1. Spirit Fanfics >
  2. O preto que colore teus olhos >
  3. O cara dos lindos olhos pretos

História O preto que colore teus olhos - Capítulo 1


Escrita por: e KimHyuk-ie


Notas do Autor


Olá! Depois de muito tempo é um prazer aparecer novamente no projeto. Espero que todos estejam saudáveis e que aproveitem essa nova história 💜

Capítulo 1 - O cara dos lindos olhos pretos


O céu estava limpo, lindamente azul e poucas nuvens branquinhas eram vistas se locomovendo com calma, o sol brilhava alto e a brisa era leve nos locais onde as árvores faziam sombra, o clima quente sendo perfeito para quem quisesse aproveitar o dia dentro do mar. Essas eram as observações de Taehyung que caminhava na calçada a beira da praia. 

Ele, particularmente, não era fã do verão; o calor da estação era desconfortável considerando que não via nada de atrativo em se jogar na água fria, seja no mar ou em uma piscina — talvez fosse culpa do trauma de se queimar com os raios fortes do sol que lhe tiraram qualquer prazer em curtir o clima quente —, mas, de toda forma, pretendia tirar proveito dessa vez, fazendo suas fotos e pinturas com a bela visão que tinha da paisagem praiana. 

Uma coisa que Taehyung amava fazer era registrar os lugares pelos quais passava, tanto em sua câmera fotográfica quanto em suas telas, por este motivo tornou seu hobbie em profissão. Conseguia vender suas telas por um preço razoável e arranjava alguns trabalhos como fotógrafo a partir da divulgação que fazia em redes sociais. Seu perfil no Instagram tinha vários seguidores que sempre deixavam comentários de apoio e admiração em suas postagens. O motivo de estar precisamente em Busan vinha dali: após uma nova postagem em seu portfólio virtual que lhe rendeu um pedido para que fotografasse um casamento que aconteceria no fim da tarde na praia de Gwangalli, em um local mais reservado. 

Taehyung havia chegado à região na noite do dia anterior, mas por já ser tarde, preferiu ficar na pousada e organizar suas coisas para aquela semana que estaria aproveitando na cidade. Após uma longa noite de descanso, foi até um pequeno restaurante que os donos da pousada dispunham aos hóspedes para tomar seu café da manhã e, então, decidiu fazer uma caminhada pela praia para analisar um pouco do lugar e já ter algumas ideias para as fotos que faria do casal naquela tarde. 

Estava com sua câmera posicionada e arrumava o ângulo para fotografar a ponte de Gwangan que cruzava o mar. A paisagem pela tarde era muito bonita, especialmente pela presença de várias pessoas aproveitando e tornando o lugar mais colorido e vivo, mas com certeza faria fotos a noite também; mais do que amava a vivacidade do dia amava a calmaria que a escuridão do céu trazia. 

[…]

Diferentemente de antes, agora o céu não estava mais em seu tom azul claro, agora ele mesclava entre tons de laranja e um pouco de vermelho também — uma combinação que encantava Taehyung. 

O casamento foi feito há pouco, Taehyung o tempo todo estava procurando o ângulo perfeito para fotografar a cerimônia, principalmente o beijo que selava o casório. Agora o fotógrafo pedia para o casal relaxar e fazer algumas poses. 

— Agora fiquem de frente um para o outro. —  Foi até os recém-casados e arrumou a nova posição, deixando a noiva de costas para si e de frente para o marido. — Incline um pouco o corpo e vire sua cabeça para seu rosto ficar mais visível. — Tocou o queixo da noiva e posicionou sua cabeça de forma que, mesmo de costas, sua face pudesse ser vista na foto e também lhes mostrou uma boa posição para manterem suas mãos com as alianças visíveis. — Perfeito! Agora sorriam e troquem o olhar mais romântico que puderem. — Ouviu um riso fraco da parte dos noivos e viu ambos sorriram sinceros e apaixonados enquanto se encaravam. 

Taehyung sorriu e pegou o ângulo mais baixo que daria uma visão perfeita das cores do céu, logo atrás de ambos, em sintonia com as belas rosas vermelhas que vinham caindo sobre o teto e as colunas do caramanchão, que fazia parte da decoração do casamento. Assim, finalizou a sessão de fotos do casal e sorriu satisfeito. Tinha certeza de que o trabalho ficará bom. 

