História O primeiro olimpiano. - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Cronos, Demeter, Hades, Hera (Juno), Percy Jackson, Poseidon, Zeus
Tags Guerra, Traição
Visualizações 18
Palavras 4.554
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Seinen, Sobrenatural, Steampunk, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu estava corrigindo alguns erros do capítulo anterior e adicionado mais detalhes. Quem quiser voltar pra ver,fique a vontade e antes que eu me esqueça,sim isso vai acontecer direto se puder.

Capítulo 2 - Idade dourada capítulo I: verdades e mentiras.


Fanfic / Fanfiction O primeiro olimpiano. - Capítulo 2 - Idade dourada capítulo I: verdades e mentiras.

Região da Tessália,alguns anos após o dia que a profecia foi revelada.

Vários gritos eram ouvidos pela região da Tessália enquanto fenômenos como tsunamis,terremotos, mudanças climáticas e outras anormalidades pareciam surgir de um só ponto daquele local. Como há fumaça se origina do fogo.

Vários espíritos da natureza circulavam aquele local das espécies mais variadas de ninfas,sátiros,gigantes nascidos da queda de Urano,nascidos da terra,homens imortais da era dourada entre outros mais variados de seres daquela epoca todos observavam a cena diante deles com ávido interesse como se estivessem presenciando um grande show,ao mesmo tempo um grande medo pelo que viria. Somente duas pessoas se distinguiam daquele grupo,um titã que estava com uma postura casual esperando os resultados do eventos que aconteciam a sua frente. Ele tinha há aparência de um jovem adulto da casa dos 20. Atlético,bonito e moreno de longos cabelos e olhos pretos como carvão. Vestindo um chiton vermelho alaranjado como fogo e ao seu lado estava uma oceanide de longos cabelos loiros encaracolados e olhos cinzentos,bonita de pele branca como mármore e usando um chiton branco. Ela mantinha uma expressão séria.

Na frente deles havia um campo de força originado de um círculo mágico. Por fora ele parecia a metade um geóide verde mais ao mesmo tempo bem transparente e por dentro dele havia uma cratera bem funda e cujas dimensões de tamanho eram bem distorcidas se comparadas com as de fora do campo mágico. Dentro era uma caverna funda que formava uma espécie de arena que de uma forma bizarra parecia ser maior que a própria Tessalia. Lá uma grande batalha acontecia.

Me pergunto quanto tempo ele ainda vai Enrolar.....- Questionou de forma desinteressada o Titã expectador,alguns dos outros espíritos da natureza que estavam perto e o ouviram,olharam pra ele de forma estranha como se ele fosse o culpado daquela comoção.

Bem ele não era culpado exatamente,ele só acompanhou um dos culpados até Tessalia.  Ele era realmente só um espectador.

Mais um tremor este mais forte que os outros e uma gargalhada de diversão.

Dentro do campo de força onde alguns seres pedregosos e de constituição poderosas do tamanho de montanhas se encontravam exparramados,feridos e desacordados no chão. Enquanto o maior e o mais forte deles feita de pedras endurecidas ainda mais pelo frio estremo e coberto por uma camada de neve,que formava uma segunda camada de pele enfrentava com toda sua fúria de batalha e poder um ser de tamanho humano mas com um poder que ia muito além. Ele vestia uma armadura grega feita de diamante crônico com pinturas tribais pretas detalhadas nela e no capacete de que lembrava a todos que o viam uma dragão ou um basilisco,em uma mão estava uma espada do mesmo material e no outro um escudo. Aquela era a batalha de um oreas um espírito da montanha da era dos primoridias e um deus,o único de sua raça.

