1. Spirit Fanfics >
  2. O Promotor e o Advogado >
  3. O Promotor e o Advogado

História O Promotor e o Advogado - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Segue mais uma fic de Dite e Shun como principais na história. Então se não gosta deles nem leia.
Os personagens são de Massami Kurumada os uso sem nenhum fim lucrativo, e só pra diversão dos fãs mesmo.

Capítulo 1 - O Promotor e o Advogado


Fanfic / Fanfiction O Promotor e o Advogado - Capítulo 1 - O Promotor e o Advogado

O Recomeço 

Lá estava o belo loiro jogado no sofá de casa, depois de um dia cansativo mais uma vez o promotor de justiça Afrodite Laurenzo saia vitorioso em uma nova causa, conhecido por ser implacável em seus casos o belo rapaz tinha um currículo invejável e um nome temido e respeitado por seus adversários. Aos vinte e cinco anos Afrodite tornou se promotor de justiça o que depois também o levou a lecionar em uma das maiores universidades do mundo Harvard. Enquanto sua vida profissional estava de vento em polpas, a sua vida sentimental estava igual sexta feira em tártaros. O belo Afrodite sempre foi um homem dono de uma beleza extravagante, lindo, loiro, um belo corpo trabalhado, fiel aos exercícios matinais, lindos olhos azuís, lindos cabelos longos de fios angelicais, o belo era a imagem da perfeição. O belo sempre teve homens e mulheres aos seus pés, por escolher um cargo público o belo sempre foi muito contido e sério sempre levando o seu trabalho em primeiro lugar.

Mais uma vez ali sentado bebendo sua taça de vinho, o gosto da Vitória misturado com o amargor da solidão desde que seu amado saiu de casa.

Flashback On

Amor quando você vai voltar - Perguntou o virginiano manhoso – vou morrer de saudades – carinha triste.

Amanhã por volta de quinze horas, estaremos juntos – e vou te pegar de jeito, vc vai até pedir arrêgo – gargalhou o loiro.

Não fica assim amor, sabe que não resisto a essa sua carinha – falou o loiro apaixonado.

Eu não vou nada – você que vai pedir arrêgo – debochou o mais jovem.

Por que você está assim ? Por acaso vai sair? Com quem? Não quero você saindo a noite já te falei Afrodite – sentenciou o marido enciumado.

Nossa quantas perguntas amor – não se preocupe não tenho oolhos pra outro, só por você e pra você – sorriu carinhoso.

Eu vou encontrar meu irmão Alba vai ter um churrasco na piscina da casa dele e depois prometo que volto pra casa.

Não quero você dando sopa por aí sem mim – exaltou se o mais jovem.

Não seja dramático amor, é só um churrasco e na casa do meu irmão- bugou irritado o pisciano.

Está bem, também vou pro churrasco na casa do Seiya, eu não iria sem você, mas agora mudei de ideia – sorriu amarelo.

Afrodite sabia que Shun estava morrendo de ciúmes – e até sorriu por dentro.

Só espero que a sirigaita da Pandora não esteja nesse churrasco – pensou o virginiano.

Pandora foi a primeira namorada de Dite os dois tiveram relacionamento de dois anos, estavam noivos e iriam se casar, então a morena traiu o belo Afrodite com Radamanthys de Warner um milionário do ramo da construção civil. Depois se arrependeu da traição e lutou a todo custo para reconquistar o belo pisciano. Ouvi dizer que o milionário traía ela com muitas rameiras tinha um ciúme doentio e quando bebia a agredia com palavras das piores possíveis.

Flashback Off

Dite no começo sofreu muito a dor da traição, Pandora chorou, esperniou e tentou reconquistar o ex, no entanto ele não queria vê-la nem pintada de ouro.

Passou se alguns meses conheceu Shun Amamya um advogado implacável, muito competente e conhecido nos tribunais pela sua defesa espetacular aos casos que aceitava defender.

Foi amor à primeira vista, apaixonados se casaram e tinham o sonho de viverem juntos até ficar velhinhos, pensavam em adotar uma criança e assim formarem uma família.

No começo a família de Shun não aceitava o relacionamento dos dois afinal quando se casaram o mais jovem tinha acabado de completar dezoito anos.