Passou alguns minutos conversando com os noivos, detalhes sobre o pagamento e o dia que as fotos do book do casamento estariam prontas, também parabenizou o casal e lhes desejou coisas boas, sempre mantendo sua simpatia, e, após organizar seu material de fotografia, foi embora depois do casal lhe agradecer e então voltar para o local onde os convidados ficaram para festejar o casamento — uma festa simples e apenas entre a família quais os próprios noivos disseram não precisar de fotos, por já terem feito algumas com os convidados antes da cerimônia começar e que estariam no book fotográfico. 

Quando Taehyung começou a andar pela calçada, percebeu que o sol já havia baixado totalmente e o céu já se tornava negro. Caminhou calmamente sentindo a brisa leve do anoitecer batendo em seu corpo e sorriu, por mais que a pousada onde ficava não fosse tão perto gostava de aproveitar o clima noturno para caminhar. 

Estava com sua câmera ainda equipada e mantinha os materiais de seu kit simples e portátil de fotografia na bolsa que carregava. Durante o caminho fez algumas fotos da paisagem ao seu redor. O mar estava calmo, não haviam ondas tão fortes se formando para agitar e aumentar demais o nível das águas, que tinha em si o reflexo colorido dos prédios. Taehyung fotografou. 

Após alguns minutos resolveu parar novamente e olhar para o horizonte. Lá havia a grande ponte iluminada que passava níveis acima do mar, as luzes dos faróis dos carros que a atravessavam se moviam com certa rapidez e causavam um efeito legal aos olhos do Kim. O céu era escuro, sem mais do que uma ou outra estrela podendo ser vista e uma linda lua em fase minguante se destacando. Maravilhoso, foi o que o fotógrafo pensou antes de apontar sua câmera e tirar diversas fotos, esperando que uma ficasse perfeita para ser representada em uma de suas pinturas.

Passou mais um tempo observando a vista da noite na bela praia de Gwangalli quando um arrepio forte lhe percorreu a espinha, o vento se tornou um pouco mais violento e assim acabou trazendo um frio incômodo, fazendo com que Taehyung fechasse seu fino casaco de botões e voltasse a andar. Estranhamente, tinha uma sensação diferente, não apenas do frio, do vento gélido da noite, mas também a sensação de estar sendo observado. Haviam alguns carros passando e poucas pessoas caminhando por perto, mas não sabia identificar quem poderia estar lhe encarando, então preferiu ignorar e continuar seu caminho até a pousada. 

Após entrar pela porta do quarto, guardou devidamente seu material de fotografia, deixando o cartão de memória de sua câmera no criado-mudo ao lado da cama e tomou um banho relaxante, vestiu uma camiseta leve e um short confortável já pronto para dormir já que não pretendia sair novamente. Para seu jantar, decidiu pedir algo por um aplicativo de delivery e passar o resto da noite vendo algo na televisão após dar uma breve olhada nas fotos que tirou no dia. 

Após realizar o pedido no aplicativo, deixou o celular de lado e alcançou o notebook, o ligou e pegou o cartão de memória de sua câmera fotográfica já o inserindo na entrada do aparelho para poder revelar suas fotos na tela. Assim que os arquivos apareceram, entrou na pasta de fotos referentes a câmera e decidiu começar pelas primeiras que tirou no dia. 

Observou algumas fotos que tirou durante a manhã que caminhou pela praia e escolheu as que achava melhor, apagando as que não ficaram tão boas e apenas estariam ocupando espaço. Continuou sua análise pelas fotos, agora, do casamento, desde a recepção dos convidados até as fotos individuais dos noivos. Em meio as fotos que olhava, seu jantar chegou. Transportou o notebook da cama para uma pequena mesa e começou a se alimentar enquanto escolhia as fotos que usaria no book do casal. Ainda precisaria editar as imagens mais tarde, mas ao menos já tinha feito a seleção das fotografias que fariam parte do trabalho final. 

Após passar por todas as fotos do casal, chegou nas últimas imagens, as que tirou enquanto voltava da praia. Ficou muito satisfeito com o resultado de cada uma e começou a analisar uma delas, com certeza faria uma pintura daquela imagem. Essa era sua tática, como não podia sair andando com uma tela e um tripé debaixo de seu braço esperando o momento que encontrasse o lugar perfeito para pintar, apenas o fotografava e mais tarde passava as fotografias para a tela branca com o uso de suas tintas coloridas e alguns detalhes de sua imaginação. 