O Oreas abriu a boca e rugiu,de lá foi vomitado uma grande e intensa nevasca que se estendeu cobrindo tudo ao seu caminho com quantidades gigantescas de neve que iam em direção ao seu aniversário. O deus com um movimento da sua espada,como se fosse cortar algo,faz a nevasca se dividir em dias e se dispersar pelos lados criando uma onda de puro poder físico na forma de uma lua crescente tão forte que chegou a se tornar visível. O espírito das montanhas ao ver o perigo vindo em sua frente,cruza seus braços em forma de cruz bloqueando o ataque da jovem divindade,mas com o custo de feridas sérias em seus braços cujos pedaços pedregosos caem no chão como uma avalanche gigantesca.

O Oreas pisa no chão com força e de lá faz brotar em velocidade divina várias e várias réplicas do monte olimpo que tentam empalar a divindade que ao observar seus obstáculos,seus olhos brilham e o que acontece foi tão rápido que praticamente ninguém normal saberia o que de fato aconteceu. Em um momento ele estava prestes a ser perfurado por várias montanhas e no outro,um grande estrondo igual a um terremoto foi escutado por todos. A divindade tinha investido contra o estômago do espírito da montanha como um míssel criando rachaduras no local do impacto e o derrubando,no chão criando mais um terremoto.

A divindade Souta um grito de guerra e pisa no peito da Oreas gigantesco com brutalidade fazendo o rosnar de dores e raiva profunda. Ele fez menção de empalar a espada no peito do seu adversário,mas o Oreas fez de onde ele estava pisando explodir uma enxurrada de pedras que foram expelidas do seu corpo como balas de tiro de metralhadora o atingindo o e o afastando. Olimpo levanta em um salto criando um tremor e faz todas as réplicas do monte olimpo convocadas por ele desprenderem do chão e flutuar em meio ao céu e em seguida as fez se partirem em milhões de pedacinhos e as transformou numa tempestade de areia misturada com uma avalanche de proporções colossais e as fez envolverem seu adversário o atingindo e tentando o esmagar,enquanto o prendia.

Você acha que ele escapa dessa?- Perguntou de forma despreocupada o titã moreno.

A oceanide ao seu lado o olhou,com uma sombrancelha erguida como se dissesse"sério"

Você não devia saber,Prometeu, afinal saber o que vai acontecer não é do seu departamento?- Questionou sarcástica.

Ele sorri brincalhão.

Nossa,eu só estou brincando é óbvio que eu sei quais vão ser os resultados priminha- Riu com diversão,o Titã da astúcia.

Do campo de força uma luz divina começou a queimar e aquela tempestade de areia e nevasca, começou a ser destruída pelo poder poder da divindade que transformou tudo em seu redor em nada. O Olimpo avançou em alta velocidade contra seu adversário e no meio do caminho criou uma lança que parecia uma montanha com ela tento o empalar,mas a divindade abaixou seu corpo no último estante e cortou a lança ao meu com sua espada em seguida apareceu no ombro do Olimpo e cortou seu braço fora,fazendo o gritar. O reais fez um giro com seu corpo 360 graus e tentou dá um soco no deus mas que só com um olhar fez seu inimigo ficar tão lento quanto uma tartaruga não o atingindo o. Ele cortou o outro braço dele fora e convocando seu poder criou uma réplica colossal da sua espada diamantina e com um pensamento a multiplicou 10 vezes e fez cada uma das espadas gigantes perfurar o Oreas nos ombros, mãos,joelhos,pernas e barriga.

Não demorou nada pra ele cair no chão,acabado.

Você desisite!?- Perguntou a divindade.

Olimpo o Oreas o olhou com seus olhos cinzas como pedra numa expressão de dor e raiva. Sua resposta foi sua forma começar a distorcer e brilhar com uma luz cinza pedra,a própria região ao redor tremeu.

Com essa ação do ser primordial,a divindade franziu a testa sabendo do perigo. Prometeu e sua parente ao lado ficaram em postura defensiva sabendo o que aquilo significava e os habitantes de Tessalia que observavam a luta começaram a fugir

Olimpo iria entrar na sua forma divina primoridal.

