1. Spirit Fanfics >
  2. O Primogênito >
  3. Amor Intenso

História O Primogênito - Capítulo 27


Escrita por:


Notas do Autor


Fala pessoal...

Gente sei que demorei, mas esse capítulo tentei caprichar (sempre tento, mas esse foi mais trabalhoso, um pouco rsrs).

Quero agradecer também as 71 pessoas que votaram na história. Valeu gente. vcs me incentivam a continuar ela.

Bom acho que vocês querem mesmo é ler neh?! Então vamo lá...

Boa leitura a todos.

Capítulo 27 - Amor Intenso


Kakashi

Devo confessar que fiquei surpreso com o convite de Aiko para passarmos nosso tempo de folga junto aqui na termal. Por mais que fosse perto da aldeia, teríamos nosso momento. E que momento, eu sei que teria que esperar ela poder tentar superar nossa perda e fiz tudo ao meu alcance para esperar por ela, cerquei-a com todo meu amor, carinho e cuidado.

 

Estou acordado já há algum tempo observando a beleza da minha mulher, e o quão calma é sua feição que mais se assemelhava a anjo. Acredito que a partir de agora podemos seguir em frente. Começo a acariciar a sua face e logo recebo um sorriso e dou um beijo em sua testa.

 

- Boa tarde dorminhoca. –Ela abre aqueles lindos olhos azuis que sempre me prendem. –

 

- Boa tarde meu amor. –Recebo um toque carinhoso em minha face. –

 

 

-Já que estamos acordados e ainda temos luz do dia poderíamos fazer alguma coisa nessa fonte termal além de ficar aqui nesse quarto. Acho que você não planejou que ficássemos todo nosso tempo de folga aqui trancados, não é?

 

Vejo que Aiko se senta da cama de frente para mim e abre um sorriso como de uma menina sapeca. E antes de começar a se explicar fica com as bochechas rosadas.

 

- Bom, é que eu pensei apenas que tínhamos que nos afastar de toda agitação do nosso dia a dia, então fiz a reserva. –Dizia parecendo envergonhada pela iniciativa. –

- Sendo assim... –Olho para a mesinha que tinha próximo a cama e vejo folhetos do que a termal nos oferecia. - Podemos fazer esses dois programas sugeridos nesses folhetos.

 

Era um passeio por uma trilha que tinha aqui onde terminava num lago que parecia interessante, também tinha a opção de um local para massagem relaxante.

 

- Acho melhor então nos arrumarmos e fazer esse programa. – Levantou-se e foi em direção ao banheiro com uma muda de roupa para se trocar.

 

.

.

.

 

HORAS MAIS TARDE

 

Assim que chegamos da massagem, Aiko foi para o banho dizendo que não aguentava o cheiro doce do óleo usado para massagem. Essa era a deixa que precisa para fazer o que queria há algum tempo.

 

Já era inicio da noite quando chegamos, enquanto ela estava no banho fui rápido a recepção e pedi por algumas velas, logo a moça da recepção me entrega e volto o mais rápido possível para o quarto e noto que minha pequena ainda estava no banho.

 

Começo a espalhar as velas por alguns lugares que tinha certeza que não traria risco de causar um incêndio e acabar com o que estava planejando ser uma noite quente, agora tudo está certo então faço o movimento com as mãos para realizar o jutsu que precisava.

 

Deixo o quarto iluminado apenas pelas velas, assim que ela sai do banheiro de roupão e olha em minha direção, estava apenas com minha calça e começo a me aproximar e ela fala.

 

- O que isso tudo significa? – Falava olhando para os lados até que se assusta com um toque que recebe e vou caminhando em sua direção. –

 

- Nada demais meu amor, apenas estou cuidando de você como prometi.

 

Meu clone fala ao seu ouvido, e a vejo fechando os olhos enquanto ele começa a abrir o roupão. Vai beijando o seu pescoço e sua cabeça recosta no peito enquanto minhas mãos começam a abrir o seu roupão.

