1. Spirit Fanfics >
  2. O Príncipe de Gelo (nejisaku) >
  3. " Por Bastare "

História O Príncipe de Gelo (nejisaku) - Capítulo 23


Escrita por: e NandaSK


Notas do Autor


Heyyy amores quanto tempo né kkkkkk poisé mas como o prometido não os abandonei. Se segurem que o capitulo a seguir é quente. A musica tema está nas notas finai, como sempre.

obs; Gente perdoem o atraso mais uma vez kkkkk mas esse tempo foi muito valido para eu e a Nanda pudesse decidi os últimos detalhes do roteiro. Simm gente, PG esta na reta final já, masssss não choremmm tem projeto já em processo de criação e estamos muito empolgadas.
em fim espero que gostem...

Capítulo 23 - " Por Bastare "


Fanfic / Fanfiction O Príncipe de Gelo (nejisaku) - Capítulo 23 - " Por Bastare "

“E não me deu 

Tempo para disfarçar 

Que eu quero te amar 

Que por um beijo posso 

Conquistar o céu 

E deixar minha vida pra trás 

Quero te pertencer” 

( Lu- Por Bastare) 

 

*neji*  

A encarei naquele salão, como se ela fosse a única presente. Nem era a coloração incomum de seus cabelos, ou nada semelhante à isso, simplesmente havia algo nela que literalmente roubava minha atenção.  Ali em cima daquele palco pequeno, me preparei para algo que jamais imaginei ser capaz, demonstrar meus sentimentos com gestos cafonas de romantismo.  

Com o violão na mão cantei apenas para ela o reflexo de dentro do meu peito. E quase não acreditei quando os nossos lábios finalmente se uniram para oficializar publicamente a nossa relação. Para oficializar os nossos sentimentos um para o outro na frente de nossos amigos e colegas. Gaara havia chamado a turma inteira para me deixar mais nervoso ainda. O medo da rejeição novamente era grande, mas eu precisava dizer tudo o que eu vinha guardando todo esse tempo em que passamos juntos. 

Durante toda a música a imagem de nossos momentos no terraço da escola, em minha moto, em nossos quartos, jantares em família se fazia presente. Por Deus eu a amava. Amava de um jeito que jamais imaginei ou achei que pudesse amar alguém.  

Só consegui respirar normalmente quando a envolvi em meus braços e ela correspondeu apertando fortemente a minha cintura. 

Finalmente ela era minha.  

Finalmente estava tudo resolvido.  

Sem dramas. 

Sem intrigas.  

Só eu e ela, sem mas.  

A festa estava animada, a galera eufórica dançava as músicas agitadas remixadas pelo deejay, enquanto eu, estava disperso. Nem mesmo o som altíssimo ou as pessoas pulando em minha volta eram capazes de me interessar mais do que seus movimentos censuais. 

Sakura se mexia completamente embalada pela melodia e me observava com um olhar predador. Ela tinha total noção da aonde suas provocações nos levaria, mas não parecia se importar com isso, muito pelo contrário, parecia determinada a me enlouquecer de vez. E ela com certeza conseguiria.  

Apertei os punhos pronto para avançar no imbecil que a observava engolindo-a com os olhos. Não o culpo, afinal em seu lugar eu também a olharia assim, mas acontece que ela era minha e essa dança era para mim.  

Me mexi irritado atraindo sua atenção e seu olhar esmeraldino em interrogação. E antes que eu saísse do lugar, senti suas mãos gélidas e delicadas tocarem as minhas fazendo seus lábios se aproximarem perigosamente da minha orelha direita, provocando um arrepio doce e uma excitação intrigante.  

Essa garota!! É a minha perdição.  

 

— Me leve para sua casa Hyuuga — ela sussurrou fodidamente sexy em meu ouvido. Arqueei uma sobrancelha em sua direção, tentando interpretar corretamente suas intenções e a vi sorrir maliciosamente.  

“Garota!! O que você quer? “ 

Sakura seguiu em direção a saída com o seu delicioso rebolado natural, mas que naquele vestido parecia a mais perfeita obra do diabo. Tentadoramente perfeita.  

