História O Primogênito - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Tags Drama, Naruto, Revelaçoes, Romance
Visualizações 52
Palavras 2.730
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Luta, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hehe, olha quem voltou...
Pois então pessoal estou aqui para mais um capítulo...
Acho que um muito aguardado...

Então bora a leitura.

Capítulo 16 - Comemoração


Aiko

Depois que Kakashi sumiu na cortina de fumaça seguimos até uma casa de chás, nos sentamos conversamos bastante até que precisei ir embora ajudar na arrumação da nova casa. Akira falou que me acompanharia e também iria ajudar na arrumação, disse a ele que não era necessário que pela hora provavelmente já estaria quase tudo pronto já que Akaasan e Otousan já deveria ter arrumado tudo. Me despeço do meu amigo com a promessa que no dia seguinte tiraria um tempo para conversarmos e por todos os assuntos em dia.

Ao chegar em casa sou recebida por mina Akaasan que me mostra como ficou a arrumação da casa e onde seria meu quarto. Vejo que algumas coisas já estavam arrumadas, mas noto que minhas roupas não estavam no quarto. Fui até a área de serviço da casa onde minha mãe estava lavando as roupas e vejo que quase tudo estava molhado.

-Akaasan, onde estão minhas roupas? –Vejo que tem metade delas sendo lavadas.

-Minha pequena, todas que estavam naquele pergaminho estão aqui, ficou apenas esse vestido lilás, de alcinha. Sei que você não gosta muito dele por considerar meio curto, mas é o que ainda está seco.

Respiro fundo e pego o vestido, lembrando que foi a primeira peça de roupa que eles me deram para usar quando estava na casa deles, e como quase nunca o usava então estava bem conservado.

-Tudo bem Akaasan, vou tomar um banho e já volto para ajudar na preparação do jantar. –Estava de saída quando lembro de perguntar sobre a mochila que usava ao vir para cá- Mais uma coisa, Akaasan a mochila que trouxe onde a senhora deixou, lá tem mais algumas peças de roupa.

-Não me lembro de bolsa. Só desse pergaminho. –Vejo ela fazer uma cara de inocente, pois sei que ela me viu diversas vezes com a bolsa enquanto estávamos a caminho da aldeia. –Será que não ficou na casa do seu amigo –fala sugerindo que éramos algo mais- pode ser que tenha ficado no quarto onde você dormiu, nós não entramos nele. Desculpe querida, mas acho que você terá que ir até lá para buscar.

-Tudo bem vou me arrumar e dar uma passada lá para pegar minhas coisas. –Falo me dando por vencida de que teria que voltar lá, saio andando e vou para o banheiro. E vou pensando: “vou ter que rezar para que Kami-sama me ajude a não fazer nenhuma besteira estando lá. Se já nos beijamos intensamente na noite anterior imagina eu sozinha com ele naquele apartamento.”

Ao sair do banho, me arrumo, faço uma maquiagem leve, marcando bem meus olhos e um batom levemente rosado, fico em frente ao espelho e me lembro do que Kurenai comentou comigo sobre Kakashi:

“-Sabe Aiko, acho que você faz muito bem para o Kakashi, hoje eu o vi com um brilho nos olhos dele. Um brilho que vejo nos olhos de Asuma, -Ela dá uma risada e fico sem graça.- espero que vocês possam se acertar, pois vejo que você também sente algo por ele.”

Sou tirada de meus pensamentos quando ouço meu Otousan falar comigo:

-Nossa como tem alguém que está muito bem arrumada e perfumada. Vai sair para algum lugar?

-Sim, terei que voltar no apartamento do Kakashi-kun para buscar o restante das minhas coisas, que deve ter ficado no quarto que dormi.

-Ah! –Vejo ele me olhar serio, e arquear a sobrancelha, como um pai querendo proteger a filha de algum namoradinho- Tenha cuidado. Está ficando tarde e logo vai anoitecer.

- Tudo, O.T.O.U.S.A.N. eu vou me cuidar, acredito que logo estarei de volta. –Saio do quarto em direção à saída, me despeço deles, porém minha Akaassan me pede algo:

-Pequena, não temos nada que possa levar para o rapaz Kakashi para agradecer a sua hospitalidade conosco. Você poderia comprar algo e lhe entregar em nosso nome?