Enquanto analisava as fotos para decidir qual tinha uma qualidade melhor e seria a escolhida, percebeu algo que havia passado invisível no momento em que tirava as imagens. Notou que em todas elas, havia uma pessoa que não viu quando estava no local pessoalmente. Era um rapaz, estava com o corpo apoiado em um poste de iluminação e usava roupas escuras, talvez por isso não o viu, sua presença era quase imperceptível. Ele era a única parte de suas fotografias que mudavam de posição a cada foto. Na primeira, segunda e terceira imagem ele olhava para um celular que tinha em mãos; na quarta e quinta imagem seu rosto estava em movimento — fazendo com que ficasse um pouco borrada — e os olhos se desprenderam do celular para se focar no fotógrafo que tirava fotos suas sem nem perceber; nas duas últimas fotos, a única alteração foi a presença de um sorriso. Aquele rapaz despertou uma curiosidade enorme em Taehyung, junto com um sentimento de familiaridade. 

Talvez fosse ele que lhe observava quando começou a andar e ter aquela sensação estranha de alguém com os olhos em si. E por sinal, aqueles olhos eram lindos. Inevitavelmente, o Kim deu zoom na foto para poder observar melhor a face do homem até então desconhecido e — graças a boa qualidade das fotos de sua câmera e a iluminação precária do poste — conseguia ver seus belos olhos, grandes e tão escuros quanto o céu daquela noite na praia, olhos que carregavam o reflexo curvo da lua, olhos encantadores que ficariam presos em sua mente. Sem dúvidas pintaria o belo jovem em sua tela junto da paisagem de tirar o fôlego. 

[…]

Taehyung agora organizava suas pinturas. Já faz seis dias que estava em Busan e, naquela tarde, faria uma exposição de seus quadros numa praça — inclusive seu quadro mais recente, onde pintou o rapaz misterioso dos olhos pretos. Durante aqueles dias aproveitou bastante o local, fez alguns passeios pela cidade e assim conheceu o Parque Ecológico Maekdo, era um lugar bonito e movimentado durante o dia, faria a exposição de seus trabalhos lá. 

Já tinha essa ideia desde antes de chegar a praia de Busan, por este motivo, levou suas melhores pinturas consigo. Sempre fazia exposições, era essencial para mais pessoas conhecerem seu trabalho e até comprarem suas artes e dessa vez não seria diferente. Fez uma postagem dizendo que estaria em Busan e que faria uma exposição no Parque, alguns de seus seguidores que eram da região confirmaram que iriam apreciar o Kim naquela tarde. 

Taehyung não encontrou por acaso o homem dos olhos de céu, mas, no dia anterior, quando fez mais uma postagem em seu Instagram sobre sua exposição, usou a foto que tirou da paisagem noturna de Gwangalli onde o rapaz que não largava os pensamentos do Kim aparecia, tinha esperança do dito cujo surgir em Maekdo, lhe chamar para sair e se apaixonar por si — talvez estivesse sendo um pouquinho exagerado. 

O fotógrafo já havia pedido por um carro em um aplicativo no celular que lhe levaria junto de seus materiais até o Parque, e não demorou muito para ouvir a buzina do lado de fora. O motorista lhe ajudou a transportar e colocar suas telas de forma segura dentro do porta-malas do carro e Taehyung levou o restante de seus pertences para então partirem para o local. 

Chegando ao destino, o rapaz lhe ajudou a descarregar o carro com as coisas do Kim e assim que pago, foi embora. Felizmente, o rapaz gentil havia deixado suas coisas no local que indicou que montaria sua exposição, então não teria problemas em carregar tudo. 

Por ainda ser cedo, eram poucas pessoas que passavam por ali enquanto Taehyung erguia os suportes que colocaria suas pinturas, sem pressa e com cuidado. Terminou de organizar sua pequena exposição de arte, afinal, passaria a tarde ali e estava preparado, tendo um banquinho confortável para se sentar e a sombra de uma árvore para lhe proteger do sol e varios salgadinhos para devorar.

Assim a tarde foi passando, algumas pessoas que já conheciam seu trabalho pararam para trocar algumas palavras consigo — infelizmente nenhuma delas era dona dos olhos pretos — e muitas outras apreciaram sua arte e lhe deram diversos elogios por conta de seu talento. Teve medo algumas vezes quando crianças apareciam e acabavam querendo chegar muito perto, o que poderia causar um estrago dependendo de suas ações, mas nada de errado ocorreu. 