A segui como um completo cachorrinho, parecia que tudo nela havia sido feito especificamente para me enfeitiçar. Seu andar , seu cheiro, sua pele, sua boca, seu corpo... Sakura era a loucura de um louco e a droga de um viciado, não havia como eu ser imune a ela, eu estava completamente perdido. Então sim... eu a levaria para aonde ela quisesse, e se a minha cama era aonde desejava ir, então eu não negaria.  

*** 

“Ser algo na sua vida 

Que possa me amar 

Com um abraço forte 

Fazer uma poesia 

Renunciar ao resto” 

 

Depois de finalmente conseguir faze-la vestir minha jaqueta subimos na minha moto. Seus braços me envolveram em doce aperto, fazendo com que eu saboreasse o melhor desse momento. Chegando ao nosso destino passei direto pela casa principal a levei até uma cabana que ficava próxima ao lago aos fundos da propriedade.  

— Nossa que lugar lindo. — A ouço dizer enquanto descia da minha garupa e caminhava com dificuldade pelos cascalhos de salto. O casaco de couro surrado a engolia me fazendo notar o quanto seu vestido era curto.  

— Essa cabana foi reformada a uns três anos atrás quando eu tinha que ensaiar. Meu pai acabou por não aguentar o barulho e decidiu arrumar ela para mim. — eu disse desviando minha atenção de si para qualquer ponto em meu campo de visão. 

— Ela é incrível!! Como você pode não passar todo seu tempo aqui? — Sakura parecia encantada com o lugar e não pude deixar de sorrir para ela. 

Abro a porta dando passagem para que entre me permitindo tragar o seu perfume floral. Deixo que ela observe a pequena cabana de três cômodos, era um loft moderno constituído por um sofá cama, lareira com uma tv e sob ela um x-box. Vários instrumentos ficavam espalhados pelo local, enquanto alguns decoravam as paredes de teto alto. A cozinha era pequena, mas de última geração, com bancadas de mármore claro e armários metalizados. O banheiro ficava atrás da cozinha de modo que quem entrasse não o veria.  

— Quer comer alguma coisa? — pergunto inquieto enquanto a vejo passar as mãos pela minha Fender Stratocaster 1968, a mesma que teria sido usada por Jimi Hadrix´s ao qual se encontrava ao lado do sofá.  

— Na verdade sim. — ela disse não tão calma como antes, mas sorridente ainda sim. 

A vejo tirar a minha jaqueta colocando-a sob o sofá preto, enquanto observava com atenção a minha coleção um tanto quanto exagerada. Em uma tentativa de clarear minha cabeça vou até cozinha, nunca antes me senti tão nervoso na presença de uma garota quanto eu me sentia agora.  

— Vou fazer uns sanduíches.  

Sentindo a temperatura do loft subir penso seriamente em abrir a janela, mas tudo o que faço e tirar a camisa, lavando as mãos tremulas no rosto e respirando profundamente. Por Deus Neji Hyuuga estava nervoso. Queria rir de mim mesmo, da situação em que eu me encontrava. O cara com a pior fama da cidade não fazia ideia do que fazer. 

“E em cada frase oculta 

Que você disse 

Um beijo falará 

Que já não me há dúvidas 

Só vem e me escuta 

   Decidimos começar” 

 

Estou virado de costas para ela, cortando um tomate quando sinto suas mãos sob meu corpo. A perto a faca e fecho os olhos sentindo um arrepio percorrer minha coluna quando seus lábios passam a beijar minhas costas. 

— Sakura... — sussurro em alerta para ela, não sabia quanto faltava para eu perder totalmente o controle. 

— Eu senti sua falta. - disse ela me abraçando. 

Por Deus como era bom ouvir isso.  

— Não tanto quanto eu... acredite.  

Suas unhas arranham meu peito fazendo eu me mexer inquieto.   

— Fica comigo essa noite?  

