1. Spirit Fanfics >
  2. O Príncipe Corvo >
  3. Continua...

História O Príncipe Corvo - Capítulo 2


Escrita por: UchihaLilith

Capítulo 2 - Continua...



- Tudo bem vô, só não me deixa cair.


 Ele me deu o braço e assim, de braços entrelaçados começamos uma caminhada lenta pelo tapete branco.


 Estava tão curiosa para saber como seria meu futuro marido, mas agora não conseguia olhar para ele mesmo sabendo que estava chegando mas perto a cada segundo, então passei a olhar qualquer ponto tudo parecia mais interessante do que ele.

 Mas mesmo com os passos curtos e lentos cheguei rápido de mas ao altar. Era tanta coisa para pensar em tão pouco tempo que mal dava para assimilar.

 Meu avô parou a caminhada assim que chegamos nos três degraus que separavam o altar do resto do chão, e então estendeu a minha mão para o homem que estava parado ali, a nossa diferença de temperatura era gritante ele estava tão quente que pensei em puxar a minha mão, mas acho que ele percebeu pós segurou com certa força antes que conseguisse escapar.

Hashirama - Uchiha, cuide bem da minha neta. 

 A fala do meu avô veio carregada de dor e ressentimento, arrisco dizer que até culpa.

Itachi - Vou cuidar bem dela, Senju.


...


 Sabe aqueles momentos onde sem querer você desliga seu cérebro, mas tem um monte de coisa importante acontecendo a o seu redor mas simplesmente você não da a mínima porquê está surtando. Pois é né esse é um destes momentos.

 Quando dei por mim o juiz de paz já tinha começado a cerimônia.


Juiz - boa tarde a todos!. Estamos aqui hoje para celebrar as melhores coisas da vida, a confiança, a esperança, e o companheirismo.

Juíza -Vocês foram convidados para compartilhar este momento com a senhorita Izumi  e com o senhor Itachi porque são as pessoas mais importantes para eles. O respeito, a compreensão e o carinho que irá sustentar o relacionamento deles têm suas raízes no amor que todos vocês deram a este jovem casal. Por isso, é uma honra para os noivos contar com a sua presença, aqui, hoje.

Juiz -Vocês são parte insubstituível, do seu hoje e de todos os seus amanhãs.

 O descurso dele fez até parecer que o casamento era real, mas a cada palava que ele dizia me sufocava mas. Eu estava segurando o choro e ainda não tive coragem de olhar no rosto do homem que estou me casando.

Juiz -Pois, com estes votos, vocês estarão dizendo ao mundo: “este é meu esposo”, “esta é minha esposa”.

 Juiz -Uchiha Itachi , é de livre e espontânea vontade que você aceita a Izumi como sua companheira em matrimônio?

Finalmente tive coragem de olhar pra ele, ele era tudo o que minha avó disse. Ombros largos, alto, pele palida e olhos e cabelos negros os traços fortes o deixa sério mas o cabelo comprido dava um ar jovem, ao todo ele era o homem mas bonito que eu já vi, não que eu já tenha visto muitos.

 Mas na quele momento eu só queria que ele dissesse não, eu não vou me casar, era só o que eu queria ouvir.

- Sim. 

 Merda.

 Um menino veio trazendo uma caixinha com as alianças, ele se abaixou passou a mão na cabeça do menino bagunçando os cabelos e sorriu gentil e pegou uma das alianças.

 E um lindo anel de ouro com nove pequenas pedras de diamente. Ele me olhou e estendeu a mão e eu coloquei minha mão em sua palma e ele colocou a aliança, que pesava quase uma tonelada.


 Juiz -Senju Izumi, é de livre e espontânea vontade que você aceita o Itachi como seu companheiro em matrimônio?

 Eu queria gritar que não e sair correndo, eu realmente quero mas sei que isso seria injusto com todos. Então as lágrima que segurei o dia todo finalmente rolaram pelo meu rosto.

- Sim.

Peguei a aliança e coloquei no dedo anelar dele e me afastei dois passos tentando recuperar o ar e parar de chorar.


Juiz -Izumi e Itachi ,ninguém além de vocês mesmos detém o poder de proclamá-los esposo e esposa. Porém, vocês nos escolheram como anunciantes desta boa nova. E assim, tendo testemunhado sua troca de votos diante de todos que estão aqui hoje (e também com base nesta certidão de casamento que vocês assinaram), é com grande alegria que nós declaramos que vocês estão casados.

- Pode beijar a noiva.

 Ele colocou de leve a mão no meu rosto secando minhas lágrima e se aproximou do meu ouvido e sussurrou com sua voz grossa e rouca que fez meus pelos se eriçarem.

- Sinto muito. 

 Os olhos dele carregavam uma culpa enorme, e uma tristeza que eu não entendia.

Ele veio de vagar e encostou seus lábios nós meus, eram quentes e macios e foi tão rápido que nem consegui assimilar a situação.

 Todos que estavam ali aplaudiram e comemoraram a nossa tristeza, era estranho mas acho que compartilhamos o mesmo sentimento por esse casamento...

...


 Todos estavam no jardim aproveitando a festa e o bufê, mas eu não consegui ficar lá não conseguia parar de chorar um só minuto dês que a cerimónia acabou.

 Acho que o chão de um banheiro não é o lugar mais agradável para estar no dia do seu casamento, mas me sinto mil vezes mas confortável aqui. Acho que estou nesta a uns duas horas ou mais.

Tok tok... já era a sexta batida na porta, tem tipo uns trinta banheiros nesta casa por que insistentem em usar justo este.

Izumi - Vai embora.

 Isso é desprezível mas que se foda, tenho o dereito de chorar por me casar com um homem gostoso da porra que deve ter tipo muita experiência em tudo. E que provavelmente vai me trair por quê eu não sei porra nem uma sobre sexo e vou monopolizar a lua de mel.

 E isso não é nem o pior, eu sou a porra de uma leitura de romances baratos, eu queria o amor da minha vida no dia do meu casamento, não basta só ele ser gostoso pra caralho.

Itachi- Izumi ?.

 Ai porra é ele, merda merda merda. Eu reconheceria essa desgraça de voz grossa em qualquer lugar.

Izumi - Não???.

 Bosta, não sei se tô respondendo ou perguntando.

Itachi -ahhh?... tá perguntando ou respondendo?.

 Tá eu sou uma anta foda-se.

Izumi - O que você quer?.

Itachi - Você sumiu!!!. Tô de procurando a um tempo quero que conheça minha família antes de irmos embora.

 Merda, esqueci que tenho que conhecer a família pesadelo e me despedir da minha.

Izumi - Ok estou saindo.

 Tento me arrumar como posso, mas a maquiagem já não está bonita e o cabelo tem um pouco de friz. Mas que se foda não quero conhecer esse povo mesmo.

 Abri a porta e ele estava encostado na parede a frente.

Itachi - O que aconteceu com você?.

 Ele perguntou como se não fosse óbvio.

Izumi -Um caminhão me atropelou, não tá vendo. 

 Curta e grossa mesmo. 

Itachi -Tudo bem, vem aqui sua mal educada deixa eu tentar de ajudar...

...

 Bem até que ele manda bem, meu cabelo tava arrumado e minha maquiagem não parecia mas com a de um palhaço. Mas a pergunta que não me deixa calar e será que ele é gay?.

 E uma linha de raciocínio lógica, não tem muitos homens na máfia que sabem arrumar cabelo e maquiagem, eu quase não sei.

 Puta merda, será ksksksksks ia ser foda me casar com um gay...

Não demorou muita pra estar na mesa na companhia da família Uchiha.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...