Conseguiu vender três de seus quadros e até fez trabalhos na hora, essa era uma das atividades que gostava de fazer durante suas exposições também: pessoas pagavam por uma pintura ou desenho feito na hora, geralmente um retrato e Taehyung não cansava de fazê-los, muito pelo contrário, adorava. 

Quando passaram cinco horas que estava ali, decidiu guardar suas coisas e ir embora. Estava orgulhoso, pois, mais uma vez, teve um dia muito produtivo. Guardou suas pequenas coisas na mesma sacola de papel que as trouxe e já começava a retirar suas telas quando ouviu uma voz próxima de si. 

— Olá, quer ajuda?

Taehyung largou a tela que estava em suas mãos e se virou já pronto para dizer um sonoro e suplicante "sim" — considerando que precisava de auxílio —, mas perdeu as palavras ao dar de cara com um rapaz de sorriso doce e grandes olhos pretos. O rapaz soltou uma risada fraca ao perceber que aparentemente não ganharia nada além dos olhos castanhos esbugalhados em sua direção. 

— Seu silêncio é um sim? — questionou. 

— Sim, é um sim, sim — respondeu um pouco atrapalhado após a onda de surpresa passar e sorriu quadrado para outrem. 

— Entendi — respondeu risonho retribuindo o sorriso e se prostrando a ajudar. Começaram a organizar as telas de lado e então desmontaram os suportes destas. 

— Sou Kim Taehyung — informou quando terminaram de desmontar a exposição. 

— Eu sei. 

— Sabe? — perguntou confuso e encarou o rapaz. 

— Sei, eu conheço você. Um renomado nome da arte coreana atual — falou com uma voz teatral que fez o Kim rir. 

— Nem tanto assim, ainda sou principiante. 

— Um principiante muito talentoso. — Apontou e percebeu o outro sorrir tímido. Taehyung não era muito bom com elogios, ainda mais vindos de uma pessoa... especial? — E eu sou Jeon Jungkook, seu grande fã. — Riu da expressão surpresa do Kim. 

— O que? Como assim? 

— Te explico se aceita jantar comigo. — Mordeu o lábio tentando conter um sorrisinho e abaixou o olhar um pouco envergonhado. 

— Uau, você é rápido. — Taehyung riu e percebeu o rapaz ficar ainda mais desconcertado. 

— Ah, qual é! Você usou da minha imagem sem minha permissão, eu posso te processar — apelou. 

— Está me chantageando? Que abusado! — Ambos acabaram rindo da situação e Taehyung percebeu os dentes mais avantajados no sorriso do Jeon. Ah, aquele homem era realmente encantador. — Tudo bem, eu vou aceitar porque eu preciso de uma ajuda para transportar tudo isso. Você está de carro? — perguntou recebendo um animado aceno afirmativo. — Então estou confiando que não é um sequestrador, por favor, não me decepcione. 

— Não se preocupe, sou só o "cara dos lindos olhos pretos."— Após ouvir a fala e o risinho do outro, Taehyung lembrou-se de ter usado aquela pequena frase na postagem que fez onde o rapaz aparecia, apenas de brincadeira. 

— Então você viu aquele post? — perguntou com os olhos arregalados. 

— Eu disse que explico no nosso jantar. — E assim encerrou o assunto. 

Taehyung arrumou suas coisas no carro do Jeon e então começaram a fazer o caminho para um restaurante que o rapaz dos olhos escuros escolheu para levar o Kim. Taehyung se sentiu confortável no caminho com a conversa leve que tinha com o rapaz e confiou em sua simpatia e rosto amigável. Sentia como se já o conhecesse, não apenas pelas fotos que tirou deste na praia, mas ainda antes disto, já sentia uma certa familiarização com a aparência do Jeon. 

Taehyung percebeu quando chegaram até a praia novamente, podendo ver todo o mar a alguns metros de distância de si e a enorme ponte. 

— Vou te levar para o HQ Gwangan, é o bar onde uns amigos meus trabalham e é muito bom. Eu não sei se você já foi, mas caso ainda não, tenho certeza de que vai gostar. — Jungkook garantiu enquanto sorria parecendo animado e um pouco ansioso, Taehyung concordou dando seu melhor sorriso. 

— Estou certo disso.

Alguns minutos depois já estavam estacionando o carro e saindo, andaram um pouco até chegarem ao local que Jungkook indicou. Era movimentado, mas percebeu ser muito acolhedor quando, logo que botou os pés para dentro do estabelecimento, já foi cumprimentado por uma mulher de sorriso gentil, esta mesma arqueou uma de suas sobrancelhas ao olhar para o Jeon atrás de si. Jungkook a abraçou e Taehyung percebeu que ela cochichou algo em seu ouvido o que fez o Jeon ficar vermelho e lhe dar um tapinha enquanto ela ria. 