Se casaram e prometeram fidelidade, se amavam acima de tudo. Até o dia do bendito churrasco na casa de Albafica.

Shun não pode viajar com o Dite pois tinha uma audiência muito importante, Dite foi para um congresso e depois foi encontrar o irmão.

A festa a beira da piscina estava maravilhosa até ela chegar. Alba não sabia o motivo do final do relacionamento de Dite com Dora, carinhosamente ele chamava a amiga assim. E Dite também preferiu omitir os fatos e a desculpa é que não se amavam mais.

A morena cumprimentou o ex e depois se dirigiu para conversar com os colegas de trabalho que também marcaram presença.

Por volta das duas horas da manhã todos já estavam muito bêbados e foram se dispersando para suas casas. Pandora Não estava muito bêbada mesmo assim ficou no quarto de hóspedes, pois o amigo não deixava a morena dirigir depois de beber. Afrodite até tentou ir embora estava tão bebado que trocando as pernas foi levado ao outro quarto ao lado do de Albafica.

A morena estava inquieta queria conversar com Dite e se dirigiu ao quarto dele, o loiro havia acabado de sair do banho e a morena não resistiu e atacou o loiro que desequilibrou se e caiu na cama.

Ela deitou por cima dele e tomou a boca do loiro em um beijo sofrido, Dite relutou muito e por está com os movimentos lentos devido a bebida, não conseguiu se livrar do corpo da morena em cima do seu.

N.não faça isso Pandora, eu amo o Shun, o loiro implorava...

Esqueça ele, quem ama você sou eu – renovava a morena em cima do loiro.

E.eu não q.quero v.você sua traira eu não sou como você, eu a.a.amo o Shun, meu, meu marido.

Tentou se levantar, a morena beijou o pescoço do loiro e mesmo sem querer o sexo estava duro, mesmo não tentando enlouquecer com as carícias ousadas Dite tentou levantar então a morena amarrou os dois braço e dele na cama, e as pernas, logo começou chupa lo com desespero, Dite não queria acreditar que estava sendo abusado pela ex, tentava gritar mas a voz não saia.

Então depois de chupa lo por muito tempo o loiro não conseguia mais relutar, e assim Pandora guiou o pênis duro, grande e se auto penetrou, ao sentir o falo entrando dentro de si, a morena rebolou gemendo, falando da falta que sentia do ex, que sempre foi o amor da sua vida, que não sabia viver sem ele.

Logo a morena gozou em cima do falo teso, e só saiu de cima do loiro quando sentiu a semente do loiro se derramar dentro do interior.

Quando saiu de cima dele percebeu que o belo estava em um sono profundo, mesmo assim ficou com o falo dentro de si, até senti lo mole.

Ia tentar mais alguma coisa quando ouviu o barulho de Albafica subindo as escadas então correndo pra o quarto ao lado, acabou esquecendo de desabafar o belo pisciano que estava em um sono profundo.

Manhã do dia seguinte Albafica acorda com os gritos de Afrodite que estava desesperado.

Ao entrar no quarto o irmão mais velho fica apavorado de ver o outro amarrado...

O que houve Dite? Pergunta Alba completamente desesperado.

Aquela louca da Pandora abusou de mim, o que vou fazer ? O Shun vai me abandonar e eu não sei o que vou fazer. Se eu perder meu marido juro que não quero mais viver Alba, o loiro chorou, enquanto o irmão o desamarrava, totalmente nu e sujo com resquícios de sexo o loiro foi para o banheiro onde tomou um banho demorado e depois decidiu voltar para os EUA, precisava conversar com Shun. Pegou o carro e foi correndo para os braços do amado. A viagem que demoraria quatro horas de carro, parecia uma eternidade.

Albafica ficou incrédulo, não conseguia acreditar no que a melhor amiga havia feito, tentou ligar mas não conseguiu, a morena não atendia as ligações.

Alba se prontificou a ajudar o irmão a conversar com Shun, mas o loiro disse que precisava conversar sozinho.

Ao chegar em casa o belo o pisciano Correu para conversar com o amado que chegou completamente feliz, ao ver o marido lindo correu e o abraçou com paixão, o mais jovem tomou a boca do amado de modo sôfrego, saudoso.

Te amo, te amo gemia entre beijos, você é minha vida, você é meu amor – quero você e quero agora.

