1. Spirit Fanfics >
  2. O Príncipe das Trevas >
  3. Um Neko Veela no cio

História O Príncipe das Trevas - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Oi gente, espero que gostem desse novo capitulo.
Como sempre perdoem os erros.
acabei de escrever e não tive como revisar.

Capítulo 5 - Um Neko Veela no cio


Fanfic / Fanfiction O Príncipe das Trevas - Capítulo 5 - Um Neko Veela no cio

(Como minha nova fic não está tendo muito comentários, vim tentar escrever um novo capitulo para essa daqui, normalmente eu entende que se não estão comentando é por que não estou gostando, então acho que vou excluir minha nova fic, de qualquer forma consegui escrever um capitulo para vocês dessa fic, espero que gostem, e curtam o capítulo bjs)

 

 

Quarto do Draco, Mansão Malfoy.

Já passava das dez da noite, Draco estava suando em cima de sua cama enquanto gemia e as vezes gritava de dor, o calor era imenso, ele podia sentir seu anus piscando enquanto sua lubrificação natural escorria em abundancia direto para suas causas.

- por favor, por favor, meu companheiro, preciso de você – falava chorando enquanto rolava mais uma vez na cama deixando sua cauda branca amostra.

Seu pênis duro como pedra doía horrores dentro de suas causas, ele sabia que precisas gozar, mas isso só seria possível se tivesse seu companheiro ao seu lado.

- alguém por favor – implorava chorando – ME AJUDEMMM!!!!!!!!!!!!!!!!!

 

No Andar de Baixo.

Narcisa se abraçou a esposo enquanto voltava a chorar novamente ao ouvir o grito de desespero do seu filho amado.

- alma Narcisa, nosso filho é forte, ele vai conseguir – Lucius falou tentando passar segurança e conforto a sua esposa, porem ele mesmo se sentia inseguro, afinal 86% dos submisso que passavam o cio sozinhos enlouqueciam, as chances estavam contra seu filho.

De repente as chamas da lareira ficaram verdes – como ele está? – Severus perguntou saindo da lareira

- POR FAVOR, EU PRECISO DELE – veio o grito do andar de cima.

- ainda sofrendo o cio – Lucius respondeu triste, Narcisa não tinha forças para responder, não diante de tanto sofrimento que seu filho estava passando.

- fiz um novo supressor, mais forte e potente, espero que esse seja suficiente para durar sem ser anulado pelo conflito das criaturas dele – Severus falou, dava pra ver que o mestre de poções não vinha dormindo e seus cabelos mais oleosos que o comum, mostrava que ele vinha passando muito tempo no laboratório, provavelmente tentado criar um supressor que servisse para as duas criaturas.

O problema do jovem Malfoy era que cada uma de suas criaturas precisava de um supressor diferente, para o lado neko era o supressor com base de erva de gato, para o lado veela era o supressor com base de casca de cerejeira, quando Draco ingeria o supressor para seu lado neko, seu lado veela anulava o efeito, e vice versa, para Severus o desafio era juntar os dois supressores sem que eles se anulassem.

- então por favor Severus vamos – Narcisa pediu suplicante.

Os três adultos subiram entrando no quarto do Draco.

Assim que viu a porta do quarto abrir Draco olhou para a porta, mas ficou desapontado quando viu seus pais e padrinho.

- não, eu não quero vocês, eu preciso do meu companheiro, por favor, eu preciso dele, encontrem ele pra mim – implorou chorando. – eu faço qualquer coisa, só, por favor, me tragam ele.

- calma Draco, meu filho querido, seu padrinho trouxe outro supressor – Narcisa falou correndo até o loiro mais jovem na cama e o apoiando para que Draco pudesse beber o supressor.

- não preciso de supressor, preciso do meu companheiro – Draco respondeu.

- querido não sabemos quem é seu companheiro, se não tomar o supressor você ira enlouquecer – Narcisa respondeu triste.

Severus se adiantou e derramou o supressor na boca do loiro.

Durante um tempo nada acontecer, porem depois de dois minutos Draco relaxou na cama e voltou a respirar normalmente, suas bochechas vermelhas e quentes voltaram lentamente a cor normal, conforme Draco ia sentindo o fogo interno diminuir aos pouco.

- funcionou!? – Lucius meio afirmou meio perguntou.

- acho que sim – Severus respondeu.

- finalmente – Narcisa falou aliviada abraçando Draco.

Narcisa deu um copo d’agua para Draco que ia visivelmente relaxando nos braços de sua mão.

- ainda sinto o cio, mas está mais suportável – Draco falou em mais calmo – mas ainda sento meu lado veela e meu lado neko implorando por meu companheiro.

- isso não deveria acontecer, um supressor deveria suspender totalmente a sua necessidade de ter seu companheiro ao seu lado – Severus respondeu começando a examinar o loiro mais novo.