— Vamos pegar uma mesa na varanda, a visão do mar é incrível de lá. — Jungkook disse e voltou a guiar Taehyung pelo local. Algumas pessoas cumprimentavam os dois enquanto caminhavam e o Kim julgou serem os amigos que Jeon citou anteriormente. 

— Então, Jeon Jungkook? Ainda não me explicou as coisas que disse lá no parque. — Taehyung prontamente lembrou após os dois se acomodarem em uma mesa. 

— É verdade. — Pensou um pouco. — Bom, eu acho que você não me reconheceu ainda ou apenas nunca realmente prestou muita atenção em mim, porque já nos falamos antes — afirmou enquanto via Taehyung ficar cada vez mais confuso e curioso. 

— Já nos falamos? — perguntou e viu o outro assentir. 

— Eu sou o "JJK97", lembra desse user? — tentou e agora Taehyung vasculhava sua memória enquanto franzia o cenho, até que pareceu achar o que procurava em sua mente e fazer uma cara surpresa que causou um riso em Jungkook. 

— É sério? Oh, meu Deus. JJK, Jeon Jung Kook, era óbvio! Eu sabia que já tinha visto seu rosto antes — falou animado. 

JJK97 não era ninguém menos do que seu seguidor favorito. Ele também tinha um perfil — pequeno se comparado ao do Kim — onde postava fotos, e, em quase todas as postagens de Taehyung, ele aparecia para lhe elogiar. Já havia trocado mensagens com rapaz, nada muito profundo, mas podia dizer que tinha uma afeição — e até um crush — muito grande pelo homem que lhe encorajava desde que seu perfil ainda não era muito grande. JJK97 não postava imagens próprias e sempre que mudava sua foto de perfil, não mostrava o rosto todo, por isso, Taehyung acabou não o reconhecendo, mas também não o achando um completo estranho quando o viu sendo intruso em suas fotos de Gwangalli. 

— Pois é, eu achei que você fosse me reconhecer quando eu aparecesse pessoalmente, mas você não tinha ligado todos os pontos. — Riu vendo Taehyung parecendo tão extasiado por ter apenas lhe conhecido. 

— Eu fui tão lesado, não era tão difícil de perceber, mas você não apareceu na postagem que eu fiz com a foto então eu nem pensei na possibilidade de o homem na praia ser o JJK.

— Eu confesso que fiquei lisonjeado em ser fotografado por você. — Sorriu grande para o Kim. — Eu te admiro muito, você é uma inspiração para mim — declarou agora com a voz um pouco mais baixa e tímida e, mais uma vez, abalou as estruturas de Taehyung sem nem perceber. 

— Eu também te admiro. Ter o seu apoio, mesmo sem nem te conhecer, sempre foi muito importante para mim. E você também faz um ótimo trabalho, eu sempre vejo suas postagens. 

— Eu sei, eu sempre fico animado quando tem uma notificação sobre você. — Soltou um risinho e Taehyung lhe sorriu com doçura. Um garçom veio atendê-los e ambos fizeram seus pedidos para o jantar junto de duas garrafas de Soju. — Eu gosto muito de fotografia e ver seu perfil ir crescendo devagarinho me fez pensar sobre isso também, então eu comecei a usar a minha conta para fazer algumas postagens mesmo que eu não leve isso como profissão. 

— Mas poderia, tenho certeza que se daria bem nisso. 

— Não sei, talvez eu tente, mas por enquanto eu prefiro manter como um passatempo. — Taehyung concordou com sua escolha e garantiu que, caso ele se tornasse fotógrafo no futuro, teria o Kim como seu maior apreciador. 

Os dois continuaram conversando sem nem perceber os minutos passando. Tinham um papo descontraído seja sobre fotografia e até a pintura que Taehyung fez do Jeon na praia, ou sobre coisas banais de suas vidas pessoais. Jungkook estava certo quando disse que Taehyung gostaria do local, a comida era muito boa, os funcionários sempre estavam prontos se precisassem e os tratavam muito bem, até conversando consigo e com Jungkook em alguns momentos.

