História O professor particular - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 27
Palavras 965
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 2 - O acordo "picante"


- Você quer que eu te foda?

Perguntou olhando fixamente pra mim sem nenhum escrúpulo.


- O QUE?! Você sabe o que você acabou de dizer?! 

Perguntei totalmente chocada com a sua pergunta.


- Sim, eu sei o que eu disse. Eu te perguntei se você quer que eu te foda. Porque desde que eu cheguei você não para de me olhar com uma visão de "Nossa! Quero que ele faça sexo selvagem comigo até não aguentar mais". E outra, eu sei que você é uma moça muito tarada por sexo já que em várias situações eu te vi se masturbando entanto ditava as suas fantasias sexuais.


Fiquei mais chocada ainda com a sua fala.


- Co..co..como, como assim??!!! Essa é a primeira vez que nós nos vemos pessoalmente! E como você me espiava?!


- Bom de fato, essa é a nossa primeira vez que nós nos vemos pessoalmente, mas eu já à vi antes, tanto na sua casa como na fábrica do seus pais. Mas eu acho que você nunca notou a minha presença, já eu sou um homem muito discreto. Mas já que você não se lembra, deixe que eu refresque a sua memória:


 Bom, no ano passado os seus pais me contrataram temporariamente para cuidar dos cálculos e gastos que eles iriam gastar fazendo uma nova expansão das fábricas na empresa. E um dia você estava lá com os seus pais, esperando para irem sair. Depois de arrumar alguns papéis do escritório eu fui em direção ao banheiro, até que eu ouvi um barulho "estranho" vindo do banheiro feminino. Pensando que poderia ser alguma coisa ruim eu dei uma espiada para ver se estava tudo bem. E quando cheguei perto da porta eu te vi se masturbando em cima da pia. E depois sai fora.


"- O que?!! Como assim??!! Ele me viu?!!  Eu me lembro desse dia eu, como de costume, fui visitar os meus pais na fábrica até que não me conti e tive que me masturbar enquanto pensava em um pênis cortando a minha garganta por dentro. Eu tenho que admitir, desde que eu era pré-adolescente sempre fui muito tarada por sexo e me masturbo enquanto estou pensando em minhas fatasias eróticas, mas sempre tomei cuidado para não ser vista, o que claramente falhei."


- Espere, eu ainda não acabei.

Disse o professor.


"No ano passado os seus pais me convidaram para a festa de ano novo aqui na sua casa, e é claro que não pude recusar o convite. E já no meio da festa eu estava andando pela casa e subi para o segundo andar para cumprimentar mais gente, mas por causa da grande multidão de pessoas ao meu redor eu me distancie de todos para "pegar um ar" e acabei me perdendo em um corredor grande e vazio dentro desta grande mansão. Até que vi uma grande porta entre-aberta e os mesmos barulhos estranhos que ouvi. E quando espio pela beirada da porta entre-aberta eu vejo você, e novamente eu a vejo se masturbando na sua cama enquanto ditava as suas fantasias eróticas.


" - Todo o ano meus pais fazem a festa de réveillon aqui em casa, mas eu já estava cansada de cumprimentar todos os familiares e convidados, e entrei no "meu mundo erótico da fantasia" até que não consegui mais me aguentar e precisava com urgência me tocar. Dei uma desculpa para os convidados e corri em direção ao meu quarto, eu devia estar com tanto tesão que esqueci de fechar e trancar a porta e logo me deitei na minha cama e comecei a me masturbar e a me contorcer loucamente de prazer até gozar. Foi uma noite incrível, bem, era já que alguém me observava."


- Ok, já entendi a sua história mas, porque essa pergunta?

Falei intrigada com a situação enquanto ainda demonstrava um olhar de choque.


- Simples, você é tarada por sexo, tenho quase certeza de que é virgem e demonstra querer ter um pênis para te fuder. Mas precisa estudar e pra ter um pênis é necessário ter um homem. Já eu preciso de dinheiro para me sustentar, estou querendo te fuder desde que te vi no banheiro e eu tenho um pênis. Aonde eu quero chegar é: nós dois temos coisas que o outro deseja, então que tal fazermos um acordo?

- Perguntou Piter.


- Acordo?! Que tipo de acordo?!

Falei.


- O acordo é simples: eu te dou aulas particulares do meu jeito e não conto pra ninguém sobre o seu segredo obscuro. Que tal?

Disse Piter com um semblante animador no rosto.


- O que você quer dizer com aulas do "meu jeito" ?

Duvidei.


- Bem, eu não posso te dizer sobre " o meu jeito" ainda, eu só te digo que nele está incluso sexo. E aí vai topar ou não?


"Essa proposta é tentador, ao mesmo tempo em que eu quero ter um pênis para me satisfazer ao mesmo tempo eu estou insegura sobre esse "jeito". O que eu irei escolher?"


- Sim

Respondi ainda com dívidas cercando a minha mente.


- Ótima escolha Lia.

Falou com um sorriso no rosto.


- Bem, a aula acaba por hoje, mas amanhã eu volto e te explico melhor sobre " o meu jeito" e já o aplico. E por favor, vista isso.


Ele me entrega uma caixa preta de dentro da sua mochila e em seguida se levanta e anda em direção a saída. Abre a porta e lança um último olhar para mim.


- Até amanhã, Lia Soares.


Ele fecha a porta e vai embora. 

Eu olho para a caixa em minhas mãos e a abro bem devagar. Nela estavam vários uniformes que as estudantes japonesas geralmente usam, mas esses uniformes eram muito mais curtos, decotados e provocantes do que o normal. Além dos uniformes ali tinha sapatos salto alto da cor Preta, meia arrastão e acessórios provocantes.


"- O que será esse "meu jeito", que já está me fazendo pensar só em putaria?"


...continua...




 










Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...