O deus que voava acima não ia deixar. Com um pensamento ele fez as réplicas gigantes da sua espada explodirem cada uma carregando a potência de uma bomba nuclear,ele não podia deixar seu inimigo assumir a sua verdadeira forma.  Ele não foi afetado pela destruição por que era seu poder, não ia machuca ló.

Após todo o espetáculo explosivo,ele desceu até o Oreas que parecia uma versão derretida da sua forma mais fraca. A sua energia primoridal que liberou na hora de assumir sua verdadeira face,devia te ló protegido do verdadeiro dano.

E olha ele ainda estava consciente,ele foi um bom adversário ele tinha que admitir.

Ele foi até ele no caminho disse umas palavras,a língua da magia e isso fez o campo de força se desfazer junto com o selo que foi destruído por sua palavra chave,assim a paisagem voltou ao normal. Quando ele chegou perto do rosto de Olimpo o espírito do monte olimpo,lhe perguntou:

Agora você vai me ouvir?

O Primoridal grune mas dolorosamente ascente.

Eu vim aqui por ordens de meu pai como você já deve ter ouvido o titã Cronos,ele me mandou numa missão de ir até todas os Oreas do mundo e pedir.....

PEDIR*tosse* vocês basicamente nós obrigaram a serem seus escravos. Aposto que por nós sermos os"mais fracos"dos primoridias vocês resolveram nos dominar e não minta pra mim Perseu!- Grita indignado o espírito das montanhas.

Percy suspira já fez isso um monte de vezes.

Olha tio eu sinceramente não sei por que meu pai resolveu que quer todos os Oreas sobre seu poder. Nem sei por que ele tem um interesse pessoal em você- admitiu Percy com sinceridade.

Olimpo riu de forma seca,aquele ser que o venceu não sabia de nada mesmo. Prometeu e a oceanide se aproximaram deles e se prostaram do lado de Percy em silêncio.

Oreas suspira.

Você venceu e dominou cada Oreas que esteve em seu caminho,viajou o mundo inteiro num espaço de tempo de 1 ano,garoto. Você tem nosso respeito,os Oreas de Tessalia.

Os Oreas que ele derrubou antes,moradores de Tessália olharam pra Percy com seus olhos cinzas a explosão deveia te los acordado além de feridos muito mais e cada um deles agora o observava. Percy tirou seu capacete revelando seu rosto agora mais velho e com o começo de uma bela barbar,parecia ter a idade visual 16 anos  e era bem bonito.

Cronos não nós derrotou,foi você. Nós montanhas de Tessalia iremos servir você até que deseje nós libertar, não concordam irmãos?Ele nos derrotou-.Soutou sarcasticamnte mas avia um certo respeito em seu tom.

Os Oreas de Tessália concordaram e o universo tremeu,Caos selou o juramento.

Percy suspirou seu pai iria ficar com raiva. Nenhum Oreas que venceu prostou lealdade ao seu pai,mas há ele,houve uma questão de honra que os fez não serem aliados do titã do tempo mas do deus do tempo,a única montanha que demonstrou lealdade real foi Otris,mas bem ela sempre foi leal.

Seu pai não vai ficar satisfeito- relembrou de novo a oceanide,ela fazia isso toda vez que ele derrotava uma montanha.

Poxa Métis,muito obrigado por me avisar. Sério,nunca parei pra pensar nisso- debochou Percy,com um sorriso forçado que não escondia sua expressão irritada.

Denada cabeção,alguém precisa está ao seu lado pra avisar que você tá errado ou está em grandes problemas,o que convenhamos acontece direto- debochou a oceanide da prudência.

E você tomou essa trabalho pra si?- ele perguntou com uma expressão entediada.

Sim,eu adoro te ajudar-Adimite com uma expressão de falsa inocência.

Antes que Percy pudesse soltar uma das suas respostas,Prometeu tociu.