Viram algumas pessoas se apresentando no pequeno palco que havia no bar e o moreno revelou que as vezes se apresentava ali, Taehyung quase suplicou para que Jeon se apresentasse para ele ver, mas Jungkook alegou que a agenda de apresentações já estava cheia e que também acabaria ficando nervoso por ter o Kim lhe assistindo e estragando tudo. 

Em certo momento, enquanto assistia uma apresentação, sentiu a mão de Jeon segurar a sua e lhe puxar para darem uma volta na praia enquanto assistiam o sol se pôr totalmente. Saíram do bar depois de dividirem a conta — por pura insistência do Kim, que não queria deixar tudo para Jungkook — e foram até a praia. Começaram a caminhar pela areia após tirarem seus calçados e observavam o céu escurecendo a cada minuto. Andavam de mãos dadas e nenhum dos dois particularmente ligavam caso alguém lhes olhasse torto. 

Em alguns momentos, conversavam e em outros apenas mantinham o silêncio confortável enquanto viam a praia se tornar mais vazia e sentiam o calor da mão alheia e o esbarrar dos braços pela falta de espaço entre um corpo e outro. 

O céu ia deixando a coloração alaranjada à medida que o sol já estava quase totalmente escondido e dava lugar ao tom escuro de azul. Depois de mais alguns minutos, decidiram se sentar a beira da praia e apenas aproveitar o clima gostoso e sem mais o calor exagerado de antes. 

— Você vai ficar em Busan até quando? — Jungkook perguntou com a voz baixa e Taehyung abaixou sua cabeça enquanto olhava para os próprios sapatos em suas mãos. 

— Eu volto para Daegu amanhã. — Suspirou. Jungkook não lhe respondeu e eles voltaram ao silêncio, agora não tão confortável assim. 

Taehyung observava o céu agora escuro, a lua já posicionada e, diferente do dia que fotografou na praia, agora haviam diversas estrelas visíveis. Observou também a grande ponte se tornando brilhante e refletindo no mar, causando um efeito lindo do qual o Kim já havia presenciado nos outros dias, mas nem por isso deixava de se encantar. Aquela noite estava mais movimentada, havia mais carros pelas ruas e vários estabelecimentos cheios e acesos davam um clima vivido e feliz para o momento. 

Se lembrava perfeitamente de dias antes estar apreciando aquele mesmo céu escuro, e foi inevitável levar seu olhar para o rapaz que estava lá consigo naquela noite — mesmo que não tivesse notado sua presença — e agora observava a paisagem sentado ao seu lado. Jungkook sentiu o peso do olhar de Taehyung em si e então o retribuiu. E como se fosse a primeira vez que tinha contato com o rapaz, Taehyung se viu vidrado nos grandes olhos pretos que lhe encarava profundamente. 

De forma quase automática começou a se aproximar, vendo agora os olhos profundos se arregalaram levemente demonstrando curiosidade em relação à seu movimento. Logo as orbes escuras recaíram sobre sua boca e, pela distância já ser curta, pode sentir a ponta dos narizes se tocarem e as respirações se tornarem mais audíveis. Fechou os olhos, mas não se mexeu, apenas sentiu Jungkook calmamente esbarrar seus narizes em um beijo de esquimó. 

— Tudo bem se eu te beijar no nosso primeiro encontro? — Jungkook falou baixo e descontraído, sorrindo enquanto ouvia o Kim soltar uma risada tímida. 

— Eu não vejo problema algum. — Abriu seus olhos e se afastou um pouco apenas para deixar um selar na ponta do nariz do Jeon, este que sorriu e não esperou outra permissão para então puxar Taehyung pela nuca e sentir seus lábios se juntarem. 

Ambos sentiram um frio no estômago assim que iniciaram o beijo, causando um sorriso leve dos dois em meio ao contato casto. Jungkook desceu com calma a mão da nuca de Taehyung até alcançar a lateral de seu rosto e começar um carinho com o polegar pela bochecha fofa e maxilar pouco marcado. Taehyung puxou sem pressa o lábio inferior do moreno enquanto levava a mão até os dedos que lhe afagavam o rosto, fazendo Jungkook lhe soltar e então entrelaçar os dedos, repousando-as no próprio colo. 

Não aprofundaram o beijo, apenas se envolveram em alguns selinhos preguiçosos e demorados enquanto aproveitavam o calor da respiração e do toque alheio e o carinho que trocavam.

