1. Spirit Fanfics >
  2. O que adoçou tudo. >
  3. Ela é defeituosa, mas tem sentimentos.

História O que adoçou tudo. - Capítulo 2


Escrita por: e _Bolinho_rosa_


Notas do Autor


Mais uma vez, é uma historinha... Não tem regras pra como vou escrever. Então não notem erros gramaticais. Aproveitem, é de coração...

Capítulo 2 - Ela é defeituosa, mas tem sentimentos.


Fanfic / Fanfiction O que adoçou tudo. - Capítulo 2 - Ela é defeituosa, mas tem sentimentos.

Domingo, 03 de março.

"Noona..." "Noonaaaa???" "Noona... ACORDA PORRA!" E foi com essas mensagens que acordei...(mas foi mais o som das nodificações claro) já eram umas 11:30h, eu passei quase 12 horas dormindo? Poxa... Mas bom, isso não vem ao caso, era mais uma amiga minha que tirava meu sossêgo, estava espantada e preocupada, dizendo que o Juaum tinha sofrido um acidente, e que foi quando meu coração quase parou... Ela disse que foi na volta de casa, de moto depois de ter vindo me deixar, como eu tinha apenas me isolado,demoraram para receberem essa notícia e passar pra mim. Eu estava sem noção de nada disso, e lá se ia eu colocando a primeira roupa que via pela frente(era uma blusa branca sem espanpa, um short roxo desajustado e uma chinela feia que eu não usava a meses), jogava as moedas que tinha dentro de uma bolsa com meus remédios, toda desarrumada e chorando, corri até a porta e antes que meu pai podesse perguntar pra onde eu ia, eu já estava tacando forte a porta pra fechar. Com o celular em mãos,eu ligava pra minha amiga tentando saber onde ele estava, em qual hospital, se era algo muito ruim... E Sem muitos detalhes, dizia ser em um hospital que era quilômetros daqui de casa e eu estava  toda desajustada chorando, pegava o ônibus e se isolava no fundão... 

Chegando perto do hospital, eu olho meu celular com nodificações do whatsapp resolvo ver se são noticiais, e vejo que tinha mensagens do Juaum, no desespero e no calor do momento para olhar as mensagens, eu cheguei a derrubar o celular, e no balança-balança o ônibus atira meu celular mais longe e cria um lindo crincado gigante na tela do celular. Mas o foco era outro, e finalmente depois de pegar o celular e ver as mensagens , a unica que tinha do juaum era um "eu morri", toda assustada limpando as lágrimas com minhas mangas, eu mando um "?" e ele rápidamente respondeu, depois de várias risadas algo como "É zoeira sua idiota", meu olhar totalmente turvo me enganava do que estava acontecendo e minha pressão se perdia e loga caia, e em seguida eu ia junto. Eu havia desmaiado! E depois desse apagão acordei no hospital pra qual eu estava indo ver o Juaum, me perguntavam pra quem podiam ligar, Então logo dei o número do meu pai, que pouco depois chega bem rápido e me abraça, podre a cachaça, mas só naquele abraço eu já estava mais calma. Logo se encheu de dúvidas e me perguntou como eu havia parado no hospital e eu só disse que não me lembrava, como foi só um desmaio, fui liberada na mesma hora e fui levada pelo meu bobão até o carro, ele que estava quase chorando de susto, fez a gente ficar o caminho todo um do lado do outro em silêncio(da mesma forma que em casa) como é desde sempre.

Ao chegar em casa, pedi licença a ele e a sua namorada que esperava a gente naquele mesmo sofá, fui pra minha cama, já era unas 18h e ali naquele horário já estava ótimo pra encerrar o dia.

Peguei meu celular todo quebrado e nas mensagens do WhatsApp, tinha risos no chat de quase todos, ninguém soube oque aconteceu comigo, e foi lentamente que eu movia meus dedos para bloquear cada um sem nenhum aviso, e mais uma vez estava me encerrando nos fones de ouvidos(só que dessa vez eu chorava como um bebê resem nascido, chorava perdidamente, mas quieta), escutando Lo-fi enquanto no fundo minha cabeça apenas se gabava dizendo "viu? Eu tava certa" ela falava mais alta do que tudo que meus fones podiam tocar, mas é ela estava certa, literalmente sobre tudo...(e isso era oque mais me detonava).

Sabe nunca falei, mas eu também desenho, não é nada de mais, mas era boa... E eu amava desenhar, e isso era o suficiente pra eu ter um materialzinho, alguns lápis e pinseis e um bom apontador, que logo foi todo desmontado, que no fim virou meu melhor amigo durante aquela noite. E sabe, eu não sou besta de fazer apenas uns disquinhos, eu era muito mais interessante, e desenhava duas lindas rosas espinhosas, uma em cada braço(eu amo rosas).

Era assim... Saiam lágrimas dos meus olhos, e juntos a elas saiam as lágrimas dos meus braços. Ainda eram unas 19:15 e já estava ótimo pra mim, foi um dia incrível. Foi bem agitado, tomei um calmante apesar dos apesares e apaguei rapidinho... Eu só não queria ter o desprazer de acordar, e ainda pior... ver que borrei toda a minha roupa de vermelho.


Notas Finais


Desculpem pelo peso desse capítulo, espero não assustar vocês.
Preciso mostrar a vida da Júlia por completa, e como ela é desajustada com ela mesma... Mas não se enganem, ela é incrível.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...