História O príncipe rebelde - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Shingeki no Kyojin (Attack on Titan)
Personagens Annie Leonhardt, Armin Arlert, Eren Jaeger, Erwin Smith, Farlan Church, Grisha Yeager, Hange Zoë, Hannes, Historia Reiss, Isabel Magnolia, Jean Kirschtein, Kenny Ackerman, Kuchel Ackerman, Levi Ackerman "Rivaille", Marco Bott, Mikasa Ackerman, Mike Zacharius, Mina Carolina, Moblit Berner, Nanaba, Oluo Bozado, Petra Ral, Reiner Braun, Rod Reiss, Sasha Braus, Ymir, Zeke Yeager
Visualizações 41
Palavras 1.391
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Lemon, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá! É impressão minha ou eu só posto de noite?kkk


꒰⑅ᵕ༚ᵕ꒱˖♡boa leitura♡˖꒰ᵕ༚ᵕ⑅꒱

Capítulo 5 - Visitas pela manhã




Sonolento e sem vontade, era isso que descrevia Eren pela manhã. Não queria sair da cama, estava trancado em casa mesmo, já que Levi, não pensou nas consequências de ir para... aonde quer que fosse. Se revirando na cama, incomodado pelos raios solares iluminarem seu rosto. Eren se sentou, bocejando e esperando que sua alma voltasse ao corpo. Assim que sentiu-se melhor foi ao banheiro e fez a higienização do dia.

Já arrumado seguiu para a cozinha. Encontrando seu pai e como sempre Mikasa à mesa, e mais duas visitas inesperadas.

O olhar cansado e meio triste de Eren, causou uma atmosfera de Silêncio.

Eren Sentou à mesa e, em seguida, perguntou o motivo de Armin e Jean estarem no Castelo.

"Não poderá ver seus amigos"…se lembra bem das regras impostas pelo pai.

— então, ontem Levi me avisou da saída dele e pediu para deixar você passar esse tempo de três dias, com seus amigos. — olhou sorrindo terno para o filho.— Como ele é um ótimo genro, Aceitei de bom grado, ah… e também terá que ensinar magia a ele, eu ofereci a ajuda de um dos magos do reino, mas ele preferiu você!

— tudo bem... que novidade…— sussurrou com ironia tomando o suco de uma só vez.

— está tudo certo... nós queríamos conversar e passar um tempo com nosso melhor amigo mesmo. — Arlert devorava um pão com queijo. E ao seu lado direito Mikasa comia delicadamente, como a princesa que era e Jean à esquerda do beta.— Levi é um cavalheiro, Eren realmente teve sorte. — e o silêncio durante a refeição começou.

Eren permanecia quieto, pensamentos vagueando para o Ackerman, o deixavam confuso. Mas agora começava aceitar seus sentimentos pelo bobo apaixonado por si, que insistia em ficar em seus pensamentos, todo segundo. Levi, o causador de tais sensações incomuns para o jovem e inocente príncipe.

Assim que Eren acabou o café da manhã, foi levado de volta ao quarto pelos amigos e a irmã. Eren tentou argumentar sobre o comportamento dos amigos, mas fora ignorado.

Grisha apenas riu do filho sendo arrastado de volta ao quarto.

Enfim, apenas os amigos no quarto, e Eren já estava se preparando para a avalanche que vem aí…

— Vocês já fizeram? Quantos anos ele tem? É carinhoso? O que ele faria se te perdesse? Tem outros amigos bonitos?e ele te…

— Ele te machucou? Se ele tiver de forçado a algo eu vou…

— Ei, primeiro: o que quer dizer? Segundo: eu não sei todas as quatro perguntas, Armin! Terceiro: não é claro que não! Mikasa. — os olhares confusos caem sobre Eren que olhou com uma cara de " Que foi? Acharam que ia fazer o quê?", e o cara de cavalo, como Eren chama seu querido amigo Jean, continuou.

— Como assim? Imbecil suicida, você não avançou nada? — Jean deu apenas um peteleco em Eren.

Eren reclamou baixinho, passando a mão na testa, para aviliar a dor.

— Pensa que tá falando com quem?! É claro que não avancei… cara de pônei.—se levantando e empurrou Jean com raiva.— por que trouxeram esse cara de cavalo aqui? Ele não deveria está no estábulo? Explicaram tudo a ele?!

— Ora,seu…

— Eren e Jean parem com Isso. Eren aposto que seu namorado não ficaria feliz com você brigando desse jeito. — Mikasa que permaneceu calada maior parte do tempo, pegou sua varinha e levantou os dois garotos no ar, fazendo assim pararem de tentarem se socar. Mas os xingamentos continuaram. — Calem essas bocas! Senão irei pregar cada uma delas.

Os dois garotos se calaram, pois sabiam que Mikasa não brincava, ainda mais quando olhava com " a cara do demônio" é como nomearam o olhar de quando a irmã perde a paciência.

