História O problema é que te amo! - Capítulo 48


Escrita por: e KleitonRC

Postado
Categorias Pokémon
Personagens Alain, Ash Ketchum, Black, Bonnie, Brock, Calem, Clemont, Cynthia, Dawn Hikari, Delia Ketchum, Gary Carvalho, Giovanni, Grace (mãe de Serena), Korrina, Max, May, Misty, Pikachu, Professor Carvalho, Professor Oak, Red, Sabrina (Natsume), Serena, Shauna
Tags Adolescentes, Amor, Amourshipping, Ash Ketchum, Drama, Hentai, Mistério, Pokémon, Pokeshipping, Romance, Satosere, Serena Grace, Shoujo, Suspense, Universo Alternativo, Vida
Visualizações 372
Palavras 3.103
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Pois é, o tão esperado casamento chegou!

Drama, referências, casamento, lua-de-mel, surpresas... É, esse capitulo está recheado!

Bom, espero que gostem, fiz esse capitulo com muito cuidado. Espero que gostem!


Boa leitura!

Capítulo 48 - Unidos para sempre!


Fanfic / Fanfiction O problema é que te amo! - Capítulo 48 - Unidos para sempre!

Autor ON

 

 

- sabe, eu pensei que seria mais difícil! Quando eu disse pela primeira vez que a amava, nunca pensei o quão longe chegaríamos... Claro, tivemos muitas adversidades no nosso caminho. E quantas. Mas, graças ao nosso amor um pelo o outro, superamos todas e qualquer problema! Nem sei mais se o que temos é um simples amor recíproco. Não, é mais... Já nos tornamos companheiros pra vida, amigos inseparáveis. Nossa ligação vai muito além da paixão! Não é algo mais carnal. É divino! Não sei o que seria de mim sem ela. Na verdade, eu não existo sem ela! – o homem suspira, levantando-se do chão – lá atrás, você foi a primeira a abrir os meus olhos. Infelizmente eu demorei muito a perceber... Mãe, onde quer que esteja, quero que se sinta parte da minha nova família que começarei hoje! – uma leve, porém significativa ventania, passa pelo Ketchum, o fazendo sorrir – obrigado, por estar comigo!

 

 

Ainda sorrindo, Ash acaricia a lápide de sua mãe, imaginado consigo a felicidade que ela está agora, vendo seu único filho prestes a se casar. Sua atenção é voltada a outra lápide ao lado, onde estava seu pai.

 

 

- cuide dela agora... Vocês terão a eternidade daqui pra frente!

 

 

Calado, mas consigo muito feliz, Ash se afasta aliviado. Falar com seus pais sempre o trazia paz, e isso é o que ele mais precisa no momento!

 

Longe dali, Serena se via apreensiva com a agitação das amigas, e sua mãe, em torno dela. Não era fácil ouvir as palpiteiras, que não a deixavam se quer sentar-se.

 

 

- filha, você deve usar um véu! É tradição da família.

 

- mas Sra. Grace, ela ficará perfeita se usar uma tiara de princesa! – afirma Dawn. A nova mamãe por sinal, já continha uma pequena barriquinha!

 

- nada disso. É véu e ponto final! – retruca a mais velha.

 

- olha, eu tenho que concordar com a Dawn – se pronuncia Misty.

 

- por mais que seja difícil dizer isso... – diz Shauna – concordo com ela!

 

- vocês não estão entendendo... É a MINHA filha que vai se casar!

 

- e a NOSSA amiga! – rebate Dawn, já alterada.

 

 

As mulheres começam a bater boca, o que dá tempo para Serena finalmente se sentar. Com aquele lindo vestido branco, ela abri seu belo sorriso, imaginando como seria a reação de Ash quando a visse entrar pelas portas da igreja. A loira retira a caixinha que guardava na bolsa, e dessa vez retira um laço azul, que não precisa se dizer o quão especial é pra ela. Tanto, que o guardou por anos, esperando o momento exato, e agora, vê que o dia chegou. Sua atenção é tirada da fita, quando percebe a porta do seu quarto se abrir.

 

 

- é aqui que eu encontro a noiva mais linda de Pallet?