Olha você sabe que adoro ver vocês brigarem mas que tal deixar isso pra depois,vamos voltar pra Otris, você Percy terminou a missão não quer voltar pra sua família?- Questionou Prometeu,de forma sugestiva.

A mente de Percy vagou por seus pais e mesmo com a possível raiva de Cronos,ele não pode deixar de sorrir. Ele descobriu na sua última mensagem de arke antes de enfrentar o Oreas mais forte Everest,que sua mãe tava grávida. Ele ia ter uma irmã como ele sabia? Simples sua mãe contou,ele resolveu não questionar,afinal ela era a Titanide da maternidade,era o departamento dela.

Sim eu adoraria,mas antes- Ele se virou prós Oreas,ele assumiu sua verdadeira forma  divina e envolveu Tessalia em seu poder,com ele fez toda a destruição sumir e tudo se renovar até mesmo os Oreas ultilizando sua altoridade sobre o tempo

 fazendo parecer que não ouve uma batalha de proporções gigantescas.

Ao perceber que tudo estava como antes ele voltou a sua forma mais humana e antes que os Oreas pudessem dizer algo. Percy diz:

De nada-. E os três somem abandonando as montanhas caídas.





Não demou nada pra eles chegarem a Otris pra falar a verdade. Percy agora entrava nos portões da fortaleza de seu pai,em seu tamanho aumentado pra se equiparar  ao dos Titãs. Acompanhado por Prometeu e Métis que também aumentaram seus tamanhos,ao entrar ele teve uma agradável surpresa.

SURPRESA!-Gritaram todos.

Lá estava praticamente toda sua família comemorando sua volta após sua longa viagem. Ele se virou pra Prometeu e Métis que tinham sorrisos conspiratórios

Vocês sabiam não é?- perguntou

O que você acha?-debocha novamente dele Métis.

Ele logo foi puxado por seu tio Ceos. Um titã de cabelos ligeiramente longos e olhos reptilianos cor azul gelo,rosto bonito que nem um ator de novela,com uma barba bem aparada. Vestindo seu chiton azul da cor de água congelada,que cobria seus músculos que. Logo ele lhe entregou uma bebida.

Sabia que você ia conseguir pirralho,sabia mesmo!- ele deus uns tapinhas no seu ombro.

Tio você pode ver o futuro- riu Percy

Detalhes,detalhes,so meros detalhes....- brincou Ceos,derrepente seus olhos brilharam de forma astuta fazendo um calafrio percorrer Percy,seus medos se tornaram realidade quando Céus voltou a abrir a boca:... então como vai as namoradas?

Percy cuspiu seu preciso néctar,sério que eles iam recomeçar isso agora? Todos ao redor riram ao ver a divindade naquela situação e esse momento cômico, Céus riu como se aquela fosse uma velha piada entre eles.

Percy gemeu,o desgracado sabia que isso ia acontecer. As vezes ele odiava os dons proféticos do tio.

Sabe esse é um assunto bem interessante irmão,que bom que mencionou!- num feixe de luz apareceu do outro lado de Percy seu outro tio Hyperion,com seu típico olhar de piromanico e sorriso irritantemente brilhante.

Que foi que ele fez pra merecer isso?

Hyperion era um titã de pele dourada metálica. Cabelos e de barba fechadas loiros dourados e olhos que mais pareciam duas miniaturas do sol de tão amarelos e ofuscantes que eram,seu rosto era bonito. Ele vestia um chiton dourado,tudo nele brilhava literalmente.

Calma aí ele acabou de chegar,deixem ele descansar-fala a voz de Japeto divertida,ele apareceu na sua frente acompanhado por Crios que acena pra ele ao qual retribui. Crios era um titã de longos cabelos preto encaracolados como as nuvens da noite,pele da mesma cor e olhos brilhantes como estrela. Vestia um chiton preto que refletia todas as costelações do céu da forma mais realista possivel,seu rosto era estranhamente parecido com Ceus da mesma forma que Japeto e Hyperion era parecido.