Me viro ficando entre o balcão e ela. Seu corpo quente me desperta de uma forma nunca sentida antes. E sem aviso tomo seus lábios nos meus. Eu deveria ser gentil e ir com calma, mas estava a tanto tempo refreando esse desejo em mim que se tornava quase impossível resistir a isso. Sakura não reclamou ao ter minhas mãos vagando por suas costas e descendo até chegar em sua bunda. Não peço sua permissão apenas a ponho sob a bancada e como se estivéssemos conectados suas pernas me envolvem suplicantes, fazendo nossas intimidades se chocarem sob o tecido.  

— Tem noção de como me deixou a noite inteira com esse vestido? — pergunto já perdendo o ar no seu beijo sôfrego. Não havia algo que eu houvesse pensado mais do que arrancar aquela peça de seda vermelha de seu corpo e agora aqui estou, delirando sob sua pele pálida e deliciosa.  

Afundo meus dedos em sua nuca, enroscando seu cabelo em meu punho com força a fazendo gemer ao ter seus lábios sendo chupados e mordidos pelos meus.  

— Nejii... — meu nome sai manhoso de sua boca atiçando mais ainda o meu desejo.  

— Vou te fazer falar meu nome assim a noite inteira... e isso que quer? — provoco em seu ouvido antes de mordiscar e lamber-lhe o seu lóbulo.  

Me delicio ao ver sua pele arrepiada com os meus toques. A forma natural como Sakura se rendi me envolve num jogo só nosso.   

“Ao te beijar 

Minha vida mudaria em um segundo 

Você, seria meu equilíbrio, meu destino 

Beija-me e só assim posso ter você 

Eternamente em minha mente” 

 

Minhas mãos impacientes vão até suas costas rasgando o vestido ao meio, ela não pareceu se importar, estava ocupada demais em beijar e morder o meu pescoço. Me afasto poucos centímetros para ver seus seios medianos com lindos botões rosados para o meu deleite. Minha boca salivou ao vê-los expostos e eriçados esperando pelos meus movimento seguintes e a ouço gemer quando meu polegar toca o esquerdo.  

Sorri ao perceber que não tinha mais jeito, eu a faria minha e não poderia mais esperar para senti-la. Eu queria provar o seu gosto e me afundar dentro dela, queria ouvi-la gemer meu nome em declaração ao mundo a quem pertencia o seu corpo e o seu prazer.  

Com cuidado a carreguei até o sofá hipnotizado pelos seus olhos atentos me consumindo em chamas. Seu corpo tocou o móvel macio e trilhei minha boca em direção a sua intimidade sem me importar em quanto tempo eu levaria até chegar lá.  

Eu saboreava cada parte dela testando aonde ia a sua sanidade até se queixar da minha tortura explicita em pequenas mordidas excitantes pelo seu corpo nu.  

Deslizei sua peça intima de renda rubra e a joguei em qualquer canto. Encarei seus saltos finos em suas pernas admirando a sensualidade que acrescentava a ela. Retirei o calçado e subi os beijos pela extensão de suas coxas até encontrar finalmente o meu destino.  

Sakura suspirou profundamente com o contato da minha boca em sua intimidade e a vi se desesperar quando dei início as investidas mescladas com o meu indicador em sua entrada molhada. 

Estávamos loucos, sedentos e necessitados, precisávamos desse contato... Eu queria desesperadamente estar dentro dela e não poderia protelar mais. Meu pau latejava em desejo e seus olhos brilhavam em ansiedade.  

“É agora...” 

Não faço ideia de quão rápido foi os meus movimentos, mas a escutei gargalhar quando finalmente chutei os jeans e a peça intima de uma vez para longe do meu corpo, me posicionando sob seu corpo pequeno com meu membro ereto tocando de encontro a sua carne quente e úmida.  

—  Pronta? — interroguei notando pela primeira vez uma certa insegurança em seu olhar, mas nada que ofuscasse o cintilar do seu desejo.   

—  Sim... — diz num sussurro manhoso. 

Nada mais seria igual depois disso, estávamos estabelecendo um laço muito mais profundo do que já tínhamos.  

Pode ser clichê talvez, mas essa, era a primeira vez que eu me preocupava verdadeiramente com uma garota, não só isso, mas essa era a nossa primeira vez juntos, eu queria fazer direito, queria ir com calma, dar-lhe prazer e faze-la delirar com isso. Porém, quando finalmente pude sentir seu interior cálido me envolvendo, tão saudosa e molhada, foi difícil me manter delicado. 