 

- Cynthia! - a loira corre até a mulher, dando um forte abraçado naquela que lhe ajudou em dos momentos mais infelizes de sua vida – não acredito que está aqui!

 

- eu não faltaria no casamento da minha sobrinha querida! – afirmou, beijando o topo da cabeça da garota, que não era mais tão garota assim como da última vez que a viu!

 

- que bom que está aqui, Cynthia, porque preciso da sua ajuda contra essas pirralhas que não entendem a tradição da família!

 

- espero que não esteja falando do véu, por que minha afilhada vai sim se casar com um! – diz ela, fazendo a loira sair dos seus braços, bufando.

 

 

Emburrada, Serena voltou a se sentar, cruzando os braços, observando a discussão a sua frente. Ainda de braços cruzados, ela revirou os olhos, sorrindo descrente da cena em questão. Por mais que esteja cansada daquilo tudo, ela sabia que estava rodeada de pessoas que a amam!

 

 

Horas depois, com muita dificuldade, as mulheres conseguiram chegar num acordo, o que fez a Serena dar graças ao céu. Faltando pouco mais de duas horas para o tão esperado casamento, Ash se via desesperado. Andava para todos os lados na entrada da igreja, causando irritação nos amigos.

 

 

- meu Deus, Ash. Não é o fim do mundo. Se controla homem! – diz Alain.

 

- eu sei, mais estou ansioso... O tempo parece que não passa! – dizia ele, parando e respirando fundo, tranquilizando a batidas frenéticas em seu peito.

 

- eu te entendo cara, mas você precisa se acalmar, se não terá um infarto antes mesmo da lua-de-mel! – brinca Gary, pousando uma mão no ombro do amigo.

 

- eu sei, eu sei... Mas sei lá, vai que ela desiste de última hora... – disse, voltando a caminhar.

 

- das coisas idiotas que você disse na vida, essa foi a mais imbecil! – diz Clemont – Ash, estamos falando da Serena. Essa mulher deve te amar mais do que você próprio se ama! Não fique pensando nesse tipo de bobeira.

 

 

Mas uma vez ele parou, dessa vez colocando as mãos no bolso. Respirou fundo novamente, encarando os amigos e os agradecendo pela força. Enquanto conversavam, perceberam os convidados começarem a chegar. Além dos amigos, e familiares, o casal também convidou velhos conhecidos da época de escola, e também colegas de trabalho.

 

 

- é, está chegando a hora! – comentou Alain.

 

 

Ash assentiu com a cabeça, e ficou pensando consigo como sua esposa está no momento. Tempos depois, viajando até o outro destino, Serena se via de frente ao espelho, agora pronta. As mulheres, com consentimento da loira, conseguiram chegar a um veredito! Serena usava um vestido branco rodado, com um laço nas costas e sem mangas, e com um decote que realçava seu busto. Em seus braços, ela usava luvas brancas cano-longo, e no pescoço, um lindo colar de pérolas. Com o vestido grande tampando suas pernas e pés, sua sapatilha de cristal não era muito visível. Sua maquiagem era básica, pois a mulher é linda naturalmente, e não precisava de muito para realça-la! Ela estava indescritivelmente linda. Perfeita! Seu sorriso era marca registrada no momento, junto com a força que fazia para não chorar. Ela é tirada do seu momento ao notar que uma pessoa entrava no quarto.

 

 

- meu Deus, Serena... Você está linda! – dizia a mulher, com uma mão tampando a boca.

 

- obrigada, tia! A senhora não imagina o quanto estou feliz! – disse.

 

- eu imagino sim! – afirma sorrindo – bom, vamos?

 

 

Serena assentiu com a cabeça, sentindo seu coração começar a bater mais forte. Com ajuda da tia, a loira desceu as escadas, segurando o vestido para que não tropeçasse no mesmo. No primeiro andar, suas amigas e sua mãe se seguravam para não chorar, e borrar as maquiagens. O que não deu certo por muito tempo. Grace foi até a filha, e a abraçou forte, não acreditando que a sua menininha havia se tornado uma mulher tão rápido! Suas amigas também foram em seu encontro, realizando um grande abraço coletivo. Antes de destruírem todo o trabalho que tiveram o dia todo, as mulheres se separam, e sorriem uma das outras. Descontraídas, são pegas pela buzina da limusine que as esperava na porta. É agora!

