1. Spirit Fanfics >
  2. O Príncipe Serpente >
  3. Despedaçado

História O Príncipe Serpente - Capítulo 30


Escrita por: idaborchardt

Notas do Autor


Olá!

Vamos de um capítulo mais curtinho só para matar a curiosidade
Ah e só por constar: Teremos postagem de capítulos no sábado e no domingo também

Bjos e aproveitem a leitura
não deixem de me deixar comentários sobre a história =D

Capítulo 30 - Despedaçado


Fanfic / Fanfiction O Príncipe Serpente - Capítulo 30 - Despedaçado

O maníaco por explosivos gostava de criar o caos a partir das chamas que causava. Particularmente, era o tipo desagradável de pessoa que eu não gostava de confrontar: arrogante, cheio de si e com a convicção plena que me venceria por que eu era um só um mero “Imperador de enfeite”, como descreveu. Depois de tolerar suas provocações e ataques espalhafatosos com bombas e pós que explodiam eu já estava sem paciência para ele. Lutamos não mais que por uma meia hora e no final, eu já estava de péssimo humor, preocupado com os demais, principalmente com a minha hime.

 

 No começo meus guarda costas tentaram intervir e me manter a distância do confronto, mas logo desistiram e deram um passo para trás quando ficou óbvio que nenhum dos três seria capaz de competir em igual força física com o aquele oponente. Era meio irônico, ser mais forte que os homens que eu mesmo havia selecionado como meus guardiões. Todavia, justamente por isso tinha escolhido pessoas que gostava de ter por perto e que não cediam totalmente a forma quase autoritária do Nara de me rodear.

 

______ Kotetsu, leve o Izumo e encontre minha noiva e a protejam!

 

______ Mas Imperador...

 

______É uma ordem! Vou terminar com esse cara de uma vez, só que estou preocupado com ela. Prefiro saber que estão a protegendo do que aqui, me olhando ensinando boas maneiras a esse chato de boca suja.

 

______ Sua confiança que irá me derrotar considerando que está coberto de curativos e já ofegante é um esboço ridículo, majestade. Não há arte em  sua existência digna de pena.

 

______ Como você se chama mesmo, senhor do tapa olho e rabo de cavalo?

 

_____ Meu nome é DEIDARA! Eu já te falei mais de uma vez, seu desagradável sem estilo! Contemple minhas belas explosões e veja a beleza do fogo.

 

______ Oh desculpa desculpa, que cara mais esquentadinho! Minha memória não é meu forte sabe... É só que já me irritou o suficiente com esses seus truques e explosões, então vamos deixar assim: vou dar um jeito logo e em todos esses capangas que trouxe com você então não me leve a mal por isso.

 

______ Do que está falando seu ser sem talento?!

 

______ Eu estendi essa briga mais que o necessário para tentar extrair informações úteis de você, mas vendo que é inútil já que só sabe falar de si mesmo, boa noite.

 

______ O que? E que sapo idiota é esseeee

 

Naquele momento, já tinha traçado como o venceria há um bom tempo, mas haviam duas razões para o manter ocupado comigo: o impedir de usar bombas mais destrutivas e ao mesmo tempo, tentar arrancar alguma coisa dele sobre o porquê daquele ataque tão repentino e descuidado. Desviei de mais uma da saraiva de pequenos explosivos e o golpeei com tudo com um golpe, o desmaiando, depois de usar um dos meus feitiços de sapos para tirar a sua atenção.

Sentei em cima do agora descabelado piromaníaco para recuperar o folego e olhei o cenário de destruição em que o pátio frontal havia se transformado e fiquei frustrado de não ter conseguido conter melhor os danos.  Tinha conseguido o arrancar de dentro da fortaleza no soco para impedir que ele explodisse coisas dentro da construção, correndo o risco de ferir aos servos que estavam se escondendo ali, só que não tinha sido o suficiente. ­

 

_____ Eu tentei suprimir esse maluco, ainda assim, seus brinquedinhos causaram um estrago e tanto. Lord Hiashi vai ter um trabalho para reconstruir isso tudo antes do inverno....

 

Haviam muitos inimigos desmaiados ou mesmo mortos. Porém, muitos soldados a serviço dos Hyugas também estavam caídos: não era uma cena nada agradável. O cheiro de sangue misturado a fumaça da pólvora queimada me causava náuseas.  Ao que parece, o invasor havia trazido consigo um pequeno exército de mercenários que deu algum trabalho para ser derrotado como um todo.