Ele suspira,era por isso e muitas outras coisas que Japeto era seu tio favorito. Pensou Percy.

Seu desmancha prazeres!- acusa Hyperion.

Relaxa depois que ele descansar,aí sim poderemos perguntar esse assunto,certo Percy- Japeto sorrio de forma conspiratoria e seus olhos brilharam de forma metálica, tão maliciosos quanto uma lâmina.

Sim,claro. Por que não- se olhares matassem o titã da morte violenta já estaria morto.

Droga tio!gritou mentalmente Percy,ao imaginar aquelas perguntas ele teve que pedir mais néctar a um humano que passou perto com uma bandeja, sério ele tinha certeza que seus parentes sabiam que essas perguntas eram irritantes mas ainda sim as faziam. Prometeu e Métis já sumiram deixando o sozinho com esses lobos.

Mas a sua salvação logo chegou

Perseu- Chamou uma voz que parecia metal contra metal.

Se virou e lá estava seus pais o rei titã Cronos e a rainha titanide Reia.Seu pai lhe deu aquela expressão severa que sempre dava a ele. Como se ele fizesse algo errado ou esperasse algo a mais dele.

Então?....-questinou o rei titã

Então?-tudo ficou mais silencioso,o clima da festa começou a morrer

....

....

Vai dar um abraço no seu pai ou não? Já faz um ano- ele abriu os braços com uma expressão irônica.

Percy sorri e pai e filho dão um abraço. Bem Percy abraçou, já Cronos pareceu encarar o abraço como tapinhas na costa com menos contato físico possível,enquanto fazia uma careta. Todos deram risadinhas discretas ou algumas não tão discretas das habilidades impressionantes de Cronos de demonstrar afeto,o clima da festa voltou pouco a pouco a tona.

O próximo foi Reia que ele teve cuidado. Já que a barriga dele tava enorme, bebês imortais se desenvolviam muito mais rápido do que se comparado ao dos mortais.

Bem vindo de volta Percy,quero ouvir tudo- exigiu Reia.

Eu que quero ouvir tudo sobre você e e essa princesinha-brincou também Percy,ao meniconar sua irmã rapidamente seus olhos foram pra barriga de Reia.

Nada de mais, só coisas de  mulher grávida. Você já deve saber- diz sua mãe,num tom de"não sou intessante"

Na verdade não, esqueceu que eu sou praticamente o mais novo da qui?vamos me diga-ironizou Percy,afinal imortais não esquecem e ela sabia muito bem que ele nunca viu de perto algo assim.

Acredite em mim nada de mais!-desconsiderou Reia.

Vamos mãe não negue detalhes vergonhosos!- insistiu Percy

Filho não ouve nada.- seu tom ficou muito mais firme derrepente.

Mãe aconteceu algo?-pergunta agora preocupado.

Não filho não aconteceu,nada vai ficar tudo bem.- assegurou Reia

Perseu-!-Chama Cronos.

Percy se virou e viu seu pai sentado em seu trono negro cercado por uma multidão. Ele reconheceu seus primos Atlas, Prometeu,Epimeteu e seus tios lá,todos menos Oceano ele suspeitava mas no fim estava certo. Não ficou surpreso seu tio não era lá muito sociável.

Sim pai?-Pergunta

Venha aqui e nos conte de sua missão- chama ou manda Cronos, sinceramente com seu pai Percy não sabia indentificar bem uma diferença.

Ele foi até lá e narrou seus conflitos contra todas as montanhas. Da mais fáceis e até às mais difíceis,sua batalha mais epcia foi fora da Grécia, Everest o maior e mais forte ele nunca venceria aquele ser colossal só com a força. Precisou de muito astúcia por parte dele,coragem e inteligência.