 

Na igreja, já lotada, Ash, com as mãos a frente do corpo, apreensivo, pensava em inúmeras situações, nas quais 99% delas eram trágicas. Seus padrinhos; Clemont, Gary e Alain, estavam ao seu lado, a direita do altar, lhe dando o máximo de apoio que conseguiam transmitir. Tirando a atenção de todos, as madrinhas da noiva adentram o casório, o que fez, o já acelerado coração do Ketchum, pular uma batida.

 

As garotas passaram pelo homem, lhe desejando tudo de bom, e prometendo a noiva mais linda do que nunca! A trilha cerimonial começou a tocar, e agora, mas do que nunca, Ash sabia que não teria mais volta! Suspirou fechando os olhos, e quando os abriu, pode ver lá no fundo sua esposa, acompanhada de sua tão querida sogra. Elas foram se aproximando, e ele, encantado, sorria bobamente, perdido na beleza da mulher. Serena também estava admirada no quão belo seu noivo estava. O homem se trajava todo de branco, com um colete azul e uma gravata da mesma cor. Sua postura imponente transparecia confiança por parte dele. Assim que as Grace chegaram ao palco, a mais velha entregou a mão de sua filha ao rapaz, pedindo que ele cuide do bem mais precioso dela. Ele concordou, prometendo que fara de sua filha a mulher mais feliz do mundo! Grace o abraçou, e foi até seu assento.

 

 

- oi! – diz ele, finalmente falando com ela.

 

- oi... – responde, sorrindo.

 

 

Mesmo com um véu que cobria todo seu rosto, Ash conseguia ver perfeitamente o rosto da noiva, e, por Deus; como estava linda! Parecia até um anjo!

 

 

- senhoras, e senhores... – começou o padre, dando inicio ao casório – estamos hoje aqui presentes, para celebrar à felicidade desse casal tão jovem, que ainda têm uma vida inteira pela frente! Eles passaram por tudo que se pode imaginar, mas continuaram juntos, e fortes, provando que o amor, que um sente pelo o outro, é maior que qualquer peça do destino... – nesse momento, Ash deu um leve aperto na mão de Serena, que mesmo sem se olharem, sorriram em sincronia. As formalidades de um casamento foram acontecendo, até chegar a parte mais importante: - ...com tudo isso, eu pergunto ao casal. Ash Ketchum, promete amar e proteger sua esposa, defende-la e estar com ela na saúde e na doença, na riqueza ou na pobreza, nos bons e maus momentos, até que a morte os separem?

 

- sim! – sem rodeos, ele responde, olhando para sua amada, que sorriu, com uma lágrima já estacionada.

 

- Serena Grace, promete amar e apoiar seu esposo, dando-o força na saúde e na doença, na riqueza ou na pobreza, nos bons e maus momentos, até que a morte os separem?

 

- sim... – responde, deixando escorrer a lágrima que teimava em sair. Seus olhos são fisgados pelo os dele, e enquanto metade da igreja chorava, principalmente as madrinhas da noiva, o casal sorria de orelha-a-orelha, não contendo a felicidade que guardavam no peito.

 

- pois bem, o noivo já pode beijar a noiva! – sorridente, o padre se afastou, dando liberdade aos pombinhos.

 

 

Ambos se voltaram para o outro, e, já não aguentando a ansiedade, Ash levantou seu véu, revelando o lindo rosto da mulher. Assim que retirou de vez a peça, observou algo curioso amarrado em sua tiara.

 

 

- Serena, essa fita... - diz, boquiaberto. Nunca passou por sua cabeça que ela ainda guardava aquele velho pedaço de pano, que nem o próprio se recordava.

 

- eu te amo, Ash! – afirma ela, docemente. Sua voz estava um pouco falha, por conta da mistura de emoções em seu coração.

 

 

 Acabando com sua ansiedade, e de todos do local, Ash envolve a mulher com um braço, acariciando seu o rosto delicado com o outro. As distâncias foram diminuindo, até enfim consumarem de um beijo apaixonado. O público veio a baixo com o beijo, e o casal foi saudado com uma salva de palmas, acompanhado de gritos e assobios. Ao se separarem, os recém-casados encostaram-se testa-a-testa, sorrindo felizes com o momento único em suas vidas!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

- ASH! Não precisa me carregar no colo... – dizia a garota, ao ser pega de surpresa pela ação do noivo.