 

Me aproximo, retiro o tecido pesado e felpudo que desce por seu corpo deixando-o exposto para mim. Toco seus seios e a vejo arfar. Meu clone tecia beijo por seu pescoço e suas mãos iam de encontro a sua intimidade. Eu tomo seus lábios em um beijo ardente. Como é bom ver que ela se entrega a mim por completo, sem reserva algum.

 

Assim que percebo que ela dá sinais de seu primeiro orgasmo, ela começa a gemer me chamando.

 

- Ka... ka... shi... –Sussurro em meu ouvido. –

 

- Vamos minha pequena, pode se derramar em minhas mãos, essa é só a primeira vez da noite.

 

- Aaaah... Kakashi eu vou...

 

- Isso goza, goza pra mim.

 

Ela goza e perde um pouco o equilíbrio de ficar em pé. Meu clone a segura firme pela cintura, sua respiração está pesada, mal consegue abrir os olhos e eu como estou com um sorriso largo porque está apenas começando o que tenho em mente de fazer com minha mulher essa noite.

 

Assim que ela consegue firmar-se em seus pés novamente, tomo uma de suas mãos e vamos juntos os três para a cama. O clone vai já retirando a roupa que tinha e indo pelo outro lado e subindo estende a mão para auxiliar Aiko a ficar o máximo possível no meio.

 

Termino de retirar o que vestia e jogo para longe sem saber onde foi parar. Meu foco agora é minha mulher que está inclinada de costas e recebendo um beijo e tendo seus seios massageados. Eu vou para a cama e acaricio suas coxas grossas, vejo se arrepiar ao meu toque.

 

Vou deixando beijos em sua coxa esquerda, e sinto que ela queria fechar as suas pernas, mas não permiti segurando de leve seu joelho direito. Chego onde mais queria, vejo sua intimada ainda molhada pelo primeiro orgasmo. Minha boca saliva, e não me contenho, chupo com forçar, passo minha língua por toda a sua extensão, mordico seu clitóris e percebo por seus movimentos que ela arqueia as costas.

 

Continuo o que estou concentrado a fazer, sinto que as mãos de Aiko vem até meus cabelos. Começa a dar puxões, mas estava mais interessado em dar prazer a minha pequena do que em outra coisa.

 

- Aaah, Kakashi... eu vou gozar de novo...

 

Até que novamente ela goza e dessa vez parece que está até mais sem forças que na primeira vez. Bebo todo o seu mel derramado, me ergo limpando o canto da boca com a ponta da minha língua.

 

- Eu devo ser muito bom mesmo em te dar prazer para ter se derramado assim...

 

- Como... não gozar... tendo... dois... de você...- tentava em vão controlar a sua respiração.

 

- Meu amor, agora que a brincadeira vai começar. –Disse dando um sorriso ladino e estendo minha mão para ela.-

 

- O que mais pensa em fazer?

 

Puxo seu corpo de encontro ao meu, nos olhamos intensamente. Passo meu polegar em seus lábios que estavam avermelhados e leve inchaço pelos beijos que receberá. Mas ao abrir a boca um pouco mais fazendo meu dedo entrar em sua boca e o chupa. Aquilo foi para fazer a última gota de sanidade sair correndo do quarto e deixar os meus instintos tomarem conta de mim.

 

- Você está me deixando louco.

 

- Você está fazendo isso desde a hora que sai do banho. –Ela dá uma risada nasal. –

 

Dou tempo suficiente nessa conversa apenas para meu clone lubrificar a sua outra entrada, e ela me olha surpresa com que estava sentindo. Porém nossas mãos, as minhas e as do clone, passeiam por seu corpo que se arrepiava cada vez mais.

 

- Ka...kashi o que vai fazer? –fala um tanto assustada, que me faz dar uma risada. –

 

- Calma minha pequena. –Acaricio sua face, e beijo seu lábios de leve e ela fecha os olhos e fazendo bico quando me separo dela. – confie em mim.

