História O Príncipe e o Plebeu - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Shawn Mendes
Personagens Bruna Marquezine, Carlos Santana, Demi Lovato, Jaden Smith, Kylie Jenner, Nick Jonas, Selena Gomez, Shawn Mendes, Viola Davis
Tags Shavo
Visualizações 86
Palavras 2.105
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Lemon, LGBT, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, meu povo, fiquem com mais um capítulo. Está cheio de surpresas boas e reconciliações ❤️

Capítulo 4 - Aprendendo a Confiar II


Fanfic / Fanfiction O Príncipe e o Plebeu - Capítulo 4 - Aprendendo a Confiar II

 

Gustavo Rocha

Cavalguei o mais rápido que pude de volta ao castelo. Cheguei ao meu quarto arrumei algumas coisas eu voltaria a casa dos meus pais. 

Voltei ao estábulo e pedi para Carlos preparar novamente o Zeus para mim e assim ele o fez. Quando eu estava na divisa do povoado com a floresta, Shawn chega a cavalo, ele fica frente a frente comigo ele no rajada e eu em Zeus.

— Gus, não precisa ir, mas se você quiser não vou te impedir nem mandar tropas atras de você.

— Sério ? — falei meio receoso

— Sério — ele saiu do seu cavalo e chegou perto de mim, segurando a minha mão. Eu também desci do cavalo, ele merecia uma chance de se explicar e eu de dizer porque agi daquela forma. Então, prendemos nossos cavalos em uma árvore próxima ao bosque e sentamos em uma pedra para conversar.

— Desculpa por ter te atacado daquela forma.

— Não precisa se desculpar, a culpa foi minha por ter pegado no seu braço daquela maneira — nós não nos encarávamos. E ainda olhando pra frente eu disse:

— Minha mãe me ensinou a ler, escrever, montar cavalo, bons modos e a lutar.

— Uou, e como ela aprendeu.

— É uma história longa prometo que te conto tudo, agora preciso ver meus pais, eles devem estar super preocupados tem 3 dias que não dou notícias. 

— Promete que volta ?

— Prometo, agora eu confio em você — já estávamos de pé, o maior veio até mim e me abraço e eu retribui o gesto.

— Até logo, Gus.

— Até, Shawn.

Montei em Zeus e me dirigi bosque a dentro, próximo à entrada da floresta ficava a casa dos meus pais. Quando eu avistei a casa já ia escurecer, minha mãe estava do lado de fora acendendo os lampiões.

— Mãe — gritei ainda em cima do cavalo.

— Filho ! Tulio, Sidney venham aqui fora.

— O que houve, mulher — era a vez do meu pai, falar saindo de casa correndo 

— Nosso menino voltou — ela disse

Eu desci do cavalo correndo indo abraçar os dois, depois abracei Túlio q estava atras deles, senti saudades daquele imprestável também. Contei a ele tudo que aconteceu, eles me olharam surpresos, quando acabei a história tirei o saquinho com minhas economias que guardei por anos e um dinheiro a mais que tinha recebido era do soldo de conselheiro real, não pensei duas vezes e dei tudo a eles não fiquei com nada. 

— Filho, você é um menino abençoado, os deus estão olhando por você — minha mãe disse com os olhos cheios de lágrimas. Nesse momento ouvimos três toques à porta, não aguardávamos ninguém, peguei uma vela e fui atender meus pais e irmão se preparavam para atacar se fosse um inimigo. 

Abri a porta lentamente com um pouco de receio, não identifiquei a priori, pois estava de capuz.

— Retire o capuz ! — eu disse e assim que ele o fez pude ver o rosto que me despedi mais cedo. — Shawn ? O que tá fazendo aqui ? 

— Posso entrar ?

— Claro, venha — dei passagem ao rapaz e fechei a porta em seguida. 

— Mãe, pai, Túlio esse é Shawn Mendes, príncipe de Feroe. — eles o reverenciaram 

— Não precisa dessa formalidade. E então, Gus — nessa hora meus pais se olharam e Túlio ergueu uma das sobrancelhas, como se se questionavam sobre aquela intimidade — Seus pais tem nome ?

— Claro, minha mãe é Marcia e meu pai Sidney. — ele cumprimentou cada um deles e minha mãe disse:

— A comida é pouco mais dá para mais um prato a mesa, um príncipe aceita comer com plebeus ?

— Antes de ser príncipe sou um ser humano como vocês, sim aceito, senhora.