 

- precisa sim! – diz, sorrindo malicioso antes roubar um beijo caloroso da amada.

 

 

Assim que a cerimônia acabou, o casal não se permitiu ficar muito tempo na festa. Um necessitava do outro, e não precisavam falar para saberem isso. Se despediram de todos, e após uma chuva de arroz, foram para sua tão desejada lua-de-mel. O casal havia feito uma reserva num resort de campo, longe de tudo e de todos. Ao chegarem no local, Ash pegou a chave com a recepcionista, e a agradeceu, ainda com Serena nos braços. Ao chegarem no quarto, a suíte mais cara do local, o homem colocou sua esposa no chão, a enchendo de beijos, enquanto trancava a porta. Depois de trancada, Ash levantou Serena pela cintura, a prensando contra a porta, beijando e marcando todo o pescoço da loira.

 

 

- Serena... – pausa, roubando mais um beijo da mulher – você não tem ideia do quanto eu te quero, meu amor... – finalizou, sussurrando a última parte em seu ouvido, fazendo o corpo da mesma arrepiar, enquanto mordia os lábios para não gemer alto, pela forte pegada em sua coxa.

 

- espera... Ash... O... Vestido... – entre pausas, por conta de uma sequência de beijos, Serena alertou, saindo dos braços do esposo, que nada gostou – já volto...

 

 

Com cara de gol contra, Ash ficou a espera da esposa, que se trancou no banheiro. Poupando ambos de um trabalho maior, ele se despiu de seu terno e sapato, junto com o colete e a gravata. Antes que desabotoasse a camisa social, a porta do banheiro se abre, saindo de lá a loira, vestida apenas de uma lingerie preta rendada, que a deixava ainda mais sexy que o normal. Ash estava sem ação, e, feliz com o efeito que causara no homem, Serena se aproxima, beijando seu rosto, em seguida partindo para seus lábios. Enquanto travavam uma guerra para ver quem estava no controle do beijo, Serena começou a desabotoar a camisa do Ketchum, que ao final, a jogou pra qualquer lugar do quarto. Serena empurrou o homem, o fazendo cair de costas na cama. Enquanto ela engatinhava até ele, Ash se hipnotizava com cada ação da mulher. Ao estarem frente-a-frente, voltam a se beijar, agora, com ainda mais desejo. Serena roçava seu sexo no de Ash, que apesar de estar sob a calça, sua rigidez era sentida pela loira.

 

Afim de tomar conta da situação, Ash gira com Serena, ficando por cima dessa vez. A mulher sorri, demonstrando ter gostado da ação. Sua mão começa a percorrer o corpo escultural da mulher, começando da sua coxa, percorrendo sua barriga, chegando até seus seios. Sem pestanejar, o moreno os aperta, fazendo com que a mesma arfasse pela boca. Já cansado do pedaço de pano, ele, sem muitas dificuldades, desabotoou o sutiã, que é retirado com a ajuda da loira. Agora com o caminho livre, Ash abocanhou o seio esquerdo, enquanto brincava com o direito. Serena gemia alto, pois já havia se desacostumado com aquilo. Depois de um tempo de tortura, Ash volta a atenção para o rosto da esposa, que estava extremamente ruborizado. Ele a rouba um beijo, mordendo seus lábios. Chegando perto de seu ouvido, ele sussurra;

 

 

- isso é por me fazer esperar três meses! – disse sedutor, descendo a última peça de roupa da amada.

 

 

Ele olhou profundamente nos olhos da mulher, e em seguida se destinou para o seu próximo alvo. Ao ver a intimidade totalmente úmida da esposa, ele sorriu, e começou a puni-la com um beijo nos lábios inferiores, em seguida, começou a penetra-la com a língua. A mulher já não se aguentava, gemia, grunhia, forçava a cabeça dele contra sua intimidade, arranhava suas costas, enfim; ela sabia que não aguentaria por muito mais tempo. Após um grande estimulo, Serena libera seu orgasmo, apertando com força os panos da cama, até perder as forças. Ash, orgulhoso de seu trabalho, beija sua amada, que ainda se recuperava do êxtase.