-Claro eu vejo se encontro pelo caminho e levo para agradecê-lo.

Saio de casa e vou passando pelas ruas admirando as novas construções, mas também observando o que poderia levar para Kakashi como forma de agradecimento toda ajuda de ontem, mas não poderia ser qualquer coisa, enquanto pensava passo em frente a uma floricultura e vejo lindas flores na frente da loja, e fico atraída pelas Iris azuis e uma moça chega para me atender.

-Iris azul, são lindas e tem um significado de amizade e também é como um elogio a coragem de quem a recebe...

Era perfeita, para o que precisava. Mas será que ele irá gostar.

-Essas flores são lindas mas na verdade, estou a procura de algo com esse significado mesmo para um amigo que me ajudou recentemente.

-Bom normalmente são os homens quem compram as flores, mas vejo que você é uma pessoa ousada, mas como será para um amigo não vejo problema em você leva-las.

-Sim, então por favor. Faça um belo arranjo pois esse amigo merece.

-Pode deixar que vou dar meu melhor nesse buquê.

A moçinha sai com um punhado das flores, eu a sigo para dentro da loja e me perco em meio a tantas flores, tantos aromas que só percebo ela voltar com o buquê pronto, faço o pagamento e antes de sair pergunto:

-Mocinha qual o seu nome?

-É Ino, Ino Yamanka. –Me lembro desse sobrenome. Ah sim o Se Yamanaka que estava na minha ultima missão na Ambu a sete anos.

-Muito obrigada senhorita Yamanaka. –Sorrio e saio agora em direção ao apartamento de Kakashi.

Ao ficar de frente o prédio, sinto que tenho borboletas no estomago. Porque toda vez que estou perto dele, ou que vou me lembro dele fico assim? Ao olhar para o lado vejo Kakashi se aproximar. Eu começo a falar com ele:

-Bom acho que não é tão comum uma garota dar flores para um rapaz, mas espero que goste. E também para buscar algumas coisas minhas que ficaram para trás na mudança.

-São muito bonitas e delicadas como quem as trouxe, vamos procurar o que faltou você levar então. –Responde prontamente.

-Sabe são Iris Azuis, segundo a moça da loja que me vendeu, elas representam a amizade e a coragem...

-E também o Amor -A voz sai rouca.- Vamos entre, posso preparar algo para comer. –Ouvimos um trovão. –Acho que vai chover em breve. –Ele abre porta do prédio e seguimos para seu apartamento. Assim que entramos a chuva começa a cair fazendo um forte barulho.

Ele segue para o banheiro tomar um banho rápido enquanto eu sigo para a cozinha procurar algum jarro para colocar as flores. Porém encontro na ultima prateleira no armário em cima da pia. Fico na ponta dos pés para tentar alcançar mas sem sucesso. Ouço então Kakashi raspar a garganta e me sinto como uma criança que é pega no flagra fazendo algo de errado e tento me explicar:

-Eu estava procurando um jarro para colocar as flores.

-Percebi. Deixe que eu alcanço para você. -Ele não me dá tempo para me afastar e quase se encostando em mim pega o jarro mas fecho meus olhos sintindo seu perfume-Aqui está o jarro para as flores.  Pode ir para o quarto procurar por suas coisas, eu farei algo para nos jantarmos.

Arrumei as flores no jarro, segui pars o quarto. Toda aquela situação na cozinha me fez sentir um calor por meu corpo do qual só senti quando ele me beijou ontem. Achei minhas coisas e começei a torcer para que a chuva passe logo, mas pelo visto Kami-sama  queria era derramar um mar de água nessa noite, ouço Kakashi me chamar para jantar.

Terminamos de comer, vou até a cozinha lavo as louças, enquanto Kakashi as seca e aguarda. E a Chuva nem sinal de dar uma trégua, pelo visto vou ter dormir aqui que não é uma má ideia mas não gostaria de abusar da hospitalidade de Kakashi. Eu estava de frente para a janela olhando a chuva cair e ele chega parecia meio que tentava escolher as palavras para falar pelo que vi no seu reflexo na janela.

