1. Spirit Fanfics >
  2. O proprietário da loja de aluguel >
  3. Prólogo

História O proprietário da loja de aluguel - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction O proprietário da loja de aluguel - Capítulo 1 - Prólogo

Minha universidade conseguiu um emprego para mim em um centro de experimentação agrícola após a graduação. O salário era de cinquenta dólares por mês. Eu parei depois de não conseguir me alimentar. Mas o que eu poderia fazer?

 

Fui a algumas feiras de carreira, mas as empresas de parasitas agrícolas não eram exatamente o grupo mais atraente.

 

Eu dirigia caminhões há um tempo e era completamente limpo todos os dias. Minha família também estava preocupada. Eu era o único filho, afinal.

 

Eu tinha aberto uma loja de roupas. Eu achava que minha seleção era única na cidade (embora fosse uma cidade muito pequena), mas tinha poucos clientes e até acabei devendo ao meu pai, que estava prestes a se aposentar, mais de dois mil dólares.

 

Eu tinha aberto uma padaria. Todo mundo que entrou disse que era gostoso. Só que não havia muitos que entraram.

 

No final, com minhas costas contra a parede, trouxe minha coleção inteira de prêmios e abri uma pequena loja de aluguel de vídeos e livros. Meu gosto pelo qual eu tinha muito orgulho finalmente trabalhou sua mágica e os negócios estavam crescendo, tanto que várias lojas próximas tiveram que fechar e se mudar.

 

Meu pai e minha mãe poderiam finalmente deixar escapar um suspiro de alívio. Embora o único filho deles ainda estivesse longe do que eles esperavam, eu finalmente estava fazendo o suficiente para me manter viva. Depois, tudo o que restou foi continuar a linhagem.

 

Em relação a esse assunto, eu estava destinado a decepcioná-los. Eu já sabia desde a puberdade que era um homem que não gostava de mulheres.

 

Eu não gostava de mulheres, mas também não tinha planejado namorar homens. Na minha opinião, namorar era como drogas. Se você fizer uma vez, haverá uma segunda vez e depois uma terceira vez, e então é vício; é um desastre. E um dia o feijão seria derramado. Meu pai já tinha trinta e seis anos quando eu nasci. Eu não podia deixar que um velho como ele fosse envergonhado por outros.

 

Claro, eu entendi que a homossexualidade não é perversa - é apenas diferente. Mas aos olhos dos outros, a homossexualidade não era diferente de perversão, estou certo?

 

Ao todo, eu vivi uma vida simples. Eu não sentia que não poderia viver sem sexo.

 

Mas os humanos não podem vencer a natureza.


Notas Finais


Comentem :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...