Cronos ficou quieto, diferente dos outros que paravam pra ouvir o que o príncipe deles dizia. Alguns lhe saldava,outros o olhavam com admiração e teve aqueles que olharam com inveja,quando chegou no motivo da missão. Alguem o interrompeu.

Então você invez de fazê-los jurar lealdade a nós titãs,fez eles jurarem lealdade a você- zombou Atlas.

Percy trocou olhares venenosos com seu primo,que sorria com ceticismo e outra coisa que ele não conseguiu endentificar.

Não foi bem assim...-começou Percy

Então como foi?-o sorriso dele aumentou levemente.

......as montanhas se recusaram a te obedecer pai,eles disseram que não foi você que os venceu. Então juraram lealdade a mim,usando o nome do criador- Explica Percy,desviando o olhar de Atlas pro seu pai.

Cronos o olha com expressão ilegível.

Você devia telos tortura...-ia dizer Atlas mas foi interrompido.

Chega Atlas,meu filho é um guerreiro leal da nossa causa. Se os Oreas são leais a ele,eles são leais a nós,certo Perseu? Questionou Cronos.

Percy o olhou confuso.

Sim pai, não é óbvio. Eu sou totalmente leal a você, os Oreas fazem partes de minhas forças e minha força e sua- fala Percy como se fosse óbvio.

Cronos ergue um cálice.

Então salve Perseu o mais novo deus das montanhas- diz ele com um sorriso e tom sarcástico,como se não tivesse claro a conquista de seu filho nunca tivesse notado esse fato.

Quando ele venceu as montanhas e os vulcões,ele se torneu o deus delas.

Percy aceita o brinde e então pai e filho bebem o néctar deles juntos num gole. Enquanto os outros também brindavam e aplaudiam as conquistas de Perseu.




A festa já tinha acabado depois de várias horas. Percy zoou,bebeu, dançou com várias mulheres ate com suas primas e com algumas de suas tias. Ele só não foi pra cama com uma garota apesar dos beijos,por que sua mãe o impediu daquela forma descreta dela.

Case primeiro,eu quero netos mas não quero que meu filho fique tendo filhos com todo mundo,ele relembrou dela repetindo isso.Bem vamos torcer pra ela não descobrir que ele já perdeu sua virgindade, né? 

Agora,ele estava lá olhando o céu noturno e sua beleza,vendo também Selene sua prima voar pelos céus em sua carruagem lunar puxada por gigantes bodes prateados,que também eram seus filhos

Longa história e dependendo do seu senso de humor, engraçada até. 

Filho...-chamou uma voz inesquecível

Percy se virou e lá estava seu pai olhando pro céu com uma expressão pensativa.

O que foi pai?- pergunta Percy

Eu tenho uma missão e dê última hora mas é necessária,tenho que ficar aqui pois eu confirmei que sua irmã nascerá hoje e tenho que proteger sua mãe.....nossa familia,mas não posso deixar esse assunto de lado-. Solta Cronos.

O deus olha pro seu pai titã de olhos arregalados,sua irmã nasceria agora já?e eles nem avisam,por que ele tinha que proteger nossa mãe ela era a titanide mais forte do lado feminino e que assunto era esse?

Eu sei que você tem muitas perguntas,mas tudo que você precisa saber e que algo escapou do Tártaro e esse algo deve ser mandado de volta pra lá- Os olhos de Cronos brilharam ainda mais,Percy nota que o tom dele fica agressivo.

O que saiu só Tártaro pai?- questiona Percy.

Cronos olha bem nos olhos de se filho e diz.:

Saiba que eu tá te encarregando de manda esse ser pro abismo é uma prova de que confio em você. Os outros titãs já estão em seus domínios e em suas tarefas,outros monstros saíram do Tártaro e os deixaram entretidos. Mas nenhum como esse,o nome dele é Tifão filho de Gaia e Tártaro,seu tio e ele tem que ser detido rapido!