Shun arrancou a camisa do marido e o atacou – Dite ate esqueceu da conversa que precisava ter com o amado.

Se amaram ardentemente gemidos, palavras desconexas eram proferidas pelos dois que estavam em êxtase...

Shun cavalgava o corpo do marido que estava com os olhos escuros de tanto prazer, as pupilas dilatadas eram a prova de que estavam próximos de alcançar o êxtase.

Mordidas, lambidas, afagos – Afrodite apertava o corpo do marido contra o dele, mordia o pescoço tão amado, cheiroso, enquanto segurava com força o marido contra o peito forte, Shun pendia a cabeça pra trás enquanto era penetrado com maestria, Afrodite o estocava da mesma forma que o masturbava, enquanto se enterrava dentro do amado, era sempre assim, um furacão de sensações e plenitude. Resquícios de lágrimas nos olhos esmeraldas era a prova do quanto intenso era a entrega dos dois.

Dite caiu por cima do amado que o abraçou forte, aconchegado no lugar que tanto amava, os bracos de Afrodite.

Te amo tanto que dói – o virginiano falou beijando carinhosamente o marido.

Eu sou teu Dite, não imagino outra pessoa tocando em mim como você me toca – o mais jovem deixou os olhos úmidos ao proferir essas palavras.

Acho que desaprendi viver sem você, sem o teu amor – eu tenho tanto medo de te perder.

Afrodite estava desesperado, porque Shun estava daquela forma, será que ele desconfia de algo? Se perguntava se auto condenando.

Te amo tanto Shun que se eu te perder, o sentido da minha vida também será perdido – beijou o amado e o abraçou forte.

Eu te amo muito, muito, muito – nunca esqueça disso.

O Que você queria contar?

Nada de mais, amanhã agente conversa amor – beijou com carinho.

Se abraçaram e dormiram juntos. Dite ainda ficou um tempo acordado, o medo de perder o amor da sua vida, o torturava sem trégua.

Iria contar ao Shun, ele não merecia ser enganado, nunca.

Abraçou forte o amado que falou algumas coisas desconexas em seguida caiu de novo em um sono profundo

Ao chegar em casa, toda a coragem foi para o espaço depois que se beijaram ardentemente. Afrodite até tentou conversar no entanto Shun não permitiu simplesmente o atacou o levando para cama onde se amaram ardentemente. O belo rapaz até tentou conversar mas aí sua coragem tinha se evaporado depois da noite maravilhosa que tinha tido com grande amor da sua vida.

Os dias foram passando e assim chegou o momento que Afrodite não podia mais esesperar. Ele chamou Shun e explicou tudo que tinha acontecido na noite na casa de albafica, não omitiu nada, foi sincero a todo momento. Contou o modo como tudo aconteceu.

Shun a princípio ficou muito nervoso sentiu muita raiva, chorou, se revoltou e partiu para cima do loiro que não se defendeu em momento algum, apenas chorava enquanto apanhavam, Shun apenas batia, chorava e gritava a sua dor.

O dia foi terrível para os dois, Shun estava magoado e sofrendo – causar dor ao amado nunca foi intensão dele.

Se sentia usado, fraco por ter deixado Pandora conseguir arruinar o seu casa mento.

Depois da discussão o rapaz botou Afrodite para dormir no sofá da sala alegando que queria um tempo para pensar, o loiro apenas acatou o que o marido impôs. Entendia que ele precisava pensar, e assim passaram se três meses, o loiro não aguentava mais a coluna e por isso passou a dormir no quarto da empregada.

Shun mau falava com o pisciano e por alguns momentos Dite tinha certeza que havia perdido o amor da sua vida.

Afrodite começou a se insinuar pro marido, as vezes fingia que havia esquecido uma peça de roupa, acabava entrando no quarto usando apenas a toalha de banho, outras vezes ia até a cozinha usando apenas uma cueca boxer branca, sabia que Shun ficava louco quando ele colocava uma sunga dessas. As vezes deixava o nó da gravata mau feito pra o marido apenas consertar como sempre fazia.

As vezes ia pra cozinha preparar alguma coisa usando apenas um roupão ou de sunga, sabia que Shun estava enlouquecendo tanto quanto ele, mas o virginiano era implacável.