Na hora do jantar conversamos sobre várias coisas, meu pai contou suas histórias, eu observava Shawn e ele prestava atenção em tudo atentamente, de vez quando nossos olhares se cruzavam à mesa e ele dava um risinho e uma piscadinha. 

— Shawn — minha mãe disse — só temos três quartos, teria problema de você dormir com o Gustavo ?

— Não, senhora, problema algum.

— Ótimo, nós vamos nos deitar, você vem também, Túlio, deixe Shawn e Gustavo sozinhos

— Eles terão muita privacidade quando forem dormir, Mãe 

— Tá bom, então, tire a mesa e lave os pratos junto com eles.

— Pensando bem, eu tô morrendo de sono — todos nós rimos do preguiçoso do Túlio.
Eu e Shawn nos levantamos ele me ajudou a tirar a mesa. Lavava os pratos e os entregava para Shawn que, desengonçadamente, enxugava-os, o que me fazia rir. 

— Que foi ?

— Você é muito, princesinho!

— Que ?

— Não sabe enxugar um prato ?

— Repete ? — ele segurava o pano em uma ponta enquanto esticava a outra e mirava nas minhas pernas.

— Ei, calma aí isso doí !

— Vá repita, quero ver se tem coragem — ele soltou o pano, mas não mirou em mim estalando o ar.

— MÃEEE !!! — gritei e ele começou a rir.

Na hora de dormir, troquei de roupa, vesti trajes quentes porém confortáveis e emprestei um ao príncipe o bobalhão não pensou se ia passar frio, fome, se perder nada, apenas me seguiu, eu achei fofo não nego. Ele tinha juntado as coisas que dei e feito quase um ninho, o que me fez rir: 

— Que foi ? — ele disse e revirou os olhos.

— Você sabe que não precisa dormir aí né, vem pra cá para a cama.

— Não quero incomodar

— Garoto eu já tenho q te aturar o dia todo, uma noite não vai me matar.

— Vai se arrepender de ter dito isso — ele veio até mim e me fez cócegas, nunca imaginei esse Shawn, quando se fala em família real, imagino pessoas que só olham pros próprios narizes e agem como se status fosse a coisa mais importante do mundo, alguns são assim, mas ele é diferente. Eu o nesse momento o encarava fixamente.

— O que foi ? — ele perguntou 

— É... nada, deita aí — ele pegou um travesseiro e deito atras de mim, Shawn era grande ficávamos quase espremidos, dormimos de costas um para o outro e de banda para que coubéssemos na cama.
 

No dia seguinte acordei quase sufocado, tinha uma perna enorme sobre meu corpo e um braço que me apertava contra o rapaz dormindo atras de mim.

Cuidadosamente retirei seus membros do meu corpo para não acordá-lo e me levantei da cama. Ele dormia como um anjo, coitado deveria estar cansado, a viagem é realmente exaustiva, mas ele fez tanta questão de ser prestativo ontem que nem me dei conta desse detalhe, um dia ele será um grande rei. Troquei de roupa e fui me juntar aos meus pais.

 

...

 

Shawn Mendes

O dia estava bonito lá fora, acordei tarde e meio preguiçoso, troquei de roupa, escovei os dentes e saí do quarto. Os pais de Gustavo foram muito receptivos comigo, eu havia dito a Marcia que não estava com fome, mas ela me obrigou a comer como qualquer mãe. Ficava impressionado, pois quem menos tem é quem mais compartilha, estar naquele ambiente me fazia bem, me fazia ser uma pessoa melhor.

Os pais do Gus disseram que ele estava lá fora dando comida aos cavalos, então fui ao seu encontro. Ele estava de costas alisando a crina de Rajada e Zeus.

— Eles gostam de você — eu disse me aproximando.

— É recíproco — ele virou um pouco apenas o rosto. 

— Podemos conversar agora ou você vai me dar um golpe e fugir de novo ? — joguei na lata, estava cansado de ser paciente queria respostas.

— Podemos, só me siga. — fomos caminhando em direção à floresta. — Foi aqui que eu fui criado, conheço este lugar como a palma da minha mãe — ele fala orgulhoso.

— Deve ter sido uma infância e adolescência incrível, quantos anos você tem ?

— Tenho 19, sim foi. E eu valorizo cada gota de suor gasta pelos meus pais na minha criação.

— Não imagino diferente — eu andava com os braços para trás observando a paisagem, ele toca algumas plantas e tem nos olhos um brilho de admiração.

— Na minha família — ele começou — tem um ancestral que como eu viveu no castelo, mas isso foi na dinastia japonesa, por isso tenho a feição um pouco diferente dos outros homens.