 

Tomo novamente seus lábios, enquanto o clone vai entrando ao, poucos. Começo a friccionar meu polegar em círculos em seu clitóris para tentar deixá-la mais relaxada. Quando ele termina de entrar recosta sua cabeça no ombro de minha pequena e respira ofegante.

 

Agora era minha vez. Posiciono meu membro que já estava ereto, ela já estava toda molhada, ela sempre tão pronta para mim. Começo a penetrar, Aiko crava suas unhas em meus ombros. Termino de me terrar na mulher que ama como isso é bom é a melhor sensação do mundo.

 

Começamos a nos mover e o quarto é tomado pelo som dos nossos gemidos e dos nossos corpos se chocando. Chegando juntos ao nosso ápice dessa vez me derramo dentro dela. O clone ao sair primeiro se desfaz pelo meu cansaço. Logo Aiko estava para se jogar na cama e eu vou junto, porém indo para seu lado.

 

Assim que deitamos olhamos um para o outro e começamos a rir, essa mulher me faz perder o juízo.

 

-Nunca imaginei... que um ... bunshin... pudesse ser... usado dessa forma, Kakashi.- Sorria lindamente mas já sonolenta e com a respiração entrecortada. –

 

-Sim, mas... você só... fará isso...comigo. –Vejo ela abrir aqueles olhos azuis que tinham um brilho que a meses não via.-

 

-Claro que será só com você... Estou muito cansada para tomar um banho.

- Venha aqui. –Puxo-a para meu peito e também o lençol que tem na cama. – Vamos dormi, depois pensamos em um bom banho.

 

Acabei adormecendo, eu exausto duas vezes, mas estava satisfeito. Não por ter realizado um fetiche, mas por ter conseguido ver o brilho nos olhos da minha pequena. Sorrio satisfeito e me entrego ao sono.

 

.

.

.

 

Aiko

Acordo com os raios de sol em meus olhos, vejo que Kakashi dormia tranquilamente, até que ouço o crocito de um corvo. Dou um grito e Kakashi acaba acordando de sobre salto com meu barulho.

 

- Aaaah...

 

- O que está acontecendo?

 

- Desculpe amor, mas aquele corvo me assustou.

 

Kakashi franze o cenho, se levanta vestindo sua cueca que estava jogada no chão e eu pensando “que monumento de homem, meu Kamissama”, mordo meu lábio inferior com aquela visão. Ele pega um papel que estava preso no pássaro, e logo ele sai voando.

 

- Não precisa me secar desse jeito. Ainda temos muito tempo para matar nossa saudade. - Diz virando-se e abrindo o papel. –

 

- Só estou observando meu namorado, como ele está lindo hoje.

 

Assim que ele lê o sorriso que tinha em seus lábios some. E vejo que algo de ruim pode estar acontecendo.

 

- O que tá escrito ai Kakashi? –Falo séria. –

 

- É uma mensagem do hospital, parece que foi a Ino quem mandou. Diz que a senhora Yumi, sofreu um acidente...

 

- O QUÊ? –Tomo o bilhete das mãos de Kakashi, esquecendo completamente que estava sem roupa alguma. –

 

“Aiko desculpe incomodar... Mas srª Yumi deslocou o ombro e está aqui no hospital. Venha vê-la.”

 

- Venha, vamos nos arrumar e ir para o hospital ver sua mãe.

 

- Sim.

 

Falo meio perdida pensando o que pode ter acontecido, será que sr. Yudi está bem? Será que pode ter sido algum ataque. Meu olhar está perdido em meio a tantas perguntas em minha mente até que Kakashi levanta meu queixo para olhar em seus olhos.

 

- Logo estaremos em casa, e você saberá de tudo, calma.

 

Ele me abraça forte me levando para o banheiro. Tomamos um banho muito rápido, saímos da termal e fui direto para o hospital assim que chegamos à aldeia.

 

Assim que chego à recepção do hospital, encontro Ino e Sakura conversando, me aproximo delas para saber como minha Okaasan.