 

 

- você foi... Incrível! – diz ela, ainda sem forças. Se beijam novamente, então ela diz; - minha vez de retribuir o favor...

 

 

Com o corpo um pouco mole, Serena se pois novamente sobre Ash, e com ajuda dele, jogou pra longe sua calça. Ao ver a cueca box totalmente alargada por conta do produto dentro dela, Serena sorriu maliciosa. Pegou a peça pela borda, e foi abaixando-a devagar, revelando um membro totalmente ereto, e que implorava por atenção. O segurou com uma mão, sentindo-o latejar, e então, o abocanhou. Dessa vez quem arfou foi Ash, e quando a loira começou a se movimentar, seu corpo todo esquentou. Ela o masturbava enquanto sugava seu membro até a metade. Depois de um tempo, ela o masturbava apenas com a boca, indo até a base. Pelo tempo que ficou sem sexo, Ash sabia que não demoraria a vir, mesmo assim, tentou se segurar ao máximo. Percebendo que o companheiro estava chegando ao ápice, Serena para, o deixando confuso.

 

 

- quero você agora, Ash...

 

 

Ela se deitou novamente, e ele a acompanhou, se levantando. Vendo a mulher ali, entregue a ele, não tinha como ele estar mais feliz.  Posicionou seu membro, e entrou nela com cuidado. A loira fechou os olhos, sentindo uma breve dor, que logo passou, enquanto ele ia se movimentando. Aumentando o ritmo de suas estocadas, Ash se segurava para não explodir, tamanho tesão que continha. Serena também estava indo a loucura, e quando percebeu o corpo do homem fraquejar, rapidamente o prensou com as pernas, impedindo-o de sair.

 

 

- eu te amo... – disse, o puxando pela nuca e o beijando. Ash, ficou um pouco assustado no começo, mas ao entender o que aquilo significava, sorriu bobamente.

 

 

Penetrou-a mais algumas vezes, até em fim chegar ao seu limite. Expeliu tudo dentro dela, que sorriu ao senti-lo dentro si. Ofegantes, Ash caiu exausto ao seu lado, sorridente.

 

 

- então, teremos um filho... – disse, retirando uma mexa de cabelo do rosto da loira.

 

- gêmeos, se Deus quiser! – completa ela, o fazendo sorrir. Ele a puxa para um beijo, que logo é apartado.

 

- quero passar o resto da minha vida ao seu lado... – afirmou, a olhando nos olhos, fazendo a mesma sorrir apaixonada.

 

 

Os dois se ajeitaram na cama, e, de conchinha, trocavam caricias e beijos, um querendo demonstrar o quanto ama o outro, até pegarem no sono. Naquela noite, eles sonharam nas suas vidas daqui uns anos, com seus filhos crescidos e as marcas da idade em seus rostos. Ambos tinham certeza; aquela era a vida perfeita para eles!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ao amanhecer, Ash, que já estava a um tempo acordado, acariciava o rosto da loira, que parecia brilhar com a luminosidade do sol. A beijou, que sorriu ainda de olhos fechados. Ele se levantou, e vestiu-se de sua calça, e colocou sua camisa que voou longe na noite anterior. Ele sorriu ao se lembrar.

 

Ash saiu do quarto, não antes de beijar novamente sua mulher, e foi até a recepção pegar seu café-da-manhã. Após ter pego a refeição, ele voltou para o quarto, onde, antes de abrir, escutou uma movimentação vindo de dentro do mesmo.

 

 

- Serena, olha o que eu trouxe para gente...

 

 

Entrando no quarto sorridente, seu sorriso murchou-se ao ver sua amada amordaçada e com uma arma apontada para sua cabeça. Antes que ele tivesse ação, um forte impacto o acerta na cabeça, fazendo com que ele caísse no chão, e antes de apagar, ele escuta uma última vez:

 

 

- considere isso o meu presente ao casal!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fim!


Notas Finais


Galera... iae? O que dizer?
Confesso que estou bem triste por estar no fim dessa história, mas vida que segue...
Digam pra mim o que acharam do capitulo, e o que esperam para o próximo!

Enfim, só mais dois... Triste ;-;


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...