Quebraram o contato com um último selar e sorrisos que não conseguiam — e nem tentavam — conter. Mantiveram os olhos fechados e os rostos quase colados, ainda em silêncio, não precisavam falar nada no momento pois sabiam o que sentiam. O primeiro a tomar total distância foi Taehyung, quando se levantou e deixou os calçados e o celular na areia logo tirando a camisa e a juntando as outras coisas, Jungkook lhe olhou confuso e então teve suas mãos puxadas. 

— Vamos entrar no mar — disse já erguendo a blusa do moreno para que ele a retirasse também. 

— O que? Ficou doido? — perguntou rindo, mas não se opondo em tirar a parte de cima de suas vestes. — Quer nadar durante a noite? 

— Eu só estou animado, não estrague o momento. — Riu enquanto agarrava as mãos de Jungkook e o puxava em direção a água. 

Ambos entraram no mar ainda sem esconder os sorrisos, estavam felizes, elétricos, conectados de uma forma sem igual. Estavam nutrindo um sentimento que ainda estava em formação dentro dos dois, um sentimento que talvez não pudesse florescer. 

[…]

— Muito obrigado, Jungkook. — Taehyung falou enquanto saíam do quarto da pousada e caminhavam para o lado de fora do local. O Jeon levou o castanho até o lugar onde este estava hospedado e ajudou o mesmo a descarregar as coisas que usou na exposição e estavam dentro do carro. — De verdade, eu me diverti muito hoje. Obrigado por ter me levado para sair com você, foi incrível. 

— Não precisa me agradecer, o prazer foi todo meu em ter sua companhia essa noite, já fazia tempo que eu não me divertia dessa forma com alguém. 

— A propósito, me desculpe por molhar o seu carro. — Deu um riso envergonhado enquanto olhava o estado em que estavam após saírem do mar a pouco, havia ensopado o banco com sua calça encharcada. 

— Não se preocupe com isso, considere me deixar ficar com sua pintura uma forma de ficarmos quites — afirmou com um tom engraçado. Após quase implorar, Taehyung deixou que Jungkook ficasse com o quadro que havia pintado do próprio moreno na praia, não sem antes tirar uma foto para manter em recordação. — Bom, então eu acho que vou para casa agora. Te vejo amanhã no almoço? 

— Eu não quero te incomodar, não precisa me levar para a rodoviária se não quiser. 

— Não é incômodo algum, eu quero me despedir de você amanhã e te desejar uma boa viagem. — Sorriu um pouco chateado e logo puxou o Kim para um abraço apertado. — Boa noite, hyung. 

— Boa noite, Kook. — Sorriu com a forma já íntima de se chamarem e se separou do abraço. Viu o mais novo se afastando e mordeu o lábio um pouco ansioso antes de suspirar. — Jungkook — chamou quando o outro já segurava a porta do carro, olhou para os dois lados da rua vendo que não havia ninguém prestando atenção em si e então se aproximou. — Espera. 

Mau terminou de fazer seu pedido antes de se agarrar ao rosto de Jungkook. Lhe deu um selinho demorado antes de pedir passagem com a língua para aprofundar o beijo. Não era como o beijo carinhoso e romântico que deram na praia, era mais intenso, afoito, rápido. Com toques mais firmes e a necessidade de estarem próximos, um beijo de despedida que sabiam não poder trocar quando estivessem em meio a tanta gente no momento que Taehyung estivesse indo embora. Se abraçaram durante o beijo que aos poucos se tornou mais calmo, os lábios se tocando com mais delicadeza até que o contato se partisse. Se encararam com intensidade e suspiraram antes de Taehyung se afastar. 

— Até amanhã. — Sorriu e acenou para o Jeon antes de entrar, sequer esperando que ele fosse embora. Seu coração estava batendo muito rápido e se culpava por isso, pois sabia que acabaria se machucando no final. 

[…]

Taehyung agora organizava suas bagagens dentro do carro de Jungkook enquanto conversavam animadamente. Haviam almoçado juntos e terminando de arrumar as últimas coisas do Kim que ainda estavam espalhadas pelo quarto da pousada para poder colocar tudo no porta-malas. O que ocupava mais tempo era organizar as bolsas com seus materiais de trabalho, tudo era muito frágil e Taehyung morria de medo de algo acabar se quebrando, então fazia questão de tomar muito cuidado na hora de guardar tudo, mas, enfim, tudo estava em seu devido lugar. 

— Já pode embarcar, senhor Kim — falou formalmente com um sorriso no rosto e tirou uma risada de Taehyung, este que ficou um pouco constrangido ao se sentar no banco e perceber que ele ainda estava úmido pela bagunça da noite anterior. Sorriu com a lembrança recente. 

