História O Professor - Capítulo 27


Escrita por:

Postado
Categorias 50 Tons de Cinza
Tags Aluna, Literatura Feminina, Professor, Romance
Visualizações 652
Palavras 2.207
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Ficção Adolescente, Literatura Feminina, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá meus amores! ❤️

Capítulo 27 - Um novo Jesen


Fanfic / Fanfiction O Professor - Capítulo 27 - Um novo Jesen

(Emma)



Ele está sobre mim, seus olhos fixos aos meus como se buscassem algo dentro deles, sua respiração está ofegante e ele parece ansioso, há um semblante de insatisfação em seu rosto, seu peito que levanta alto e se abaixa em seguida demonstra que algo o perturba, que existe algo preso dentro dele.

Alguns segundo apenas, esse é o tempo que ele fica em cima de mim me encarando. Não sei se nosso grau de proximidade já é tão grande, mas nesses poucos segundos é como se eu soubesse o que ele tinha a me dizer, sabia as palavras que estavam presas em sua garganta, somente espero pacientemente que elas saíam de lá.

- Por que não fica aqui comigo então?

Agora tenho certeza que meu coração bate forte e compassadamente com o dele. Ouvir as palavras é mais louco do que pensar nelas.

- Morar com você?

- É... - Ele fala ainda ofegante.

Jesen anceia por uma resposta, seu emocional parece buscar com toda força um sim, porém posso sentir que todo seu corpo está maluco com a proposta, todo seu corpo luta contra essa loucura que com certeza ele fez sem pensar.

Eu não sei o que quero, é claro que adoraria passar um tempo vivendo ao lado de Jesen, mas que consequências terríveis isso poderia reverter a nós? Minha razão se nega a perder a batalha contra a emoção. Batalha que pelo visto em Jesen a vitória foi arrasadora contra a razão.

Me sento e fico com meu rosto muito próximo ao de Jesen.

- O que me diz?

- E... Eu não sei... - Falo sem saber como encontrar as palavras corretas.

Ele me olha surpreso, como se antes tivesse quase a certeza de que minha resposta seria sim, em seguida posso ver a frustração em seus olhos.

Ele se senta ao meu lado na cama.

- Isso vai destruir sua carreira Jesen... - Tento explicar. - Sabe o quanto isso seria loucura.

Ele alisa a testa pensando em nossa situação.

- Me desculpa Emma, é que... Eu não pensei direito, e... - Ele parece envergonhado.

O interrompo colocando minhas mãos em seu queixo e virando seu rosto para mim.

- Eu adoraria morar com você Jesen, mas não posso fazer isso, sei o quanto você ama lecionar e como faz isso com maestria, nunca conseguiria viver em paz sabendo que destruí teus sonhos. 

Jesen se afunda ainda mais dentro de meus olhos, ele sabe como ninguém mergulhar dentro de mim, dentro de tudo que só ele e mais ninguém sabe enchergar.

Ele sorri e alisa meus cabelos, coloca a mão em minha nuca.

- Você é incrível Emma, nunca vou me cansar de dizer isso.

Eu o beijo, a conexão que existe em nós  toma conta de meu corpo e me comanda a estar cada vez mais próximo de Jesen, mergulhada em seus lábios mais precisamente.

Enquanto o beijo acariciando sua língua, agarro em seu ombro e me puxo para seu colo, continuando a beija-lo agora numa posição que apenas nos enaltece.

Ele dá uma pausa em nosso beijo quente.

- E pra onde você vai?

Respiro fundo, o que eu havia planejado pode me colocar em uma situação desconfortável com Jesen.

- Eu pensei em ir morar com uma tia minha.

- E onde ela mora?

Respiro fundo mais uma vez.

- Vale estrelado. Ela é a única parente com quem tenho intimidade para pedir moradia, tem boas faculdades lá. - Falo sem conseguir encarar Jesen.

- Emma... isso fica a mais de 500 km daqui. - Ele fala e seu semblante se entristece.

- Eu sei Jesen, pensei em ir depois do julgamento de Enrico.

A respiração de Jesen volta a ficar ofegante, a frustração toma conta dele fazendo com que rugas apareçam em sua testa. 

Ele me pega pelas coxa e me tira de seu colo, me sento ao seu lado, Jesen apoia os cotovelos nos joelhos e o queixo sobre as mãos entrelaçadas.

Ficamos em silêncio, palavras parecem que apenas piorariam nossa situação. São estes minutos agoniantes que passamos remoendo nosso silêncio, Jesen parece engolir com dificuldade o fato de que não estarei mais aqui.

- Quer saber? - Ele grita e se levanta.

Sua respiração está forte e barulhenta, ele me olha feito um monstro e eu fico assustada.

