesa. – Disse Matt.

- Bom dia Senhor Desorganizado. – Eu digo.

Tenho certeza que Matt não se lembra do meu nome e fica me chamando assim para ver se eu enlouqueço de vez. Colin chega comprimente somente Matt e da um sorriso amarelo para mim.

- Ei, Matt seu amigo me detesta. – Digo a ele em um sussurro.

- Para falar verdade não. – Diz ele com um sorriso de quem aprontou.

- Como assim? – Digo a ele terminando de editar a foto.

Matt se vira e fala.

- Ele te acha engraçadinha... Colin gosta das garotas atrapalhadas. – Disse ele rindo.

- Só por que o meu pc travou não quer disser que eu seja atrapalhada. – Digo revirando os olhos.

Cassidy passa com seu ar de arrogância por nossas mesas.

- Bom dia Matt. – Disse ela

- Bom Dia Cassidy. – Ele a responde parecendo meio incomodado.

- Eu pensei que aqui fosse trabalho e não um estúdio de fotografia. – Disse Cassidy se intrometendo no meu trabalho.

- É o seguinte Kady, esse é meu trabalho editar fotos, a única pessoa inútil aqui é você fofinha. – Digo a ela editando a foto da propaganda.

Eu olho para o Matt que estava rindo sem parar e volto a olhar para ela e digo a ela.

- Você não tem trabalho?

Cassidy sai furiosa até o elevador, quando ela entrou uma mulher loira saiu e foi em direção ao Mark que por sinal estava nesse andar, ele a conduz ao elevador novamente como se tivesse mostrando andar por andar.

- Matt? – Pergunto a ele.

- Fala Princesa. – Diz ele prestando atenção em seu notebook.

 - Quem era a loira com o Mark?

- Nunca vi essa mulher na vida. – Matt me respondeu.

Mark era uma das pessoas de confiança de Ryan Carter, ele era um homem ruivo, que usava óculos na maioria das vezes que via ele, mas hoje não.

Em falar em Ryan Carter, eu dei minha mancada com ele á um mês atrás, no McDonald's, porém aqui foi estranho. Talvez eu peça desculpas algum dia.

 

[Narrando Ryan Carter]:

 

Julianne Torres chegava a minha sala, á contratei para ser minha consultora.

- Como vai Ryan? – Pergunta Julianne me cumprimentando apertando minha mão.

- Bem e você?

- Ótima. Quem é a felizarda da vez? – Pergunta ela se sentando na cadeira de frente para minha.

- Ela. – Digo á ela virando o monitor do computador para Julianne.

- Sua funcionaria?

- Sim. – Digo a ela. – Algo de errado?

- O fato de ela ser sua funcionária. – Disse Julianne.

- Tem algum empecilho nisso? – Pergunto á ela.

- Vários, mas você me paga para isso. – Disse ela.

Julianne pega um bloco de notas e escreve algumas coisas em um papel e me entrega.

 - Só isso? – Pergunto com certo desdenho.

- Por enquanto, e tome cuidado com os olhos verdes.
            - Os olhos dela são castanho-esverdeados. – A corrijo.
           - Sei que não é os olhos que você quer não é mesmo? – Perguntou ela com sua ironia.
           - Acabou?
           - Claro. – Disse ela.
          - Vou pedir para o Sr. Leviels te acompanhar.
 
          Eu telefono para Mark e ele vem á minha sala.
 
        - Sr. Leviels acompanhe a Sra. Torres á saída. – Digo para Mark.
       - Claro, vamos? – Pergunta Julianne.
       - Vamos. – Responde Mark dando o braço para Julianne.
 
       Ele acompanhou Julianne até a porta de braços dados, depois daquilo eu volto para a foto da Sra. Mayer e a lista que Julianne me deu.             Volto para meus investimentos enquanto penso nas coisas que tenho que comprar para Sra. Mayer.
 

[Narrando Skye Mayer]:

 

Eu termino meu turno e entrego os projetos e a propaganda para Gabriel.

- Sr. Simons aqui estão o meus trabalhos e os do Matt. – Digo a ele.

- Skye, chame de Gabriel ok? – Diz ele. – Essa edição está perfeita.

- Obrigada Gabriel.

 - Está liberada, até amanha. – Disse Gabriel.

- Até. – Digo á ele. 

Saio da sala dele e pego o elevador, que sobe até o penúltimo andar, que maravilha, era tudo o que eu precisava. Quando as portas se abrem eu vejo era o dono da empresa que entrava no elevador junto á mim.

- Boa Noite. – Diz ele.

- Boa... Noite. – Respondo com certo medo.

O elevador começa á descer e digo.

- Olha me desculpe aquele dia no...

- Não tem importância. – Diz ele. – Se sente bem comendo aquilo.

- E...

Se ele soubesse, que é entediante comer varias vezes não diria isso.

Quando chego ao meu andar eu me digo á ele.

- Tchau Sr. Carter, até amanhã.

- Tchau Skye, até.

Eu não tinha me tocado até chegar ao metro, o Ryan sabe o meu nome, como ele sabe o meu nome?

[...]

 

Chego em casa e percebo que tem mais contas e é as faturas do  Cartões de créditos que por sinal não tenho dinheiro para pagar. Quando é que vou ter sorte nessa vida?

Entro na sala nem abro a conta já sei que estou devendo mais 97.200 dólares, sento no meu sofá que logo eu irei vender, minha vida está de cabeça para baixo quando a campainha toca enquanto eu lamento minha vida. Atendo á porta já que não passou ainda das 22:00.

Tinha um homem na porta com uma caixa na mão e o capacete na outra.

- Senhora Mayer? – Pergunta o motoboy.

- Sim?

- Assina aqui para mim. – Disse ele me entregando uma prancheta para eu assinar o recibo.

Ele me entrega á caixa e me diz boa noite ele volta para moto, enquanto eu fecho a porta, coloco a caixa preta com pedras na bancada e vejo um convite, sapatos brancos brilhantes, um vestido verde água de alças e uma faixa preta na cintura e uma mascara branca com penas. Eu não entendo nada e leio o convite.

“Senhora Mayer estamos lhe convidando ao baile de mascara, use o vestido, a mascara e os sapatos, não se preocupe com o transporte, haverá um motorista Jake Stewart para você as 22:30, Contamos com sua presença no dia 9 de março de 2018.”

O cartão não tinha assinatura, coloquei o nome do motorista na internet que aparece sua foto ele é bem recomendado, mas não tem o contato dele.

Ainda tenho minhas duvidas se devo ir.


Notas Finais


...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...