Percy se teletransportou com armadura,armas e tudo pro local onde seu pai indicou. E quando chegou,bem ele entende um pouco pelo menos por que seu pai não querer sei irmão aqui na superfície.

Florestas,rios,animais e homens totalmente destruídos,queimados,mortos e encima daquela destruição havia uma sombra a de uma criança ou bebê gigantesco do tamanho de um dragão. Nuvens de tempestade eram seu manto,assas de couro cresciam das suas costas,fogo eram seus olhos e boca e desejo de destruição e morte saia de seu corpo como um fedor algo pertubador de um ser que no final das contas era uma criança.

Ele olhou prós olhos daquilo e viu que uma raiva estranha e antinatural neles. Não teve muito tempo pra pensar pois o monstro logo o viu e avançou em sua direção rugindo como um trovão.

Mais destruição foi feita hoje, até que durou da meia noite ao meio dia. Percy saiu vitorioso,muito ferido mas não deixa de ser vitorioso.

Ele olhou pra criatura ferida e dessa vez ele pode olhar melhor sua forma horrenda. Seu manto sumiu e ele viu seu rosto horrível que parecia mudar pra algo pior a cada segundo,sua pele que parecia algo em decomposição e seu sangue negro e venenoso.

Ele suspirou, derrepente sua postura voltou a ficar séria,Percy com um movimento da sua espada cheio de velocidade,frieza e violência decapitou o monstro mandando ele pro abismo,de onde veio transformando seu corpo em pó. Apesar de ter visto do que aquele monstro era capaz,de certa forma se sentiu mau de fazer aquilo com seu tio. Mas logo sua leve culpa sumiu,pois no final das contas ele tinha algo mais importante pra fazer.

Sua irmã já deve ter nascido,mas mal sabia ele naquele momento que não seria a última vez que veria o futuro pai dos monstros.




Ele simplesmente se teleportou pra Otris e quando chegou lá,um clima pesado pode ser sentido,comeu uma grande ambrosia que um humano que trabalhava lá lhe entregou e se recuperou quase por completo ao terminala. Antes do empregado ir,perguntou:

Onde está minha mãe?

Ele já estava palido,logo empalideceu ainda mais. Ele se preocupou um pouco,mas resolveu não ficar muito mais preocupado.Afinal quando ele perguntou um dia  a sua mãe sobre como era um parto pela primeira vez,houve menções de muito sangue,o empregado devia estar um pouco traumatizado.

N.nos aposentos d.d.dela senhor-diz o humano

Obrigado-ele foi logo de encontro da sua mãe,mal notando que o empregado praticamente fugiu como se quisesse fugir de Otris.

Quando ele abriu as portas do quarto e viu sua mãe chorando encolhida em posição fetal na sua cama suja de icor ele logo se preocupou. Correu até ela na sua cama

Mãe o que houve?você tá bem?cadê minha irmã- Percy começou uma série de perguntas.

Ela não parou de chorar e ao notar,isso o fez ficar quieto.

Mãe você está bem?

Ela logo o olhou com seus olhos avermelhados de tanto chorar e ele notou algo além da tristeza em seus olhos

Ódio,horror,medo,impotência.Dominavam seu olhar. Ela parecia ter acabado de sofrer um trauma que a atormentaria pelo resto da imortalidade.

S.s.sua irmã Hestia morreu.

Ele nunca foi uma pessoa de chorar,mãe naquele dia ele chorou muito. Em meio as lágrimas veio a negação,raiva,dor mas ele conseguiu dizer algo depois de vários minutos abraçando sua mãe fragilizada:

Onde está meu pai?

O corpo de Reia enrijeceu,depois de um silêncio que pareceu durar uma eternidade. Ela diz algo:

Telhado.

Ele ficou com sua mãe mais um pouco e logo se teleportou pro telhado onde viu seu pai olhando pro céu de costas pra ele,com os músculos do corpo tensos. Queria respostas do homem que sempre buscou conselhos.