Depois de muita insistência e muita provocação Shun e Dite tiveram a primeira recaída e depois a segunda, a terceira, logo estavam no mesmo quarto.

Quando tudo parecia está voltando ao normal, eis que Dite descobre que Pandora estava grávida de 3 meses alegando que ele era o pai da criança pois ela estava separada de radamanthys Há 5 meses, então a notícia caiu como uma bomba.

Shun falou para Afrodite que não teria como perdoá-lo pois não conseguiria olhar para ele como se nada tivesse acontecido.

Que era melhor cada um seguir seu caminho e que quando tudo isso passasse poderiam se tornar amigos.

Me dar uma nova oportunidade Shun – pelo amor de Deus não me abandona, eu não sei viver sem você. Não acabe com o nosso casamento, nós nos amamos.

O loiro corre e abraça o marido apertado – lágrimas banhando seus rostos.

E. Eu não posso – se afastou, eu te amo muito Afrodite, mais vou esquecer.

Assuma seu filho e vá viver com Pandora – falou num sussurro.

Me fala como Shun? Como posso viver com ela amando você? Perguntou aos prantos.

Eu não vou ficar entre vocês – se afastou com o rosto coberto em lágrimas.

Eu vou assumir meu filho, mas casar com ela! Isso nunca...

Isso já não importa – Adeus Afrodite...

Shun pra onde você vai? Fique com a casa, eu que tenho que sair – pediu desanimado. O erro foi meu, eu que tenho que sair.

Eu não conseguiria morar aqui, são muitas lembranças. Eu vou pra casa do meu irmão. Lá tem meu quarto, vou ficar por um tempo, em breve voltarei pro Japão.

O coração do loiro se despedaçou mais uma vez.

Seja feliz Dite – espero que um dia tudo isso passe.

Se abraçaram e trocaram um último beijo apaixonado, ambos chorando.

Eu te amo Shun – disse o loiro num sussurro.

Também te amo Dite – respondeu sincero.

Dite sentou no sofá, onde chorou até a exaustão.

E lá se foi o jovem puxando duas malas, colocou no carro e partiu pra outro endereço. Lá foi recebido por Ikki e Shaka que o receberam de braços abertos.

O casal sabia dos problemas que ambos vinham enfrentando, Ikki no começo sentiu raiva do Dite e depois entendeu que tudo foi um erro, mesmo sem consentimento, sentiu raiva da Pandora, pois no começo ninguém acreditou que o pisciano realmente era inocente.

Seis meses se passaram...

Pandora teve uma gravidez difícil, muito sofrida, pressão alta, uma gravidez de risco.

E no dia do nascimento do bebê a morena deu a luz a um lindo príncipe.

Quero que chame ele de Alexei Hyoga Einstein Lourenzo – pediu a jovem muito cansada.

Claro que sim Pandora, eu vou registrar nosso filho.

Afroditeee – chamou a morena

Ele se virou – eu não vou conseguir cuidar do nosso filho, prometa que não vai abandonar ele por nada e nem ninguém.?

Não se preocupe quanto a isso, vamos criar nosso filho, vamos compartilhar a guarda dele lembra? Falou o loiro sorrindo, apesar de tudo não sinto raiva Pan. Quero muito que seja feliz, encontre alguém que possa amar você como merece.

Eu não vou conseguir Dite – lágrimas rolaram pelos olhos da morena que pegou uma carta escrita e entregou ao loiro.

Entregue essa carta ao Shun – me perdoa Dite. Te amo muito, me perdoa...

Eu perdoei a muito tempo Pan – o loiro também chorou

Não vá embora nosso filho precisa de você.

As mãos da morena perderam a força e logo seus olhos se fecharam, os aparelhos começaram parar, os médicos entraram na sala e expulsaram o loiro que saiu da sala apavorado.

Algumas horas depois o médico deu a triste notícia que a jovem Pandora não resistiu a duas paradas cardíacas e veio a óbito.

Afrodite ficou arrasado, embora não amasse a morena como esposa, ou como mulher, o loiro perdoou seus erros e passou a ter uma amizade, devido a gravidez difícil.

Três anos depois...

Afrodite estava jogado no sofá bebendo sua taça de vinho e pensando na vida, depois que Shun o abandonou o loiro não quis mais ninguém, passou a se dedicar ao filho e ao trabalho.