Mikasa invés de soltar-los devagar, apenas cancelou a magia fazendo os dois quase caírem, mas Armin foi rápido e levitou eles. Mikasa ignorou os reclamações do Arlert, e pediu para Eren explicar tudo direito ou iria o fazer falar a verdade sem parar, com o feitiço que só ela conseguiu aprender.

Eren deu um longo suspiro e ruborizado contou tudo "ou quase" para os amigos.

*******

Assim que acabou de contar os três entreolharam- se e acenaram de cabeça. Eren ficou sem entender aquele gesto.

— você é tão… teimoso, que chega a ser idiota e sem noção. — os três disseram juntos e olharam decepcionados para o moreno. Que sentiu um misto de vergonha e culpa.

— então...bom é que ele gosta de você. entretanto, o que sente em relação a ele? — disse Jean, Eren apenas desviou o olhar.

— eu… não sinto Nada!— Armin olhou curioso, sabia muito bem como Eren ficava assim que contava uma mentira: os olhos verdes desviavam de qualquer contando visual, gesticulava frenéticamente e as orelhas ficavam em um tom meio vermelho.

Já fazia um tempo que notou a mudança de comportamento e até mesmo o jeito que seu amigo falava.

— Uhum, sei… percebe suas próprias ações, Eren? — vendo o olhos esbugalhados em pura confusão de Eren, Armin sorriu e puxou Jean e Mikasa, cada um do lado do loiro, sendo abraçado. — nós já notamos, como você fica assim que fala dele, seus olhos ficam brilhantes e sem contar, pareceu um pouco triste essa manhã, suspeitamos que tem alguma coisa haver com o alfa.

Diante dessas palavras, que para o ômega eram sua destruição. Suspirou e negou sorrindo, entretanto todos sabiam que aquela era a forma que Eren admitia. Uma forma bem peculiar de se expressar. Sim, o príncipe aceitará seus sentimentos, mas… o que faria agora?

— deixará seu ômega interior dominar um pouco. — a fala de Mikasa fez os olhos verdes se focarem na mão dela, a varinha com a ponta brilhando, denunciava que Mikasa estava lendo a mente de Eren. Armin logo pegou a varinha de sua mão. — Ei! Devolve!

— Você sabe que isso não é permitido, ainda mais nesse momento! Eren…

— O que é ômega interior? É algum tipo de instinto?— interropendo a discussão dos dois, Eren peguntou sério.

— sério, Eren! Não sabe o que é isso? A Isabel explicou várias vezes.— a paciência com a burrice do ômega estava aos poucos acabando para Jean.

" Eu nunca presto atenção nessas coisas, ainda mais eu que nunca se interessou nisso e agora o universo decidiu brincar comigo." Pensou Eren. Logo negando a pergunta direcionada a si.

— nós te contaremos tudo.

***************************************

O dia passou rápido. Eren estava mais uma vez deitado na sua cama, olhando para o teto, seus amigos e Mikasa já foram. Os amigos o ajudaram a aprender muitas coisas que não sabia. Por exemplo, ômegas e alfas lúpus: ômegas lúpus obtinam orelhas e rabo, que era obtido no primeiro cio e permanecia no corpo para sempre e poderiam ser escondidos facilmente. Mas as poderosas raças de alfas e ômegas lúpus foi extinta. Há anos quando os reinos viviam em guerras, os lúpus eram odiados, tanto os alfas quanto os ômegas. Já que os ômegas dessa raça eram livres e faziam qualquer um cair, por liberarem feromônios como se fossem um sonífero e que enlouquecia qualquer um, e os alfas lúpus eram líderes, grandes guerreiros e estratégicos, tambem fortes e velozes com um grande poder mágico, mas eram dominados facilmente pelos ômegas lúpus.

No período da guerra, os lúpus foram mortos por bruxas e magos que eram conhecidos como Betas. Não se sabia como conseguiram fazer isso, porém foi conhecimentos passados de geração a geração. E ninguém descobriu nada até hoje.

O ômega interior, revelou ser um impulso, instinto e mesmo uma parte de si totalmente selvagem e que era "ativada" após o período de cio de cada ômega. Ou quando o ômega ou alfa encontrava seu "destinado."

Eren, tinha um impulso de ficar perto do alfa e Levi também. Mas quando Eren sentia isso ignorava completamente, achava só ser pelo cheiro amadeirado do alfa, que o confortava. Enfim, agora sabia que era seu ômega interior querendo ficar mais próximo do alfa. E sorriu ao se lembrar da forma como seu futuro alfa o olhava naquela tarde de Pôr-do-Sol e corou ao lembrar do sorrisinho do alfa direcionado a si.

Esperaria esses três dias pelo alfa que fez seu lobo saltar, afinal poderia ser uma ótima descoberta.

"Será que ele realmente sente o mesmo?"


Notas Finais


Oieee, bom dia...minha flor de laranjeira (◍•ᴗ•◍)❤(elogio dado a mim pela minha mãe)kkkk


O que será que acontecerá no próximo capítulo?🤔

( Obrigada por ler)❤️❤️❤️❤️❤️😍


CONTINUA...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...