Pai,o que aconteceu?- pergunta Percy

Cronos nem se vira,mas responde em tom frio:

Sua mãe não contou?sua irmã morreu

Mas....-começou Percy,sua voz cheia de tristeza, derrepente raiva citilou em seus olhos como um vulcão prestes a entrar em erupção.- MAS NOS SOMOS IMORTIAS, NÓS NÃO MORREMOS,COMO ISSO PODE SER POSSIVEL?!

Cronos não respondeu por um tempo, alimentando ainda mais a raiva de seu filho.

A algo que eu tenho que te contar,algo que devia ter te contado já faz muito tempo- admitiu Cronos.

Percy o olhou de forma confusa.

O que?-questinou

Cronos se vira e Percy seu rosto. Uma estranha expressão moldava suas feições,algo como uma intensa raiva fria que poderia explodir a qualquer momento e ele estivesse prestes a cometer assasinato a qualquer momento. Algo no olhar do seu pai aterrorizou Percy.

Você se lembra a história de como o céu se separou da terra?- perguntou o rei titã.

A história de como você cortou seu pai em vários pedaços, é meio difícil esquecer algo assim quando seu pai diz de forma tão detalhada mas o que isso tem haver!?-Pergunta Percy de forma ligeiramente histérica,sem paciência pra enrolações.

Tudo. - afirmou Cronos

Explicação agora por favor!- exigiu Percy

Meu pai jogou uma maldição em nossa família. Você,eu e Reia.....-Cronos fechou os olhos com uma expressão pensativa revivendo aqueles momentos.-...ele impediu Reia de ter filhos,cada criança de Reia não iria sobreviver ao parto. Ele a tornou incapaz de conceber uma criança sem matala no processo.

Percy olhou seu pai horrorizado.

Mas mamãe é a titanide da fertilidade e imortalidade,isso é impossível!- exclamou Percy

É o que pensávamos-admitiu Cronos.

Percy refletiu horrizado. Os domínios de um imortal não são só seus poderes são o que eles defendem e acreditam,fazem parte de sua personalidade e compõe seu ser. Ele nem conseguia imaginar o que sua mãe devia estar sentindo.

Ele tomou uma decisão.

Vou ajudá-la.-afirmou

Cronos o olhou ligeiramente chocado. Ele já esperava mas mesmo assim,estava torcendo pro maior defeito de seu filho não começar a agir agora.

Filho...

Não pai.-Percy o olhou nos olhos com grande determinação.- eu vou achar uma cura pra minha mãe e vou acabar com essa maldição!

As coisas não são tão simples assim, você acha que eu não tentei?-perguntou Cronos,mostrando sinais de irritação.

Você pode ter tentado mais eu vou conseguir,confie em mim- Falou Percy.

Cronos suspira e esfrega sua testa,estava começando a ficar estressado. Percy se vira de costas,mas antes diz:

Não se preocupe tudo vai melhorar,eu sei que vai!

Percy em seguida desaparece num lampejo de poder divino,voltando para aonde estava sua mãe onde voltaria a tentar consola lá e lhe fazer promessas de um futuro melhor,pra logo em seguida ir a caça da cura dessa tal maldição.

Mal sabia Percy o quão errado ele estava.






 
































 








Notas Finais


Bem é isso,eu queria que vocês conhecessem melhor esse Percy e sua família,pra quem percebeu,sim,eu não vou demonizar os titãs nem mesmo os deuses,quero retratar bem eles e que vocês formem suas próprias opiniões. Essa é sinceramente minha interpretação desses personagens da mitolgia misturados com a existência de um ser como Percy que tem tudo pra afetar essa realidade mais que Zeus. Logo irei voltar e dar uma olhada nos errinhos ortográficos.
Os Oreas caso estejam se perguntando comparado aos outros primoridias eles são bem mais fracos,seria como comparar uma ninfa a um deus ou um Titã. Mas sim eles são bem fortes.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...