 

- Ino, o que aconteceu com minha mãe?

 

- Calma Aiko. Ela está bem. Foi só um tombo.

 

- O QUÊ? COMO ASSIM UM TOMBO?

 

- Aiko-chan, estamos no hospital não grite, por favor. –Disse a rosada com as pranchetas nas mãos. – Já fizemos todos os exames ela está bem. Só irá precisar descansar e ficar sem movimentar o braço por algumas semanas.

 

Respiro mais aliviada. Sinto os braços de Kakashi me envolver pelos ombros. Kakashi toma a frente de pedir pra vermos srª Yumi.

 

- Será que podemos ver como ela está meninas?

 

- Claro, venham vamos leva-los até o quarto dela. –Começamos a caminhar. –

 

- Quarto, porque ela não está na enfermaria?

 

-Bom Aiko, srª Yumi, chegou desacordada. O Sr Yudi conseguiu pedir ajuda de Gemma-san e Aoba-san, eles estavam faziam a ronda pela região. Ajuda para trazê-la para o hospital, –Ino explicava como tudo aconteceu até chegarmos a porta do quarto. – assim que vi de quem se tratava pedi para Aoban-san poder mandar um recado para você.

 

- Fico agradecida a vocês, não tenho nem palavras para expressar.

 

Abraço as meninas e sigo para dentro do quarto. Ao entrar vejo meu Otousan em uma cadeira, próximo da cama de minha Okaasan. Segurava uma de suas mãos e com a outra fazia um carinho em seus cabelos.

 

- Oh, minha menina. Você já voltou?

 

- Não poderia ficar longe sabendo que vocês não estavam bem.

 

- Era seu dia folga. Nós dois sabemos nos virar.

 

- É mas não se esqueça de que agora eu sou a filha de vocês e vou me preocupar sempre com vocês. –Disse abraçando-o. –

 

- Bom minha filha, vá pra casa. Aqui está a chave. Hoje eu ficarei com Yumi. As mocinhas que dizem que te conhecem falaram que amanhã mesmo ela já receberá alta.

 

- Sim elas também me falaram que está tudo certo nos exames. Acredito que seja só para ter certeza que ela está bem que elas querem que minha Okaasan passe a noite aqui.

 

- Sim, sim.

 

- Bom então vou indo. Mas qualquer coisa me mande chamar tuso bem?!

 

- Sim tudo bem.

 

Dei um beijo em sua cabeça e me afastei. Kakashi me aguardava do lado de fora do quarto. Seguimos para minha casa, ele viu que estava sem cabeça para mais nada, me sento no sofá e respiro fundo.

 

Kakashi vai até a cozinha e prepara um chá pra nós. Entrega-me um copo e ele com outro se senta ao meu lado, tomamos um gole colocamos os copos na mesinha de centro. Recebo um abraço apertado onde parece que todo peso sai de cima de mim.

 

- Tive tanto medo que algo de ruim tivesse acontecido e que eu ficaria sozinha de novo.

 

- Ei, nada de ruim aconteceu. E você não ficará mais só, você têm seus pais e têm a mim também.

 

- Obrigada, por estar aqui comigo, por estar ao meu lado em momentos como esse.

 

- Um casal é assim que age. Sempre se apoiando e estando ao lado um do outro, sempre. –Ele me dá um beijo na minha cabeça. –Vamos, vamos descasar que amanhã voltamos as nossas atividades.

 

- Sim. –disse sem animo algum. –

 

Kakashi me puxa para me levantar, nos vestimos com roupas confortáveis e dormimos abraçados. Ele me dá a segurança que não sentia desde que minha mãe de verdade morreu. Fecho meus olhos e assim consigo dormir pensando nessa sensação de paz que ninguém pode me tirar, eu acho.


Notas Finais


Bom por hoje é isso pessoal...

Espero que a espera tenha valido apena, rsrsrs.

Até a próxima


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...