Logo a babá chegou com o pequeno Oga...

Papai... Papai cheguei – o pequeno corre para os braços do pai, que o beija carinhosamente.

Logo dispensa a babá e fica com o pequeno filho.

O que vocês fizeram hoje? Perguntou carinhoso.

A Sol me levou pra tomar sorvete papai, ela me levou ao parquinho e depois fui na piscina fazer aula de natação.

Eu vou te dar banho e depois vamos sair pra comer uma pizza – sugeriu o mais velho.

Ebaaaa, ebaaaaaa – a criança saltitante saiu correndo pela casa comemorando. Adorava sair com o pai.

Vou te dar banho – não pecisa papai, eu já sou um homem – ralhou o loirinho.

Ora você só tem três anos – gargalhou o pai.

Por lisso, já sou um homem – olha meu bacinho – fez pose pra mostrar o muque.

É está muito forte mesmo – agora vem que vou te dar banho. Pegou o pequeno no colo e tirou toda a roupinha e levou o filho pra banheira.

Depois de dar banho no pequeno colocou a roupa, colocou o pequeno na cadeirinha e seguiram para a pizzaria.

Papai quelo pizza de atum e de sorvete – pediu o loirinho com os olhos brilhando – Oga, você já tomou sorvete com a Sol, vamos escolher outro sabor – sugeriu o loiro sorrindo.

Então eu quelo de banana calamelada e de pestigio – está bem filho, concordou sorrindo.

Papai final de semana você pometeu me levar ao parquinho, tomar sorvete e comer pipoca, me levar ao cinema e depois andar de patins – nossa filho não sei se você vai ter tanta energia pra fazer tantas coisas...

Sorrisos e muitas cantigas no aparelho de som e os dois saíram cantando todas as músicas da galinha pintadinha, por incrivel que pareça o loiro sabia cantar todas.

Vinte minutos depois estavam na pizzaria.

Papai vou ao banhelo – eu vou com você! Não papai o banhelo de quiança, adultos não pode entar, esqueceu? Tá bom filho, esqueci que você já é um homenzinho.

A criança saiu saltitante e retornou alguns minutos depois, sob o olhar atento do pai coruja.

Depois de se empanturrar de pizza e refrigerante os dois se prepararam para retornar à casa. Afrodite foi pagar a conta, apenas o segundo para o loiro colocar a senha do cartão e sair do estabelecimento ao lado do pequeno.

Ao chegar no estacionamento o telefone do Dite tocou, o loiro atendeu e mesmo estando atento aos movimentos do filho, o pequeno saiu correndo e levou um tropeço e só não se esborrachou no chão por que um homem que estava passando por perto segurou o pequeno e o pegou no colo, evitando assim uma queda e vários arranhões.

Foi apenas o tempo de Afrodite gritar e correr pra tentar pegar o pequeno.

Meu filhooooo – gritou enquanto correu pra pegar o pequeno.

Obrigado por salvar meu filho – pegou o menino nos braços e o abraçou forte contra o peito.

Meu bebê que bom que você não se machucou, deu um monte de beijos no pequeno que começou gargalhar.

Obrigado, obrigado falou sem olhar – quando virou pra olhar o salvador do seu filho.

Shunnn – Afrodite estava com os olhos arregalados. T.tudo bem??

Oi Dite, tudo sim, que bom que não aconteceu nada com seu bebê.

Graças a você – sorriu carinhoso.

Você é o meu outro papai? Perguntou Hyoga

Você é o meu papai Shun – o loirinho falou pulando de alegria.

Para espanto dos dois que se olharam sem reação.

Sim eu sou Shun, o virginiano olhou com carinho.

Como você me conhece? Perguntou com um sorriso.

O meu papai tem um quadro de você com ele gigante assim óh – abriu os braços mostrando o tamanho.

Eu vi o meu papai cholando com saudades de você, ele estava abaçado com a foto de vocês.

Tem um monte de fotos de vocês dois quando casalam – Afrodite estava atônito. Ogaaaaaa pare de fofocar – ralhou o pisciano corado.

Os dois ficaram se olhando, trocaram um abraço apertado.