 — "Por isso também é tão bonito e me chama atenção" — eu pensei, mas não disse, só o observava atentamente.

— Ele (meu ancestral) cresceu como um príncipe, aprendeu a ler, a escrever, a montar cavalo e a lutar um tipo de luta conhecido nas artes marciais como Kung Fu.

— Foi o estilo que você usou comigo ?

— Sim e obrigado por lembrar — ele disse divertidamente e continuou — Mas a nobreza não existia na dinastia chinesa antiga, então meu ancestral não tinha nenhum título e não pode acumular riqueza e passar para seus descendentes, porém ele passou algo mais importante, seu conhecimento e isso toda minha linhagem faz questão de passar adiante. 

— É uma história incrível, Gus. 

— Obrigado, Shawn.

— Mas por que não me contou antes e fez aquele teatro lá ?

— Eu não sabia se podia confiar em você, não sou de contar a minha vida nem para me vangloriar, nem pra me fazer de coitadinho.

— E agora você confia ? 

— Estou aprendendo — nós rimos e eu tomei a liberdade de te abraçar, ficamos um tempo só curtindo um ao outro, quando sua mãe nos grita para ajudar com o roçado.

 

...

 

Jaden Smith

Eu sou o mentor da Kylie, tive que viajar para várias partes do mundo a fim de aprender os mais diversos tipo de luta, visando me tornar perito em combate corpo a corpo, além de, também, manipular armas dos mais determinados tipos. 

Kylie sempre teve a pretensão de ser parte do grupo das Ahosi, poderosas guerreiras do reino de Feroe, a fama delas é maior e até mais temida do que a dos homens da Guarda, elas são submetidas a provas exaustivas como escalar montanhas sem equipamentos especiais, atravessar murros de espinhos carregando uma pedra nas costas e dentre outras tarefas árduas. A líder do Clã das Ahosi é Bruna Marquezine, dizem que ela possui uma cicatriz nas costas que são como marcas de garras, o boato que corre é que ela foi capaz de lutar com um leão africano só com uma espada, ela o matou e o decapitou, acredita-se que a cabeça do animal está empalada no salão comunal das Ahosi em que só as participantes do clã e o rei podem ter acesso.

Hoje é o dia do teste de ingresso da Kylie ao Clã. E eu e milhares de pessoas estamos na arquibanca para assistir. A garota traja uma roupa especial é mais estilosa do que de uma típica guerreira, prende seu cabelo em um coque baixo, ela está esperando qual será o teste.

Nessa hora aparece numa passarela de cima de um portal, por onde saem os mais diversos perigos que uma mulher precisa enfrentar para se tornar uma Ahosi, Bruna Marquezine, a líder do Clã.

— Senhoras e senhores, hoje está mulher Kylie Jenner que desde muito jovem tem o sonho de se tornar uma Ahosi, assim como eu e como todas as outras que fazem parte do Clã, precisará passar por uma prova. Essa provação como vocês sabem costuma ser a das mais surpreendentes e mortíferas que os senhores já viram. Deste portal abaixo de mim já saíram leões, homens desfigurados, grandes serpentes e primatas super desenvolvidos. Mas hoje não, hoje saíram daí 3 mulheres, as mais temidas do meu Clã e para Kylie entrar precisará derrotar todas elas, não uma por uma, mas todas de uma vez só.

Assim que ela terminou suas palavras um silêncio temeroso se instalou nas arquibancadas, enfrentar 3 Ahosi's de uma vez só era coisa para um exército, se Kylie não estiver com a cabeça no lugar ela será massacrada.

Os portões se abriram e de dentro voaram três adagas em direção à Kylie que, astutamente, desviou-se de uma e as outras duas ela bloqueou com a espada, mal o susto das facas tinha passado e de cima uma guerreira que trazia nos braços punhos de metal com garras do mesmo material tentou atingir a moça, membro da família real, que para escapar do golpe deu um rolamento em cambalhota pelo chão. Ao se levantar, foi surpreendida com um golpe de espada em swing que mirava na altura de seu pescoço, dessa vez, utilizou-se de dois mortais seguidos para trás, visando evitar o golpe e se distanciar da guerreira loira com uma espada e cicatriz do lado esquerdo do rosto, duas guerreiras haviam aparecido, mas Bruna disse três e Kylie, com certeza, lembrava desse detalhe. Duas estavam à sua frente, uma lateralmente à sua esquerda e a outra  lateralmente à sua direita. Onde está a terceira guerreira ?
 


Notas Finais


Semana que vem tem mais !!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...