— Neji... — ela me chama e posso ver a leve expressão de dor em seus olhos. 

—  Eu tô aqui. — digo me perdendo em seus olhos — Se quiser que eu pare, eu paro.  

Sua boca me beija entrelaçando nossas línguas, suas pernas em volta da minha cintura me forçam, me enterrando de vez em seu corpo meu prazer triplicado ao ter suas unhas cravadas em minha costas ao se agarrar em mim. Não tardou para começar a me movimentar dentro dela de forma calma, tentando me conter o máximo. 

Seus gemidos manhosos passam a ser mais altos conforme aumentava o ritmo. 

— E tão gostosa....  

Foda-se o romantismo, se ela estava gostando que mal havia em ser um pouco bruto?  

— Olhe pra mim Sakura... — digo puxando seu cabelo enquanto a penetro mais fundo — Quero que veja a quem você pertence. 

— . .. Neji... não pare... – gemeu seu pedido ofegante e entregue era minha perdição.  

Nossos corpos se chocavam em um movimento completamente sincronizado, o aroma de sexo pairava pelo ambiente enquanto os gemidos frequentes funcionavam como um afrodisíaco que nos levaria a loucura. Uma fina camada de suor se fazia presente em nossa epiderme enquanto os seus olhos se mantinham fixos nos meus e suas mãos permaneciam enlaçadas nas minhas.  

Ela era minha, finalmente minha e jamais a deixaria ir.  

O clímax vem de forma arrebatadora, meu corpo que a muito ansiava pelo seu, cai sob seu peito ofegante.  

—  Porrah... Eu te amo! — digo enquanto minha respiração volta ao normal.  

— Olha só cadê meu celular pra gravar isso. — diz brincalhona após uma pausa. — Neji Hyuuga, O Príncipe Gelo declarando seus sentimentos a uma mera mortal. 

Sorrio ao olhar em suas esmeraldas. 

— Sabe que não precisa dizer isso não é? – ela diz levemente insegura.  

— Eu não diria se não sentisse.  

Vejo o sorriso forma em seus lábios inchados e logo vejo as íris esmeraldinas brilhante.   

— O que? Sakura Uchiha chorando? Cadê meu celular pra gravar isso.  

— Cala essa boca. —  diz ela me dando um tapa.  

Volto a me deitar em seu peito tentando não larga meu peso em seu corpo. Minutos em completo silêncio me permite desfrutar desse nosso contato.  

— Eu também te amo. — Ela diz.  

Meu peito aquece enquanto desejo gravar esse momento em minha memoria.  

O som de bullet for my Valentine toca em meu celular avisando que estavam ligando .  

— Não vai atender?  

— Não. Me deixa curtir nosso momento. O mundo lá fora que espere. 

—  Neji pode ser importante. Quem ligaria as duas da manhã? Atende logo. 

— Ta bom. — Digo catando o objeto em minhas calças. — E bom que seja grave... — digo a pessoa do outro lado da linha. 

— Neji traz a Sakura pra casa agora. — diz Sasuke do outro lado. 

— Aconteceu alguma coisa Uchiha? Não sei se você percebeu, mas o mundo está caindo lá fora.  

— Sasuke? — pergunta Sakura vindo em minha direção.  

— Espera eu vou passar pra ela.  

Entrego o celular e observo a expressão dela se transforma em instante. A mão tapa a boca assim que ouvi algo do outro lado da linha. 

— Eu... tô indo... 

— Sakura o que está acontecendo? — pergunto ao vê-la pálida.  

Lágrimas caiem de seus olhos ao me fitarem com assombro.  

— Meu irmão... Itachi... ele .... ele acordou.  

 


Notas Finais


Então gente é isso, sobre o próximo: Não, ele não vai demorar tanto, nem pq já está sendo decidido, em fim espero que tenham curtido esse hot tao esperado eeeeeeeee é isso até o proximos, beijinhos.. S2S2S2S2

https://www.youtube.com/watch?v=LomxBbTjdLE


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...