Tanto tempo, tanta saudades, tantas lágrimas derramadas, o coração batendo acelerado no peito.

Quando retornou do Japão? Perguntou o pisciano.

Retornei tem dois dias, vim recuperar o que é meu – falou olhando nos olhos.

O coração do pisciano deu um pulo no peito, mas não demonstrou nada.

Eu recebi a carta de Pandora, o Ikki me encaminhou.

É ela pediu pra te entregar, quando fui na casa do Ikki, o Shaka me falou que você estava morando no Japão e que o seu irmão iria te visitar, deixei com ele pra te enviar.

Eu sinto muito por tudo, não deve ter sido fácil criar o Hyoga sozinho – falou sincero.

A Pandora e eu iríamos compartilhar a guarda do nosso filho. A gravidez dela foi muito complicada, gostaria muito que ela tivesse viva pra ver o Oga crescer, criar meu filho sozinho não foi problema nenhum, amo meu filho,e ele é tudo de bom em minha vida, mesmo que tudo tenha acontecido da forma que foi, aconteceu como tinha que acontecer.

Enquanto os dois conversavam o pequeno loirinho acabou cochilando no colo do pai.

Ele é lindo Dite, tão lindo quanto você, os olhos dele são tão azuis quanto os seus – obrigado Shun.

Vamos pra casa filhotinho? Bola pá casa papai – quelo nunu – falou manhoso.

Ele está cansadinho, brincamos o dia todo, preciso dar banho nele e colocar pra dormir.

Vai contar histolinha neh papai.

Sim filhotinho, vou contar – beijou o menininho.

Foi muito bom te ver Shun, até mais.

Até mais Dite, foi muito bom te ver também.

Quando Dite se virou pra colocar a criança na cadeirinha o pequeno perguntou – o papai Shun não vai vir com agente?

Papai eu quelo que venha pra nossa casa, não quelo ficar longe de você mais tempo – você não gosta mais da gente? Perguntou o pequeno choroso.

Claro que amo vocês meu pequeno – Oga pulou no colo de Shun e se aconchegou nos bracos do virginiano e abraçou o pescoço dele – segurando como se isso pudesse evitar que o seu outro pai saísse de perto de si.

Dite estava sem palavras, diante do comportamento de Oga- ele sempre foi tímido e apegado apenas a Dite e Albafica.

Se você quiser ir com agente, e bem vindo Shun, minha casa sempre estará aberta para você.

Tudo bem, eu vou com vocês- vou apenas comunicar ao Ikki para que ele não me espere.

Falou sorrindo – Dite sentiu as pernas trêmulas, mesmo assim procurou agir normal, não iria demonstrar ao virginiano o quanto ainda conseguia mexer com seu corpo e com os seus sentimentos.

Logo estavam na estrada seguindo pra casa do loiro.

Você não mora mais na nossa... gaguejou um pouco – na casa da Rua Sete?

Não, eu mudei de casa logo que você saiu de casa. Eram muitas lembranças – falou amargo.

Lembranças que você também não quis lembra? Emendou

É eu não nego, foi muito doloroso, por isso me afastei.

Eu te entendo – não posso recriminar, você fez o que achou correto, Shun sentiu as palavras amargas que foram proferidas por Dite.

Alguns minutos depois...

Pode entrar Shun, seja benvindo – obrigado Dite...

Ao entrar na casa Shun ficou boquiaberto com o luxo que a casa exalava. Tudo exala bom gosto e sofisticação.

Na entrada um parque para o pequeno, diversos brinquedos. Uma piscina para adultos, uma piscina de criancas, um jardim com o gramado bem aparado, um lindo jardim com belas rosas em diversas cores e espécies.

Ao entrarem Afrodite concedeu passagem para o visitante.

Vou dar banho no pequeno ele está com muito sono, você me aguarda, sinta se a vontade, sirva se de uma bebida.

Shun sentou no confortável Sofá, antes pegou uma bebida. Estava sentado quando algo chamou sua atenção, uma linda foto do casamento dos dois estava exposta em um lindo porta retrato.

Hyoga realmente não se equivocou e nem mentiu sobre as fotos expostas – o virginiano sorriu com o coração cheio de esperanças.

Afrodite foi para o quarto do pequeno, deu banho e contou uma linda história, assim que dormiu o belo retornou a sala e explicou que apenas tomaria um banho e logo retornaria.