-Como era sua rotina com os senhores Yudi e Yumi?

-Simples. Trabalhos domésticos, as vezes eu os acompanhava até o vilarejo para fazer as compras, -peguei a xicara de ccha que me ofereceu- teve uma vez que fui a um fedtival da colheita e para minha supresa a divindade homenageada foi a do templo de Inari. -deixei meu copo na mesinha perto da janela e Kakashi se aproximou- e me lembrei de tudo o que aconteceu naquela missão.

-Aiko, desculpe mas eu preciso saber… -percebi mais claramente que algo lhe afligia- Você se envolveu com alguém?

-Acho que o que a Física diz que dois corpos não podem ocupar o mesmo espaço pode ser aplicar ao coração também Kakashi. -ele me olha confuso-Meu coração ja está ocupado a tempos por uma pessoa. Porém não sei se ele olharia pra mim…

-Quem não olharia para você Aiko? Só se a pessoa fosse cego. -Ele se aproxima com a mão em meu rosto, e passa o polegar sobre meus lábios.

-Você é a pessoa que ocupa meu coração. -confidencio para ele, tomo coragem e sem pensar muito minhas mãos vão ate sua máscara retiro-a do rosto e tomo coragem.

 Selo nossos lábios, num beijo calmo, mas ele passa suas mãos na minha cintura nos aproximando mais. Uma de suas mãos sobe até o zíper do meu vestido. Me assusto com tal ato e me afasto bruscamente ficando de costas para ele.

-Ei, -ele vem me abraça por trás, devo admitir que acho que ele quer it além tanto quanto eu, mas por pura inexperiência o estava afastando.- você não confia em mim?

-Sim, eu confio. Mas é que nunca tive esse tipo de contato com nenhum homem, se que você me entende.

Com a outra mão ele passa todo meu cabelo para o outro lado deixando um lado do meu pescoço amostra. Ele passa o nariz pelo pescoço e me da uma leve mordida na orelha e diz:

-Então se me permitir posso ser o primeiro e, gostaria de ser o único que você conhecerá.

Ele dá um beijo demorado em meu ombro, eu fecho meus olhos e ele começa a me levar para seu quarto. Ainda de costas ouço ele fechar a porta, por não ter me soltado em nenhum momento julgo que tenha feito isso com o pé. Logo sinto se afastar um pouco, e eu ali estava num misto de ansiedade, pelo que estava por vir, com alegria. Sinto novamente seu toque um tanto possessivo. Então ele me fala:

-Você tem uma marca de nascença em seu pescoço, em forma de coração. –Ele a beija, sinto um arrepio percorrer minha coluna, mas também sinto um formigamento em meu ventre.

E percebo que meu vestido estava mais largo, não mais justo ao meu corpo como antes. Sinto as mãos de Kakashi passar por meus ombros levando as alças do meu vestido junto e ele cai aos meus pés. Então ele me vira de frente para ele, mas por vergonha tento esconder meus seios que estavam à mostra e olho de cima em baixo e vejo que ele está apenas de cueca box preta. Ele com toda a gentiliza e calma que um homem poderia com uma mulher ele apenas fala comigo retirando meus braços da frente de meus seios:

-Não tem porque se esconder minha pequena, hoje seremos um só eu e você para sempre.

-Uhrum- Ele me beija e sinto que minhas costas tocam algo macio, que suponho ser sua cama. Ele desce seus beijos pelo meu queixo, pescoço, meu colo até o vão dos meus seios, e abocanha meu seio direito e massageia o esquerdo. Sinto novamente um tremor um pouco mais forte em meu ventre.

-Aaah, Kakashi!

Ele para e vai beijando minha barriga até chegar a borda da minha calcinha, onde ele a retira com calma olhando em meus olhos, seu sharingan ativo parecida que gravava cada reação que eu tinha. Ao retirar a calcinha tinha um dos meus pés em suas mãos e veio subindo minha perna beijando até chegar na parte interna da minha coxa, onde deixou uma leve mordida, e disse:

-Quero te dar a melhor noite da sua vida. onde você jamais vai se esquecer desses momentos, -deu um beijo mais próximo da minha virilha- e prometo que cada dia que vivermos juntos vocês descobrirá novas formas de se sentir bem ou melhor do que está sentindo agora. –E da um sorriso ladinho.