 

Konohamaru estava entretido brigando com três invasores restantes há poucos metros de mim. E pude ouvir a voz de Lord Hiashi convocando os soldados no pátio externo a se agrupar. Me levantei para procurar os outros, quando avistei ao longe minha dupla fiel de guardiões trazendo uma Hinata com as roupas imundas e rasgadas, mas aparentemente bem ao lado. Suspirei aliviado e já estava abrindo um sorriso, quando vi Sasuke se arrastando da floresta, andando com dificuldades, tendo atrás de si, a grande serpente que comandava usando sua magia escura.

 

Corri na direção do meu amigo e o apoiei sobre os ombros, o carregando e levando comigo para perto dos demais.

 

______ Naruto! Onde ela está?! Me diga que a protegeu!

 

_____ Ela? Do que está falando, Sasuke...

 

O desespero dele aos poucos foi tomando forma no meu pensamento e olhei para a fortaleza, enquanto apertávamos o passo para penetrar nos corredores de pedra em torno da pessoa de quem provavelmente estava falando. Mas mal havíamos colocado os pés no primeiro lance de escadas da entrada principal da fortaleza, Neji surgiu com uma feição desgostosa, trazendo consigo Hanabi e nos falou com uma voz raivosa:

 

______ Ela foi levada... Sakura foi levada.

 

*****************************************

 

Aquela sensação incomoda no meu interior, aquele fogo queimando e o gosto ruim que não deixava a saliva. A vontade de derramar sangue... Aquilo tudo, eu conhecia bem: estava possuído daquela raiva destrutiva de novo. No momento que ouvi o Hyuga confirmando minhas mais desesperadoras suspeitas, já tinha feito uma escolha dentro de mim.

 

______ Teme, não faça isso, está bem machucado e não temos ideia do que estão planejando. Em outras épocas seria o primeiro a ir com você, mas agora é mais inteligente esperar e...

 

______ Não posso correr o risco de perder o rastro do maldito que a levou.

 

______ Sasuke, eu também estou desesperado e estamos trabalhando para montar um grupo adequado de busca. Estamos agora tirando informação dos homens que prendemos.... Você ao menos está me escutando?!

 

Havia enfaixado as costelas e trocado as vestes por outras, completamente pretas, essas sem qualquer identificação da minha família. Para o que eu iria fazer, da forma como queria fazer, não queria nem ao menos estar levando nas indumentárias, o símbolo do meu clã. O Dobe ficava me rodeando, falando um monte de coisas desnecessárias e me atrasando. Juugo estava muito ferido em um leito, desacordado. A maioria dos soldados Hyuga e da comitiva real estava exausto ou coberto de fraturas após o ataque. Mesmo o infame Neji, que estava em péssimo estado depois da luta contra Naruto mais cedo, havia se lançado contra os invasores para tentar descer da fortaleza e nos avisar do rapto de Sakura. Eu precisava ir e sozinho.

 

______ Naruto, não tente me impedir. Kabuto é um lixo que se associa a psicopatas piores do que ele para alcançar seus objetivos. E o que ele deseja no final é se vingar de mim. Quem quer que tenha levado minha noiva o fez para me atingir. Cada minuto aqui parado e ela fica mais próxima de ser ferida.

 

______ Sasuke...

 

______ Querendo ou não a nossa ajuda, Uchiha, você a terá.

 

A voz grave do Hyuga na porta do quarto que vinha ocupando na fortaleza não diminuiu em nada a sensação de impotência que não ter a protegido das minhas sombras do passado. Saber que tudo que vinha acontecendo com Naruto e agora, com ela, não passavam de armações daquele desgraçado do Kabuto era motivo mais do que suficiente para que eu desejasse

 

______ Vocês não entendem... Se eu a perder, se ela se for...

 

Meu espírito gritava e me sufocava. Minha visão estava nublada quando agarrei meu próprio kimono e comecei a me agitar, tentando estabilizar minha respiração. Naruto se aproximou e pôs sua mão em cima do meu ombro, tentando me reconfortar, inutilmente:

 

______ Sasuke, você não está sozinho... Sakura é importante para nós dois, vamos ir buscá-la juntos.

 

______ Não Naruto, eu estou, deveria ter ficado. Você não consegue ver, seu completo idiota. Meus pecados causaram tudo isso até aqui. Eles estão me seguindo, estou sendo punido e vocês tão sendo arrastados para o meu inferno junto comigo.