- Que se foda! Eu não quero pensar em você indo embora, não quero pensar que tudo isso vai acabar e que talvez só seja um sonho doido criado por mim. - Ele respira ainda mais forte. - Hoje não. - Ele fala e vem com tudo para cima de mim se debruçando sobre meu corpo.

Meu susto rápidamente é convertido em desejo ao sentir o toque do corpo de Jesen. Ele me beija e eu não nego o fogo, o beijo com força e com desespero.

Eu não havia pensado que nossa relação poderia acabar, sabia que seria difícil, mas é verídico o pensamento de Jesen, estar tão longe sem dúvidas seria o nosso fim. Então vou aproveita-lo o máximo possível enquanto o tenho.

Minhas mãos buscam com pressa pela barra de sua camisa, a alcanço e a puxo dele o deixando exposto para mim. Ele continua a me beijar com todo o desejo que sente, percorro minha mão pelo seu peito sentindo cada músculo se movendo em seu corpo. Jesen puxa minha blusa junto de meu sutiã, ele tem pressa de me sentir nua para ele.

Cochicho em seu ouvido enquanto ele aperta seu quadril contra mim me roçando com sua ereção.

- Hoje eu sou toda sua Jesen, quero que me mostre tudo.

Ele encara meus olhos e sorri.

- Tem certeza? 

Balanço a cabeça em positiva e mordo meu lábio.

O olhar de Jesen muda completamente trazendo com ele toda a fúria e desejo, pressinto que a noite de hoje vai ser uma loucura.

Ele abocanha meu pescoço me deixando marcas de mordidas e chupões, eu grito sentindo dor e tesão misturados.

- Se precisar, me pessa para parar, eu prometo que paro. - Ele cochicha em meu ouvido.  

Meu Deus, tenho certeza de que me meti em uma enrascada, por que eu pediria clemência a Jesen?

Ele agarra em minha cintura e me vira de bruços, eu grito com o susto do movimento rápido. 

Jesen me aperta com sua ereção e me segura forte pela cintura enquanto esfrego meu rosto ao lençol de sua cama.

- Emma, eu só vou parar se você me pedir! - Ele fala imponênte, seus dedos tocam minha nuca e se entrelaçam em meus fios, Jesen puxa meus cabelos fazendo minha cabeça ir para trás, quase colando nossos corpos de joelhos, dói muito mas minha vagina e todo meu corpo parecem não se importar e apenas ancearem por mais. - Você entendeu? - Ele fala firme ainda me puxando os cabelos.

- Entendi. - Respondo rápido em um suspiro que mais lembra um gemido.

Jesen me empurra e eu caio de volta sobre a cama, ele põe as mãos em minha cintura e me puxa colocando-me de quatro antes que minha cabeça possa raciocinar.

Estou com medo, eu não conhecia esse Jesen, mas confesso que estou adorando.

Ele pega no cós de minha saia e a tira de mim, Jesen suspira excitado e eu mais ainda.

Ele passa uma mão em cada nádega minha, me massageando e suspirando cada vez mais, passa os dedos entre minhas nádegas, abrindo espaço pela calcinha e chegando até minha vagina. Começo a gemer em êxtase por seu toque quente.

Ele entra com dois dedos dentro de mim enquanto com outra mão se apoia em minha bunda. 

Jesen afunda cada vez mais os dedos em mim e eu só consigo gemer alto mordendo o lençol.

Ele está feroz com um animal, extremamente sedento por mim, porém não parece ter pressa alguma em me satisfazer.

Jesen puxa minha calcinha e afasta minhas pernas, eu por atitude própria abaixo minha coluna o máximo que consigo deixando minha bunda totalmente empinada, nua e exposta para que ele faça comigo o que quiser. Ouço seu riso safado ao final de meu ato.

Espero por mais uma vez sentir seus dedos porém o que sinto agora é o calor de seu hálito direcionado estrategicamente para minha buceta. Fico maluca de tesão ao sentir seu calor, sedenta por sentir logo o seu toque.

Ele passa a língua levemente por toda minha vagina, fazendo tremores de tesão e ansiedade me atingirem o corpo.

Agarro os lençóis.

Jesen me dá um beijo e começa a me estimular com a língua, não consigo conter os gritos que invadem o quarto, fico completamente molhada e sua língua incessantemente me estimula, suas mãos estão em minhas nádegas abrindo espaço para sua boca e aproveitando para me apertar.

Jesen me deixa completamente encharcada e começo a entrar em um orgasmo, ele percebe e trabalha ainda mais avidamente, usando os dedos em meu clitóris e a boca em minha vagina.

Mordo o colchão já vendo estrelas e sentindo a doce língua de Jesen beber de mim, tudo que consigo sentir é prazer.

Respiro buscando ar após o momento de loucura, Jesen não parece se dar por vencido.