Ao sentir sua respiração em minha feminilidade, fecho minhas pernas meio que involuntariamente, ele se levanta ficando de joelhos coloca suas mãos em meus joelhos e fala:

-Sei que essa será sua primeira vez, mas quero te mostrar alguns prazeres, e também quero sentir seu gosto. –Enquanto ele falava abria minhas pernas, e ficou com suas mãos na parte interna delas, sinto meu corpo ficar quente de um forma que nunca senti antes –Você já está assim toda molhadinha, e  nem comecei a fazer nada. Ouço ele soltar o ar como num sorriso de satisfação.

Sinto sua língua tocando minha buceta, sinto novamente esse tremor em meu ventre, porém mais forte, meu corpo é tomado por um calor, e sem perceber começo a gemer o nome de Kakashi, e parece que isso foi um gatilho para ele intensificar o que fazia, minhas mãos vão até seu cabelo e o aperto e começa me penetrar com um dedo e não me contenho começo a me contorcer, sinto alguns espasmos pelo meu corpo, e parece que algo vai sair de dentro de mim e me derramo, porém Kakashi ainda estava com sua boca em minha buceta, e labe tudo o que parece que tinha saído.

-Você acabou de gozar, e na minha boca. Seu gosto assim como seu perfume são doces, minha pequena. –Depois disso ele subiu por cima de mim, passando seu nariz por todo meu abdômen se colocando entre minhas pernas. Começou a me beijar e pude sentir algo realmente diferente nesse beijo, ele vem até minha orelha e diz:

-Agora você está pronta para mim. Vou colocar meu pau dentro de você.

-Vai doer, não é. –Falo ofegante, mas temerosa.

-Não vou negar que possa doer, mas se doer muito só pedir para que eu pare, que eu paro –Ele me beija- não quero te forçar a fazer o que você não quer. A partir de hoje teremos todo tempo do mundo para ir até o fim. –Suas mãos vão até minha cintura como que para me segurar.

Apenas aceno que sim com minha cabeça.  Sinto ele começar a forçar para entrar. Fecho meus olhos e sinto um incômodo, uma ardência. Ouço ele me chamar:

-Você é muito apertada. Ei, olha para mim –abro meus olhos, e vejo que ele me olha preocupado e para tudo.- Você está bem, podemos...

-Não, vamos continuar. Eu quero que seja com você a minha primeira vez. E que seja o único como me prometeu.

Ao dizer isso parece que lhe veio um alivio e continuou a forçar até ele estar totalmente dentro de mim. Ficou parado alguns minutos e me  beijando até que me acostumei com seu volume dentro de mim, e parece que relaxei e ele começou a se mover de vagar no começo, mas quanto mais eu parecia relaxar ele se movia mais rápido, até que sinto algo quente esguichando dentro de mim, ele geme alto. Mas logo em seguida se retira de dentro de mim, e cai exausto ao meu lado na cama. Me puxa, me virando de lado, onde fico com meu rosto em seu tórax largo, inalando seu perfume.

-Durma, durma porque amanhã tenho que falar com seu Otosan.

-Falar com ele? –Me levanto um pouco olhando em seus olhos. –O que precisa falar com ele?

-Quando disse que seria o único em sua vida, queria dizer que quero algo sério com você. Quero falar das minhas intenções com você...

-Você está me dizendo que, quer me pedir em namoro para o Sr Yudi?

-Sim, você não o considera como pai agora? Então pelas “regras” devo falar sobre minhas intenções com você. Mas por hora vamos dormir.- Ele põe a mão em minha cabeça me fazendo ficar em seu peito, sentindo seu coração bater e acabo adormecendo ali com um sorriso bobo nos lábios.


Notas Finais


E ai,
o que vocês acharam??

Bom quinta tem mais então até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...