História O que dizer sobre você? - Capítulo 41


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Visualizações 18
Palavras 1.480
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Aventura, Famí­lia, Ficção Adolescente, Poesias, Romance e Novela

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 41 - Conhecendo Rayssa


Eu vivia com minha mãe, apenas nós duas, apesar dela ter a escola dela pra cuidar, ela sempre tinha um tempo pra mim, só para mim. Até que conheceu o Reginaldo, eu tinha 07 anos, o Reginaldo sempre dizia que era para ela me colocar em uma escola de tempo integral, um colégio com internato ou até mesmo já o ouvi pedindo a minha mãe para me colocar pra estudar em uma escola em outro país, pois isso faria com que eu pudesse ser mais desenvolvida, que me faria finalmente fazer amizades e me relacionar com outras pessoas já que ele achava muito estranho uma criança de 7 anos não ter nenhum coleguinha.

A cada ano ficava cada vez mais difícil conviver com o Reginaldo, minha avó, mãe da minha mãe, discutia muito com ele quando vinha nos visitar e relatava que minha mãe nunca soube escolher bem com quem ficava, então, eu sempre perguntava a minha mãe o que houve com meu pai e ela nunca sabia me dizer, eu nem tinha o nome do meu pai no meu registro de nascimento o que me fazia pensar que ele tinha abandonado minha mãe.

Minha mãe preparava meu aniversário de 9 anos e o Reginaldo ficava debochando de mim, dizia que ninguém iria vir na minha festa, então eu mesmo calada na escola comecei a convidar várias pessoas, minha professora que nunca havia me escutado falar alguma coisa antes me agradeceu e disse que não perderia por nada, e minha mãe me pedia pra que eu fizesse alguma amizade pois o Reginaldo só falava pra eu ir embora pois se sentia preocupado comigo por eu não falar com muita gente. Pilantra! O que minha mãe não via era que ele não falava isso com preocupação, e sim, com deboche e querendo me mandar pra longe dela.

Então, no meu aniversário de 9 anos, fiz amizade com o Luís.  Na escola estávamos sempre brincando e andando juntos, parecia até que éramos irmãos ou primos, ou alguma coisa da família que eu não sabia como era por conta da falta disso também, uma vez que minha avó não tinha outros filhos além da minha mãe, eu não conhecer a minha família por parte de pai, e minha mãe não ter sequer tido outro filho, mas voltando, eu e o Luís ficamos muito amigos, íamos fazer um projeto de feira de ciências juntos, mas de repente a Alessandra surgiu dizendo que eu era a dupla dela.

Fiz algo muito errado, simplesmente deixei o Luís sozinho no trabalho dele, logo ele começou a andar com uma menina, Emille, eles dois e a novata Juliane estava sempre grudados, enquanto eu e Alessandra vivíamos de aparências, ela não era minha amiga de verdade. Ela aparecia na minha casa, fazia várias coisas e eu aceitava, pois o Reginaldo começou a achar que não deveria mais me encher tanto pois já era a segunda amizade que levava em casa, mas os anos foram se passando e eu fui me acostumando com os mesmos assuntos de sempre de Alessandra, e sempre dizia a ela o que fazer pra ser mais malvada, pois eu mesma não conseguia ser, eu era louca por livros e filmes que falavam de vingança e tinha vontade de fazer tudo aquilo com o Reginaldo, mas me faltava coragem, então dizia tudo a Alê, e ela fazia.

Quando fomos ficando adolescente, Alessandra começou a ficar absurdamente linda, o cabelo dela ficou muito diferente, quando éramos crianças era curto, parecido com de um menino, agora era imenso e parecia cada vez mais liso, o pai dela era descendente direto de dois índios, porém quando criança eles morreram e ele foi adotada por uma família muito rica, ao qual ele herdou muita fortuna e uma empresa imensa, Alessandra era filha de um índio e de uma alemã, ela estava ficando cada vez mais bonita com o passar do tempo, e isso fez com que ela não entendesse o motivo pelo qual ainda não conseguia ser como outras garotas da escola, ela reclamava sempre de não ser como “A” e “B” , e as vezes eu ficava de saco cheio dessa história.

Quando Alessandra fez 15 anos, ela planejou um festão, mas pouca gente da escola quis aceitar o convite, depois de tanta loucura que ela fizera (infelizmente tudo o que eu dizia pra ela fazer), ninguém queria se aproximar dela, ficavam falando dela como se ela fosse a bruxa má da Branca de Neve, e ela começou a achar que era isso mesmo, e disse pra mim que eu só entraria na festa dela se eu alisasse meu cabelo, tudo bem eu odiava pentear meu cabelo, dava o maior trabalho, mas não significava que eu queria fazer aquilo com ele.