Ele continua com as lambidas gostosas e seus dedos começam a percorrer minha bunda, lentamente seus dedos encontram meu ânus, fico com medo, na verdade fico com vontade de parar por alí, porém Jesen carinhosamente começa a percorrer os dedos por meu ânus me massageando e eu começo a gostar, sinto prazer e fico confusa com o sentimento.

Jesen sobe a língua e quando percebo ela está no dito lugar que me amedronta, calafrios me cobrem o corpo, começo a ficar com tesão e com vontade de gritar para pôr para fora o quanto meu corpo está gostando daquilo.

Ele me lambe inteira, alternadamente, entre minha vagina e meu ânus, ora me estimula com os dedos, ora com a boca. 

Enquanto ele lambe minha vagina, sinto seu dedo se afundar lentamente em mim, ele entra aos poucos, fico com medo mas tremendamente excitada. Ele continua como se soubesse exatamente o que faz, seu dedo está cada vez mais fundo em mim, meus gritos cada vez mais altos e eu sinto que vou explodir de tanto tesão.

Sem pensar direito e com o modo "foda-se esse medo" ligado, rebolo para trás fazendo com que o dedo de Jesen me penetre por inteiro.

Ele ri.

- Emma, você é uma safada! - Ele fala e me puxa pelos cabelos, novamente colando nossos corpos.

Seu dedo se movimenta para frente e para trás enquanto suspira em meu ouvido.

Sua mão desce de meus cabelos e percorre minha barriga, vai descendo até encontrar meu clitóris e começa a me masturbar. Estou sentindo um mix de sensações, completamente enlouquecida.

Estou prestes a gozar novamente, Jesen continua a me masturbar e a me penetrar e eu grito pondo as mãos para trás e cravando minhas unhas em sua cintura, sinto o prazer e o formigamento pouco a pouco me atingir enquanto deliro de tesão.

Enquanto me recupero do orgasmo Jesen me beija o pescoço, tira suas calças e nós nos deitamos. Ele continua a me beijar e me vira de costas para ele, me beija a nuca e as costas, eu fico completamente arrepiada.

Jesen se estica e pega algo na gaveta de sua mesa de cabeceira.

Entre beijos, Jesen abre minhas nádegas e começa a me penetrar.

- Você vai comer meu cu? - Pergunto assustada.

Ele não se contém e começa a rir.

- Não se você não quiser. - Ele fala entre risos.

Viro a cabeça para trás.

- Eu quero Jesen.

Jesen me olha novamente com o olhar animal e aperta minha cintura com tesão, sua mão me masturba fazendo com que eu quase me contorça em tesão e sua boca me beija a nuca me fazendo molhar inteira.

Ele começa a me penetrar, sinto arrepios, um pouco de dor e tesão, tudo em uma louca mistura.

Ele continua e eu estou cada vez com mais desejo e tesão. Jesen parece estar doido também, ele suspira forte me agarrando e me masturbando, que noite louca.

Sinto que já está tudo dentro de mim, Jesen me aperta a cintura e lentamente começa e me socar. Eu confesso que adoro, fico cada vez mais envolvida.

Ele me vira rapidamente, sem sair de dentro de mim. Estou de quatro novamente e Jesen se força para dentro de mim, me socando e me fazendo ver estrelas.

Grito e dou gemidos de prazer, mordo o lençol e na verdade parece que me faltam formas de por para fora esse tesão.

Jesen me dá um leve tapa, um tapa envergonhado, um tapa experimental. É óbvio que adoro, fico ainda mais excitada, sei que posso ser a maior safada do mundo e sem solução alguma para o quanto estou gostando de ser uma, mas nesse momento quero apenas que tudo se exploda.

- Me bate Jesen. - Falo em um gemido.

Ele pira ainda mais e acata ao meu pedido, dessa vez o tapa é forte me machucando, tenho certeza que fico vermelha.

- Mais Jesen! - Grito.

Ele acata, agora me soca com força e me bate, alternadamente com as mãos, fazendo me molhar a cada batida em minha bunda.

Entre tapas e puxões de cabelo, sinto que estou quase gozando novamente, dessa vez Jesen parece estar perdidamente maluco também.

É rápido, é com força, é com batidas e apertões, sinto o prazer tomar conta de mim, grito e mordo lençol, cravo minhas unhas na cama e Jesen vai se acalmando enquanto seu pau lateja dentro de mim.

Ele deixa meu corpo e se joga na cama, completamente exausto, me deito ao seu lado e suspiramos nos recompondo após a melhor de nossas fodas.

Não sei como eu viverei sem ele.


Notas Finais


Poste para mim aqui nos comentários, sua reação com esse capítulo ❤️
Beijos da Déia meus amores e até o próximo capítulo! 😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...