Jungkook ligou o rádio antes de começar a dirigir até a rodoviária. O caminho foi feito com um clima descontraído enquanto cantavam animados e conversavam trivialidades, o castanho apreciava a paisagem natural da praia mudando para algo mais urbano à medida que entravam por novas ruas que os levaria até o destino. Jungkook não contaria, mas estava fazendo o caminho mais longo que conseguia apenas para ter mais um tempo conversando com Taehyung. 

Após pouco mais de meia hora, conseguiram ver a rodoviária. Jungkook entrou no estacionamento e conseguiu uma vaga próxima a entrada onde teria mais facilidade em descarregar as bagagens. Logo desceram do carro e o mais novo abriu o porta-malas, enquanto tirava as bolsas com os itens diários de Taehyung, este pegava seus materiais e suas telas que estavam devidamente embaladas, não tinha tanta dificuldade em transportá-las, pois nenhuma passava dos cinquenta centímetros de tamanho. 

O moreno travou o carro assim que tudo já estava do lado de fora e, então foram para o interior do local. Estava bastante movimentado, como de costume, já que Busan era bastante visitada durante o verão. Pessoas embarcavam e desembarcavam a todo momento e Taehyung pode ver que o ônibus com destino à Daegu já estava ali. 

— Então, está entregue. — O mais novo sorriu pequeno. 

— Bom, obrigado mais uma vez. — Taehyung agradeceu sem querer realmente se despedir. 

— Não precisa agradecer, eu disse que queria te trazer e foi o que eu fiz. 

— Não digo pela carona, digo por tudo. Por, em um dia, ter feito essa viagem realmente valer a pena. Foi um prazer enorme poder te conhecer pessoalmente. — Aproximou-se e tocou o rosto do Jeon com carinho, levando seus dedos pelos belos contornos que formavam a obra de arte que Jungkook era. Alisou com calma suas sobrancelhas e foi passeando seus dígitos pelas laterais de seu rosto até subir novamente e alcançar as pálpebras onde também deixou um selar, um beijinho sobre os dois olhos pretos que haviam lhe prendido em um encanto. 

— Não faça isso, assim parece que nunca mais nos veremos. — Jungkook pediu fazendo um bico contrariado, mas nem por isso querendo que Taehyung parasse com o carinho. 

— Me desculpe, bicudo. — Taehyung soltou um risinho antes de selar os lábios vermelhinhos do Jeon que tinham gostinho doce de gloss. Jungkook lhe segurou por mais tempo quando deu indícios de que se afastaria e manteve o selar demorado seguido de outros enquanto o prendia nos braços. 

Trocaram um beijo calmo, com direito a um afago nos fios de cabelo e nas costas e mordidinhas fracas em meio ao ósculo lento e doce. Um beijo que não dizia "adeus", mas que deixava a promessa de uma volta. 

Se separaram e Taehyung passou um tempinho encarando de perto os olhos pretos e profundos que agora pareciam carregar muitas emoções. Sorriu e pegou suas malas que estavam largadas no chão. 

— Tchau. 

— Tchau, Tae. 

Jungkook cruzou os braços enquanto encarava as costas de Taehyung que caminhou até onde embarcaria. O viu entregando a passagem do ônibus para uma mulher que então liberou sua entrada. Sentiu o coração ficar pequenininho quando Taehyung lhe olhou uma última vez e acenou antes de sumir de sua visão. 

Jungkook suspirou pesado e mordeu o lábio inferior com uma repentina vontade de chorar, odiava ser tão sentimental. Virou as costas e caminhou com calma até seu carro, entrou e ficou um tempo parado encarando o volante, fechou os olhos por um momento e negou com a cabeça tentando parar de pensar sobre o Kim está indo embora. Quando estava prestes a girar a chave e dar partida, ouviu seu celular apitar indicando uma notificação, o alcançou e pode ver o user de Taehyung indicando uma nova postagem, abriu com pressa e não pode evitar o sorriso grande. Bloqueou o celular e enfim fez o caminho de volta para casa. 

Na postagem havia uma foto que os dois tiraram juntos na noite anterior na companhia da pintura que Taehyung fez de si na praia acompanhada de uma legenda simples:

Até a próxima cara dos lindos olhos pretos 



Notas Finais


Olá! Depois de muito tempo é um prazer aparecer novamente no projeto. Espero que todos estejam saudáveis e que aproveitem essa nova história 💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...