Quando estava em baixo do chuveiro de olhos fechados, encostado na parede – se arrepiou todo quando sentiu dois braços o abraçando por trás, e um beijo no pescoço, Afrodite tentou resistir, mas viu tudo ir pelo ralo abaixo depois que o advogado tomou sua boca em um beijo sôfrego e desesperado.

N.não faça isso Shun – pediu manhoso.

Você não quer? Não sente mais desejo por mim? Perguntou entre beijos.

N.não quero – respondeu manhoso.

Não me ama mais? Nem me deseja mais?

Hum, hum – não amo, nem desejo respondeu o pisciano dengoso.

E o que é isso? Perguntou o virginiano tocando o falo duro do loiro, tocando intimamente e uma doce loucura, levando o pisciano a gemer forte.

Não demorou muito o virginiano se agachou e tomou o falo duro na boca, o que levou o loiro a se encostar no vidro e fechar os olhos. Quando o loiro estava quase louco de desejo, tomou o castanho no colo e o levou pra cama.

Áhhh Shun preciso de você, te amo, te quero- gemeu enlouquecido.

Me toma Dite, me toma como fizeste na primeira vez, te quero, te necessito dentro de mim. Preciso te sentir dentro de mim – gemeu em desesperado, não aguento mais, não me rejeite, eu não vou aguentar te perder de novo – me ama, me toma Dite.

Essas palavras arrancaram o último resquício de juízo da cabeça do pisciano que perdeu o controle e não resistiu mais.

Dentro do quarto onde se amaram intensamente, Afrodite delirava enquanto entrava no corpo do amado que gemia, implorava e pedia por mais, o atrito dos corpos estavam levando os dois a loucura, Shun mordia, lambia e arranhava os ombros e as costas do pisciano enquanto era tomado, corpos trêmulos e ofegos foram jogados a um mar de sensações quando chegaram ao clímax.

Shun segurou o corpo do seu homem lindo, que estava ofego e trêmulo em cima de si, depois de gozarem juntos.

Eu nunca deixei de te amar Dite – nunca, te amo ainda mais do que antes, o virginiano derramou lágrimas em cima do peito do loiro, ambos estavam emocionados.

E.eu não quero sofrer mais e nem quero ver meu filho sofrer, sempre falei de você pra ele. Shun se emocionou depois que viu um gigante quadro dos dois no quarto de Dite.

Eu quero ser pai do Hyoga com você- você me aceita Dite? Perguntou emocionado.

Você tem dúvidas? Perguntou o loiro também emocionado.

Logo os dois se amaram mais uma vez e várias vezes naquela mesma noite até a exaustão.

Ao amanhecer ambos ainda estavam dormindo quando ouviram batidas na porta.

Papai, papai acoda – os dois deram glória por ter colocado uma cueca depois de tomarem banho. Sentiram o peso do pequeno que se jogou em cima dos dois, abraçando e beijando os dois pais.

Que feliz agola tenho meus dois papais.

Ainda fizeram um monte de brincadeiras na cama, depois foram tomar café da manhã, em seguida almoço.

Shun passou no apartamento de Ikki e pegou o suas roupas e passou a morar com Afrodite, trocaram novos votos de casamentos e fizeram uma lua de mel, uma viagem para Suécia, os pais e o pequeno, pois a criança não consegue ficar longe dos pais.

Alguns meses depois adotaram um cachorro e o chamaram de Beaul, Hyoga que adora animais, amou a novidade e passou a ter o cão como um melhor amigo.

A família Laurenzo Amamya foram felizes para sempre.

Depois de quinze anos de casados os dois ainda mantinham a mesma cumplicidade e intensidade. Hyoga agora rapaz feito já estava acostumado a ver os pais namorando, se beijando e vivendo intensamente felizes a vida de casados.

Shun era o pai mais flexível, Dite mais rígido porém tudo relacionado ao filho, todas a decisões eram tomadas pelos dois.

É os três foram muito felizes em um lar cheio de amor e cumplicidade.

Fim


Notas Finais


Falta corrigir, corrigi ontem quando postei, porém a fic foi deletada por causa da capa. Acertei o que foi pedido. Corrigirei aos poucos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...