 

Naruto tirou a mão do meu ombro e me olhou daquela forma suplicante, como que se estivesse tentando entrar dentro da minha alma e me acolher. Mas por fim, sua faceta mais natural e dominante veio à tona quando me empurrou e agarrou pela camisa aos berros, como fazia desde a infância:

 

______ Não fale bobagens, seu estupido! Nunca mais repita essas asneiras ou vou te socar tanto que Sakura-chan terá que remendar sua cara inteira antes de se casar com você. Amanhã, Shino e Kiba chegarão e eles melhor do que ninguém vão encontrar o rastro do raptor de Sakura. Por hoje, você vai ficar aqui, se recuperando e vamos pensar juntos numa estratégia.

 

______ Sua vontade é atenciosa Naruto. É uma pena que é esforço inútil...

 

Murmurei as palavras pouco antes de me livrar para todos na sala. Um olhar de compreensão e surpresa, ao ver minha mão levantada e a marca de um feitiço de ilusão traçado no braço brilhando.

 

______ Você sabe que eu já não estou aqui.

 

**************************************

 

Minha cabeça doía e me sentia zonza. Por mais que eu tentasse forçar meus olhos abrirem, estava tão cansada e sem forças que mal movia as pálpebras. Sentia meus membros amarrados e a dor em torno dos pulsos e dos tornozelos quando buscava me mover eram desagradáveis. O gosto ruim na minha boca indicava que eu havia ingerido alguma coisa nas últimas horas, mas eu nem lembrava quando ou o que tinha sido.

 

______ Finalmente, a donzela está despertando. Você me deixou esperando muito tempo, curandeira.

 

Dessa vez, eu consegui abrir os olhos e aos poucos, fitar o lugar em que estava. Não parecia ser uma construção, mas uma espécie de caverna escavada na pedra. O homem que havia atacado a Hanabi estava sentado em uma rocha brincando com os fios que tinha usado antes na fortaleza. Eu estava encostada contra a parede, com os mesmos arames amarrados dos meus pulsos até a as minhas pernas, impedindo qualquer movimento.

 

_______ Eu devia saber que o impulsivo do Deidara não iria conseguir conquistar a fortaleza com aquela sua arte explosiva descuidada. Agora, precisamos reagrupar antes de dar o golpe final e desaparecer com aquele Imperador irritante. Mas antes disso, tenho outros planos com você, meu novo brinquedo.

 

A forma como aquele homem me olhava me dava arrepios. Ele se levantou e veio caminhando até mim com um sorriso estranho na cara, se abaixando na minha frente e me obrigando a olhar para ele da mesma forma que tinha feito no quarto de Hanabi.  

 

______ Já que você é tão habilidosa em lidar contra venenos, irá me servir em meu esconderijo. Mal posso esperar para ver essas mãos tão doces e acostumadas a salvar vidas, refinando toxinas e me vendo matar pessoas com as coisas que fará para mim.

Aquele maldito então, levantou meus braços e forçou seu rosto nas costas da minha mão, esfregando sua bochecha em mim. A sensação daquele toque era repugnante e queria gritar com ele e me libertar. Mas meu corpo não respondia, estava à mercê dele e tremendo inteira. Ele se aproximou ainda mais subindo em cima de minhas pernas e agora, sussurrando no meu ouvido:

 

_____ Não tente falar ou fugir, minha curandeira. O entorpecente que fiz você beber está impregnado em você. Não vai conseguir se mover por horas, tempo mais do que suficiente para eu te tirar de Konoha e desaparecer com você para longe do seu amado Uchiha.

 

A menção a Sasuke fez o desespero em mim aflorar e quando dei por mim, as lágrimas desciam por meu rosto. Eu queria sair dali e encontrar com ele. Me perguntava o que tinha acontecido na fortaleza, se alguém ainda conseguiria me salvar. O maldito roçou os dedos nas gotas que escorriam, fazendo desenhos de espirais enquanto me encarava com aqueles olhos tão frios e sem emoção.

 

_______ Lágrimas tão doces de uma noiva abandonada pelo amado...

 

O homem subitamente se ergueu e começou a andar pela caverna, que parecia ser o seu acampamento e por fim, acendeu uma espécie de incenso enchendo o ambiente com um cheiro doce e denso, que me deixou mareada. Havia algum tipo de substância sonífera embebida nele.

 

______ Feche os olhos, curandeira, logo vamos partir e vai querer ter descansado mais antes disso. Caminhar através do deserto pode bem exaustivo para alguém com um corpo tão delicado quanto o seu.

 

Na penumbra daquela caverna, senti meus sentidos me abandonando de novo e meu corpo cedendo e caindo na escuridão, antes de murmurar para mim mesma, quase como uma prece, a única coisa que meu coração clamava.

 

______ Sasuke-kun, por favor venha me buscar...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...