Mas, na manhã da festa eu falei com minha mãe que não quis que eu fizesse, e o Reginaldo disse que apoiava e me levava pra fazer, ele me levou em um salão completamente estranho, num fim de mundo qualquer, a mulher fez um horror na minha cabeça, fiquei ridícula. E ele fazia questão de ficar sorrindo de mim após aquilo, e pela primeira vez eu pude ver minha mãe brigando com ele, foi lindo, e mesmo com a auto estima baixa pelo meu cabelo estar destruído, fui feliz a festa da Alessandra e decidi que dali pra frente, eu ajudaria minha suposta amiga malvada a ser tão má quanto imaginavam que ela era, e faria com que me reconhecessem como malvada também.

Só não dava certo, sempre todos achavam que era apenas a Alessandra, ela estava cansada desse status e foi estudar fora durante o ano todo. Então comecei a reparar nas pessoas que ela sempre tanto falava, Emille e cia. Eu particularmente não gostava da Emille, cara, ela não podia esperar eu e o Luís nos acertarmos? Com certeza ela o influenciou para que ele não voltasse a falar comigo, e a Ana Flávia? A detestava, ela sempre me vencia nas turmas de debate de história, e soube depois que ela namorava o Luís. Logo o que eu queria namorar.

Mas, logo acabei com o namoro deles, minha mãe me levou a um salão maravilhoso, onde finalmente meu cabelo ficou incrível. Ela mandou fazer unhas de porcelana em mim, sobrancelha e passamos a tarde comprando sapatos e roupas novas, eu nem sabia quando tinha sido a última vez em que fizemos algo juntas, e me senti verdadeiramente bem por estar novamente fazendo algo com ela. Até que ela me disse que estava fazendo aquilo pois se sentia mal por minha única amiga estar longe. E me deu um cartão de uma agência de intercâmbios e me ofereceu que eu fizesse metade do outro ano, eu aceitei, e ela logo saiu dizendo que ela precisava encontrar com o Reginaldo, e eu esperando o táxi, encontrei o Luís, ele ficou dizendo que eu estava muito bonita, e eu vi que a Ana estava vindo e me joguei em cima dele, e ele mais idiota do que eu pensei aceitou tudo. Que namoro iria resistir isso?

Ana Flávia teve ódio de mim, me mandou umas mensagens bem afrontosas, mas eu creio que ela nunca comentou com ninguém o motivo por ter terminado com o Luís, nunca ninguém falou sobre isso, ela deve ter tido vergonha da forma com que o Luís não soube lidar com o namoro deles, depois o Luís veio falar comigo, e obviamente eu não aceitei, como ele acha que eu iria ficar com ele se ele nem ao menos soube lidar com seu antigo namoro? Descartei na primeira oportunidade, porém, voltamos a conversar e éramos amigos escondidos, ele me contava tudo sobre seus colegas de grupinho e relatava que só continuava com eles pra que tirasse boas notas e por todos terem boas condições, mas eu não entendia como ele era mais próximo da Emille, a que não tinha nada a oferecer a ele.

Alessandra voltou a escola, e eu fui pro meu intercambio, ela exigiu que eu falasse com ela todos os dias, sendo que pra mim ela nunca ligou, sempre se dizia ocupada demais com as coisas da escola dela, mas como eu mesmo sendo ignorada gostava dela, aceitei, e sempre ligava, odiava também onde eu estava, então ela me distraía com as babaquices que ela fazia. Alessandra no fundo era uma pessoa muito legal, mas ela não sabia ser essa pessoa escondida nela, e eu estava cansada de viver na sombra dela, eu vou ser o nome que todos esses babacas vão lembrar quando pensarem em maldade. Tenho um semestre pra isso. Eles vão realmente conhecer a Rayssa que achavam ser mandada por Alessandra, aquele curso de artes cênicas que fiz no intercâmbio me fez ser um pouco dramática pra falar.. mas a intenção é botar o terror mesmo, talvez eu comece com o Reginaldo,ou com a Emille, no caminho eu decido.


Notas Finais


Vai acontecer algo muito estranho com a turma de Emille e Juliane,e elas duas não fazem ideia do quanto foram bobas em não ter se desculpado uma com a outra enquanto era tempo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...