- o que devemos fazer? – Narcisa perguntou.

- preciso examiná-lo – Severus respondeu e com um balançar de varinhas o pijama molhado de suor e lubrificante sumiu do corpo do menor.

Depois de olhar o estava do anus do loiro e ver que o corpo do Draco continuava quente, e lançar vários feitiços Severus voltou a fazer uma cara feia.

- Severus? – Lucius perguntou.

- isso não é bom, eu consegui fazer o supressor diminuir o calor do cio, mas não o suficiente, as criaturas estão fazendo o supressor queimar rapidamente, não vai demorar muito para o calor voltar – Severus avisou – sinto muito Draco – Severus pediu.

- tudo bem padrinho, eu não achei que fosse durar mesmo, eu já posso sentir o calor voltando aos poucos, eu só quero meu companheiro – Draco falou – só ele pode me ajudar.

- não temos como descobrir seu companheiro Draco, não até que ele desperte a criatura dele, e normalmente isso só acontece quando ele completa 14 anos – Lucius respondeu

- querido não podemos tentar, só tentar fazer um feitiço para descobrir o companheiro dele? Talvez ele já tenho completado 14 anos – Narcisa pediu.

- esse feitiço leva tempo Narcisa – Severus respondeu – vamos precisar de uma poção de revelação e um pergaminho norax.

- eu posso conseguir esse pergaminho em dois dias – Lucius falou.

- a poção demora um dia para ficar pronta – Severus respondeu.

- então podemos tentar, afinal é do nosso dragão que estamos falando, nosso Draco merece que tentemos – Narcisa falou abraçando Draco ainda mais forte quando o menor arfou quando sentiu o calor do cio aumentar mais um pouco.

- sim, por favor, encontrem meu companheiro e o tragam para mim – Draco implorou.

Depois de dar um beijo em Draco, e Severus e Lucius abraçarem o menor, os adultos saíram do quarto prometendo conseguir o necessário para encontrar o companheiro do Draco.

Quando deu meia noite, Draco sentiu o cio voltar com força total, e em pouco tempo ele voltara a ser a criatura chorosa em cima da cama que implorava por seu companheiro enquanto se contorcia tentando fugir de alguma forma do cio.

Das sombras uma forma surgiu uma figura sobre um feitiço de ocultação total, enquanto via o loiro desesperado gritando, chamando por seu companheiro.

- ele parece estar com tanta dor – Harry sussurrou para a sombra.

- sim o cio pode ser desesperador para os submissos, ainda mais para alguém com duas criaturas submissas – Morte respondeu. – meu mestre tem certeza que só ira aliviá-lo com a mão?

- eu não tenho mais certeza, ele está sofrendo tanto – Harry respondeu – e o cheiro que ele está exalando e tão doce – Harry comentou.

- por favor, por favor, meu companheiro, preciso de você, vou morrer sem você – Draco implorou chorando na cama.

- meu mestre, faça o que seu corpo e coração desejam – Morte incentivou.

Em menos de um minuto Harry ampliou as sombras de tal forma que a luz das velas virou apenas pontos de luz na escuridão.

Draco a principio se assustou quando as luzes se apagaram, por sorte seu lado neko podia enxergar um pouco no escuro, mas mesmo assim ele não conseguia ver o rosto da figura que se aproximava de sua cama, porem ele relaxou assim que sentiu o cheiro da pessoa na escuridão.

 - meu companheiro, meu dominante, você veio, você está aqui por mim? – Draco falou emocionado.

- sim meu submisso, estou aqui por você, você me chamou e agora estou aqui para lhe ajudar. – Harry respondeu subindo na cama.

Draco aproveitou que seu padrinho tinha lhe tirado a roupa e apenas abriu as pernas para seu companheiro – então me ajude amor, me tome como seu e faça minha dor sumir – Draco pediu.

Harry estalou os dedos e na mesma hora suas roupas sumiram, enquanto seu membro pulava ereto, excitado pelo cheiro do seu jovem companheiro no cio.

Assim que seu membro tocou o anus do loiro, Harry pareceu se sentir ser sugado pra dentro, parecia que seu submisso precisava dele para sobreviver, Harry nunca se sentira tão acolhido como se sentia dentro do menor, pela primeira vez se sentiu em casa, ali nos braços do loiro que se contorcia abaixo dele, Harry sentia que podia ficar ali pra sempre, pois ali era seu lugar.

Para Draco não era muito diferente, a sensação de finalmente estar completo de finalmente encontrar seu lugar no mundo o levou a um orgasmo precoce.

Das sombras Morte vigiava seu jovem senhor com se companheiro e garantia que nada iria atrapalhar aquele momento tão perfeito para os dois jovens na cama.

Continua...

 

(não esqueça, de comentar, assim sei se estão gostando ou não, bjs)


Notas Finais


Gostaram da capítulo?
Devo continuar?
Não esqueçam dos comentários


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...